Publicidade

Posts com a Tag Vôlei

terça-feira, 28 de abril de 2015 Olimpíadas | 23:00

Curiosidades sobre os pedidos de ingressos para o Rio 2016

Compartilhe: Twitter
As quatro regiões que receberão competições no Rio 2016: Copacabana, Maracanã, Deodoro e Parque Olímpico da Barra

As quatro regiões que receberão competições no Rio 2016: Copacabana, Maracanã, Deodoro e Parque Olímpico da Barra

Daqui a pouco mais de 48 horas irá se encerrar o prazo para a primeira fase de solicitação de ingressos para os Jogos Olímpicos do Rio 2016. Nesta etapa, que termina na próxima quinta-feira, estarão à venda 60% dos 7,5 milhões de ingressos que ficarão à disposição dos torcedores. Voltada apenas para o público brasileiro, esta fase será definida através de um sorteio, cujo resultado será conhecido em junho. Mais duas fases (sendo a segunda também por sorteio) ainda irão acontecer até o final deste ano.

Confira abaixo algumas curiosidades a respeito dos pedidos de ingressos feitos até o momento pelos torcedores:

– O basquete está no top 5 de 19 estados, natação no de 15 estados, ginástica artística no de 13. Atletismo, que estava no top 5 de apenas dois estados, agora aparece no ranking de nove estados.

– No primeiro balanço, o vôlei de praia aparecia no ranking de cinco estados, agora são 12 estados.

– Tradicionalmente campeão de venda de ingressos dos Jogos Olímpicos, o atletismo está no top 5 de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Amapá, Rondônia e Bahia.

– Judô, handebol, vôlei de praia, tênis e ginástica artística são os únicos esportes fora do top 5 do ranking geral que apareceram dentro do ranking de alguns estados

– O tênis está no top 5 de cinco estados: Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Tocantins

– A cerimônia de abertura que antes estava presente no top 5 de 20 estados, agora aparece na lista de preferência de apenas 12 deles.

– O interesse pela ginástica artística cresceu e aparece no ranking top 5 de 13 estados: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Tocantins, Mato Grosso, Piauí, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Alagoas, Bahia, Ceará e Sergipe

– A natação está entre os preferidos dos seguintes estados: Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 31 de março de 2015 Olimpíadas | 23:45

Na comparação com a Copa 2014, venda de ingressos para o Rio 2016 começa bem melhor

Compartilhe: Twitter
Mapa com as instalações esportivas dos Jogos Olímpicos do Rio 2016, cujos ingressos estão à venda desde a última terça-feira

Mapa com as instalações esportivas dos Jogos Olímpicos do Rio 2016, cujos ingressos estão à venda desde a última terça-feira

Tudo bem que foi apenas o primeiro dia e como todo jornalista é chato e desconfiado, uma boa dose de cautela nunca é demais. Porém, mesmo o mais pessimista há de admitir que o início do processo de venda de ingressos para os Jogos Olímpicos Rio 2016 foi bastante animador. Tanto isso é verdade que os organizadores abriram o acesso de reservas de ingressos para os torcedores já cadastrados duas horas antes do que estava programado, a partir do meio-dia desta terça. O resultado é que em menos de seis horas desde que o sistema foi liberado, quase meio milhão de pedidos de ingressos já tinham sido feitos para esta primeira fase, cuja reserva ocorre até abril e o sorteio está marcado para junho deste ano.

Há um outro fator que também serve para mostrar que ao menos na largada, o sistema de venda de bilhetes para as Olimpíadas não decepcionou. Em comparação com o que ocorreu na venda para a Copa do Mundo de 2014, houve muito menos problemas no primeiro dia de vendas. Com exceção de alguns casos de pessoas que não conseguiram concluir o pedido, principalmente por causa da opção pelo uso de um cartão de crédito virtual – para usuários que não têm o cartão do patrocinador dos Jogos (Visa) -, no geral o sistema funcionou sem problemas. O que convenhamos, já se trata de um avanço espetacular quando se lembra que há cerca de um ano, milhares de pessoas reclamavam que ficavam esquecidas numa tal “fila virtual” no site da Fifa, e quando conseguiam acesso, já não havia mais ingressos disponíveis.

Veja ainda: Como comprar, quanto pagar, onde retirar: o que saber dos ingressos do Rio 2016

Mas, como foi dito no primeiro parágrafo, é melhor aguardar mais um pouco antes de conclusões otimistas demais.

Neste primeiro dia, os “campeões de procura” pelos torcedores foram a cerimônia de abertura, no dia 5 de agosto de 2016, além das finais do vôlei masculino e feminino.

O iG Esporte preparou um pequeno guia para o torcedor comprar seus ingressos com tranquilidade. Clique aqui e saiba de todas as exigências para poder ver de perto algum dos eventos dos Jogos do Rio 2016.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 6 de janeiro de 2015 Pan-Americano, Seleção brasileira | 16:43

Brasil brigará para ser top 3 em Toronto, diz dirigente do COB

Compartilhe: Twitter
Marcus Vinicius Freire diz que o Pan-Americano de Toronto terá a maior delegação brasileira em uma competição no exterior

Marcus Vinicius Freire diz que o Pan-Americano de Toronto terá a maior delegação brasileira em uma competição no exterior

Última competição poliesportiva de relevância até os Jogos Olímpicos do Rio 2016, o Pan-Americano de Toronto 2015, a partir de 10 de julho (algumas partidas do torneio de polo aquático começarão já a partir do dia 7) terá tratamento especial por parte do COB (Comitê Olímpico do Brasil). Além de ser considerada fundamental na preparação olímpica dos atletas brasileiros, o evento receberá tratamento “VIP” por parte da entidade, que além de levar sua maior delegação da história, viajará com pretensões nada modestas: a meta é terminar a chamada “Olimpíada das Américas” no top 3 do quadro de medalhas.

De acordo com Marcus Vinicius Freire, diretor-executivo do COB, em entrevista ao blog no final do último mês de dezembro, será a maior missão esportiva brasileira fora do país e também a mais complicada. “Além disso, o nível técnico promete ser mais elevado do que foi no Pan de 2011, em Guadalajara”, disse Freire.

Confira abaixo os principais pontos da entrevista:

Espírito Olímpico: Como o COB está traçando o planejamento da participação nos Jogos Pan-Americanos de Toronto?

Marcus Vinicius Freire: Esta será a maior missão de uma delegação esportiva fora do Brasil, até mesmo na quantidade de pessoas envolvidas. Incluindo os chamados oficiais [técnicos, auxiliares, preparadores físicos, médicos, fisioterapeutas etc], deveremos levar para o Canadá cerca de 540 pessoas. Em termos de logística também será um Pan especial, pois além de termos à disposição quase um prédio todo dentro da Universidade de York, em Toronto, teremos atletas espalhados em cinco sub-vilas pan-americanas na região da grande Toronto. O planejamento tem sido bastante complexo.

EO: Em termos esportivos, o que o COB espera da participação brasileira neste Pan? Deverá enviar sua força máxima, até por conta da preparação para as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro?

MVF: Sobre o nível da equipe que estará presente, cada confederação é que irá traçar seu próprio planejamento. Alguns, por questão de calendário, não devem ir com força máxima, como será o caso do vôlei masculino, cujo calendário da Liga Mundial irá se sobrepor ao do Pan, e nos esportes aquáticos polo aquático e saltos ornamentais também deverão ter problema em enviar sua equipe principal, por causa do Mundial de Kazan (RUS). De qualquer forma, a nossa meta é terminar o Pan no top 3 do quadro de medalhas, brigando com o Canadá pela segunda colocação.

EO: E você acha que esta é uma meta possível de ser alcançada?

MVF: Acredito que sim, especialmente por conta de nossos últimos resultados. Mas não será uma tarefa simples ficar com esta segunda colocação, pois o Canadá vem crescendo bastante nos últimos anos, fazendo um ótimo trabalho em várias modalidades, parecido com o que estamos fazendo aqui no Brasil. E como Cuba vem caindo de rendimento nos últimos anos, muito por conta da falta de investimento, acho bem possível alcançar a meta de terminar o Pan entre os três primeiros.

EO: Na prática, o Pan de Toronto será importante para quais modalidades?

MVF: Para alguns esportes, será a competição ideal para testar a preparação da equipe de olho no Rio 2016. O hóquei na grama masculino, por exemplo, terá sua última chance de se classificar para as Olimpíadas. Para isso, precisa terminar entre os seis primeiros em Toronto. O tênis de mesa também deve levar sua força máxima para Pan, e há esportes que valem vaga olímpica, como é o caso do pentatlo moderno, canoagem e hipismo.

EO: Você citou anteriormente a dificuldade na logística da preparação da campanha brasileira. Cite um exemplo desta dificuldade…

MVF: O caso do hipismo é um deles. Teremos problemas graves para o transporte dos cavalos, pois quase todos eles ficam na Europa e precisaremos ainda encontrar uma melhor maneira de transportá-los. Sem falar na própria estrutura montada por Toronto, que terá além da Vila pan-americana principal, outras cinco sub-vilas, para o remo/canoagem velocidade, tiro/hipismo, ciclismo mountain bike, canoagem slalom e futebol. A logística será bem complicada.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015 Listas, Mundiais, Pan-Americano, Pré-Olímpico | 12:00

O calendário 2015 do esporte olímpico

Compartilhe: Twitter

Toronto 2015

A chegada de 2015 promete ser um prato cheio aos amantes dos esportes olímpicos. Afinal, este será o último ano antes da maior festa poliesportiva mundial, as Olimpíadas do Rio 2016. E o grande aquecimento, ao menos para o torcedor brasileiro, será em julho, com a realização dos Jogos Pan-Americanos em Toronto (Canadá), competição onde tradicionalmente o Brasil faz a festa em relação a conquista de medalhas.

Mas será um ano também de importantes campeonatos mundiais, como o de esportes aquáticos, em Kazan (Rússia) e de atletismo, em Pequim (China), onde boa parte da equipe olímpica brasileira nestas duas modalidades poderá ser definida. Ainda teremos mundiais de judô (Cazaquistão), ginástica artística (Escócia) e handebol (Dinamarca). Para completar, também será uma temporada na qual estão previstos vários eventos-testes para os Jogos do Rio.

Ou seja, tem atração para todos os gostos.

E o blogueiro aproveita também para desejar um Feliz 2015 aos leitores!

JANEIRO

10 e 11 – Circuito Masculino de rúgbi seven – Mar del Plata (ARG)
15/1 a 1º/2 – Campeonato Mundial masculino de handebol – Doha (QAT)
17 a 18 – Circuito Masculino de rúgbi seven – Viña del mar (CHI)
19/1 a 1º/2 – Aberto da Austrália de tênis
30/1 a 1º/2 – Grand Prix de luta olímpica – Paris (FRA)

FEVEREIRO

7 e 8 – Circuito Mundial feminino de rúgbi seven – São Paulo (BRA)
16 a 22 – Rio Open de tênis – Rio de Janeiro (BRA)
18 a 22 – Campeonato Mundial de ciclismo de pista – Saint-Quentin-en-Yvelines (FRA)
20 a 22 – Grand Prix de judô – Dusseldorf (ALE)
28/2 a 10/3 – Copa do Mundo de tiro esportivo (tiro ao prato) – Acapulco (MEX)

MARÇO

6 a 8 – Copa Davis de tênis – 1ª rodada
7 e 8 – Aberto Pan-Americano de judô – Santiago (CHI)
14 a 15 – Circuito Mundial de rúgbi seven – EUA
14 e 15 – Aberto Pan-Americano de judô – Montevidéu (URU)
19 a 29 – Copa do Mundo de tiro esportivo (tiro ao prato) – Al Ain (EAU)
21 e 22 – Aberto Pan-Americano de judô – Buenos Aires (ARG)
25 a 27 – Copa do Mundo de ginástica artística (1ª etapa) – Doha (QAT)
27 a 29 – Grand Prix de judô – Samsun (TUR)

ABRIL

3 a 5 – Copa do Mundo de ginástica artística (2ª etapa) – Ljubljana (ESL)
6 a 11 – Troféu Maria Lenk de natação – Rio de Janeiro (BRA)
8 a 16 – Copa do Mundo de tiro esportivo (carabina e pistola) – Changhow (KOR)
15 a 19 – Copa do Mundo de hipismo saltos (final) – Las Vegas (EUA)
18 e 19 – Circuito Mundial de rúgbi seven – Canadá
24 a 26 – Campeonato Pan-Americano de luta olímpica – Santiago (CHI)
24 a 26 – Campeonato Pan-Americano de judô – Edmonton (CAN)
24/4 a 4/5 – Copa do Mundo de tiro esportivo (tiro ao prato) – Lanarca (CHP)
26/4 a 3/5 – Campeonato Mundial de tênis de mesa – Suzhou (CHN)

MAIO

1º a 3 – Grand Prix de judô – Zagreb (CRO)
2 e 3 – Campeonato Mundial de revezamentos de atletismo – Nassau (BAH)
7 a 9 – Copa do Mundo de ginástica artística (4ª etapa) – Varna (BUL)
8 a 10 – Grand Slam de judô – Baku (AZE)
9 a 31 – Giro D’Italia de ciclismo estrada – vários locais
11 a 19 – Copa do Mundo de tiro esportivo (carabina e pistola) – Fort Benning (EUA)
16/5 A 19/7 – Liga Mundial masculina de vôlei – vários locais
21 a 24 – Copa do Mundo de ginástica artística (5ª etapa) – Anadia (POR)
24/5 a 7/6 – Torneio de tênis de Roland Garros – Paris (FRA)
26 a 31 – Grand Slam de vôlei de praia – Moscou (RUS)
26/5 a 2/6 – Copa do Mundo de tiro esportivo (carabina e pistola) – Munique (ALE)
31/5 a 8/6 – Campeonato Pan-Americano feminino de handebol – Cuba

JUNHO

5 a 7 – Campeonato Sul-Americano de atletismo – Assunção (PAR)
6/6 a 5/7 – Copa do Mundo de futebol feminino – Canadá
6 a 16/6 – Copa do Mundo de tiro esportivo (carabina, pistola e tiro ao prato) – Gabala (AZE)
12 a 14 – Grand Prix de judô – Miami (EUA)
16 a 21 – Grand Slam de vôlei de praia – São Petersburgo (RUS)
26/6 a 26/7 – Grand Prix feminino de vôlei – vários locais
26/6 a 5/7 – Campeonato Mundial de vôlei de praia – Holanda
28/6 a 6/7 – Campeonato Mundial de pentatlo moderno – Berlim (ALE)
29/6 a 5/7 – Torneio de tênis de Wimbledon – Londres (ING)
29/6 a 5/7 – Campeonato Mundial de vela (Nacra 17) – Aarhus (DIN)
29/6 a 8/7 – Campeonato Mundial de vela (Laser e Laser Radial) – Kingston (JAM)

JULHO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de vôlei – Rio de Janeiro
7 a 26 – Jogos Pan-Americanos (cerimônia de abertura será dia 10) – Toronto (CAN)
4 a 26 – Tour de France de ciclismo estrada – França
13 a 19 – Campeonato Mundial de esgrima – Kazan (RUS)
16 a 23 – Campeonato Mundial de taekwondo – Chelyabinsk (RUS)
17 a 19 – Copa Davis de tênis – Quartas de final
17 a 19 – Grand Slam de judô – Tyumen (RUS)
21 a 26 – Grand Slam de vôlei de praia – Yokohama (JAP)
21 a 25 – Campeonato Mundial de ciclismo BMX – Heusden-Zolder (BEL)
24/7 a 9/8 – Mundial de esportes aquáticos (natação, nado sincronizado, saltos ornamentais, polo aquático e maratona) – Kazan (RUS)
26/7 a 2/8 – Campeonato Mundial de tiro com arco – Copenhague (DIN)

AGOSTO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de vôlei de praia – Rio de Janeiro (BRA)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de triatlo – Rio de Janeiro (BRA – Forte de Copacabana)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de remo – Rio de Janeiro (BRA – Lagoa Rodrigo de Freitas)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de ciclismo estrada – Rio de Janeiro (BRA – Parque do Flamengo)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de maratona aquática – Rio de Janeiro (BRA – Forte de Copacabana)
1 e 2 – Aberto Pan-Americano de judô – Miami (EUA)
2 e 3 – Aquece Rio 2016 de hipismo CCE – Rio de Janeiro (BRA – Deodoro)
8 a 16 – Pré-Olímpico feminino de basquete – Edmonton (CAN)
9 – GP do Brasil de atletismo – Belém (BRA)
10 a 16 – Campeonato Mundial de badminton – Jacarta (IDN)
12 a 22 – Aquece Rio 2016 de vela – Rio de Janeiro (BRA – Marina da Glória)
14 a 16 – Evento-teste Rio 2016 de hipismo saltos – Rio de Janeiro (BRA)
17 a 22 – Troféu José Finkel de natação – São Paulo (BRA)
18 a 23 – Grand Slam de vôlei de praia – Long Beach (EUA)
19 a 23 – Campeonato Mundial de canoagem velocidade – Milão (ITA)
22/8 a 6/9 – Copa do Mundo feminina de vôlei – Japão
22/8 a 4/9 – Pré-Olímpico masculino de basquete – Monterrey (MEX)
22/8 a 13/9 – Vuelta a España – ciclismo estrada – Espanha
22 a 30 – Campeonato Mundial de atletismo – Pequim (CHN)
25 a 30 – Grand Slam de vôlei de praia – Polônia
25 a 30 – Tour do Rio de ciclismo estrada – Rio de Janeiro
25 a 30 – Campeonato Mundial de judô – Astana (CAZ)
31/8 a 6/9 – Campeonato Mundial de ciclismo mountain bike – Andorra (ESP)

SETEMBRO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de canoagem velocidade – Rio de Janeiro (BRA – Lagoa Rodrigo de Freitas)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de tiro com arco – Rio de Janeiro (BRA – Sambódromo)
7 a 13 – Campeonato Mundial de ginástica rítmica – Stuttgart (ALE)
7 a 13 – Campeonato Mundial de luta olímpica – Las Vegas (EUA)
8 a 23 – Copa do Mundo masculina de vôlei – Japão
9 a 18 – Campeonato Mundial de tiro esportivo (tiro ao prato) – Lonato (ITA)
16 a 20 – Campeonato Mundial de canoagem slalom – Eton Dorney (ING)
17 a 20 – Copa do Mundo de ginástica artística (6ª etapa) – Osijek (CRO)
18 a 20 – Copa Davis de tênis – Semifinais
19 a 27 – Campeonato Mundial de ciclismo estrada – Richmond (EUA)

OUTUBRO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de ciclismo BMX – Rio de Janeiro (BRA – Deodoro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de ciclismo mountain bike – Rio de Janeiro (BRA – Deodoro)
1º a 4 – Finais do Circuito Mundial de vôlei de praia – EUA
5 a 13 – Campeonato Mundial masculino de boxe – Doha (QAT)
17 e 18 – Grand Slam de judô – Paris (FRA)
17 a 24 – Campeonato Mundial de vela (RS:X) – Al Musay (OMN)
24/10 a 1º/11 – Campeonato Mundial de ginástica artística – Glasgow (ESC)
31/10 e 1º/11 – Grand Prix de judô – Abu Dhabi (EAU)

NOVEMBRO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de tênis de mesa – Rio de Janeiro (BRA – Riocentro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de polo aquático – Rio de Janeiro (BRA – Julio de Lamare)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de hoquei na grama – Rio de Janeiro (BRA – Deodoro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de badminton – Rio de Janeiro (BRA – Riocentro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de canoagem slalom – Rio de Janeiro (BRA – Deodoro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de golfe – Rio de Janeiro (BRA – Campo Olímpico de Golfe)
15 a 22 – Finais da ATP de tênis – Londres (ING)
17 a 22 – Campeonato Mundial de vela (49er) – Buenos Aires (ARG)
20 a 30 – Campeonato Mundial de vela (Finn) – Wellington (NZL)
25 a 28 – Campeonato Mundial de ginástica trampolim – Odense (DIN)
26 a 29 – Grand Prix de judô – Jeju (KOR)
27 a 29 – Copa Davis de tênis (final)
28 e 29 – Circuito Mundial masculino de rúgbi seven – Dubai (EAU)

DEZEMBRO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de boxe – Rio de Janeiro (BRA – Riocentro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de tênis – Rio de Janeiro (BRA – Centro Olímpico de Tênis)
4 a 6 – Grand Slam de judô – Tóquio (JAP)
5 e 6 – Circuito Mundial feminino de rúgbi seven – Dubai (EAU)
5 a 20 – Campeonato Mundial feminino de handebol – Dinamarca
3 a 7 – Campeonato Mundial de natação em piscina curta – Doha (CAT)

Fontes consultadas: jornais “Folha de S. Paulo” e “O Globo” e sites de federações esportivas internacionais

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 13 de dezembro de 2014 Isso é Brasil, Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 00:11

O vôlei do Brasil não merece os cartolas que têm

Compartilhe: Twitter
Seleção feminina comemora a medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres, na última grande glória do vôlei brasileiro (Foto: Getty Images)

Seleção feminina comemora a medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres, na última grande glória do vôlei brasileiro (Foto: Getty Images)

Muita atenção para estes nomes…

Willian, Montanaro, Renan, Bernard, Xandó e Amauri

Jaqueline, Isabel, Vera Mossa, Heloisa, Dulce e Ivonete

Mauricio, Marcelo Negrão, Tande, Giovanni, Paulão e Carlão

Ana Moser, Fernanda Venturini, Ana Paula, Ana Flávia, Márcia Fu e Ida

Ricardinho, Nalbert, Escadinha, Rodrigão, Giba e Dante

Dani Lins, Jaqueline, Fabiana, Fabi, Sheilla e Thaisa

Estão listados acima apenas alguns dos grandes responsáveis pelas grandes conquistas do vôlei brasileiro nos últimos 30 anos. Poderia perfeitamente preencher pelo menos mais umas 10 linhas listando alguns dos grandes times brasileiros em Campeonatos Mundiais e Jogos Olímpicos. Sem falar na turma que brilhou no vôlei de praia, o irmão mais novo porém igualmente vencedor, com Emanuel, Ricardo, Alisson, Sandra Pires, Shelda, Jaqueline Silva, Adriana Behar, Larissa, Juliana…

O fato é que todos estes nomes, que tantas glórias fizeram para tornar do vôlei o segundo esporte mais popular do Brasil, não merecem os dirigentes que jogaram a modalidade na lama neste ano de 2014, culminando com o grande vexame ocorrido nesta quinta-feira, quando o Banco do Brasil suspendeu o histórico e milionário patrocínio (estimado em R$ 70 milhões anuais) pagos à CBV (Confederação Brasileira de Vôlei). Tudo isso motivado após a divulgação de um relatório da CGU (Controladoria Geral da União), apontando diversas irregularidades em contratos firmados pela entidade, que chegam a R$ 30 milhões. No popular, dinheiro público que seria destinado ao desenvolvimento e manutenção da modalidade foi desviado, sabe-se lá para onde.

As denúncias feitas pela “ESPN”, em uma sensacional série de reportagens do jornalista Lúcio de Castro desde o início do ano, jogaram por terra a imagem de competência dos cartolas da CBV. Durante muitos anos, passou-se a imagem de que o vôlei era uma ilha de excelência no atrasado mundo olímpico brasileiro. Pelos resultados em quadra, somente das quadras de vôlei o país poderia aprender a criar um modelo vencedor. Centro de Treinamento de última geração, categorias de basa sempre revelando nomes para as seleções, o vôlei virou uma referência para as demais modalidades.

Mas o modelo vencedor, um “case” de sucesso em gestão esportiva segundo o ex-presidente Ary Graça, atual mandatário da FIVB (Federação Internacional de Vôlei), também tinha seus problemas. Basta relembrar a quantidade de equipes que fecharam as portas nos últimos anos, a despeito de ter uma liga nacional com exposição extrema nos canais de esporte a cabo (na TV aberta, apenas as finais e as seleções tinham espaço). É estranho também um esporte tão vencedor ver um êxodo de atletas nos últimos anos. Sheilla e Bruninho, que atuam na Europa. são apenas dois exemplos, enquanto Jaqueline ficou uma temporada sem clube, tendo acertado há pouco com o Minas.

Que todo este vexame que o vôlei viveu ao longo do ano, inclusive nos últimos dias de 2014, sirva para afastar todos os cartolas corruptos de uma vez. E torcer para que esta crise que parecia inimaginável até um tempo atrás não afete o desempenho das equipes nas Olimpíadas de 2016, no Rio.

 

 

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 17 de novembro de 2014 Ídolos, Isso é Brasil, Seleção brasileira | 17:08

Com ausências importantes, começa votação para o Atleta da Torcida do prêmio do COB

Compartilhe: Twitter
Montagem com todos os candidatos ao prêmio Atleta da Torcida, do Prêmio Brasil Olímpico

Montagem com todos os candidatos ao prêmio Atleta da Torcida, do Prêmio Brasil Olímpico

Desde o último domingo (16) já é possível votar para a escolha do Atleta da Torcida, nova categoria do Prêmio Brasil Olímpico, que escolhe os melhores nomes do esporte brasileiro no ano. O público terá 12 opções (individual ou duplas) para eleger o seu preferido, via internet (http://www.cob.org.br/pbo), que receberá também um prêmio de R$ 30 mil. A escolha será anunciada durante a cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico, marcada para o dia 16 de dezembro, no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro.

Para votar, a pessoa deverá usar o Twitter ou Facebook, usando hashtags que devem conter #EuVotoPBO e o nome do atleta. Os indicados são os seguintes: Cesar Cielo (natação), Diego Hypolito (ginástica artística), Isaquias Queiroz (canoagem velocidade), Marcus Vinícius D’Almeida (tiro com arco), Matheus Santana (natação), Tiago Splitter (basquete), Aline Ferreira (luta), Flavia Saraiva (ginástica artística), Larissa e Talita (vôlei de praia), Martine Grael e Kahena Kunze (vela), Mayra Aguiar (judô) e Sheila Castro (vôlei).

Segundo o COB (Comitê Olímpico do Brasil), foram selecionados “atletas ou duplas que marcaram o esporte brasileiro em 2014, seja por sua performance, exemplo de superação, conquista inédita ou por suas atitudes e condutas”, de acordo com comunicado da entidade.

VEJA TAMBÉM

>>> COB usará internet para eleger o Atleta da Torcida e dará prêmio de R$ 30 mil

Pessoalmente, dois nomes importantes faltaram nesta lista do COB. O primeiro,  o da nadadora Ana Marcela Cunha, da maratona aquática. Além de ter sido tricampeã da Copa do Mundo, ela subiu ao pódio em todas as etapas da competição, um feito inédito. Outro nome que facilmente poderia fazer parte da lista é o da saltadora Fabiana Murer, que neste ano assegurou o título da Liga de Diamente, o mais badalado circuito de provas da Iaaf (Federação das Associações Internacionais de Atletismo), no salto com vara.

De qualquer forma, apesar do esquecimento imperdoável, as duas ainda podem ser eleitas como a melhor atleta de 2014, na votação que será feita por um júri composto por jornalistas, dirigentes, ex-atletas e personalidades do esporte. Também será eleito o melhor atleta masculino de 2014 e ambos receberão ainda um prêmio de R$ 30 mil.

As hashtags dos concorrentes ao prêmio “Atleta da Torcida” são as seguintes:

Cesar Cielo #EuVotoPBOCesar
Diego Hypólito #EuVotoPBODiego
Isaquias Queiroz #EuVotoPBOIsaquias
Marcus Vinicius D’Almeida #EuVotoPBOMarcusVinicius
Matheus Santana #EuVotoPBOMatheus
Tiago Splitter #EuVotoPBOTiago
Aline Silva #EuVotoPBOAline
Flávia Saraiva #EuVotoPBOFlavia
Larissa e Talita #EuVotoPBOLarissaTalita
Martine Grael e Kahena Kunze #EuVotoPBOMartineKahena
Mayra Aguiar #EuVotoPBOMayra
Sheilla Castro #EuVotoPBOSheilla

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 10 de agosto de 2014 Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 22:41

Final de semana traz saldo positivo para quatro modalidades

Compartilhe: Twitter
Isaquias Queiroz exibe a medalha de ouro após conquistar o bicampeonato mundial de canoagem velocidade, na prova C1 500 m, em Moscou

Isaquias Queiroz exibe a medalha após faturar o bi mundial de canoagem velocidade, na C1 500 m

Pelo menos quatro modalidades olímpicas terminaram o domingo com o saldo mais do que positivo, já de olho na preparação para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, daqui a dois anos, Vela, canoagem velocidade, maratona aquática e vôlei feminino obtiveram grandes resultados em suas respectivas competições neste fim de semana. Vamos ao balanço:

Vela

Só o fato de ter ocorrido sem maiores sobressaltos o evento-teste na Baia de Guanabara nesta semana já seria um feito a ser comemorado. Mas a vitória da dupla Martine Grael e Kahena Kunze, na classe 49er FX, confirmou a boa fase das brasileiras, que são líderes do ranking mundial da Isaf (Federação Internacional de Vela) e  já despontam como sérias candidatas a brigar por medalha em 2016. Os favoritos Robert Scheidt e Jorge Zarif, que ficaram em quatro lugar respectivamente nas classes Laser e Finn, deixam a competição com sentimento de decepção, especialmente para Zarif, que viu a medalha escapar por conta de uma quebra no leme.

Maratona aquática

Ao vencer em Lac Megantic (Canadá) mais uma etapa da Copa do Mundo de maratona aquática, a brasileira Ana Marcela Cunha assegurou matematicamente o título da competição em 2014. Foi sua terceira vitória no circuito e precisa apenas largar na próxima etapa, na China, para referendar a conquista. Para completar, ela ainda viu seu companheiro de seleção brasileira, Allan do Carmo, também vencer a prova masculina e ficar próximo do título.

Canoagem

As imagens do sábado, com o baiano Isaquias Queiroz dentro da água, a apenas dez metros antes de cruzar a linha de chegada e ganhar o título mundial da prova de C1 1.000 m de canoagem velocidade, em Moscou, vão ficar para a história. Um erro inexplicável do canoísta brasileiro, que acabou desclassificado. Só que 24 horas depois ele conseguiu mostrar uma força psicológica fora do comum e venceu neste domingo a final da C1 500 m. Foi o bicampeonato mundial do baiano nesta prova, que não é olímpica, mas Isaquias mostrou que com um pouco mais de trabalho mental para encarar os momentos de pressão, poderá ser uma bela surpresa em 2016. Ele ainda terminou a competição com uma outra medalha, o bronze na C2 200 m (outra prova não olímpica), ao lado de Erlon de Souza.

Vôlei

Não que chegue a ser uma grande surpresa a boa performance da seleção brasileira feminina de vôlei, atual bicampeã olímpica, mas é digno de registro a campanha que a equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães vem cumprindo na edição deste ano do Grand Prix. Após duas semanas de disputa, as brasileiras seguem invictas na competição, feito que pôde ser acompanhado de perto pelo torcedor de São Paulo neste final de semana, com as vitórias sobre Rússia, Coreia do Sul e EUA no Ginásio do Ibirapuera.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 30 de maio de 2014 Olimpíadas | 09:32

Corrida para a Rio 2016 começa nesta sexta-feira

Compartilhe: Twitter

logo2016

Atualizado

Esta sexta-feira, 30 de maio, será um dia importante no calendário esportivo para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Na prática, a partir deste dia está aberta a corrida oficial na classificação de diversas modalidades para as próximas Olimpíadas. Os critérios de qualificação olímpica foram definidos na última Assembleia do COI (Comitê Olímpico Internacional), realizada em Sochi, durantes os Jogos de Inverno, em fevereiro deste ano.

Na prática, cinco modalidades esportivas (atletismo, ginástica artística, ginástica rítmica, trampolim acrobático e futebol) ainda não divulgaram seus critérios de classificação, mas as demais já sabem quantas vagas estão em disputa e até quando os atletas terão tempo para garanti-las. Nesta sexta, por exemplo, começará a contar o período válido do ranking mundial do judô, que classificará 386 atletas para os Jogos Olímpicos.

Veja abaixo a tabela com as modalidades que já definiram seus critérios de classificação olímpica e o número de vagas em disputa:

Modalidade              Período de classificação               Total de vagas

Badminton                   4/5/2015 a 1/5/2016                       172 (86 masc. e 86 fem)
Basquete                      14/09/2014 a 11/7/2016               24 seleções (12 masc. e 12 fem)
Boxe                             03/2015 a 06/2016                             286 (250 masc. e 36 fem)
Canoagem slalom              07/2015 a 10/7/2016                       82 (61 masc. e 21 fem)
Canoagem velocidade      19/8/2015 a 10/7/2016             248 (158 masc., 88 fem e 2 a definir)
Ciclismo BMX                    31/5/2014 a 31/5/2016             48 (32 masc. e 16 fem)
Ciclismo estrada             2015 a 15/6/2016                            211 (144 masc. e 67 fem)
Ciclismo MTB                 05/2014 a 25/05/2016                  80 (50 masc. e 30 fem)
Ciclismo pista                 15/7/2014 a 28/2/2016                 189 (99 masc e 90 fem)
Esgrima            3/4/2015 a 24/4/2016        212 (102 masc. e 102 fem + 8 vagas Brasil a definir)
Golfe                              14/7/2014 a 11/7/2016                   120 (60 masc. e 60 fem)
Handebol                       7/12/2014 a 10/4/2016                    24 seleções (12 masc. e 12 fem)
Hipismo adestramento        24/8/2014 a 20/6/2016               60 (masc. e fem)
Hipismo CCE                        27/8/2014 a 20/6/2016               65 (masc. e fem)
Hipismo saltos               31/8/2014 a 20/6/2016                     75 (masc. e fem)
Hóquei sobre grama       18/9/2014 a 12/2015                  24 seleções (12 masc. e 12 fem,)
Judô                                30/5/2014 a 29/5/2016                    386 (221 masc + 145 fem + 20 a definir)
Levantamento de peso    4/9/2014 a 19/6/2016            260 (156 masc e 104 fem)
Luta Olímpica               7/9/2015 a 8/5/2016               344 (228 masc, 108 fem + 8 a definir)
Maratona aquática        24/7/2015 a 05/2016             50 (25 masc. e 25 fem)
Nado sincronizado        2015 a 04/2016                          104 (fem)
Natação                        1º/3/2015 a 31/5/2016               900 (máximo de 26 masc. e 26 fem por país)
Pentatlo moderno            12/6/2015 a 1º/6/2016            72 (36 masc. e 36 fem)
Polo Aquático               06/2015 a 04/2016                       20 seleções (12 masc e 8 fem)
Remo                               30/8/2015 a 25/5/2016                     550 (331 masc. e 219 fem)
Rúgbi                         1º/10/2014 a 31/12/2015                  24 seleções (12 masc. e 12 fem)
Saltos ornamentais     24/7/2015 a 15/6/2016              136 (68 masc. e 68 fem)
Taekwondo                 2015 a 04/2016                                  128 (64 masc e 64 fem)
Tênis                           até 6/6/2016                                           172 (86 masc. e 86 fem)
Tênis de mesa               1º/7/2015 a 24/4/2016              172 (86 masc. e 86 fem)
Tiro com arco                 26/7/2015 a 11/7/2016           128 (64 masc. e 64 fem)
Tiro esportivo               1º/8/2014 a 31/3/2016            390 (219 masc, 147 fem + 24 a definir)
Triatlo                           05/2015 a 05/2016                       110 (55 masc. e 55 fem)
Vela                              1º/8/2014 a 1º/6/2016                380 (217 masc. e 163 fem)
Vôlei                           21/8/2015 a 06/2016                       24 seleções (12 masc. e 12 fem)
Vôlei de praia          1º/7/2014 a 17/7/2016             96 duplas (48 masc. e 48 fem)

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 2 de abril de 2014 Imprensa, Isso é Brasil | 17:35

Por favor, sigam o exemplo de Bebeto de Freitas!

Compartilhe: Twitter
Bebeto de Freitas vem sendo um crítico feroz da estrutura do esporte brasileiro

Bebeto de Freitas vem sendo um crítico feroz da estrutura do esporte brasileiro

Comecei a semana no blog exaltando a surpreendente veemência e firmeza com que vários ídolos do esporte brasileiro se posicionaram em relação ao caso dramático da ex-ginasta Laís Souza, cobrando no iG Esporte uma ampla discussão a respeito até da profissionalização do atleta olímpico do Brasil. Mas cá entre nós, eles ainda têm muito a aprender em combatividade com o ex-técnico da seleção masculina de vôlei, Bebeto de Freitas, que ocupou também a presidência do Botafogo

Há algumas semanas, Bebeto vem mostrando toda a sua indignação contra a frágil estrutura do esporte brasileiro, que beneficia poucos em detrimento da maioria. Primeiro, em entrevista ao jornal “O Globo”, colocando o dedo na ferida a respeito da vergonhosa crise no vôlei do Brasil, que culminou com a queda do presidente licenciado Ary Graça, após o mal-explicado caso das comissões a diretores da CBV (Confederação Brasileira de Vôlei).

Bebeto de Freitas demonstra a mesma coragem ao criticar, sem papas na língua, o chamado legado do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), classificado por ele como “um caos”, em entrevista ao site “Esporte Essencial”, para a jornalista Fabiana Bentes. Em um dos trechos, ao comentar o habitual discurso de Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB, que adora exaltar as medalhas conquistadas pelo Brasil em sua gestão, ele foi cirúrgico.

“Mas qual é o legado dessas medalhas? Nenhum. Construímos um velódromo e depois destruímos. Construímos uma piscina que não serve para a Olimpíada. O Pan-Americano foi o maior engodo que se vendeu no Brasil. Do ponto de vista esportivo, o Pan-Americano não representa mais nada, porque pouquíssimos esportes se classificam nessa competição para a Olimpíada.”

O esporte brasileiro precisa de mais pessoas com coragem e personalidade como Bebeto de Freitas.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 13 de março de 2014 Imprensa, Isso é Brasil, Listas, Olimpíadas, Política esportiva | 14:45

Relembre outros vexames do Brasil a caminho do Rio 2016

Compartilhe: Twitter

Os pagamentos de comissões a empresas ligadas a diretores da CBV (Confederação Brasileira de Vôlei), por intermediar contratos de patrocínio do Banco do Brasil, revelados em ótima série de reportagens do jornalista Lúcio de Castro, da ESPN Brasil, abalou não só o vôlei como o próprio universo olímpico brasileiro. O superintendente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Marcus Vinícius Freire, disse à Folha de S. Paulo temer que o escândalo abale o desempenho da modalidade na preparação para as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Nesta quinta-feira, o próprio presidente do COB, Carlos Nuzman, deu entrevista na qual declarou estar “preocupado com a situação da CBV“.

Mas para quem tem boa memória – e se há uma qualidade que modestamente reconheço ter é justamente essa – a bomba que caiu no colo do vôlei é só mais um dos vários vexames protagonizados por organizadores, políticos e cartolas de confederações, entre outros, na preparação do Brasil para a primeira edição dos Jogos Olímpicos na América do Sul. Relembre abaixo outros dez casos emblemáticos:

1) Roubo de dados secretos de Londres 2012 por integrantes do Rio 2016

Sebastian Coe discursa em seminário no Rio e minimiza caso de espionagem

Sebastian Coe discursa em seminário no Rio e minimiza caso de espionagem

Em setembro de 2012, um mês depois do encerramento das Olimpíadas de Londres, dirigentes britânicos divulgaram que integrantes do comitê do Rio 2016, que trabalhavam em conjunto para conhecer o funcionamento da organização dos Jogos, fizeram sem autorização cópias de documentos secretos. O fato culminou com a demissão de dez funcionários do órgão brasileiro.  Em novembro, durante um seminário no Rio, o ex-presidente do comitê de Londres, Sebastian Coe, mininizou o ocorrido. “Não demos muita importância ao tema

2) Descredenciamento do Ladetec

O Brasil tinha um único laboratório credenciado pela Wada (Agência Mundial Antidoping), o Ladetec, no Rio de Janeiro. Só que desde agosto do ano passado não tem mais. Por causa de inúmeros erros em procedimentos e resultados controversos, a Wada retirou as credenciais do Ladetec. Foi uma esculhambação sem proporções para o país, que criou até uma agência própria para ampliar o combate ao doping no país. A Wada diz esperar recredenciar o Ladetec novamente até o segundo semestre de 2015.

3) Demolição do Célio de Barros e do Júlio Delamare

O que restou do Célio de Barros, antes de ser poupado da destuição total pelo governador Sergio Cabral

O que restou do Célio de Barros, antes de ser poupado da destruição total

Um dos maiores crimes cometidos ao esporte olímpico brasileiro foi protagonizado pela prefeitura e governo do estado do Rio de Janeiro, quando por conta do acordo com o consórcio que administra o estádio do Maracanã, decidiu-se pela demolição do Estádio Célio de Barros (atletismo) e do Parque Aquático Júlio Delamare. Além de receberem competições nacionais, os dois equipamentos também atendiam à população da cidade e poderiam perfeitamente ser utilizados nas Olimpíadas de 2016, até para treinamento das equipes. E foi por enorme pressão popular, com direito a uma carta do campeão olímpico Joaquim Cruz, tanto o governador Sérgio Cabral quanto o prefeito Eduardo Paes recuaram e decidiram não derrubar definitivamente os dois estádios. O problema é que o Célio de Barros encontra-se sem condições de uso e não se sabe quando isso irá ocorrer.

4)  Atraso para a licitação do Complexo de Deodoro

Um dos pontos mais complicados na organização dos Jogos de 2016 tem sido o Complexo de Deodoro, que receberá uma quantidade considerável de modalidades olímpicas (esgrima, pentatlo moderno, hipismo, ciclismo BMX, ciclismo mountain bike, tiro esportivo e canoagem slalom). Eis que até agora não foi feita a licitação para as obras do local, o que motivou um relatório preocupante do TCU (Tribunal de Contas da União) e a expectativa é que as obras comecem obrigatoriamente este ano. O próprio Eduardo Paes admite que o complexo será entregue apenas em 2016.

5) As “broncas” do COI e os relatórios sigilosos

Outro mico que os organizadores de 2016 tiveram que enfrentar foi o vazamento de um relatório sigiloso feito pelo COI, após uma reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo”, mostrando que a entidade estava extremamente preocupada em razão de atrasos nas obras das arenas, problemas na infraestrutura de transporte da cidade, déficit no número de quartos de hotel, falta de recursos de patrocinadores, entre vários pontos abordados. Ao iG, o COI não desmentiu a existência do documento, mas negou que houvesse alguma preocupação exagerada com os Jogos. Mas o novo presidente da entidade, Thomas Bach, já declarou: “O Rio de Janeiro não term mais tempo a perder”

6) Demora para o início de construção de diversas arenas

Além do já citado problema em Deodoro, também preocupa a situação das obras em estádios no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, como a arena de handebol, que deverá ficar pronta apenas no segundo semestre de 2015, o novo centro aquático, que ainda não foi licitado e precisa estar pronto até o primeiro trimestre de 2016, e o novo velódromo, cujas obras começaram apenas neste ano.

7) Irregularidades em obras apontadas pelo TCU

Projeto final do Ladetec, laboratório que fará os exames antidoping nas Olimpíadas 2016

Projeto do Ladetec, laboratório que fará o antidoping nas Olimpíadas 2016

Em julho de 2013, o TCU publicou dois comunicados expressando extrema preocupação com a organização das Olimpíadas do Rio. Primeiro, detectando irregularidades irregularidades no orçamento e contrato das obras na reforma do Ladetec, que fará os exames antidoping durante os Jogos. A análise do TCU mostrou “quantitativos subestimados na planilha orçamentária em comparação com o projeto executivo, além de execução da obra em dois turnos ao invés de três, como previsto em contrato”. A outra reclamação era referente aos atrasos em Deodoro (mais uma vez!)

8) O velódromo de R$ 14 milhões que foi demolido

Um dos maiores exemplos de falta de planejamento e desorganização (para ficar apenas nisso) foi o caso do velódromo de R$ 14 milhões construído para os Jogos Pan-Americanos de 2007.  Erguido com madeira siberiana, tratada na Holanda, o equipamento teve sua “morte” decretada por diversos motivos, entre eles capacidade de público abaixo da exigida, quantidade inferior de boxes e vestiários e, o mais grave de tudo, inclinação inadequada da pista. Especialistas em arenas esportivas, porém, declaram em várias reportagens que seria possível adequar o velódromo às exigências. O novo tem orçamento previsto de R$ 118,8 milhões.

9) O campeão olímpico que não tinha condição decente para treinar

Único brasileiro campeão olímpico e mundial de ginástica artística, Arthur Zanetti fez parte de sua preparação para as duas competições em um ginásio indecente, para dizer o mínimo. Depois de falar até em deixar a seleção brasileira e se naturalizar por outro país, caso as condições de preparação não melhorassem, Zanetti foi recebido no Ministério do Esporte e teve a promessa de que a situação iria melhorar, inclusive a respeito da falta de estrutura na CBG (Confederação Brasileira de Ginástica)

10) A falta de solução para a Baia da Guanabara e Lagoa Rodrigo de Freitas

Peixes mortos atrapalharam seletiva de remo na Lagoa Rodrigo de Freitas

Peixes mortos atrapalharam seletiva de remo na Lagoa Rodrigo de Freitas

O campeão olímpico de vela  Torben Grael já cansou de declarar sobre sua preocupação com a situação da Baia da Guanabara, que será palco das provas da modalidade em 2016. Para Gral, o risco de um vexame é enorme. Recentemente, em uma etapa do Campeonato Brasileiro, a filha dele, Martine Grael, encontrou uma televisão boiando na água. Já na Lagoa Rodrigo de Freitas, futura sede das competições de remo, não é muito diferente. Em março de 2013, durante uma seletiva da seleção brasileira, milhares de peixes mortos ficaram próximos à área de competição, causando problemas para os competidores, entre eles a remadora Fabiana Beltrame, campeã mundial de 2011.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última