Publicidade

Posts com a Tag Mundial de Atletismo

sexta-feira, 3 de junho de 2011 Ídolos, Pan-Americano, Seleção brasileira | 21:57

Em "aniversário" de recorde, Fabiana tenta manter a ponta

Compartilhe: Twitter

Fabiana Murer salta para cravar 4,70m, melhor marca do mundo na temporada

Já passou o tempo em que Fabiana Murer poderia ser considerada uma promessa do atletismo. Depois de uma temporada quase perfeita em 2010, quando venceu a Liga de Diamante e foi a campeã mundial indoor (pista coberta) no salto com vara, a atleta da Campinas adquiriu um outro status no cenário internacional. É uma bela realidade, esperança real de grandes resultados.

Hoje, ela não é mais aquela garota brasileira de talento, mas um tanto inexperiente, que viu suas varas desaparecerem como num passe de mágica, as Olimpíadas de Pequim, em 2008. Muita coisa mudou desde então. E neste sábado, quando compete no tradicional Prefontaine Classic, em Eugene (EUA), estreando na Liga de Diamente de 2011, Fabiana já passa a ser encarada como a rival a ser batida.

Não à toa, afinal a brasileira chega ao Grand Prix do Oregon como dona da melhor marca da temporada, com o 4,70m que cravou em Buenos Aires, durante o Campeonato Sul-Americano. Como coincidência, neste sábado faz exatamente um ano que Fabiana Murer obteve a melhor marca de sua carreira, ao vencer o Campeonato Ibero-Americano de atletismo saltando 4,85m, recorde sul-americano na prova.

O início da participação de Fabiana Murer na Liga de Diamante serve como a verdadeira largada da atleta na temporada 2011. Será a partir de agora que ela terá pela frente suas maiores rivais. E olhe que nos EUA ainda não irá encarar a supercampeã russa Elena Isinbayeva. Em compensação, terá como adversárias a polonesa Anna Rogowska, campeã mundial (Berlim/2009), a russa Svetlana Feofanova (prata no Mundial de Doha/2010), e a norte-americana Jennifer Shur, líder do ranking mundial em 2010 (4,92 m).

Neste ano, Fabiana Murer tem como princial objetivo conquistar uma medalha no Campeonato Mundial de Atletismo, em Daegu (Coreia do Sul), no mês de agosto, além de brigar pelo bicampeonato no Pan-Americano de Guadalajara (México), em outubro.

Veja também:

Fabiana começa a temporada em alto estilo

Atletismo brasileiro define seleção para o Sul-Americano

A mulher mais rápida do mundo

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 30 de maio de 2011 Com a palavra, Olimpíadas | 22:47

Bolt sem papas na língua

Compartilhe: Twitter

“Estes próximos dois anos vão me tornar uma lenda”


Velocista jamaicano Usain Bolt, durante entrevista nesta segunda-feira, quando comentava sobre seu objetivo de brilhar no Campeonato Mundial de Daegu, na Coreia do Sul, em agosto, e nas Olimpíadas de Londres, no ano que vem. Dito por qualquer outro atleta, a frase soaria arrogante e exagerada. Mas dita por Bolt, campeão mundial e olímpicos dos 100, 200 e revezamento 4 x 100m, a frase parece perfeitamente lógica.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 26 de maio de 2011 Ídolos, Imprensa, Olimpíadas, Pan-Americano, Seleção brasileira | 23:39

Fabiana começa a temporada em alto estilo

Compartilhe: Twitter

Fabiana Murer salta para vencer o GP Brasil e fazer a melhor marca do ano

O começo da temporada ao ao livre de Fabiana Murer não poderia ter sido mais promissor. Nesta quinta-feira, ao vencer o salto com vara no GP Brasil, no Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, sua primeira prova em 2011, ela simplesmente cravou a melhor marca do ano nesta prova, com 4,65m. Deixou para trás a eslovena Tina Sutej, que alcançou 4,61m numa prova realizada na cidade de Athens, nos EUA, no último dia 14.

Fabiana já declarou que tem como principal objetivo em 2011 chegar aos 5 metros. Não será uma tarefa fácil, ainda mais numa prova em que tem como rival ninguém menos do que a estupenda russa Elena Isinbayeva, recordista mundial com 5,06m. Mas depois de ter sida campeã mundial indoor, vencer a Liga de Diamente e ainda por cima melhorar seu recorde sul-americano para 4,85m, tudo isso em 2010, ninguém deve duvidar do que Fabiana é capaz.

Oportunidades para alcançar tal feito não faltarão para Fabiana Murer. Entre várias competições, ela terá como destaque o Campeonato Mundial de Daegu, na Coreia do Sul, em agosto, e os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em outubro.

Vale lembrar que no último mês de março, o jornal americano “USA Today” fez uma previsão de medalhas para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem. E entre as cinco medalhas de ouro que o jornal acredita que serão conquistadas pelo Brasil, uma delas seria de Fabiana Murer. Previsão classificada por este blogueiro como “meio maluca”, especialmente por saber que ela terá que superar Isinbayeva.

Tomara que o blogueiro queime a língua!

Veja também:

Jornal americano prevê cinco ouros para o Brasil em 2012

Atletismo classifica mais uma para o Pan-11

Assistir ao Pan 2011 é uma pechincha

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 19 de maio de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 23:09

Cadê os maratonistas do Brasil?

Compartilhe: Twitter

Solonei Rocha da Silva garantiu índice para disputar a maratona no Pan-11

Nesta última quarta-feira, a CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) divulgou sua primeira lista oficial de convocados para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara e também para o Campeonato Mundial de Daegu, na Coreia do Sul. Foram chamados atletas para maratona e marcha atlética. E é justamente aí que a coisa complica.

Para o Pan-11, na maratona masculina, a CBAt convocou Solonei Rocha da Silva e Jean Carlos da Silva, e na feminina as representantes da equipe brasileira serão Adriana Aparecida da Silva e Michele Cristina das Chagas. Na prova de marcha atlética 50km, os convocados foram Mario José dos Santos Júnior e Jonathan Rieckmann.

Em compensação, no Campeonato Mundial, que ocorrerá antes do Pan (entre 27 de agosto e 4 de setembro) e que teoricamente é um evento mais importante para o atletismo, o Brasil não terá representantes na maratona, uma das provas mais tradicionais da modalidade. Tanto Solonei quanto Jean Carlos desistiram, enquanto Marilson Gomes dos Santos disputará apenas o Pan (10 mil metros). No feminino a coisa foi ainda pior: nenhuma atleta conseguiu o índice exigido pela CBAt para ir à Coreia do Sul.

Trata-se de uma situação preocupante, bem preocupante. O Brasil, nos últimos anos, criou uma boa tradição em provas de fundo, especialmente a maratona. Vanderlei Cordeiro de Lima, Ronaldo da Costa, o próprio Marilson Gomes dos Santos, são alguns dos exemplos de talentos brasileiros na maratona.

Será que não conseguimos encontrar ao menos alguns atletas de nível razoável para representar o país numa competição tão importante como é o Campeonato Mundial? E o que dizer então do feminino, onde nenhuma atleta obteve índice? Ou será que a maioria absoluta prefira tentar a sorte de buscar uma medalha no Pan-Americano, competição de nível técnico inferior ao Mundial? Lamentável, hein?

Cadê os maratonistas do Brasil, minha gente? Cadê a renovação?

Com a palavra, os dirigentes da CBAt.

Leia também:

Atletismo classifica mais um para o Pan-11

A mulher mais rápida do mundo

O que acontece com o tribunal da CBAt?

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

domingo, 15 de maio de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 23:37

Kleberson Davide faz barba, cabelo e bigode no GP de Belém

Compartilhe: Twitter

Kleberson Davide (à esq.) não alcançou o queniano David Mutinda, mas cravou índice para o Mundial e o Pan

Não poderia ter sido melhor o domingo do brasileiro Kleberson Davide. Além de terminar em segundo lugar a prova dos 800m do GP Caixa realizado em Belém, no Estádio Olímpico, atrás apenas do queniano David Mutinda, ele obteve a ótima marca de 1min44s28. Com este tempo, ele atingiu o índice para integrar a seleção brasileira que disputará o Campeonato Mundial em Daegu, na Coreia do Sul, além dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Por fim, Davide terminou o dia como o terceiro homem mais rápido do ano nos 800m no ranking da Iaaf (Associação das Federações Internacionais de Atletismo), atrás somente de Mutinda e do também queniano David Rudisha.

Para se ter uma ideia da performance do atleta do Pinheiros neste domingo, ele tinha como melhor marca pessoal 1min44s65, obtida também em Belém, em maio de 2009. Neste ano, seu melhor tempo na distância havia sido 1min46s76, em Fortaleza, na última quarta-feira, dia 11. Aos 25 anos, nascido em Conchal (SP), Kleberson Davide fez barba, cabelo e bigode no GP de Belém.

Outros dois brasileiros que disputaram a prova dos 800m também não têm do que reclamar do GP de Belém. Lutimar Abreu marcou 1min45s32, terminou na quinta posição e atingiu índice para o Mundial e os Jogos Pan-Americanos. Fabiano Peçanha, sétimo colocado, completou a prova com 1min46s01 e garantiu índice para o Pan de Guadalajara.

Veja também:

Cadê os maratonistas do Brasil?

O que acontece com o tribunal da CBAt

Joaquim Cruz e uma análise pessimista para Londres-12

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 8 de abril de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 09:14

A mulher mais rápida do mundo

Compartilhe: Twitter

Ana Cláudia é a atleta mais rápida do ano nos 100m rasos

Calma, não se assuste com o título deste post. Até o momento, não existe mulher mais rápida no mundo do que a cearense Ana Cláudia Lemos, de 22 anos, dona do melhor tempo da temporada nos 100m rasos. No ranking da Iaaf (Associação Internacional das Federações de Atletismo),  ela aparece no topo da lista, com a marca de 11s19, obtida em São Paulo, no último dia 25 de março, na pista do Centro Olímpico. O tempo foi cravado na semifinal do 1º Torneio FPA. Ah, ela ganhou a final também, é bom que se diga (marcou 11s41).

Ana Cláudia pode ser considerada uma das boas (e poucas) revelações do atletismo brasileiro nos últimos anos. Aos 13 anos, quando morava em Criciúma, foi descoberta ao acaso, jogando futebol, e impressinou por sua velocidade em campo. Passou a integrar um projeto chamado “Correndo pelo Futuro” e sob orientação do técnico Roberto Bortollo, começou a fazer boas marcas e ser chamada para diversas seleções brasileiras. Até integrar a equipe do revezamento 4 x 100m, nas Olimpíadas de Pequim-2008 e no Mundial de Atletismo de Berlim, em 2009.

Contratada pela equipe BM&F Bovespa no início de 2010, quando passou a ser treinada por Katsuhico Nakaya, também técnico da seleção brasileira, Ana Cláudia viveu seu melhor momento na carreira até então. No Sul-Americano Sub 23, igualou o recorde sul-americano de Lucimar Moura nos 100m rasos, que durava 20 anos, 11s17. E no dia 4 de setembro do ano passado, bateu o recorde, ao marcar 11s15, em São Paulo.

Depois de nova vitória nos 100m em 2011, na última quarta-feira, vencendo o 3º Torneio FPA, Ana Cláudia Lemos viajará na próxima semana para os EUA, onde participará de duas competições, na Califórnia e na Pensilvânia, além de intensificar seu treinamento para o Mundial de Daegu, na Coreia do Sul, no mês de agosto, e aos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em outubro.

Numa época em que o atletismo brasileiro vem ficando mais famoso pelos casos de doping punidos (?) estanhamente pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), ver despontar um talento como o de Ana Cláudia Lemos não deixa de ser um alento.

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 26 de março de 2011 Isso é Brasil, Seleção brasileira | 07:38

Dois pesos e duas medidas

Compartilhe: Twitter

Lourival do Nascimento Libaneo disputou em 15 de agosto de 2010 a prova “10 Milhas Garoto”, na cidade de Vila Velha, no Espírito Santo. Só que ele não competiu “limpo’, ou seja, estava dopado, tanto que foi flagrado pelo exame antidoping, pelo uso da substância Menfertamina.

Suspenso preventivamente pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), Libaneo apresentou suas justificativas, que não foram aceitas pela entidade.  O atleta abriu mão do direito de fazer a análise da contraprova (Amostra B). Na última quinta-feira, foi julgado pela Comissão Disciplinar Nacional da CBAt e pegou dois anos de suspensão.

Geisa Arcanjo, no Mundial Juvenil de 2010, quando foi pega no doping

Agora, vejamos o caso de Geisa Arcanjo. A arremessadora de peso paulista, de apenas 18 anos, ganhou as manchetes duas vezes em 2010: a primeira, por ter conquistado uma inédita medalha ouro feminina para o Brasil no Mundial juvenil, realizado no Canadá; a segunda, por ter sido flagrada no exame antidoping, feito no dia da prova, pelo uso da substância Hidroclorotiazida.

Geisa perdeu a medalha de ouro e foi suspensa preventivamente. Só que ao contrário de Lourival Libaneo, teve um final feliz. Seu caso foi julgado dois dias antes pelo tribunal da CBAt e a atleta levou a pena mínima e recebeu apenas uma advertência. Sim, levou uma bela bronca e está liberada para competir, possivelmente até mesmo nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em outubro.

O atletismo brasileiro vem sofrendo com os inúmeros casos de doping há anos. O seu pior momento foi em 2009, às vésperas do Mundial de Berlim, quando um escândalo envolvendo a equipe de velocistas da equipe Rede, de Bragança Paulista, que culminou com a suspensão de cinco atletas e a eliminação dos técnicos Jayme Netto e Inaldo Sena do esporte. Outros vários casos vem ocorrendo, boa parte em provas de rua, o que mostra que a entidade está muito longe de vencer a guerra contra o doping.

Aí, eis que surgem dois casos como os de Geisa e Lourival Libaneo, com decisões opostas. A CBAt usou critérios diferentes e fez uma grande lambança. Doping é doping! Não importa que a atleta utilizou uma substância para emagrecer e garantiu que não tinha a intenção de melhorar sua performance.

Como diz o advogado e blogueiro Alberto Murray, ex-integrante da assembleia geral do COB e do CAS (Corte Arbitral do Esporte), os dirigentes da CBAt preferiram passar a mão na cabeça de Geisa Arcanjo, ao invés de aplicar a punição devida (dois anos de gancho), e assim poupar um dos raros talentos que surgiram nos últimos anos.

Neste caso, a CBAt pisou na bola. E feio.

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. Última