Publicidade

Posts com a Tag Vôlei

terça-feira, 13 de setembro de 2011 Isso é Brasil, Olimpíadas | 22:58

Um raio-X do esporte no Brasil

Compartilhe: Twitter

Excelente a pesquisa feita pela Delloite, empresa de consultoria internacional, divulgada no começo deste mês de setembro, chamada “Muito além do futebol – Estudo sobre esportes no Brasil”.  O objetivo era o de traçar um mapa sobre o interesse dos brasileiros em esportes, tendo em vista a realização dos Jogos Olímpicos de Londres 2012, da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, que serão realizadas no Rio de Janeiro. E alguns resultados desta pesquisa foram bem interessantes:

  • A principal conclusão é que o rúgbi foi apontado pelos entrevistados como o esporte que mais irá crescer no Brasil nos próximos anos;
  • As artes marciais ficaram em segundo lugar na opção de modalide esportiva que mais irá crescer nos próximos anos;
  • Os esportes coletivos aparecem como os preferidos pela maioria dos entrevistados na pesquisa;
  • Apesar de ser um país tropical, o Brasil possuí um grande interesse em acompanhar esportes de inverno, como curling (!), hóquei no gelo e esqui;
  • Golfe, hipismo e tênis foram apontados como esportes de elite (88%, 84% e 46%, respectivamente);
  • O beisebol e o golfe foram apontados como os esportes menos admirados pelos entrevistados;
  • O vôlei aparece como o segundo esporte na preferência do brasileiro, com 46%. O basquete aparece em quinto lugar (16%);
  • Na lista dos esportes que mais irá crescer no Brasil nos próximos anos, o basquete aparece em último lugar na preferência dos entrevistados, ao lado do futebol americano, com somente 4% nas respostas

Para conhecer outros dados interessantes desta pesquisa, clique na apresentação abaixo:

Autor: Tags: , , , , , , , ,

domingo, 14 de agosto de 2011 Ídolos, Imprensa, Olimpíadas | 23:33

Para USA Today, Fabiana Murer ainda é favorita para 2012

Compartilhe: Twitter

Fabiana Murer durante a conquista do título sul-americano do salto com vara

No último mês de março, em um dos primeiros posts deste blog, comentei sobre um levantamento feito pelo jornal americano “USA Today”, que faz uma espécie de termômetro dos prováveis resultados dos Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem. Trata-se de um misto de futurologia com estudo baseado em resultados nos mais diversos eventos disputados por todo o planeta. E a proposta é deixar a lista sempre atualizada.

Na edição de março, o site do “USA Today” previa que o Brasil terá um total de 15 medalhas nos Jogos do ano que vem (cinco de ouro, cinco de prata e cinco de bronze). A conta mudou um pouco na última lista, atualizada no final de julho. O total de medalhas do Brasil diminuiu (passou para 13), mas o número de ouros aumentou (são seis nesta última relação). Estão previstas ainda cinco de prata e duas de bronze.

Entre as seis conquistas brasileiras previstas pelo jornal americano, uma continua presente de forma surpreendente. Para o “USA Today”, Fabiana Murer será a campeã olímpica no salto com vara feminino. E olhe que neste começo de temporada ela ainda não repetiu a mesma performance de 2010 e sequer tem a melhor marca do ano – que pertence à americana Jennifer Suhr, que tem 4,91m contra 4,71m da brasileira.

Sinal que a confiança internacional na performance de Fabiana Murer supera até mesmo os melhores resultados de suas adversárias.

PS: antes que eu me esqueça, os possíveis campeões olímpicos brasileiros apontados na lista do “USA Today” são Cesar Cielo (natação – 50m livre), Robert Scheidt/Bruno Prada (Vela – Star), Juliana/Larissa (vôlei de praia) e seleções masculina e feminina de vôlei.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

sábado, 30 de julho de 2011 Ídolos, Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 18:57

O feito de Cesar Cielo é incontestável. Dentro d'água

Compartilhe: Twitter

Cesar Cielo exibe a medalha de ouro nos 50m livre do Mundial de Xangai

Se alguém ainda tinha alguma dúvida sobre o papel que o nadador Cesar Cielo irá desempenhar nos próximos anos no esporte brasileiro, teve como resposta a conquista espetacular neste sábado pela manhã do bicampeonato mundial nos 50m nado livre, do Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai, na China.

Cielo ganhou a prova com autoridade, marcando o ótimo tempo de 21s52 – o segundo melhor do ano -,  deixando para trás o italiano Luca Dotto (segundo colocado) e o francês Alain Bernand (terceiro), justamente ele quem mais criticou o brasileiro no episódio de advertência no doping por furosemida, dado pela CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) e ratificado pela CAS (Corte Arbitral do Esporte).

Não há ninguém na natação mundial mais rápido do que Cesar Cielo e o próprio brasileiro, deixando corretamente a modéstia de lado, colocou-se como um dos principais favoritos a conquistar o ouro nesta prova nas Olimpíadas de Londres, em 2012.

Dentro das piscinas, não há uma vírgula a se contestar das duas medalhas de ouro de Cesar Cielo (que neste mesmo Mundial de Xangai havia sido campeão mundial dos 50m borboleta). Mas fora d’água…

Sim, lá vem o mala falar (como fui definido outro dia por um tuiteiro) mal do Cielo. Não dele, especialmente, mas do que cercou sua participação neste Mundial de Xangai.

Num futuro distante, quando torcedores e jornalistas se debruçarem pelos arquivos digitais que certamente serão cada vez mais desenvolvidos, e resolverem pesquisar tudo o que cercou este mundial de esportes aquáticos, saberão que um grande ídolo brasileiro, que tinha testado positivo por doping meses antes – ocorrido por um descuido, é verdade – só pôde competir porque o tribunal definitivo de apelação esportiva da época tomou uma polêmica decisão de liberá-lo. Mesmo sabendo que casos idênticos, iguaizinhos ao dele foram julgados com muito mais rigor e que receberam penas de suspensão.

Por mais que isso irrite a pachecada (que não está restrita apenas ao futebol, mas em todas as modalidades esportivas nas quais o Brasil tem sucesso), a verdade é que Cesar Cielo sempre terá que conviver com esta espécie de asterisco em sua carreira.

Da mesma forma que a impecável seleção masculina de vôlei, que ganhou tudo e que deverá ganhar ainda mais no futuro, sempre será lembrada pelo jogo que entregou no Mundial da Itália, no ano passado, para a Bulgária, e assim, tirando proveito do regulamento estúpido, escapar de confrontos mais perigosos na fase seguinte.

E,  da mesma forma, o bravo Felipe França, campeão mundial dos 50m peito, será lembrado pelo movimento irregular que fez no finalzinho da prova em que garantiu a medalha de ouro.

Aos pachecos, lembro que esta minha análise não significa falta de respeito ou patriotismo em relação a Cesar Cielo. Primeiro porque patriotismo não tem nada a ver com esporte. E depois, considero Cielo um cara do bem, um atleta de personalidade e, acima de tudo, um gênio das piscinas.

Cielo pertence a uma casta rara de gênios esportivos nascidos no Brasil e que não jogam futebol, que inclui também Gustavo Kuerten, Maria Esther Bueno, Éder Jofre, Ayrton Senna, Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet, Joaquim Cruz, Adhemar Ferreira da Silva, João do Pulo, Giba, Oscar Schmidt, Wlamir Marques, Amaury Pasos, Robert Scheidt Torben Grael são alguns destes caras.

Mas se a Justiça tivesse o mesmo peso para todos, sem levar em conta títulos e medalhas, Cesar Cielo não deveria ter nadado em Xangai.

Veja também:

>>O desabafo e o protesto

>>As mudanças que virão a partir da absolvição de Cesar Cielo

>>O doping e a hipocrisia

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 22 de junho de 2011 Olimpíadas | 21:55

Cariocas são os que mais compram ingressos para Londres-12

Compartilhe: Twitter

O mais recente balanço divulgado pela Tamoyo Turismo, agência oficial que detém o direito de venda de ingressos no Brasil para as Olimpíadas de Londres-12, trouxe um dado interessante: os torcedores do Rio de Janeiro são, disparados, os mais interessados em comprar bilhetes para o principal evento poliesportivo mundial.

Dos cerca de 10 mil ingressos comercializados até agora no Brasil, 6.079 foram comprados por torcedores cariocas. Em segundo lugar, bem atrás, aparece o estado de São Paulo como o que tem o maior número de bilhetes vendidos: 1.839. Confira a tabela abaixo:

Estado Ingressos vendidos
Rio de Janeiro 6.079
São Paulo 1.839
Distrito Federal 296
Minas Gerais 279
Rio Grande do Sul 145
Pernambuco 124
Santa Catarina 121
Paraná 102
Bahia 98
Ceará 84
Pará 64
Amazonas 55
Espírito Santo 52
Goiás 40
Paraíba 25
Tocantins 19
Rio Grande do Norte 2
Total 9.424

Outro dado interessante diz respeito às modalidades mais procuradas pelos torcedores brasileiros. Numa repetição do balanço anterior, divulgado em abril, o vôlei continua sendo o campeão na preferência dos brasileiros, com 1.563 ingressos vendidos. Na sequência, entre os mais vendidos, aparecem o vôlei de praia (1.042 ingressos), futebol (914), atletismo (904) e judô (477) são as modalidades que completam a lista das cinco mais procuradas.

Veja também:

>>Brasileiros compram mais ingressos de vôlei para Londres-12

>>Ingressos para Londres-12: corre que vai acabar!

>>Confira os preços dos ingressos para Londres-12

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 21 de junho de 2011 Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:26

Doping burro, o pior que existe

Compartilhe: Twitter

Fabíola Molina no Pan de 2007: vaga para 2012 ficou bem mais complicada após o doping

Possivelmente a pior coisa que existe no universo do esporte seja o doping. Sim, porque o sujeito que se dopa não passa de um trapaceiro das pistas, quadras e piscinas, uma pessoa que por causa da própria incompetência utiliza substâncias químicas proibidas para superar os rivais que são superiores a ele. Por isso que as punições precisam ser rigorosas aos atletas que se dopam.

Só que existe talvez uma forma ainda pior de doping, ao menos para mim. É aquele doping onde o cidadão não a intenção de prejudicar ninguém, mas por uma baita burrada, acaba fazendo como vítima apenas ele mesmo. Seja por inocência, vaidade ou burrice. Em todas estas opções, a dor e frustração são enormes. É o caso do doping da nadadora Fabíola Molina, anunciado hoje pela CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos).

Em entrevista à “ESPN Brasil”, o marido de Fabíola, o também nadador Diogo Yabe, justificou que o doping da mulher ocorreu por causa de uma amostra grátis de um suplemento alimentar, que continha a substância Metilhexanamina, um estimulante. O que me deixa perplexo é que isso aconteceu com uma nadadora de 36 anos, ou seja , não se trata de nenhuma garotinha!!!

O currículo disciplinar impecável de Fabíola, aliado ao fato de que a competição em que o doping ocorreu – a prova Tentativa de Índice para o Mundial – não valia medalha, contribuíram para a pena até leve que ela recebeu da CBDA, de dois meses. O castigo maior, contudo, foi ser excluída da equipe que vai disputar o Mundial de Esportes Aquáticos, em Xangai (China), em julho, e principalmente a anulação do índice para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem.

Exemplos de burradas como a de Fabíola Molina andam sobrando no esporte brasileiro. Os casos mais famosos e recentes são o da jogadora de vôlei Jaqueline, que em 2007 recebeu nove meses de suspensão por ter tomado um chá para combater celulite que continha substância proibida; e da ginasta Daiane dos Santos, que em 2009 foi flagrada em um teste fora de competição por causa de um diurético, também usado para emagrecimento.

Punidos pelo descuido, estes atletas sofrem até mais do que aqueles que tomaram substâncias com o intuito de melhorar seu desempenho. No caso de Fabíola Molina, esta bobagem pode ter lhe custado a última chance de ir às Olimpíadas. Uma pena.

Veja também:

>>Daiane volta para iniciar o caminho do adeus

>>Doping volta a envergonhar o esporte brasileiro

>>Dois pesos e duas medidas

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 8 de junho de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Seleção brasileira | 08:25

Nalbert corneta a CBV via Twitter

Compartilhe: Twitter

Nalbert quer atenção da CBV com os ídolos do vôlei brasileiro

Exemplo de organização no esporte olímpico brasileiro, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) recebeu uma bela cornetada via Twitter, durante o jogo de despedida de Ronaldo Fenômeno pela seleção brasileira, nesta terça-feira, na vitória de 1 a 0 sobre a Romênia. E a cornetada veio em uma espécie de “fogo amigo”:  o ex-capitão Nalbert, campeão mundial (2002, na Argentina) e olímpico (2004, em Atenas) com a seleção brasileira masculina.

“Perguntar não ofende: por que nenhum ídolo do vôlei recebeu uma homenagem como essa até hoje”, disparou Nalbert em sua página no microblog, para em seguida enaltecer e cumprimentar Ronaldo pela despedida.

Pelo que conheço dos padrões do vôlei, especialmente da seleção brasileira, onde parece ser proibido criticar e dar notícias com viés negativo, as palavras de Nalbert terão certamente um peso bem forte dentro da CBV.

Veja também:

Ministério do Esporte ajuda a encher os cofres do vôlei

Brasileiros compram mais ingressos de vôlei para Londres-12

Vitória contra o preconceito. Mas a luta só começou…

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 2 de junho de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 16:11

Agenda olímpica cheia no eixo Rio-SP neste fim de semana

Compartilhe: Twitter

Lara Teixeira (à esq.) e Nayara Figueira treinam para o Brazil Synchro Open de nada sincronizado

Para quem curte esportes olímpicos, a agenda deste final de semana, tanto no Rio de Janeiro quanto em São Paulo, está pra lá de cheia. Sobram atrações, algumas das quais valendo vaga para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara.

Um dos eventos que vale vaga no México é o Sul-Americano de pentatlo moderno, que começou nesta quinta-feira no Complexo Esportivo de Deodoro, no Rio. O torneio, que terminará no próximo domingo,  servirá para definir os últimos integrantes da seleção brasileira que disputará o Pan. Por enquanto, apenas a pernambucana Yane Marques, campeã pan-americana no Rio-2007, e a única atleta já com vaga assegurada. Yane, melhor atleta classificada no ranking mundial da modalidade, também está classificada para disputar a etapa final da Copa do Mundo, em julho, na cidade de Londres.

Também no Rio, começa nesta sexta-feira o Brazil Synchro Open, no Parque Aquático Júlio Delamare. O torneio internacional servirá como preparação da seleção brasileira para as disputas do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, que acontecerá em Xangai (China), em julho. Além do Brasil, participarão do evento equipes dos EUA, Canadá, Alemanha, França, Argentina, Colômbia, e Aruba. O torneio termina no domingo.

Por fim, ainda no Rio, a seleção brasileira masculina de vôlei disputa neste fim de semana a segunda rodada da Liga Mundial, enfrentando a Polônia neste sábado e domingo,  no Ginásio do Maracanãzinho, sempre às 10h.

A agenda olímpica Rio-SP tem ainda a disputa da segunda etapa do torneio Oi Serra e Mar de hipismo, na cidade de Indaiatuba, no Helvetia Riding Center. A competição, que começa nesta sexta-feira e vai até o próximo domingo, será a sexta de oito seletivas para a definição da equipe de adestramento que vai ao Pan de Guadalajara. A prova de saltos promete ta,mbém dificuldades extras aos participantes: o percurso será desenhando pelo mexicano Javier Fernandez, que é o responsável por montar os percursos das principais provas de salto do continente e que também desenhará o  do Pan 2011.


O percurso montado no Helvetia Riding Center, para o evento deste final de semana de saltos e adestramento

Veja também:

Pista do Ibirapuera reestreia com recorde e índice

Brasil define equipes de lutas para o Pan

Tem seletiva para todos os gostos…

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quarta-feira, 25 de maio de 2011 Imprensa, Isso é Brasil | 12:22

Basquete brasileiro pode trocar tradição por dinheiro

Compartilhe: Twitter

Jogadores do Brasília comemoram o bi do NBB. A partir de 2012, só um jogo na final

Muito bacana a final da terceira edição do NBB (Novo Basquete Brasil), encerrada nesta terça-feira com a vitória do Brasília sobre o Franca, que fechou a série decisiva em 3 a 1, marcando 77 a 68 no jogo realizado no ginásio Nilson Nelson. Mais de 18 mil pessoas fizeram a festa do time da casa, que com justiça comemorou o bicampeonato.

Em busca do ressurgimento, após anos amargando o limbo, com três ausências seguidas dos Jogos Olímpicos, o basquete masculino brasileiro caminha razoavelmente bem. Só que os dirigentes da Liga Nacional de Basquete, que organizam o NBB, podem atrapalhar bastante esta caminhada se realmente colocarem pra valer a intenção de fazer a decisão do campeonato em jogo único, a exemplo do que já faz a Superliga de vôlei. Uma estupidez, que contraria toda a tradição do basquete, além de ser tecnicamente uma aberração.

A respeito desta ideia idiota, motivada apenas pelos trocados que a televisão paga ao descapitalizado basquete brasileiro, escrevi a respeito em janeiro deste ano, em meu antigo blog, que reproduzo abaixo:

“A Liga Nacional de Basquete (LNB) acaba de assumir que o que importa mesmo é o dinheiro. Sim, a grana, bufunfa, pois foi por causa dele que a próxima edição do Novo Basquete Brasil, o NBB (aliás, o campeonato vai pra quarta edição e os caras ainda querem chamar de “Novo”) será decidido em um jogo único, atendendo a um pedido da TV Globo, que detém os direitos de transmissão do campeonato.

De acordo com Kouros Monadjemi, presidente da LNB e diga-se de passagem, um homem sério e dedicado na função de comandar a Liga, a decisão é puramente financeira. “Os clubes estão com dificuldades financeiras, dependem das prefeituras e de patrocinadores. Se tivermos que comprometer um pouco a parte técnica para isso, nós iremos fazer isso”. O dirigente ainda disse que a Globo não aceitaria transmitir as finais em TV aberta se a decisão continuasse ocorrendo em melhor de cinco jogos.

O maior absurdo desta decisão é que se optou em dar um bico na tradição e coerência técnica, em troca de uma exposição que não resolverá os problemas do basquete brasileiro. Esta modalidade, que já foi a segunda na preferência do torcedor do país, está pagando por anos de incompetência da CBB (Confederação Brasileira de Basquete). Não me parece que mudando a fórmula de disputa a situação irá mudar, nem mesmo a médio prazo.

E cá entre nós: este dinheiro tão comemorado por Monadjemi para os falidos clubes brasileiros ainda é muito pouco. A Globo, que passa competições esdrúxulas na sua programação dominical pela manhã, teria a a obrigação de passar ao menos um jogo por semana. Mas como hoje o basquete brasileiro é um produto de segunda categoria e que nem mesmo consegue se classificar para as Olimpíadas, paga e oferece o que tem. Falido,o basquete aceita sem pestanejar.

E para provar a burrice e estupidez desta decisão da LNB, lembro aqui que as principais ligas de basquete do mundo fazem suas decisões em playoffs com cinco jogos ou mais. A ACB, da Espanha, é em melhor de cinco; a Lega Basket, da Itália, em melhor de sete; a Liga Nacional de Basquet, da Argentina, em melhor de sete; e a NBA, nos EUA define seu campeão em melhor de sete partidas.

Será que todo mundo está errado e só o basquete brasileiro, com seus cofres vazios, está certo? Eu acho que não.”

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 24 de maio de 2011 Olimpíadas, Pré-Olímpico | 23:36

Confira o programa de jogos da Copa do Mundo de vôlei

Compartilhe: Twitter

Após ser confirmada pela FIVB (Federação Internacional de Vôlei), a Copa do Mundo de vôlei do Japão, torneio classificatório para os Jogos Olímpicos de Londres-12, já tem definida sua programação de jogos. No total, participarão 12 seleções: além do Japão, como país-sede, estarão presentes os cinco campeões continentais, quatro vice-campeões (de acordo com o ranking da FIVB) e mais duas seleções convidadas.

Confira abaixo a distribuição dos jogos pelas sedes, tanto no torneio feminino quanto no masculino:

Copa do Mundo feminina:

4 a 6/11 – Hiroshima (Hiroshima Sun Plaza) e Nagano (Nagano White Ring)
8 a 9/11 – Hiroshima (Hiroshima Sun Plaza) e Toyama (Toyama City Gymnasium)
11 a 13/11 – Sapporo (Hokkaido Prefecutural Sports Centre) e Okayama (Momotaro Arena)
16 a 18/11 – Tóquio (Yoyogi National Stadium e Tokyo Metropolitan Gymnasium)

Copa do Mundo masculina:

20 a 22/11 – Nagoya (Nippongaishi Hall) e Kagoshima (Kagoshima Arena)
24 e 25/11 – Osaka (Osaka Municipal Central Gymnasium) e Kumamoto (Kumamoto Prefectural Gymnasium)
27 a 29/11 – Fukuoka (Marine Messe Fukuoka) e Hamamatsu (Hamamatsu Arena)
2 a 4/12 – Tóquio (Yoyogi National Stadium e Tokyo Metropolitan Gymnasium)

Autor: Tags: , , ,

Com a palavra, Isso é Brasil, Olimpíadas, Pré-Olímpico | 21:36

Competência do Japão assegurou a Copa do Mundo de vôlei

Compartilhe: Twitter

O Yoyogi National Stadium, durante a Copa do Mundo de vôlei de 2007

“Sempre tivemos confiança no povo japonês e na família do vôlei japonês para superar as dificuldades causadas pelos desastres naturais e pela lamentável radiação nuclear”


Trecho do comunicado da FIVB (Federação Internacional de Vôlei), assinado pelo presidente da entidade, Jizhong Wei, confirmando a realização da Copa do Mundo de vôlei no Japão, entre os dias 4 de novembro e 4 de dezembro deste ano, em evento que será classificatório para as Olimpíadas de Londres de 2012.

Uma grande prova de confiança da FIVB na capacidade de organização japonesa em poder receber mais uma vez a competição, repetindo o que já faz desde 1977. Isso para um país devastado por um terremoto, seguido de um tsunami, além de sofrer um desastre nuclear.

Trata-se de um tapa na cara dos dirigentes brasileiros, que não conseguem erguer suas arenas ou ginásios para a Copa do Mundo de 2014 ou para as Olimpíadas de 2016 sem a sombra de superfaturamentos ou desorganização habitual destas bandas.

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
  6. 6
  7. Última