Publicidade

Arquivo de dezembro, 2012

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012 Isso é Brasil, Seleção brasileira | 19:43

Um pesadelo que custa R$ 5,4 milhões

Compartilhe: Twitter

Fernanda vibra após marcar um de seus cinco gols diante da Croácia, no Mundial de 2011. Hoje, a CBHb sofre para quitar as dívidas referentes à organização do torneio

Chega a ser irônico que justamente no ano que em o handebol alcançou sua maior visibilidade, após a excepcional campanha nas Olimpíadas de Londres 2012, com o sexto lugar obtido pela seleção feminina, a modalidade esteja passando pelo sufoco de ver ameaçada sua participação em competições internacionais, por causa de uma dívida de 2,37 milhões de francos suíços, cerca de R$ 5,4 milhões. Tudo por causa de um empréstimo que a CBHb (Confederação Brasileira de Handebol) fez com a IHF (Federação Internacional de Handebol) para organizar o Campeonato Mundial feminino, há exatamente um ano, em São Paulo.

Conversei há pouco com Manoel Luiz Oliveira, presidente da CBHb. A íntegra do papo você pode conferir aqui. Ele esbanja otimismo e diz que o Brasil irá quitar a dívida, acabando assim com a ameça de ser excluído, por exemplo, do Mundial masculino, que será realizado em janeiro, na Espanha.

O dirigente resolveu falar por conta de diversas notícias que começaram a respingar em redes sociais nesta segunda-feira, originadas em sites especializados, dando conta que o Brasil seria substituído pelo Uruguai, justamente pelo não pagamento da dívida. Oliveira contesta, assegura que prorrogou o prazo até 15 de dezembro e que tudo não passa da boa e velha fofoca. A fonte seriam jornalistas argentinos, incitados pela federação local, que segundo Oliveira infla uma rivalidade exagerada com o Brasil.

O fato é que o Brasil deu um passo maior do que as próprias pernas para organizar o Mundial. É a mesma coisa que você, leitor(a), decidir comprar um carro importado quando o orçamento cabe, no máximo, um bom popular 1.0 made in Brazil. Claro que os efeitos de trazer um Mundial para o país – além da boa campanha, com aquele histórico quinto lugar – são inquestionáveis.

O pesadelo para conseguir quitar a dívida, contudo, vem tirando o sono de Oliveira. Mas ele não se arrepende em ter feito o torneio. “Do contrário, como iriam conhecer todo o potencial desta seleção feminina? Hoje, o Brasil é um dos países mais bem conceituados na IHF”, diz o dirigente.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última