Publicidade

Posts com a Tag Rio 2016

terça-feira, 9 de setembro de 2014 Imagens Paraolímpicas, Paraolimpíadas, Política esportiva | 18:41

Exemplo de legado esportivo

Compartilhe: Twitter

Se existe uma entidade que pode ser chamada de exemplo de eficiência no esporte brasileiro é o CPB (Comitê Paraolímpico Brasileiro). O desempenho nos Jogos de Londres 2012, quando o Brasil terminou na sétima colocação geral no quadro de medalhas (43 no total, sendo 21 de ouro) comprovam a afirmação da frase anterior.

Mas o que já é bom, tem tudo para ficar ainda melhor. Pelo menos é a expectativa que fica em relação ao Centro Paraolímpico Brasileiro, cujas obras estão a todo vapor e deverão ser concluídas até o segundo semestre do ano que vem. O total de investimentos para a obra é de R$ 288,7 milhões.

>>> Você leu aqui no Espírito Olímpico: Brasil, potência paralímpica

Localizado no terreno que abrigava a antiga Febem Imigrantes, na Zona Sul de São Paulo, o Centro Paraolímpico será a base de preparação da equipe brasileira para as Paraolimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Além disso, ficará como legado esportivo para futuras competições paraolímpicas e olímpicas também. Especialistas asseguram que nenhuma outra instalação esportiva pode abrigar 15 modalidades como prevê o projeto da instalação brasileira.

Alguns números que resumem um pouco o que será o Centro Paraolímpico:

  • Início das obras: dezembro de 2013
  • Previsão de conclusão: em 2015
  • Total do investimento: R$ 264.700.000,00 (obras) + R$ 24.000.000,00 (equipamentos)
  • Financiamento do governo federal: R$ 145.000.000,00 (obras) + R$ 20.000.000,00 (equipamentos e materiais esportivos)
  • Financiamento do governo estadual: R$ 119.700.000,00 (obras) + R$ 4.000.000,00 (equipamentos)
  • Número de trabalhadores em agosto de 2014: aproximadamente 1.350

15 Modalidades serão atendidas no local

Atletismo
Basquete em cadeira de rodas
Bocha
Esgrima em cadeira de rodas
Futebol de 5
Futebol de 7
Golbol
Halterofilismo
Judô
Natação
Rúgbi
Tênis
Tênis em cadeira de rodas
Triatlo
Voleibol sentado

Fonte: Ministério do Esporte

Confira algumas imagens das obras do Centro Paraolímpico de São Paulo

Autor: Tags: , ,

domingo, 7 de setembro de 2014 Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 16:40

Um tiro certeiro na monocultura esportiva

Compartilhe: Twitter

O maior legado (diria até obrigação) da conquista do direito de organizar os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro é tentar por um fim na monocultura esportiva Brasil. Mas infelizmente não será em sete anos que isso se resolverá, não importa que queiram nos empurrar goela abaixo que somos ou estamos no caminho de nos tornar uma potência esportiva. Isso é trabalho para as próximas décadas, onde os resultados obtidos pelas equipes brasileiras nas próximas Olimpíadas poderão sim ter grande influência em uma mudança de postura – mas acima de tudo, é um trabalho de formiguinha, de longo prazo.

Com apenas 16 anos, Marcus Vinícius D'Almeida faturou de forma inédita a medalha de prata da  Copa do Mundo de tiro com arco

Com apenas 16 anos, Marcus Vinícius D’Almeida faturou de forma inédita a medalha de prata da Copa do Mundo de tiro com arco neste domingo

Enquanto isso, por culpa de décadas de atraso na implantação de uma política esportiva (que só nos últimos anos, na esteira da vitória na eleição do COI de 2009, vem mudando de forma gradativa), por ignorância de grande parte do público e por completo desinteresse dos principais veículos de mídia do país, o esporte do Brasil resume-se, em 90% dos casos, ao futebol. Vez ou outra fala-se do vitorioso voleibol de seleções, exaltam-se conquistas de ídolos consagrados como Cesar Cielo ou Guga, ou comemoram-se conquistas isoladas, como o emocionante título mundial feminino de handebol em 2013. Mas a verdade é que o Brasil só vira “olímpico” de fato a cada quatro anos.

Infelizmente essa é a dura realidade, doa a quem doer. Porém, isso está mudando aos poucos.

Uma pequena prova disso ocorreu na manhã deste domingo, 7 de setembro. Uma modalidade nanica no Brasil, praticamente ignorada pelo grande público, o tiro com arco viveu algumas horas de protagonismo, aos menos na timeline esportiva das redes sociais, graças a um garoto de 16 anos, nascido no Rio de Janeiro e que nem terminou ainda o ensino médio. De forma inédita, Marcus Vinícius D’Almeida chegou à final da Copa do Mundo de tiro com arco, em Lausanne (SUI), perdendo a medalha de ouro apenas no chamado “shoot-off” (flecha desempate), após a igualdade em cinco sets com o americano Brady Ellison. medalha de prata por equipes nos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

O pódio em Lausanne, com Marcus Vinícius, o americano Ellison e o holandês Van der Ven, que levou o bronze

O pódio da final da Copa do Mundo em Lausanne, com Marcus Vinícius, o americano Ellison e o holandês Van der Ven, que levou o bronze

O feito de Marcus Vinícius é espetacular, primeiro pela pouca idade (16 anos) e também pelo fato de ter chegado à final da Copa do Mundo como o mais novo arqueiro da história a atingir este feito e na condição de nono colocado no ranking mundial da Fita (Federação Internacional de Tiro com Arco). O leitor do iG Esporte pôde conhecer um pouco mais de história do jovem prodígio brasileiro no mês de agosto, pouco antes de iniciar sua participação nas Olimpíadas da Juventude, em Nanquim (CHN), onde também terminou com a medalha de prata.

Não irei cravar aqui que Marcus Vinícius D’Almeida será medalha em 2016. Jornalista não é vidente. Fica claro, porém, que o garoto é um atleta a ser colocado no radar para ser acompanhado detalhadamente nos próximos anos. Assim como outros grandes talentos de modalidades ignoradas pelo público e mídia, como é o caso de Isaquias Queiroz, bicampeão mundial da canoagem velocidade C1 500m (modalidade não olímpica).

Se por causa de atletas como eles o Brasil parar um pouco de viver essa irritante monocultura esportiva, esse será o grande legado que os Jogos Olímpicos de 2016 deixarão para este país.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 5 de setembro de 2014 Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 09:50

Oito países já têm vaga nos Jogos de 2016. Veja quem são

Compartilhe: Twitter
Cavaleiro holandês Gerco Schroder salta durante a final da prova de saltos nos Jogos Mundiais Equestres

Cavaleiro holandês Gerco Schroder salta durante a final da prova de saltos nos Jogos Mundiais Equestres

Com o encerramento da competição por equipes do hipismo saltos nos Jogos Equestres Mundiais, que estão sendo realizados em Caen (FRA), na última quinta-feira (4), completou-se a primeira etapa de qualificação para os Jogos Olímpicos do Rio 2016. Estavam em disputa cinco vagas nesta modalidade, que ficaram respectivamente com os conjuntos da Holanda (campeã), França (vice), Estados Unidos (3º), Alemanha (4º) e Suécia (6º).

Por ser o país-sede das Olimpíadas, o Brasil estava classificado antecipadamente, mas ainda assim cumpriu ótima campanha no Mundial, terminando na quinta colocação, com uma pontuação total de 16,95, apenas 0,23 de diferença em relação à equipe dos EUA, que terminou com o bronze.

Assim, encerradas as competições nas três modalidades olímpicas (adestramento, CCE e saltos), são oito os países já com vaga nos Jogos de 2016: Alemanha, Austrália, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Holanda, Irlanda e Suécia.

Rumo ao Rio 2016

Aliás, para quem quiser acompanhar o desenrolar das qualificações olímpicas, o blog tem um post especial, localizada na barra direita, na seção “Páginas”, em que irá atualizar todas as vagas preenchidas nas 42 modalidades olímpicas que estarão em disputa nos Jogos de 2016. O levantamento também pode ser acessado neste link.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 4 de setembro de 2014 Imprensa, Isso é Brasil, Olimpíadas | 22:32

Rio 2016 não tem plano B para campo de golfe

Compartilhe: Twitter
As obras do campo de golfe para os Jogos de 2016 correm o risco de não serem concluídas a tempo

As obras do campo de golfe para os Jogos de 2016 correm o risco de não serem concluídas a tempo

A organização dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 encarou com aparente tranquilidade a decisão do juiz da 7ª Vara da Fazenda Pública do RJ, Eduardo Antonio Klausner, que na última quarta-feira determinou um prazo de 14 dias para que seja apresentada uma proposta que atenda aos desejos dos ambientalistas que questionam a instalação da sede olímpica do golfe na reserva de Marapendi, na Barra da Tijuca. Se isso não ocorrer, os organizadores precisarão refazer o projeto ou paralisar as obras, o que poderá atrasar bastante o cronograma da modalidade. Pela programação de eventos-testes divulgada pelo comitê, há uma competição de golfe prevista para ser realizada em agosto de 2015.

“Iremos apresentar nossas justificativas e analisar toda a documentação apresentada. Entendemos que está tudo certo na obra, mas se por acaso algo estiver fora dos padrões exigidos, iremos refazer.  As Olimpíadas de 2016 têm uma forte preocupação  ambiental”, afirmou ao blog nesta quinta-feira o diretor de comunicação do comitê Rio 2016,  Mário Andrada.

O Ministério Público do Rio de Janeiro entrou com uma liminar pedindo a interrupção das obras, alegando diversos danos ambientais e contando com depoimentos de biólogos e engenheiros florestais. Até 17 de setembro, a prefeitura do Rio precisará se posicionar sobre o documento assinado na quarta-feira e que fala, entre outras coisa, no redimensionamento do campo.

>>> Veja também: Rio 2016 divulga calendário de eventos-testes

Com imbróglio, já há quem fale em possíveis mudanças na sede do golfe. Fontes ligadas à IGF (Federação Internacional de Golfe), consultadas pela agência de notícia “Associated Press” chegaram a admitir que “existem planos de contingência” caso as obras não sejam concluídas a tempo. Uma das opções poderia ser o campo do Itanhagá Golf Club, que ofereceu suas instalações para os Jogos.

A informação, porém, é negada pelo comitê organizador. “Não há plano B para uma nova arena olímpica de golfe e de qualquer outra modalidade, ao menos neste momento”, disse Mário Andrada.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 3 de setembro de 2014 Olimpíadas | 19:24

Mais de 56 mil já se inscreveram para trabalhar como voluntários em 2016

Compartilhe: Twitter
Mais de 56 mil pessoas já se inscreveram para o programa de voluntários de 2016

O Brasil tem até agora o maior número de interessados em atuar como voluntários dura as Olimpíadas e Paraolimpíadas de 2016

Apenas seis dias depois de ter sido lançado, o programa de voluntários para as Olimpíadas e Paraolimpíadas do Rio 2016 já está quase alcançando sua meta. Até às 14h30min desta quarta-feira (3/9), nada menos do que 56.327 pessoas se inscreveram no programa de voluntários, lançado na última quinta-feira (28/8). A meta anunciada pelo comitê organizador era a de reunir ao menos 70 mil pessoas trabalhando no apoio aos Jogos.

Naturalmente, o Brasil lidera a lista de interessados em trabalhar nas Olimpíadas de forma voluntária, com 35.501 cadastros. Em seguida, aparece a China, com 3.054 inscrições, à frente de Estados Unidos (2.654), Rússia (2.328), Grã-Bretanha (2.156) e Argentina (1.072).

>>> Veja também: Até 5 mil britânicos podem atuar como voluntários em 2016

Ao todo, pessoas de 160 países demonstraram interesse em trabalhar nos Jogos Olímpicos, dos mais variados pontos do planeta, como Suriname, Tanzânia, Butão, Fiji, Burkina Faso e Andorra, entre outros.

As inscrições para atuar como voluntário nas Olimpíadas e Paraolimpíadas podem ser feitas no site oficial dos Jogos até o próximo dia 15 de novembro.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 2 de setembro de 2014 Isso é Brasil, Olimpíadas | 23:36

Governo do RJ agora promete despoluir mais de 80% da Baia de Guanabara até os Jogos. Vai dar tempo?

Compartilhe: Twitter
Barco do México navega pela Baia de Guanabara, local das provas de vela nos Jogos de 2016

Barco do México navega pela Baia de Guanabara, local das provas de vela nos Jogos de 2016

Alvo constante de fortes críticas de atletas, dirigentes e entidades ambientalistas, inclusive durante o evento-teste realizado no início de agosto, as poluídas águas da Baia de Guanabara, sede das provas de vela dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, poderão estar menos sujas do que se espera daqui a dois anos. Esssa pelo menos foi a ousada promessa feita por integrantes do governo do Rio de Janeiro nesta terça-feira, na sede do comitê organizador. E a meta é superar os 80% de águas limpas e esgoto tratado, que havia sido estabelecida antes.

Para que isso deixe de ser apenas uma promessa vazia, a CEDAE (Companhia Estadual de Águas e Esgotos) assegura que irá construir um cinturão de captação de esgoto nos arredores da Marina da Glória, impedindo assim que ocorra o desague de esgotos nas águas da instalação olímpica. A nova obra está orçada em R$ 14 milhões, que elevou para mais de R$ 2,5 bilhões o custo total de limpeza da área.

>>> Veja também: As primeiras impressões sobre a Baia de Guanabara para 2016

“Ao longo dos últimos três anos, as raias de competição já estavam no padrão internacional, devido às várias iniciativas que vem sendo desenvolvidas na Baía de Guanabara. O único ponto que faltava era justamente a área de saída dos barcos, na Marina da Glória. Com esse projeto, 100% dos compromissos firmados em relação ao site onde serão realizadas as competições de vela estarão concluídos a um ano dos Jogos Olímpicos”, disse o presidente da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE), Wagner Victer.

Mas a pergunta que não quer calar: será que vai dar tempo?  Faltam menos de dois anos para as Olimpíadas e se o controle de poluição falhar na Baia de Guanabara durante os Jogos, o vexame será histórico. Vamos aguardar…

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 31 de agosto de 2014 Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 14:21

Hipismo CCE conhece primeiros classificados para 2016

Compartilhe: Twitter
Equipe da Holanda comemora a medalha de bronze no Mundial de CCE e a vaga olímpica

Equipe da Holanda comemora a medalha de bronze no Mundial de CCE e a vaga olímpica

Atualizado

Foram conhecidos neste domingo os seis primeiros classificados no hipismo modalidade CCE (Conjunto Completo de Equitação) para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. As vagas vieram após a disputa do Mundial da modalidade, realizado durante os Jogos Equestres Mundiais, em Caen, na França.

A equipe da Alemanha, que já tinha assegurado sua vaga no adestramento, levou a medalha de ouro na competição e consequentemente uma das seis vagas em disputa no Mundial. O quarteto alemão ficou à frente da Grã-Bretanha (2º) e Holanda (3º), ambos também com lugar assegurado nos Jogos Olímpicos. Além deles, também estão classificadas as equipes da França (4º), Austrália (5º) e Irlanda (6º).

Marcelo Tosi, com Eleda All Black, salta em Caen, na Normandia. Brasil ficou em 8º no geral

Marcelo Tosi, com Eleda All Black, salta em Caen (França). Brasil ficou em 8º no geral

O Brasil, já previamente classificado por ser o país-sede dos Jogos, fez um bom papel neste Mundial, terminando em oitavo lugar por equipes, mesmo tendo competido com apenas três conjuntos (Marcelo Tosi, Ruy Fonseca e Gabriel Figueiredo). Ficou inclusive à frente de países tradicionais no esporte, como Bélgica e Estados Unidos.

Na verdade, a equipe brasileira levou a melhor por ter “sobrevivivo” à prova do cross country, cujo percurso estava muito difícil e eliminou diversos conjuntos dos países mais fortes, o que contribuiu decisivamente para chegar ao oitavo lugar geral após a prova de saltos. A melhor participação no individual foi de Ruy Fonseca, que terminou em 39º lugar.

Veja também: Os primeiros classificados para os Jogos do Rio 2016

A modalidade de hipismo saltos começa a disputa de seu Mundial a partir desta segunda-feira, com a prova de aquecimento. Estarão em disputa na França cinco vagas para os Jogos Olímpicos.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quarta-feira, 27 de agosto de 2014 Imprensa, Olimpíadas, Paraolimpíadas | 23:45

Até 5 mil britânicos podem atuar como voluntários em 2016

Compartilhe: Twitter
Voluntárias auxiliam turista no metrô de Londres, durante os Jogos de 2012

Voluntárias auxiliam turista no metrô de Londres, durante os Jogos de 2012

A notícia foi divulgada pelo site “Inside the Games”, que acompanha o dia a dia do movimento olímpico pelo mundo. Segundo reportagem do portal publicada esta semana, até cinco mil britânicos poderão reforçar o corpo de voluntários para as Olimpíadas e Paraolimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. As inscrições serão abertas pelo comitê organizador dos Jogos nesta quinta-feira (28), que espera recrutar até 70 mil pessoas para atuar nos dois mega-eventos.

É extremamente comum ver estrangeiros, além dos habitantes do país-sede das Olimpíadas, atuando na área do voluntariado, nas mais diversas funções. Especificamente em duas delas eles acabam sendo fundamentais, atuando ao lado das delegações esportivas nas arenas de competição, e auxiliando no apoio aos jornalistas no Media Center (centro de imprensa escrita e online) e no IBC (onde trabalham os jornalistas das redes de televisão e rádio).

>>> Veja também: Saiba o que você precisa fazer para se tornar voluntário nos Jogos do Rio 2016

O sucesso do trabalho dos voluntários nas Olimpíadas de Londres 2012 e recentemente nos Jogos da Comunidade Britânica (os Commonwealth Games), realizados em Glasgow, na Escócia, servem como argumento que justifica a estimativa otimista. E tem que realmente ter muita vontade de trabalhar apenas para ajudar a fazer a festa olímpica carioca um sucesso, pois não será nada barato. Estima-se que cada britânico que pretender atuar como voluntário gastará, só de passagem, cerca de US$ 4.100 (mais de R$ 9 mil em valores de hoje).

Ainda assim, há quem acredite que um mini-exército britânico invadirá o Rio daqui a dois anos. “O voluntariado em grandes eventos esportivos é um exemplo de como transformar uma forma de trabalho em lazer sério. Para muitas pessoas, poder ficar com o uniforme e a credencial tem um valor inestimável. Não seria surpresa para mim se pelo menos cinco mil britânicos trabalharem nos Jogos de 2016”, diz Simon Shibli, professor da Sheffield Hallam University e que desenvolve estudos sobre voluntariado esportivo.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 26 de agosto de 2014 Mundiais, Olimpíadas | 14:52

Os primeiros classificados para os Jogos do Rio 2016

Compartilhe: Twitter
Equipe de adestramento da Alemanha comemora o título mundial e a vaga para 2016

Equipe de adestramento da Alemanha comemora o título mundial e a vaga para 2016

Nesta terça-feira, foram conhecidos os donos das quatro primeiras vagas para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. A disputa da  final do adestramento por equipes dos Jogos Equestres Mundiais, em Caen (França), viu a equipe da Alemanha comemorar o título, com Grã-Bretanha ficando com a segunda posição e Holanda em terceiro. Os três países asseguraram, assim, automaticamente, a presença no torneio olímpico de 2016.

>>> Veja também: Confira as vagas em disputa para os Jogos Olímpicos de 2016

O quarto classificado ainda deverá ser confirmado mais para frente. A Austrália, que embora tenha terminado o Mundial em 10º lugar, deverá assegurar sua vaga por conta de ter sido a melhor classificada entre as equipes que integram os grupos F e G da FEI (Federação Internacional Equestre), que reúne países da África, Oriente Médio, Sudeste Asiático e Oceania.

Ao longo do Mundial de hipismo, ainda serão definidos seis países classificados nas competições do CCE (Concurso Completo de Equitação) e cinco conjuntos na competição de saltos. Os Jogos Equestres Mundiais terminarão no próximo dia 7 de setembro.

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 25 de agosto de 2014 Mundiais, Seleção brasileira | 23:32

Tem Mundial para todos os gostos

Compartilhe: Twitter
Sarah Menezes não lutou bem e foi eliminada logo em sua primeira luta no Mundial de judô

Sarah Menezes não lutou bem e foi eliminada logo em sua primeira luta no Mundial de judô, na Rússia

Além dos Jogos Equestres Mundiais, tratados no post anterior e que já definirão as primeiras vagas para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, a semana promete ser agitada com a realização de Mundiais de outras modalidades olímpicas, tiodas com a participação de equipes brasileiras.

Em dois deles estão concentradas as principais esperanças de bons resultados e medalhas. O Mundial de judô, que começou nesta segunda-feira, em Chelyabinsk, na Rússia, é sem dúvida aquele onde o Brasil tem maiores chances de faturar uma ou mais medalhas de ouro. Principal aposta do COB (Comitê Olímpico do Brasil) para ajudar a alcançar a meta de 30 medalhas em 2016, o judô está no Mundial 2014 com equipe completa.

Mas na largada, nesta segunda, acabou decepcionando, com as eliminações da campeã olímpica Sarah Menezes (48 kg), derrotada pela francesa Amandine Buchard; do medalhista de bronze em Londres 2012, Felipe Kitadai (60 kg), que caiu diante do uzbeque Dyorbek Urozboev; e Eric Takabatake (60 kg), que parou nas oitavas diante do russo Beslan Mudranov. O Mundial vai até o próximo domingo.

O outro torneio que desperta a atenção dos esportes olímpicos é a Copa do Mundo masculina de basquete (nova denominação do Mundial), que será realizada na Espanha, a partir deste sábado (30). Depois do vexame de ter sido eliminado na Copa América e só assegurar sua participação via convite da Fiba (Federação Internacional de Basquete), a equipe brasileira chega ao torneio com sua força máxima, com todos os atletas que atuam na NBA, como Tiago Splitter, Anderson Varejão e Nenê Hilário, além de Marcelinho Huertas, que defende o Barcelona. Há quem aposte que o time do técnico argentino Rubén Magnano tem tudo para ficar entre os quatro primeiros.

Em outros dois Mundiais, já em andamento, o Brasil está apenas marcando presença, sem chance de medalhas. É o caso do remo, cuja competição que se realiza em Amsterdã (HOL)  tem somente um barco brasileiro (double skiff peso leve) classificado para as quartas de final. Os demais estão na repescagem, para as finais B e C.

Em Copenhague (DIN), começou nesta segunda-feira o Mundial de badminton, com cinco eliminações (três em simples masculina e femina e duas nas duplas mistas) logo de cara. Nesta terça (26), os brasileiros tentam evitar o adeus precoce na competição, com jogos em simples masculina e dupla masculina e feminina.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 6
  3. 7
  4. 8
  5. 9
  6. 10
  7. 20
  8. Última