Publicidade

Posts com a Tag Salto com vara

quarta-feira, 7 de agosto de 2013 Ídolos, Mundiais, Vídeos | 19:39

Contagem regressiva para o Mundial de atletismo

Compartilhe: Twitter

Com o final do Mundial de esportes aquáticos, em Barcelona, chegou a vez de outro evento nobre dos esportes olímpicos entrar em ação. Daqui a três dias, no próximo sábado (10), começará o 14º Campeonato Mundial de atletismo, em Moscou.  Tendo como estrela principal o jamaicano Usain Bolt, o supercampeão olímpicos dos 100 e 200 m rasos, a competição terá como palco principal o histórico Estádio Olímpico, que recebeu as cerimônias de abertura e encerramento, além das competições de atletismo nas Olimpíadas de Moscou 1980.

Esta, inclusive será a última grande competição que será realizada lá. Ele deverá passar por profundas reformas para receber as partidas da Copa do Mundo de 2018. Ao todo, participarão do Mundial 1.970 atletas, representando 206 países. O Brasil enviou uma delegação com 32 atletas.

A Iaaf (Federação das Associações Internacionais de Atletismo) preparou um clipe bem bacana para promover a competição. E entre os personagens destacados, vejam, só, está a brasileira Fabiana Murer, que é a atual campeã mundial do salto com vara.

Confira o vídeo:

Autor: Tags: , , , , , , ,

segunda-feira, 8 de julho de 2013 Seleção brasileira | 09:07

Os voos de Thiago que podem fazer o atletismo do Brasil reagir

Compartilhe: Twitter

Thiago Braz exibe a marca de 5,83m no salto com vara, obtida no Sul-Americano de Cartagena (Col), novo recorde continental da prova

Os (raros) leitores deste blog devem ter percebido uma ausência de atualizações nos últimos dez dias. Bem, em primeiro lugar, o período coincidiu com a reta final da cobertura intensa que o iG Esporte realizou na Copa das Confederações, quando não havia tempo para se pensar em mais nada que não fosse em futebol. Somando a isso, este blogueiro, que não é de ferro, tirou alguns dias de férias assim que a turma do Felipão levantou o caneco no Maracanã, para recarregar as baterias.

Mas enquanto a velha rotina do blog não é retomada de forma total, não posso deixar passar batido um momento de esperança vivido pelo atletismo do Brasil. Depois de uma participação ridícula nas Olimpíadas de Londres 2012, quando pela primeira vez em 20 anos deixou uma edição dos Jogos sem conquistar uma medalha, a modalidade vive um momento de boas perspectivas, numa prova onde nunca teve tradição: o salto com vara.

>>> Veja também: O calendário 2013 do esporte olímpico

Desde o surgimento de Fabiana Murer, atual campeã mundial da prova, o Brasil passou a ter no salto com vara mais uma possibilidade de bons resultados em competições internacionais. Mas até então, restrito apenas às mulheres. A atual temporada, preparatória para o Mundial de Moscou, de 10 a 18 de agosto, mostrou que os homens brasileiros também sabem saltar.

Dois pupilos treinados por Elson Miranda – marido e técnico de Fabiana Murer – protagonizaram uma série de excelentes resultados nas últimas semanas. O primeiro a se destacar foi Augusto Dutra, de 22 anos (completará 23 no próximo dia 16), que quebrou o recorde sul-americano indoor e ao ar livre em um espaço de apenas quatro meses (5, 71 m e 5,82 m, respectivamente).

>>> Leia ainda: Confira os brasileiros que largaram bem para 2016

Além disso, Dutra ainda obteve uma medalha de bronze em uma etapa da forte Liga de Diamante, organizada pela Iaaf (Federação das Associações Internacionais de Atletismo), em Lausanne (Suíça), ficando logo atrás do alemão Raphael Holzdeppe, medalha de bronze em Londres e que teve a mesma marca do brasileiro (5,62 m), porém obtida num número menor de tentativas.

Só que Augusto Dutra, já garantido na equipe brasileira que irá ao Mundial de Moscou, terá um “rival” doméstico para superar. Com apenas 19 anos, o paulista Thiago Braz, também treinado por Elson Miranda, assombrou a todos ao bater o recorde sul-americano de Dutra em Cartagena (Col), durante a disputa do campeonato continental, na última quinta-feira.

A marca de 5,83 m obtida por Braz – que campeão mundial juvenil no ano passado, em Barcelona – representa a 12ª melhor da temporada. E não é de hoje que o garoto vem impressionando. Há dois anos, o ucraniano Vitaly Petrov, consultor de salto com vara da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), e que foi técnico dos fenômenos Serguei Bubka e Elana Isinbayeva, disse durante uma clínica no Brasil que Thiago Braz tem todos os recursos necessários para um dia saltar acima dos 6 metros.

Que os voos de Thiago Braz e de Augusto Dutra ajudem a curar o atletismo da ressaca de medalhas que a modalidade passou em Londres.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

domingo, 21 de outubro de 2012 Ídolos, Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 14:52

Fabiana Murer e a intolerância dos pachecos

Compartilhe: Twitter

Fabiana Murer já começa a treinar forte, de olho na disputa do Mundial da Rússia, em 2013

Pouco mais de dois meses foram necessários para que Fabiana Murer curasse suas feriadas e falasse sobre seu fiasco nas Olimpíadas de Londres 2012, quando nem conseguiu passar pela qualificação do salto com vara, mesmo tendo chegado à competição com o status de campeã mundial e uma das favoritas a brigar pela medalha de ouro. Você pode conferir aqui a entrevista que fiz com Fabiana na semana passada e que está no iG Esporte.

E diante do que falou a atleta e seu técnico/marido Elson Miranda, a impressão que saí do centro de treinamento do Clube BM&F Bovespa, em São Caetano do Sul, pelo qual compete Fabiana e onde foi feita a entrevista, é que se o tal “vento contra” no Estádio Olímpico de Londres teve uma influência decisiva em sua performance (e acho que teve mesmo!),  mais uma vez Fabiana Murer foi vítima de uma palavrinha de quatro letras e que muitos entendem que se trata de uma bela desculpa esfarrapada: azar.

Sim, azar, por que não? Assim como em Pequim, quando deu um baita azara de terem perdido suas varas, em Londres, se o vento prejudicava todas as atletas – e para evitar isso poderiam ter mudado a posição do colchão do salto com vara, como sugeriu Elson Miranda -, com certeza em alguns momentos prejudicou mais umas do que outras, como foi o caso de Fabiana. Por ter um porte físico mais leve, ela sentiu mais este problema do que outras, como a favorita russa Yelena Isinbayeva, que foi bronze nestas Olimpíadas, é bom lembrar.

Mas o que me deixa estupefato é que dois meses depois, o processo de linchamento virtual na brasileira continua a todo vapor. Alguns comentários da reportagem que está no ar no iG Esporte demonstra o quanto os pachecos não se conformam com a falha de Fabiana Murer. “Uma boa terapia vai resolver”, “Hoje está confirmado que amarelou”, “Toda vez uma desculpa: em Londres foi o vento, na China foi a vara e no Rio, qual será?”, foram alguns dos comentários publicados.

É incrível que a intolerância da pachecada ainda apareça com tanta energia. Fabiana Murer fracassou em Londres? Claro que sim, ninguém nega isso. Mas quando o atleta mostra, com argumentos coerentes, as razões que explicam suas falhas, o mínimo que podemos fazer é refletir.

Tentar segurar um pouco a corneta e conhecer mais detalhes de outras modalidades seriam outras coisas importantes a se fazer neste Brasil, onde impera a monocultura esportiva e sofre com a infestação crescente de pachecos intolerantes.

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 26 de setembro de 2011 Com a palavra, Ídolos, Imprensa, Mundiais, Musas, Olimpíadas, Pan-Americano | 23:35

Fabiana Murer, uma campeã com os pés no chão

Compartilhe: Twitter

“Ele foi fundamental, me ensinou a saltar novamente”


Fabiana Murer exibe a bandeira brasileira para comemorar o título mundial no salto com vara

Esta frase, extraída de um trecho de uma declaração dada nesta segunda-feira, em uma twitcam (na verdade, de “cam” mesmo não teve nada, pois o equipamento falhou e o papo rolou pelo twitter mesmo), mostra bem a forma serena e objetiva de pensar de Fabiana Murer, ganhadora da única medalha de ouro do Brasil em Mundiais de atletismo. Ao contrário do que muitos atletas, que embriagados pela fama imediata se esquecem dos verdadeiros responsáveis pelas suas conquistas, Fabiana Murer não pensou duas vezes em destacar a importância do técnico ucraniano Vitaly Petrov nesta medalha de ouro.

É justamente este jeito sereno, sem marketing, com os pés no chão, que cativa em Fabiana Murer. Só mesmo algo muito extremo para tirá-la de seu eixo, como foi o episódio da perda das varas nas Olimpíadas de Pequim. O normal de Fabiana Murer é esse aí: sem se deslumbrar ou desesperar  por qualquer coisa.

Da mesma forma com que garante que irá brigar pelo ouro no Pan de Guadalajara, daqui a pouco menos de 20 dias, Fabiana Murer não descarta alcançar a quase inalcançável marca de 5 metros em 2012 e também buscar o título olímpico nos Jogos de Londres. E tudo isso é dito de uma forma sincera, sem afetação ou prepotência.

Quem dera o esporte brasileiro tivesse outras atletas com o comportamento e perfil de Fabiana Murer.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 30 de agosto de 2011 Ídolos, Imprensa, Mundiais, Seleção brasileira | 13:39

Ouro de Fabiana Murer começou a ser desenhado em 2009

Compartilhe: Twitter

Fabiana Murer exibe a bandeira brasileira para comemorar o inédito título mundial no salto com vara

A brilhante conquista de Fabiana Murer nesta terça-feira, ao ficar com a medalha de ouro no salto com vara do Campeonato Mundial de atletismo em Daegu – a primeira de um atleta brasileiro, homem ou mulher, na história da competição – começou a ser construída, na verdade, há dois anos, antes do Mundial de Berlim, em 2009.

Numa entrevista com a atleta e que foi tema da coluna Diário Esportivo, que eu assinava no “Diário de S. Paulo”, Fabiana Murer já planejava que para ficar com a medalha de ouro em um Mundial, algo na época considerado um feito quase impossível, diante de uma russa Elena Isinbayeva até então imbatível, precisaria saltar pelo menos 4m80. Na época, esse era o recorde sul-americano, que pertencia a ela mesma (hoje a marca é justamente de 4m85, o salto que lhe rendeu o ouro).

“A partir desta marca, é possível pensar em lutar por medalha. Não é possível assegurar que vou ganhar saltando isso, mas fico na briga” disse Murer, na coluna publicada no “Diário”, em 6 de março de 2009.

E pensar que pouco mais de dois anos depois, ela superou sua própria expectativa para entrar na história do atletismo brasileiro. Mais bacana ainda foi o fato de ter sido a conquista de uma atleta do bem, que passa longe dos choros histéricos ou atitudes marqueteiras de olho na opinião publica.

Se alguém mereceria esta medalha, esse alguém era Fabiana Murer.

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 14 de agosto de 2011 Ídolos, Imprensa, Olimpíadas | 23:33

Para USA Today, Fabiana Murer ainda é favorita para 2012

Compartilhe: Twitter

Fabiana Murer durante a conquista do título sul-americano do salto com vara

No último mês de março, em um dos primeiros posts deste blog, comentei sobre um levantamento feito pelo jornal americano “USA Today”, que faz uma espécie de termômetro dos prováveis resultados dos Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem. Trata-se de um misto de futurologia com estudo baseado em resultados nos mais diversos eventos disputados por todo o planeta. E a proposta é deixar a lista sempre atualizada.

Na edição de março, o site do “USA Today” previa que o Brasil terá um total de 15 medalhas nos Jogos do ano que vem (cinco de ouro, cinco de prata e cinco de bronze). A conta mudou um pouco na última lista, atualizada no final de julho. O total de medalhas do Brasil diminuiu (passou para 13), mas o número de ouros aumentou (são seis nesta última relação). Estão previstas ainda cinco de prata e duas de bronze.

Entre as seis conquistas brasileiras previstas pelo jornal americano, uma continua presente de forma surpreendente. Para o “USA Today”, Fabiana Murer será a campeã olímpica no salto com vara feminino. E olhe que neste começo de temporada ela ainda não repetiu a mesma performance de 2010 e sequer tem a melhor marca do ano – que pertence à americana Jennifer Suhr, que tem 4,91m contra 4,71m da brasileira.

Sinal que a confiança internacional na performance de Fabiana Murer supera até mesmo os melhores resultados de suas adversárias.

PS: antes que eu me esqueça, os possíveis campeões olímpicos brasileiros apontados na lista do “USA Today” são Cesar Cielo (natação – 50m livre), Robert Scheidt/Bruno Prada (Vela – Star), Juliana/Larissa (vôlei de praia) e seleções masculina e feminina de vôlei.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

domingo, 5 de junho de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Seleção brasileira | 13:02

Erro de planejamento?

Compartilhe: Twitter

Fabiana ficou em 3º lugar nos EUA. Mas valeu a pena?

Uma perguntinha básica: será que valeu a pena Fabiana Murer enfrentar uma verdadeira maratona aérea no trajeto São Paulo-Buenos Aires-Oregon (EUA), e terminar com o terceiro lugar em sua estreia da Liga de Diamante no último sábado, na prova do salto com vara no Prefontaine Classic, quando alcançou a marca de 4,48m? Só para constar, foi a pior marca de Fabiana em uma competição internacional desde 2005, quando salto 4,40m no GP de Helsinki.

Por mais que o técnico de Fabiana, Elson Miranda, justifique que o foco da atleta em 2011 é conquistar uma medalha no Mundial de Atletismo em Daegu, na Coreia do Sul, faz sentido questionar que ele e a CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) tenham optado por colocar Fabiana disputando o Sul-Americano de Buenos Aires – onde por sinal cravou o melhor salto do ano na modalidade, com 4,70m – e depois submetê-la a uma cansativa viagem aos EUA.

Teria sido melhor que Fabiana Murer estreasse na Liga de Diamante, competição que reúne os melhores atletas do mundo, somente no GP de Oslo, na Noruega, na próxima quinta-feira. Mais descansada, certamente Fabiana conseguiria um resultado melhor do que o obtido em Eugene.

Ou a razão de Fabiana ter participado do Prefontaine Classic terá sido comercial, pois o principal patrocinador do evento (a Nike) também é um dos patrocinadores da atleta brasileira?

Faltou planejamento aí, hein!

Veja também:

Fabiana Murer em números

O que acontece com o tribunal da CBAt?

Joaquim Cruz e uma análise pessimista para Londres-12

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 3 de junho de 2011 Almanaque, Ídolos, Listas, Olimpíadas | 22:26

Fabiana Murer em números

Compartilhe: Twitter

No gráfico abaixo, dá pra ter uma noção da grande evolução de Fabiana Murer no salto com vara. Mas será que ela conseguirá atingir os 5,00m, ainda em 2011, como já disse? Ou irá guardar esta marca para garantir uma medalha nas Olimpíadas de Londres, em 2012? Vamos aguardar…

Veja também:

Jornal americano prevê cinco ouros para o Brasil em 2012

O velho “Ibira”, de cara nova

Medalha, medalha, medalha

Autor: Tags: , , ,

Ídolos, Pan-Americano, Seleção brasileira | 21:57

Em "aniversário" de recorde, Fabiana tenta manter a ponta

Compartilhe: Twitter

Fabiana Murer salta para cravar 4,70m, melhor marca do mundo na temporada

Já passou o tempo em que Fabiana Murer poderia ser considerada uma promessa do atletismo. Depois de uma temporada quase perfeita em 2010, quando venceu a Liga de Diamante e foi a campeã mundial indoor (pista coberta) no salto com vara, a atleta da Campinas adquiriu um outro status no cenário internacional. É uma bela realidade, esperança real de grandes resultados.

Hoje, ela não é mais aquela garota brasileira de talento, mas um tanto inexperiente, que viu suas varas desaparecerem como num passe de mágica, as Olimpíadas de Pequim, em 2008. Muita coisa mudou desde então. E neste sábado, quando compete no tradicional Prefontaine Classic, em Eugene (EUA), estreando na Liga de Diamente de 2011, Fabiana já passa a ser encarada como a rival a ser batida.

Não à toa, afinal a brasileira chega ao Grand Prix do Oregon como dona da melhor marca da temporada, com o 4,70m que cravou em Buenos Aires, durante o Campeonato Sul-Americano. Como coincidência, neste sábado faz exatamente um ano que Fabiana Murer obteve a melhor marca de sua carreira, ao vencer o Campeonato Ibero-Americano de atletismo saltando 4,85m, recorde sul-americano na prova.

O início da participação de Fabiana Murer na Liga de Diamante serve como a verdadeira largada da atleta na temporada 2011. Será a partir de agora que ela terá pela frente suas maiores rivais. E olhe que nos EUA ainda não irá encarar a supercampeã russa Elena Isinbayeva. Em compensação, terá como adversárias a polonesa Anna Rogowska, campeã mundial (Berlim/2009), a russa Svetlana Feofanova (prata no Mundial de Doha/2010), e a norte-americana Jennifer Shur, líder do ranking mundial em 2010 (4,92 m).

Neste ano, Fabiana Murer tem como princial objetivo conquistar uma medalha no Campeonato Mundial de Atletismo, em Daegu (Coreia do Sul), no mês de agosto, além de brigar pelo bicampeonato no Pan-Americano de Guadalajara (México), em outubro.

Veja também:

Fabiana começa a temporada em alto estilo

Atletismo brasileiro define seleção para o Sul-Americano

A mulher mais rápida do mundo

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 26 de maio de 2011 Ídolos, Imprensa, Olimpíadas, Pan-Americano, Seleção brasileira | 23:39

Fabiana começa a temporada em alto estilo

Compartilhe: Twitter

Fabiana Murer salta para vencer o GP Brasil e fazer a melhor marca do ano

O começo da temporada ao ao livre de Fabiana Murer não poderia ter sido mais promissor. Nesta quinta-feira, ao vencer o salto com vara no GP Brasil, no Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, sua primeira prova em 2011, ela simplesmente cravou a melhor marca do ano nesta prova, com 4,65m. Deixou para trás a eslovena Tina Sutej, que alcançou 4,61m numa prova realizada na cidade de Athens, nos EUA, no último dia 14.

Fabiana já declarou que tem como principal objetivo em 2011 chegar aos 5 metros. Não será uma tarefa fácil, ainda mais numa prova em que tem como rival ninguém menos do que a estupenda russa Elena Isinbayeva, recordista mundial com 5,06m. Mas depois de ter sida campeã mundial indoor, vencer a Liga de Diamente e ainda por cima melhorar seu recorde sul-americano para 4,85m, tudo isso em 2010, ninguém deve duvidar do que Fabiana é capaz.

Oportunidades para alcançar tal feito não faltarão para Fabiana Murer. Entre várias competições, ela terá como destaque o Campeonato Mundial de Daegu, na Coreia do Sul, em agosto, e os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em outubro.

Vale lembrar que no último mês de março, o jornal americano “USA Today” fez uma previsão de medalhas para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem. E entre as cinco medalhas de ouro que o jornal acredita que serão conquistadas pelo Brasil, uma delas seria de Fabiana Murer. Previsão classificada por este blogueiro como “meio maluca”, especialmente por saber que ela terá que superar Isinbayeva.

Tomara que o blogueiro queime a língua!

Veja também:

Jornal americano prevê cinco ouros para o Brasil em 2012

Atletismo classifica mais uma para o Pan-11

Assistir ao Pan 2011 é uma pechincha

Autor: Tags: , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última