Publicidade

Posts com a Tag Yane Marques

segunda-feira, 14 de julho de 2014 Olimpíadas, Vídeos | 12:12

Hora de virar a chave: Rio 2016, agora é contigo!

Compartilhe: Twitter

Com o final da Copa do Mundo, após o título conquistado de forma brilhante pela Alemanha neste último domingo, no Maracanã, chegou a hora de virar a a chave. O foco do mundo esportivo continua a ser o Brasil, mais precisamente o Rio de Janeiro, sede do próximo mega evento mundial, os Jogos Olímpicos de 2016.

Para ajudar a todos entrarem no clima olímpico, a Nike preparou um filme lançado nesta segunda-feira, chamado “O Amanhã Começa Agora”, com alguns de suas estrelas brasileiras das modalidades que participam do programa dos Jogos, como Ânderson Varejão e Leandrinho (basquete), Ana Cláudia Lemos (atletismo), as irmãs Maria Clara e Carol Salgado (vôlei de praia) e Yane Marques (pentatlo moderno). Tirando a estranha presença de atletas do skate e futsal (que não são esportes olímpicos), o vídeo é muito bacana.

Confira abaixo:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 2 de outubro de 2013 Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 09:55

Após crise, final feliz para o campeão mundial de canoagem

Compartilhe: Twitter
Isaquias Queiroz exibe a medalha de ouro conquistada no Mundial de canoagem

Isaquias Queiroz exibe a medalha de ouro conquistada no Mundial de canoagem

Há uma semana, o baiano Isaquias Queiroz expôs em sua página no Facebook seu descontentamento por não ter recebido premiação por conta da inédita conquista do título  na categoria C1 500 m, do Mundial de Canoagem Velocidade, realizado em agosto, na cidade alemã de Duisburg. Após ter sido desmentido pela CBCa (Confederação Brasileira de Canoagem) e de estar ameaçado de receber uma punição pela entidade, Isaquias finalmente pode comemorar uma boa notícia.

Nesta terça-feira, o Ministério do Esporte confirmou ao blog que Isaquias Queiroz será contemplado com o teto máximo da Bolsa Pódio, programa de apoio criado pelo governo para ajudar na preparação dos principais atletas brasileiros com chance de conquistar medalhas nos Jogos Olímpicos do Rio 2016. O canoísta baiano receberá R$ 15 mil mensais, por sua performance no Mundial, onde além do ouro no C1 500 m (prova não olímpica), levou o bronze no C1 1.000 m.

Além de Isaquias, outros três canoístas serão contemplados com o Bolsa Pódio: Nivalter Santos de Jesus, Ronilson Matias Oliveira e Erlon de Souza Silva. Os valores destes atletas ainda não estão definidos, pois estão sendo feito um processo de revisão por conta da participação no Mundial. Os valores pagos no programa são de R$ 5 mil, R$ 8 mil, R$ 11 mil e R$ 15 mil.

Relembre: Esporte brasileiro ficará mais rico para evitar mico em 2016. Mas vai dar tempo?

Além da canoagem, o Ministério do Esporte definiu também a concessão do prograna de incentivo para mais dois atletas: Yane Marques, prata no Mundial de pentatlo moderno realizado em agosto, em Taiwan, e Guilherme Dias, bronze na categoria até 58 kg no Mundial de Taekwondo, realizado em Puebla (México), no mês de julho. Os dois receberão também o valor máximo do programa, R$ 15 mil mensais.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 24 de agosto de 2013 Ídolos, Mundiais, Seleção brasileira | 11:36

Nem tufão consegue parar Yane Marques

Compartilhe: Twitter

Um ano depois do bronze em Londres, Yane Marques faz história de novo, com a prata no Mundial

E o sábado começou muito bem, com a notícia da inédita medalha de prata conquistada por Yane Marques no Campeonato Mundial de pentatlo moderno, realizado na cidade de Kaoshiung, em Taiwan. Brilhante é pouco para definir a conquista da atleta pernambucana, natural da Afogados de Ingazeira. Mais uma vez ela entra para a história de uma modalidade praticamente desconhecida no Brasil.

O Mundial feminino encerrou-se nesta madrugada e a brasileira precisou literalmente driblar até o vento para assegurar o lugar no pódio. Não é figura de linguagem: um tufão vem atormentando a área de Taiwan desde o início da qualificatória da competição, na última quarta-feira. As eliminatórias, por exemplo, precisaram ser divididas em dois dias, assim como a final.

E Yane, depois de ficar em 10º lugar na qualificação, conseguiu manter-se constante nas cinco modalidades que compõe o pentatlo moderno (esgrima, natação, hipismo e o evento combinado tiro e corrida) e ao final somou 5.292 pontos, ficando atrás apenas da lituana Laura Asaduskaite, atual campeã olímpica.

Em pouco mais de um ano, este é o segundo grande resultado obtido por Yane Marques no pentatlo moderno. O primeiro, e mais importante, foi a medalha de bronze nas Olimpíadas de Londres, em 2012, a última obtida pelo Brasil nos Jogos. E para quem achou que tinha sido obra do acaso, eis que agora ela emplaca o vice-campeonato mundial.

Graças a Yane Marques, o pentatlo moderno vai deixando aos poucos a condição de primo pobre no esporte olímpico brasileiro.

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 17 de abril de 2013 Olimpíadas, Seleção brasileira | 22:19

As herdeiras de Yane no pentatlo moderno

Compartilhe: Twitter

Priscila Oliveira garantiu lugar na final da etapa da China da Copa do Mundo de pentatlo moderno, que será realizada nesta sexta-feira

Uma das medalhas mais festejadas pelo Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 foi o bronze da pernambucana Yane Marques, no quase desconhecido (ao menos por estes lados) pentatlo moderno. O fato de ter sido a última medalha brasileira conquistada em Londres certamente contribuiu para a enorme repercussão do feito da brava Yane. É óbvio que o Brasil não se tornou a pátria do pentatlo, bem longe disso. Mas já é possível ver que estão começando a aparecer frutos daquele bronze.

Nesta quarta-feira, em Chengdu, na China, uma pernambucana assegurou vaga na final da etapa da Copa do Mundo de pentatlo moderno. Mas não foi a medalhista olímpica Yane Marques e sim Priscila Oliveira. Aos 24 anos, ela terminou a etapa de qualificação em 24º na classificação geral, assegurando um lugar entre as 36 finalistas. A final feminina será na sexta-feira. Outra brasileira que disputou a etapa foi Larissa Lellys, que ficou em 54º na classificação geral e não avançou para a final.

O mais bacana que não foi a primeira vez que Priscila (59ª do ranking mundial) conseguiu um resultado significativo em competições internacionais do pentatlo moderno. Na etapa do Rio de Janeiro da Copa do Mundo, disputada em março, ela ficou em 11º lugar na final, deixando para trás inclusive a própria Yane Marques, atual nº 2 do ranking mundial e que terminou em 13º. Ela não participou da etapa da China.

O pentatlo moderno ainda está engatinhando no Brasil, mas a histórica conquista de Londres 2012 já começa a gerar as herdeiras de Yane.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012 Isso é Brasil, Olimpíadas, Política esportiva | 17:04

Os tortuosos e injustos critérios do COB

Compartilhe: Twitter

Os irmãos Yamaguchi e Esquiva Falcão beijam as medalhas conquistadas em Londres. Mas será que estão dando o devido valor a elas?

Complicado, para dizer o mínimo, entender os critérios adotados pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro) para a distribuição das verbas da Lei Agnelo/Piva para 2013, ano que marcará a abertura do novo ciclo olímpico, visando os Jogos Olímpicos do Rio 2016. E antes que meus amigos da assessoria de imprensa do COB (sim, acreditem, tenho amigos por lá) mandem e-mail cornetando o post, quero avisar que entendi perfeitamente quais os tais critérios adotados pela entidade no repasse dos quase R$ 68 milhões, fora o valor pertinente ao Fundo Olímpico. Tudo somado, serão quase R$ 90 milhões para serem utilizados pelo esporte olímpico nacional. Uma beleza.

Só que entender os critérios não significa necessariamente aceitá-los e considerá-los justos. Muito pelo contrário.

É incrível que a cada ano, quando chega o momento do COB divulgar a fatia que  cada uma das 29 confederações olímpicas do Brasil (o futebol, comandado pela CBF, não entra na divisão), o sentimento que me vem à mente é que tudo poderia ser feito de uma forma diferente. E que alguém está saindo perdendo dinheiro, injustamente.

Para 2013, a boa notícia é que o repasse de verbas para as entidades esportivas brasileiras irá aumentar. Contra os R$ 60,9 milhões que foram repassados este ano, serão R$ 67,4 milhões em 2013. O bicho começa a pegar quando você observa detalhadamente a lista, com os respectivos valores com o qual cada confederação foi agraciada. Aí que as distorções ficam mais evidentes.

Não consigo aceitar, por exemplo, que a ginástica artística, que obteve um feito histórico nos Jogos de Londres 2012, com a inédita medalha de ouro de Arthur Zanetti nas argolas, não tenha entrado na faixa máxima dos repasses, que é de R$ 3, 5 milhões. Em 2013, serão R$ 3,3 milhões. É pouco? Claro que não! Mas que raios a ginástica brasileira precisa fazer para alcançar o teto dos repasses e igualar-se aos primos mais ricos do esporte brasileiro, como vôlei e desportos aquáticos?

Igualmente inacreditável é ver que o boxe brasileiro, depois de acabar com um jejum de 44 anos sem medalhas sair de Londres com três (uma de prata e duas de bronze) terá um repasse de R$ 2,6 milhões, menos do que o hipismo, que passou sem brilho algum nos Jogos Olímpicos, mas que foi agraciado com R$ 3,3 milhões, a segunda faixa na lista do COB. Estranho, né?

E como esquecer a incrível medalha de bronze obtida por Yane Marques no pentatlo moderno, esporte sem qualquer tradição no Brasil? Só que o feito de Yane ajudou a dar para seu esporte R$ 1,7 milhão, muito menos do que os R$ 2,6 milhões do ciclismo para o próximo ano. E que ninguém me venha com os estúpidos argumentos que são várias as modalidades envolvidas (estrada, pista, mountain bike). Se a tal meritocracia, que os cartolas do COB tanto gostam de apregoar, existisse de fato, quem deveria ser premiado: o aluno que faz a lição de casa certinha e passa de ano com louvor, ou aquele que fica de recuperação?

Como recordar é viver, escrevi há quase um ano sobre o mesmo tema, também estranhando os critérios de distribuição de verbas feita pelo COB. Como se vê, nada mudou.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012 Ídolos, Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 18:18

Prêmio do COB precisa ser repensado

Compartilhe: Twitter

Sheilla e Arthur Zanetti foram eleitos os melhores atletas de 2012, segundo o COB

Nada, absolutamente nada contra a ponteira Sheilla Castro, que teve papel fundamental na conquista do bicampeonato olímpico pela seleção feminina de vôlei em Londres 2012. Aliás, a companheira Aretha Martins, em seu Mundo do Vôlei, analisou de forma bem completa o excelente ano que a jogadora teve. Mas considerei absolutamente injusto que ela tenha superado a judoca Sarah Manezes e a pentatleta Yane Marques na escolha do Prêmio Brasil Olímpico, promovido pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro), divulgado nesta terça-feira.

Em primeiro lugar, a entidade teria que repensar a própria metodologia do prêmio, onde além de submeter a jornalistas especializados  a escolha dos indicados, submete os atletas a uma votação popular, pela internet. Aí começa o primeiro problema. Não há como negar que no universo olímpico, o vôlei tem muito mais popularidade que o judô, a começar pela exposição que o esporte tem na mídia (TV fechada e aberta). Depois, a própria exposição que Sheilla teve no período pós-Londres, com direito a ensaio sensual na revista VIP. E pra completar, o ouro do vôlei veio no penúltimo dia dos Jogos, enquanto que o de Sarah surgiu logo no primeiro dia de competição. O que fica mais vivo na memória do torcedor comum?

Por fim, vejo um desequilíbrio comparar o feito de Sheilla, obtido em um esporte coletivo e numa equipe acostumada com vitórias e pódios internacionais, em relação a Sarah Menezes. A judoca, que fez parte de sua preparação em Teresina (PI), nem sequer era apontada como favorita ao ouro em sua categoria (48 kg).

Muitos argumentaram ontem, nas redes sociais, que Yane Marques, do pentatlo moderno, que levou o bronze nos Jogos de Londres, também mereceria o prêmio. Sem dúvida que sim, seu feito foi igualmente notável, ainda mais por se tratar de um esporte ainda mais desconhecido e por Yane ter encontrado muito mais dificuldades em sua preparação.  Mas aí vejo que o critério do resultado em si serve como desempate.

Por fim, uma questão polêmica: será que vale a pena distribuir os prêmios para os melhores atletas por cada modalidade? Afinal, em alguns esportes, com exceção do pai, mãe, marido, esposa, namorada(o), ninguém faz a menor ideia de quem é o escolhido. Soa como uma premiação política, apenas para agradar aos presidentes das confederações.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quarta-feira, 21 de novembro de 2012 Ídolos, Olimpíadas, Seleção brasileira | 19:09

Escolha o melhor atleta do Brasil

Compartilhe: Twitter

Os candidatos ao Prêmio Brasil Olímpico 2012 foram anunciados nesta quarta-feira

Já são conhecidos os candidatos ao prêmio de Melhor Atleta de 2012, categoria masculina e feminina, do Prêmio Brasil Olímpico, organizado pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro). Nesta quarta-feira, a entidade anunciou os três atletas na categoria masculina e os três na feminina que estarão na disputa, escolhidos pelo público através da internet a partir desta quinta-feira, no site do próprio COB (www.cob.org.br). A festa de premiação está marcada para o dia 18 de dezembro, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Na verdade, não houve surpresa nas indicações, tendo sido escolhidos os destaques individuais do Brasil nos Jogos de Londres 2012. Entre as mulheres, estão concorrendo a judoca Sarah Menezes, medalha de ouro no judô; Sheilla Castro, integrante da seleção brasileira feminina de vôlei que faturou o bicampeonato olímpico; e Yane Marques, a melhor  surpresa em Londres, com medalha de bronze no pentatlo moderno.

Na categoria masculina, os escolhidos para concorrer ao prêmio são Arthur Zanetti, ouro na prova das argolas na ginástica artística masculina; Thiago Pereira, prata nos 200 m medley da natação em Londres; e Esquiva Falcão, também prata no boxe masculino olímpico.

Segundo o COB, a escolha dos três indicados ao prêmio em cada categoria foi feita por um juri composto por jornalistas, dirigentes, ex-atletas e personalidades do esporte. Estes votos terão 50% de peso na eleição final, após serem computados os votos na internet. Em 2011, os escolhidos foram Cesar Cielo (natação) e Fabiana Murer (atletismo).

O blogueiro não fica em cima do muro e declara que seus votos foram para Arthur Zanetti e Sarah Menezes.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 3 de outubro de 2012 Ídolos, Olimpíadas, Seleção brasileira | 19:39

Uma noite de prêmios, emoção e piadas

Compartilhe: Twitter

Os atletas e ex-atletas olímpicos que foram premiados pela revista Sport Life nesta terça-feira

Muito bacana a cerimônia do 3º Prêmio Sport Life, ocorrida na noite desta última terça-feira, no Centro de Cultura Judaica, em São Paulo (SP). Os melhores atletas olímpicos e paralímpicos de 2012 foram escolhidos por leitores da revista Sport Life e também por uma comissão de jornalistas especializados. Tive o prazer de participar do evento, tendo sido escolhido para entregar uma homenagem a José Roberto Guimarães, treinador da seleção brasileira feminina de vôlei e único técnico tricampeão olímpico da história (Barcelona 1992, com o masculino, e Pequim 2008 e Londres 2012, comandando o time feminino).

A eleição deste ano escolheu Arthur Zanetti, da ginástica artística, e Sarah Menezes, do judô, como os melhores atletas olímpicos do ano, após terem levado o ouro em suas modalidades nos Jogos de Londres. O boxeador Esquiva Falcão e a pentatleta Yane Marques ficaram em segundo lugar na premiação. Foram eleitos como revelação do ano Bruno Fratus, da natação, e Adriana Araújo, do boxe feminino.

No esporte paralímpico, um dos momentos mais emocionantes da noite foi quando o nadador Daniel Dias, dono de seis medalhas de ouro nos Jogos de Londres, subiu ao palco para ganhar o prêmio de atleta do ano. Terezinha Guilhermina, que é deficiente visual e foi representada por seu guia, Guilherme Santana.

Mas coube ao boxe dois dos momentos mais engraçados da noite. Primeiro, foi com Esquiva Falcão, ao receber o troféu de prata, após perder o de atleta do ano para Zanetti. “Até aqui eu sou segundo”, brincou Esquiva, que cumpriu brilhante campanha em Londres, quando ficou com a medalha de prata na categoria médio.

Já o ex-boxeador Servílio de Oliveira, bronze nos Jogos do México 1968, após receber sua homenagem, foi convidado a falar sobre o que levou o boxe brasileiro a ter uma campanha tão positiva em Londres. Talvez empolgado pelo prêmio que acabara de receber, Servílio começou seu discurso lembrando dos primórdios do boxe na história olímpica. Quando ainda falava sobre a participação da modalidade nos Jogos de 1904, ele foi “gentilmente’ cortado pelo mestre de cerimônias, para que o cronograma da premiação não fosse para o espaço.

Meio a contragosto e resmungando de forma bem-humorada, Servílio desceu do palco, sem poder fazer todo o seu discurso. Mas devidamente homenageado.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 9 de julho de 2012 Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:56

Yane Marques chega a Londres como a terceira melhor do mundo no pentatlo moderno

Compartilhe: Twitter

Yane Marques chega a Londres como terceira melhor no ranking mundial

Boa notícia para a brasileira Yane Marques, representante solitária do país no pentatlo moderno nas Olimpíadas de Londres 2012. No último ranking divulgado pela UIPM (União Internacional de Pentatlo Moderno), a atleta pernambucana aparece na terceira posição. Ela igualou sua melhor colocação na lista divulgada pela entidade, em agosto do ano passado, o que comprova que o resultado de um ano atrás não foi obra do acaso.

Como se não bastasse, Yane está à frente inclusive da alemã Lena Schoneborn, campeã  olímpica em Pequim 2008, que está em quarto lugar. Ela também superou a ucraniana Victoria Tereshuk, medalha de prata há quatro anos.

Ocupar tal posição no ranking mundial é um feito e tanto para Yane Marques, ainda mais em uma modalidade sem qualquer tradição no Brasil. Já disse por aqui que é impossível cravar que ela irá ganhar uma medalha em Londres, apenas com base nestes resultados.

Nas Olimpíadas, tudo é diferente, a começar pelo próprio clima da competição, mas com certeza Yane será olhada pelas adversárias com muito mais respeito por todas elas. Afinal, ela é a terceira melhor pentatleta do mundo.

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 26 de maio de 2012 Olimpíadas, Seleção brasileira | 14:55

No top 10, Yane Marques vai para Londres brigar por medalha

Compartilhe: Twitter

Yane Marques participa da prova de corrida, na final da Copa do Mundo de pentatlo moderno

Há pouco menos de um ano, em agosto de 2011, escrevi um post enaltecendo a boa fase vivida pela pernambucana Yane Marques, que na ocasião ocupava o terceiro lugar no ranking mundial da UIPM (União Internacional de Pentatlo Moderno). Um feito notável para quem disputa uma modalidade praticamente desconhecida no Brasil e que havia começado a praticar a modalidade somente oito anos antes.

Bem, passados nove meses, a atleta nascida em Afogados da Ingazeira mostra que não é fogo de palha, ao terminar neste sábado na terceira colocação da final da Copa do Mundo de pentatlo moderno, realizada na cidade de Chengdu, na China. Será a última competição da brasileira antes de participar dos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Por sinal, Yane Marques é a única atleta do país classificada para as Olimpíadas na modalidade.

O brilhante resultado na China colocará a brasileira na sexta colocação do ranking mundial. Não é pouca coisa. Mesmo sabendo que algumas favoritas ao ouro em Londres não competiram na China, Yane Marques mostra justamente na fase final de sua preparação olímpica uma consistência de resultados notável.

Não é possível cravar que a brasileira voltará da Inglaterra com uma medalha na bagagem, mas é certeza afirmar que ela estará brigando por medalhas. Para um esporte praticamente fantasma no universo olímpico brasileiro, é um grande feito.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última