Publicidade

Posts com a Tag Copa do Mundo

sábado, 26 de maio de 2012 Olimpíadas, Seleção brasileira | 14:55

No top 10, Yane Marques vai para Londres brigar por medalha

Compartilhe: Twitter

Yane Marques participa da prova de corrida, na final da Copa do Mundo de pentatlo moderno

Há pouco menos de um ano, em agosto de 2011, escrevi um post enaltecendo a boa fase vivida pela pernambucana Yane Marques, que na ocasião ocupava o terceiro lugar no ranking mundial da UIPM (União Internacional de Pentatlo Moderno). Um feito notável para quem disputa uma modalidade praticamente desconhecida no Brasil e que havia começado a praticar a modalidade somente oito anos antes.

Bem, passados nove meses, a atleta nascida em Afogados da Ingazeira mostra que não é fogo de palha, ao terminar neste sábado na terceira colocação da final da Copa do Mundo de pentatlo moderno, realizada na cidade de Chengdu, na China. Será a última competição da brasileira antes de participar dos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Por sinal, Yane Marques é a única atleta do país classificada para as Olimpíadas na modalidade.

O brilhante resultado na China colocará a brasileira na sexta colocação do ranking mundial. Não é pouca coisa. Mesmo sabendo que algumas favoritas ao ouro em Londres não competiram na China, Yane Marques mostra justamente na fase final de sua preparação olímpica uma consistência de resultados notável.

Não é possível cravar que a brasileira voltará da Inglaterra com uma medalha na bagagem, mas é certeza afirmar que ela estará brigando por medalhas. Para um esporte praticamente fantasma no universo olímpico brasileiro, é um grande feito.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 29 de novembro de 2011 Isso é Brasil | 21:40

Brasília perdeu a sede da Universíade? Ainda bem!

Compartilhe: Twitter

Integrantes da delegação de Taipei comemoram a vitória na escolha da sede para a Universíade de 2017. Sorte de Brasília

Após um período ausente, graças à combinação bastante agitada de plantão + reta final de Brasileirão + preparação de reportagens para o Mundial feminino de handebol (que começa na próxima sexta-feira, em São Paulo e terá especial atenção deste blog), estamos de volta para comentar um fato que passou meio despercebido na imprensa, de modo geral, mas que tem efeitos altamente positivos para a imagem do esporte brasileiro: nesta terça-feira, a cidade de Brasília perdeu para Taipei (Taiwan) a sede da Universíade de verão de 2017, as Olimpíadas do esporte universitário.

Eis que este blogueiro comemora e por pouco não vai pra Av. Paulista festejar!

*** Observação aos leitores de fora de São Paulo: a Paulista ainda é, apesar da polícia proibir, o grande ponto de comemoração das torcidas de futebol nas conquistas de títulos na capital paulista.

Retomando o tema do post, não se trata de qualquer sentimento mesquinho ou bairrista, nem tampouco tenho algo contra os amigos do Planalto Central. Mas se existe um lugar neste país no qual qualquer tentativa de lançamento de candidatura esportiva precisa ser vista com extremo cuidado, este é Brasília.

Primeiro, pelo verdadeiro elefante branco que será erguido para receber meia dúzia de jogos da Copa do Mundo de 2014 e depois ficará às moscas, graças ao anêmico futebol local. Um elefante branco que custará quase R$ 1 bilhão; depois, o vexame protagonizado pela cidade ao “organizar” o Mundial de patinação artística, que teve várias provas adiadas ou canceladas devido às goteiras no Ginásio Nilson Nélson, que não conseguiam suportar as chuvas que caíram na cidade; por fim, o simples fato de o governador de Brasília ser Agnelo Queiroz.

Este cidadão, para quem tem fraca memória, foi um dos responsáveis pela farra feita na organização do Pan de 2007, no Rio, aquele que custou quase R$ 4 bilhões, para ter “padrão olímpico” e que vê seus equipamentos milionários serem subutilizados.  Agnelo Queiroz é o mesmo cidadão que ganhou dos jogadores da seleção brasileira de futebol o nada  edificante apelido de “medalhão”, após subir ao pódio para festejar a conquista (e receber a medalha) da Copa América de 2004. Agnelo Queiroz é o mesmo que viajou para os Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo 2003 com despesas pagas pelo COB (Comitê Olímpico Brasileir0) e com diárias recebidas do próprio Ministério do Esporte, pasta à qual era o titular.

Por tudo isso, os cidadãos de Brasília não precisam lamentar a derrota de 13 a 9 para Taipei, durante o congresso da Fisu (Federação Internacional de Esporte Universitário). Muito pelo contrário. Afinal, só a candidatura da cidade, conforme informou o ótimo blog do jornalista José Cruz, custou mais de R$ 3 milhões. O próprio Cruz estimou que a Universíade de 2017 não custaria menos do que R$ 4 bilhões, graças à carência absoluta da cidade em infraestrutura esportiva. O vexame seria inevitável.

Por tudo isso, repito o título do post: ainda bem que Brasília não foi escolhida para sede da Universíade de 2017!

Autor: Tags: , , , , , , ,

sexta-feira, 15 de julho de 2011 Isso é Brasil, Olimpíadas, Pan-Americano | 22:24

Rússia leva Mundial de Esportes Aquáticos que Brasil desejava

Compartilhe: Twitter

Integrantes da delegação da cidade de Kazan comemoram a escolha para o Mundial de 2015

Nesta sexta-feira, a cidade de Kazan, na Rússia, foi escolhida como sede do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de 2015. Foi uma grande vitória para esta que é chamada de a “cidade dos esportes” russos, além de mostrar que o maior país da extinta União Soviética vive uma grande fase de conquistas de eventos esportivos: afinal, irá organizar ainda as Olimpíadas de Inverno de 2014, em Sochi, além da Copa do Mundo de 2018.

O que passou despercebido foi um “pequeno” detalhe: este deveria ser o Mundial organizado pelo Brasil!

Em 2010, ainda no clima da conquista do direito de organizar as Olimpíadas de 2016, o presidente da CBDA (Confederação Brasileira de Esportes Aquáticos), Coaracy Nunes, anunciou a intenção de colocar o Brasil como candidato a receber aquele Mundial. “Esta é a competição que nos faltava realizar e é mais um legado da incrível conquista dos Jogos Olímpicos de 2016” dizia Coaracy Nunes em 2010, todo pimpão, lançando a candidatura brasileira.

Eis que um ano depois, vem o presidente da própria Fina (Federação Internacional de Natação), o uruguaio Julio Maglione, e anuncia que o Brasil abriria mão de concorrer, pois o novo Parque Aquático, que será usado nos Jogos de 2016, não ficaria pronto a tempo. E pensar que Coaracy planejava usar este Mundial de 2015 como evento-teste para as Olimpíadas.

Bom, para um país que numa prova oficial vê o atraso de uma prova por conta de um bloco de largada que estava solto, como ocorreu no último Troféu Maria Lenk com o campeão olímpico e mundial Cesar Cielo, nada é surpreendente, certo?

Na mesma eleição, a cidade de Guadalajara, no México, foi escolhida para receber o Mundial de 2017. E provavelmente com as mesmas instalações dos próximos Jogos Pan-Americanos, marcados para outubro.

PS: É bom lembrar que os organizadores dos Jogos do Rio afirmaram que precisarão construir uma nova piscina para as provas de natação, apesar do Parque Aquático Maria Lenk, erguido para o Pan-2007, ser praticamente novo. Mas em Guadalajara isso não será necessário.

Veja também:

>>Guadalajara inaugura centro aquático para o Pan 2011

>>Natação faz aquecimento em alto estilo

>>Troféu Maria Lenk: E o bloco do Cielo estava fora do lugar…

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 7 de julho de 2011 Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:43

Ranking motiva Yane na final da Copa do Mundo de pentatlo

Compartilhe: Twitter

Yane (nº 7) chega para a final da Copa do Mundo de pentatlo em quarto lugar no ranking mundial

Convenhamos, estar no quarto lugar do ranking mundial de uma modalidade quase desconhecida no Brasil como é o pentatlo moderno já seria o maior prêmio que a pernambucana Yane Marques poderia esperar. Mas será como a quarta melhor do planeta que ela representará o Brasil na final da Copa do Mundo da modalidade neste domingo, em Londres.

Ao todo, 35 atletas de 17 países participarão da prova feminina, que também servirá como evento-teste para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem. As provas de esgrima e natação ocorrerão no Centro Esportivo Crystal Palace, local que também servirá de concentração para a delegação do Brasil durante os Jogos.  O hipismo e a prova de evento combinado hipismo e tiro serão em Greenwich Park, que nesta semana recebeu competições de hipismo cross-country e CCE (conjunto completo de equitação).

Vale lembrar que em 2009, na final da Copa do Mundo, no Rio de Janeiro, Yane Marques terminou com a medalha de prata.

Como já foi dito aqui no blog, arretada esta Yane, hein?

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 16 de maio de 2011 Isso é Brasil, Pan-Americano | 22:43

E as confusões envolvendo o Pan-2007 não acabam…

Compartilhe: Twitter

Cerimônia de abertura do Pan 2007. Evento ainda é alvo de ações na Justiça

Incrível como não se coloca um fim às polêmicas envolvendo os Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007. Ainda bem que tem gente que não deixa que se esqueçam os absurdos com o dinheiro público cometidos naquele Pan. E vem aí uma Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos de 2016. Olho aberto, gente!

MPF processa ex-ministro por aluguel superfaturado da Vila do Pan

Agnelo Queiroz, Co-Rio, construtora e dirigentes da Caixa e do COB são réus

Da asssessoria de comunicação social da Procuradoria da República no Rio de Janeiro

O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro moveu ação contra o ex-ministro do Esporte, Agnelo Queiroz (atual governador do DF) e o vice-presidente do Comitê Organizador do Jogos Rio-2007 (Co-Rio) e Comitê Olímpico Brasileiro (COB), André Gustavo Richer, e outros quatro réus por superfaturamento no aluguel antecipado da Vila do Pan por dez meses. Também respondem à ação civil pública e de improbidade administrativa o ex-presidente da Caixa, Jorge Eduardo Mattoso, o ex-secretário de Esporte de Alto Rendimento, André Almeida Cunha Arantes, o Co-Rio e a construtora Agenco (em nome da coligada Pan 2007 S.A.).

Na ação, o MPF relata que o custo do aluguel de 1.490 apartamentos da Vila do Pan cresceu 62% sobre o orçamento inicial (de R$15,4 milhões, pelo valor de mercado, para R$ 25 milhões), como demonstra relatório do Tribunal de Contas da União (TCU). Os réus estão sujeitos às penas fixadas na lei de improbidade administrativa: ressarcimento do dano, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa e proibição de contratar temporariamente com o poder público.

A ação, proposta pelo procurador da República Édson Abdon Filho, tramita na 21ª Vara Federal do Rio de Janeiro (processo 0006132-212011.4.02.5101). Queiroz, Arantes, Richer e o Co-Rio cometeram improbidade ao se omitirem na fiscalização do uso de verbas públicas e Mattoso não tinha justificativa legal para permitir o pagamento de R$ 25 milhões à Pan 2007, beneficiada por enriquecimento ilítico.

“Não se pode aceitar que um ex-ministro e um ex-secretário nacional validem o custo de um objeto, que foi estipulado por empresa coligada da beneficiária do repasse, sem, ao menos, verificarem outras avaliações, mais condizentes com os reais valores de mercado. E quando essa avaliação é corroborada pelo ex-presidente da Caixa, contrariando um laudo de análise de engenharia feito por servidores da própria empresa pública federal da qual ele é o chefe, fica clara a intenção de lesar os cofres públicos em benefício de terceiro”, afirma o procurador da República Edson Abdon Filho.

De acordo com a Caixa, o aluguel mensal foi fixado entre R$1.100 (apto. de 41m2) e R$ 3.300 (147m2). Um laudo do próprio banco, citado no relatório do TCU, alerta, porém, que “todas as metodologias utilizadas, a da Caixa, do Cofeci, da Ademi/RJ e a de remuneração de capitais sinalizam um valor de aluguel médio inferior ao efetivamente pago mediante o Convênio”. O TCU assinala ainda que foi de 82% a maior taxa de ocupação, ocorrida entre 3 de julho e 21 de agosto.

Veja também:

Déficit do Pan 2011 já supera os R$ 114 milhões

Abre o olho, Guadalajara!

Odepa faz reunião de olho em atraso nas obras do Pan-11

Autor: Tags: , ,

sábado, 14 de maio de 2011 Pan-Americano | 19:22

Déficit do Pan 2011 já supera os R$ 114 milhões

Compartilhe: Twitter

Segundo Carlos Garín, os organizadores do Pan estão tentando cortar as despesas

Há exatos cinco meses para a abertura dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, que começarão em 14 de outubro, uma coisa já é possível saber sobre o evento: haverá um belo prejuízo aos organizadores ao final da competição poliesportiva das Américas. Embora assegure que não existe nenhum risco do evento não ocorrer, o diretor geral do Copag (Comitê Organizador do Pan), Carlos Andrade Garín, admite que será complicado as contas não saírem do vermelho. Até agora, a organização dos Jogos calcula um défict equivalente a US$ 70 milhões (R$ 114,5 milhões)

“O Governo tem avalizado os Jogos e o que faltar terão que nos dar. Já não estamos pensando em quanto dinheiro falta, mas de quanto precisamos, e estamos tentando diminuir as despesas”, afirmou Garín. Vale lembrar que o tamanho do rombo deveria ser maior, se não fosse patrocínios e acordos comerciais assinados nos últimos meses.

O que me chamou a atenção no discurso do cartola mexicano é a desfaçatez com que ele diz claramente que o governo terá que completar o orçamento para a realização do Pan. Ficou claro que este é um discurso-padrão de todo responsável pela organização de um mega evento esportivo, seja os Jogos Pan-Americanos, Copa do Mundo ou Olimpíadas.

Inclusive, estamos presenciando exemplos disso em nosso próprio quintal, com o gasto desenfreado que os governos estaduais e municipais estão fazendo para erguer estádios para a Copa do Mundo de 2014. O estádio do Corinthians, por exemplo, custará mais de R$ 1 bilhão para poder receber a abertura do Mundial. É claro que a conta não irá fechar e o governo federal terá que abrir os cofres. Da mesma forma que aconteceu no Pan do Rio, em 2007 e certamente ocorrerá nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.

Não existe responsabilidade ao se organizar um evento deste nível, em qualquer parte do mundo.  Mas isso não serve de desculpa e sim de triste constatação. E quando esta desorganização afeta diretamente o nosso bolso, a tristeza se transforma em revolta.

Veja também:

Organizadores fazem acordo para salvar o Pan

Abre o olho, Guadalajara!

Cartolas livram (por enquanto) a cara do Pan de Guadalajara

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 28 de abril de 2011 Isso é Brasil, Olimpíadas | 23:38

E se acabar a luz na cerimônia de abertura?

Compartilhe: Twitter

Estádio do Engenhão quase às escuras, atrasando o início de Fluminense x Libertad

O jogo do Fluminense contra o Libertad pela Copa Libertadores, nesta quinta-feira, começou com mais de uma hora de atraso. Motivo: falta de luz no estádio João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro. Em menos de uma semana, foi a segunda vez que a arena ficou sem energia elétrica e atrasou o andamento de uma partida. A outra foi o jogo semifinal da Taça Rio, entre Fluminense e Flamengo, no último domingo.

O Engenhão será um dos equipamentos esportivos que serão utilizados nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio.

Ainda nesta quinta-feira, o Jornal Nacional, da “TV Globo”, mostrou imagens impressionantes da entrada do Maracanã completamente alagada pelas fortes chuvas que atingiram a cidade na terça-feira. O setor das bilheterias estava com água quase na altura dos guichês.

O Maracanã será palco das cerimônias e abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio.

Não se trata aqui de fazer um discurso contrário à organização das Olimpíadas do Brasil. Por mim, os Jogos não aconteceriam aqui, pois praticamente as mesmas pessoas que organizaram o superfaturado Pan de 2007 estão na organização da Rio-16. Mas com a decisão do COI (Comitê Olímpico Internacional) em tornar o Rio a primeira cidade da América do Sul a receber as Olimpíadas, resta colocar mãos à obra e trabalhar. A sensação, contudo, é que não se está trabalhando tão bem assim.

Uma comissão do COI está na cidade para vistoriar o andamento das obras de estrutura que o Rio está fazendo. E todos ficaram preocupados com a consequência da chuvarada. As autoridades cariocas logo fizeram discursos tranquilizadores, afirmando que todas as intervenções urbanas necessárias serão feitas a tempo.

O problema é esse: é muito discursinho, muita conversinha, muita ação demagógica dos políticos e pouca solução prática. E digo isso em relação a todas as esferas governamentais (Federal, Estadual e Municipal). Os políticos brasileiros não se deram conta do tamanho da responsabilidade em organizar eventos do porte de uma Olimpíada ou de uma Copa do Mundo, que ocorrerá antes, em 2014.

Organizar os Jogos Olímpicos é, sem dúvida, a maior glória alcançada pelo Brasil, um país no qual só o futebol importa, esportivamente falando, para a grande maioria das pessoas. Não se pode desperdiçar a oportunidade de fazer desta grande festa um exemplo que será lembrado por gerações de torcedores. Mas já pensou se a lembrança que ficará para a eternidade for a falta de luz no Maracanã em plena cerimônia de abertura dos Jogos?

Já passou da hora dos políticos ficarem fazendo discursos demagógicos. Eles precisam botar a mão na massa, e rápido. Ninguém quer ver o Brasil pagando mico diante dos olhos do mundo. Mas que as chuvas e falta de luz dos últimos dias no Rio de Janeiro são preocupantes, ah, isso são!

Autor: Tags: , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última