Publicidade

Posts com a Tag Jogos de 2020

sábado, 7 de setembro de 2013 Candidaturas, Olimpíadas, Política esportiva | 18:13

Tóquio 2020, uma escolha lógica e segura

Compartilhe: Twitter

Jacques Rogge, exibe o cartaz mostrando a vitório de Tóquio para os Jogos de 2020

Minutos antes do presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), Jacques Rogge, abrir o envelope e anunciar a cidade de Tóquio como a grande vencedora na disputa pela sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2020, escrevi no Twitter: “Só pelo clipe, Tóquio merecia vencer”.

Estava declaradamente torcendo pela candidatura japonesa (inclusive foi a minha aposta no post anterior), por vários motivos: por ser Tóquio uma cidade sensacional, com uma atmosfera única, por sua cultura e até mesmo por uma questão sentimental. Há dois anos, o país foi devastado por um tsunami monstuoso, exibido ao vivo pelos canais de notícia, na madrugada daquele fatídico 11 de março de 2011. Não há como ficar imune diante das cenas de destruição.

Ao analisar cada candidatura, não há como não ver vantagens na escolha de Tóquio. E foi uma barbada. Na primeira rodada de votação, quando Madri foi eliminada, a capital japonesa teve 42 vontos, contra 26 de Isatambul e Madri (no desempate, os turcos ganharam por 49 a 45). Na rodada final, foi um massacre: 60 votos a Tóquio e 36 para Istambul.

Tóquio já mostra há anos competência em organizar grandes competições. Há uma tremenda valorização da cultura esportiva no povo japonês. Inclusive já realizou a edição dos Jogos Olímpicos de 1964, apenas 19 anos depois de ter sido praticamente destruído durante a 2ª Guerra Mundial, inclusive com duas bombas atômicas caindo em seu território. O Japão já organizou também duas Olimpíadas de inverno, em Sapporo 1972 e Nagano 1998, uma Copa do Mundo (em parceria com a Coreia do Sul, em 2002) e várias edições do Mundial de clubes da Fifa.

A vitória de Tóquio sinaliza, por fim, sinaliza que o COI não quis apostar numa grande novidade, como o fez com o Rio para 2016. Entre escolher uma candidatura de um país com muito a fazer em sua infraestrutura e arenas, além de estar no meio do furacão de um caldeirão geopolítico, como é o caso de Istambul, os cartolas do COI preferiam apostar em quem já está sua estrutura de transportes pronta e um plano seguro em suas arenas esportivas.

Como brincaram nas redes sociais, alguém deveria dar uma ideia ao COI e deixar os Jogos de 2016 para os japoneses e os de 2020 para o Rio de Janeiro. Galhofa à parte, como duvidar de um povo que um mês depois de um terremoto e tsunami, já conseguia reconstruir suas estradas e cidades?

Parabéns, Tóquio!

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 6 de setembro de 2013 Candidaturas, Olimpíadas | 19:31

Como acompanhar a escolha da sede dos Jogos de 2020

Compartilhe: Twitter

O Hotel Hilton, em Buenos Aires, será palco de importantes decisões do COI nos próximos quatro dias

O COI (Comitê Olímpico Internacional) promoverá a partir deste sábado aquela que talvez será a mais importante de suas Assembleias Gerais nos últimos anos. Numa incrível coincidência, em um intervalo de apenas quatro dias acontecerão votações fundamentais para o esporte olímpico mundial: a escolha da sede dos Jogos Olímpicos de 2020, a definição do último esporte para completar o programa olímpico e a eleição do novo presidente do COI. O iG Esporte produziu um especial sobre o tema, que pode ser acessado neste link aqui.

Veja também: Conheça o vídeo oficial das cidades que concorrem aos Jogos Olímpicos de 2020

Mas para quem quiser acompanhar ao vivo toda a movimentação e resultados da votação, direto do Hotel Hilton, em Buenos Aires, o COI disponibilizará um link em seu site, prometendo transmitir tudo em tempo real. Clique aqui para acompanhar as sessões. A primeira eleição (e sem dúvida a mais aguardada) será a escolha da cidade sede de 2020.

E como o blogueiro não gosta de ficar em cima do muro, aqui vão os meus palpites: serão eleitos Tóquio, luta olímpica e Thomaz Bach, respectivamente.

Abaixo, o calendário dos principais eventos da 125ª Assembleia Geral do COI:

Sábado – 7/9*

9h – 10h10 – Apresentação da candidatura de Istambul para os Jogos de 2020
10h25 – Coletiva de imprensa do comitê de candidatura de Istambul
10h30 – 11h40 – Apresentação da candidatura de Tóquio
11h55 – Coletiva de imprensa do comitê de Tóquio
12h – 13h10 – Apresentação da candidatura de Madri
13h25 – Coletiva de imprensa do comitê de Madri
15h45 – 16h – Votação para eleger a sede das Olimpíadas de 2020
17h – 17h30 – Cerimônia de anúncio da sede das Olimpíadas de 2020
18h30 – 19h – Assinatura do contrato da cidade sede com o COI, seguida de coletiva de imprensa

Domingo – 8/9*

10h30 – 11h – Apresentação da Confederação Internacional de Beisebol e Softbol
11h – 11h30 – Apresentação da Federação Mundial de Squash
11h30 – 12h – Apresentação da Federação Internacional de Lutas Associadas
12h – 12h45 – Votação para a inclusão da 26ª modalidade no programa esportivo dos Jogos Olímpicos

Terça-feira – 10/9*

9h30 – 10h15 – Eleição dos novos membros do COI
11h – 12h – Eleição do novo presidente do COI
12h30 – Cerimônia de anúncio do novo presidente do COI
16h40 – 16h50 – Discurso de despedida do presidente Jacques Rogge
18h30 – Coletiva de imprensa com o novo presidente do COI

* Horários de Brasília

Autor: Tags: , , , , , , , ,

terça-feira, 3 de setembro de 2013 Candidaturas, Olimpíadas, Vídeos | 16:12

Conheça o vídeo oficial das cidades que concorrem aos Jogos Olímpicos de 2020

Compartilhe: Twitter

O logotipo das três cidades que são candidatas a ser a sede dos Jogos de 2020

Neste sábado, será conhecido durante a 125ª Assembleia Geral do COI (Comitê Olímpico Internacional), que será realizada em Buenos Aires, a cidade que receberá a sedes dos Jogos Olímpicos de 2020. Após uma intensa campanha para conquistar os votos dos membros da entidade, contando inclusive com cabos eleitorais de peso como os craques de futebol Lionel Messi e Zico, saberemos se a vitória ficará com Istambul (Turquia), Tóquio (Japão) ou Madri (Espanha). Todas as previsões apontam como principal favorita a candidatura japonesa.

Confira abaixo o vídeo oficial que mostra um pouco de cada uma das três candidaturas que então na briga:

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 5 de junho de 2013 Olimpíadas, Política esportiva | 09:46

Clima político não desanima turcos de olho em 2020

Compartilhe: Twitter
Getty Images

Diversos protestos continuaram agitando Istambul nesta terça-feira

A onda de protestos na Turquia, que começou na última sexta-feira, com manifestantes pedindo a renúncia do premiê Recep Tayyip Erdogan, pode trazer como efeito colateral um prejuízo esportivo ao país. No dia 7 de  setembro, será escolhida a sede das Olimpíadas de 2020, na Assembleia Geral do COI (Comitê Olímpico Internacional), marcado para a cidade de Buenos Aires. E entre os candidatos, está Istambul, a principal cidade da Turquia.

Ao lado de Tóquio, Istambul aparece como uma das fortes candidatas a vencer o pleito de setembro – Madri, capital da Espanha, aparece como a terceira força na disputa. A briga entre as cidades japonesa e turca vem se acirrando nos últimos tempos. Segundo o site especializado no movimento olímpico Gamebids.com, que tem uma classificação própria para avaliar as candidaturas das cidades, o “Bidindex“, Tóquio passa por um período de “alta”, graças ao crescente apoio da população japonesa, enquanto Istambul vive uma fase de “baixa”. A avaliação foi feita após a reunião do comitê executivo do COI, em São Petersburgo, na semana passada.

Estas análises, contudo, não estão levando em consideração o aspecto político pelo qual passa a Turquia. E foi justamente pensando nas consequências que os fortes protestos terão junto ao conservador colégio eleitoral do COI que os integrantes da candidatura de Istambul trataram de se apressar e divulgar um comunicado para dizer que os turcos continuam unidos em torno do sonho olímpico.

“Apesar destes últimos acontecimentos, todos os setores da Turquia permanecer unidos em nosso sonho de sediar primeira olímpica da nossa nação e Paraolímpicos em 2020”, diz um trecho do comunicado. O comitê de candidatura de Istambul anunciou ainda que acompanha as manifestações “com muito cuidado e que por enquanto elas estão voltadas para um espírito coletivo de comunidade”. Até mesmo um dos candidatos à presidência do COI, o suíço Denis Oswald, presidente da IRF (Federação Internacional de Remo), deu uma declaração, dizendo que não acha que o processo político na Turquia irá afetar a decisão da Assembleia do COI.

A candidatura de Istambul para receber os Jogos de 2020 – que tem o orçamento previsto de US$ 19,2 bilhões, o mais alto entre as três cidades postulantes – tem como ponto forte em sua campanha reforçar que as Olimpíadas, caso sejam disputadas lá, ocorrerão pela primeira vez em dois continentes, Europa e Ásia.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 29 de maio de 2013 Olimpíadas, Política esportiva | 13:53

Luta, squash e beisebol/softbol: qual deles vai sobreviver nas Olimpíadas?

Compartilhe: Twitter

Comunidade da luta olímpica continua em campanha pela permanência da modalidade

E o COI (Comitê Olímpico Internacional) decidiu nesta quarta-feira a pré-lista dos três esportes que continuam brigando pela vaga final no programa olímpico dos Jogos de 2020. Na reunião do comitê executivo da entidade, realizada em São Petersburgo (RUS), decidiu-se que a luta olímpica, o squash e o beisebol/softbol permanecem na briga pela vaga do 26º esporte. Foram eliminados caratê, escalada esportiva, wakeboard, esportes sobre patins e wushu. A decisão final sairá na Assembleia Geral do COI, em setembro, em Buenos Aires.

A decisão do COI não pode ser considerada uma surpresa. Já na semana passada, uma pesquisa no site Gamebids, especializado na cobertura do movimento olímpico, apontava para a definição destas três modalidades na pré-lista. Comentava-se nos bastidores que a recusa da MLB (Major League Baseball) em liberar seus milionários atletas para as Olimpíadas pudesse pesar contra a modalidade, mas o lobby das emissoras de TV dos EUA, que pagam milhões ao COI pelos direitos de transmissão e que têm grande interesse na volta dos dois esportes, pesou na escolha.

Pessoalmente, fiquei feliz com a decisão. Embora ainda seja uma pré-lista e muita água irá rolar debaixo desta ponte até setembro (politicamente falando), será um absurdo de proporções tsunâmicas que a luta, esporte base das Olimpíadas desde os Jogos da Grécia Antiga, fosse excluída na reunião desta quarta-feira.

E como não fico em cima do muro, minha torcida é pela manutenção da luta olímpica na eleição do COI, em setembro.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 23 de maio de 2013 Olimpíadas, Política esportiva | 23:45

COI define pré-lista de esportes para entrar nos Jogos de 2020 na próxima quarta-feira

Compartilhe: Twitter

Comitê executivo do COI deve escolher três esportes que continuarão na briga pela última vaga no programa olímpico dos Jogos de 2020

O mistério para saber quais modalidades continuam na briga por um lugar no programa olímpico para os Jogos de 2020, ainda sem sede escolhida, terminará na próxima quarta-feira. Durante reunião do comitê executivo do COI (Comitê Olímpico Internacional), realizada em São Petesburgo (Rússia), serão selecionadas os esportes que continuarão na briga para ficar com a última vaga entre os core sports (modalidades principais). Estima-se que o COI divulgará uma lista com três esportes. O anúncio será feito às 12h30 desta quarta-feira (horário de Brasília).

A grande expectativa é saber se a luta olímpica, um dos esportes mais tradicionais na história dos Jogos, permanecerá no programa de competição. A FILA (Federação Internacional de Lutas Associadas) tem feito um lobby muito forte na comunidade olímpica por sua aprovação. Mas a briga está sendo muito acirrada. Segunda pesquisa do site “Gamebids“, que acompanha o dia-a-dia do movimento olímpico, a luta ocupa a terceira posição na preferência dos internautas, atrás do squash (1º) e beisebol/sofbol (2º).

Ainda concorrem para a eleição definitiva da última vaga no programa olímpico – que ocorrerá em setembro, durante a Assembleia Geral do COI, em Buenos Aires – o caratê, a escalada esportiva, esporte sobre patins, wakeboard e o wushu (variação do kung-fu).

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 1 de maio de 2013 Olimpíadas, Política esportiva | 14:55

Maio será decisivo para sobrevivência da luta nas Olimpíadas

Compartilhe: Twitter

Imagem que ilustra página no Facebook, criado pelo comitê americano de lutas, em defesa da permanência da modalidade no programa olímpico

Começa o mês mais importante na briga da luta para se manter como modalidade fixa do programa dos Jogos Olímpicos. Após a surpreendente recomendação em fevereiro do COI (Comitê Olímpico Internacional) para que a luta (e suas respectivas categorias olímpica e greco-romana) deixasse de integrar o programa olímpico a partir de 2020, uma intensa campanha de mobilização e lobby para que a modalidade seja escolhida entre outras sete. A decisão final sairá na assembleia geral do COI, marcada para setembro, em Buenos Aires.

Antes disso, porém, o primeiro obstáculo será passar por uma triagem, em uma reunião do comitê executivo do COI em São Petesburgo (RUS), no dia 27 de maio. Lá, sairá uma lista final com três ou quatro finalistas para a definição da assembleia em setembro. Além da luta, tentam assegurar um lugar como core sport (modalidade principal) do programa olímpico o beisebol/softbol, squash, caratê, esporte sobre patins, escalada esportiva, wakeboard e wushu, uma variação do kung fu.

De acordo com Pedro Gama Filho, presidente da CBLA (Confederação Brasileira de Lutas Associadas) e membro da comissão da FILA (Federação Internacional de Lutas Associadas) que trabalha pela manutenção da modalidade nas Olimpíadas, ainda haverá uma reunião da entidade, dia 18, em Moscou, para determinar as últimas estratégias antes do encontro com os integrantes do COI. Dentro da FILA, o otimismo é grande e o dirigente aposta que a briga pela vaga do 26º esporte no programa dos Jogos de 2020 ficará entre a luta, o beisebol/softbol e o caratê.

A luta faz parte do programa olímpico desde a primeira edição dos Jogos, em Atenas 1896. Ficou fora somente nos Jogos de Paris 1900.  Além disso, foi uma das modalidades fundamentais durante os Jogos da Grécia Antiga.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013 Olimpíadas | 17:28

Decisão para manter a luta nas Olimpíadas será apenas política, avisa presidente da Confederação Brasileira de lutas

Compartilhe: Twitter

Imagem que ilustra página no Facebook, criado pelo comitê americano de lutas, em defesa da permanência da modalidade no programa dos Jogos Olímpicos

Ainda se refazendo do baque com a decisão anunciada pelo comitê executivo do COI (Comitê Olímpico Internacional) nesta terça-feira, recomendando a exclusão das lutas do programa olímpico a partir dos Jogos de 2020, Pedro Gama Filho, presidente da CBLA (Confederação Brasileira de Lutas Associadas) já começa a se articular para ajudar a FILA (Federação Internacional de Lutas Associadas) a tentar convencer os membros do COI, na assembleia geral marcada para setembro, em Buenos Aires.

“Espero que tenhamos chance de reverter essa decisão em setembro, mas até lá teremos muito trabalho pela frente”, disse o dirigente, que entende que a decisão será exclusivamente política e não técnica, em entrevista ao blog. Confira abaixo:

Como vocês ficaram sabendo da decisão do COI? Desconfiavam que algo pudesse ocorrer na reunião desta terça-feira?

Pedro Gama Filho: Fiquei sabendo logo pela manhã, pela internet. Depois, recebemos os comunicados da FILA e do COI. Na véspera, fiquei sabendo que haveria essa votação, mas achava que as outras modalidades que seriam analisadas teriam mais chance de serem retiradas do programa olímpico do que uma modalidade fundadora, como é a luta olímpica.

Qual teria sido a motivação para esta recomendação?

Analisando friamente, creio que a razão seja política. Vejo a luta olímpica como um esporte democrático e universal, com audiência e tradição praticamente em todo mundo. Vi o sucesso do wrestling em Londres refletido em estádio lotado e público participativo. Acho que o grande erro da FILA foi acreditar que isto jamais aconteceria, enquanto outras modalidades que se sentiam ameaçadas certamente estavam trabalhando. No final de janeiro, o presidente da FILA, Raph Martinetti, esteve no Rio para inaugurar o CT da internacional na cidade, o primeiro das Américas, e sequer comentou sobre esta possibilidade. Ironia ou não, ele me falou para guardar a data de 12 de fevereiro, pois seria a provável data da entrada das três categorias femininas que faltavam no programa olímpico. Coube ao destino nos pregar esta peça, com uma decisão ao meu ver completamente equivocada do COI, apagando a sua própria história. Espero que tenhamos chances de reverter esta decisão em setembro, mas até lá, temos muito trabalho pela frente.

Houve algum problema com a luta olímpica nos Jogos de Londres, que pudesse motivar essa decisão?

Fora o mal relacionamento entre a Confederação da Grã-Bretanha com a FILA, tudo correu às mil maravilhas. Casa cheia, grande espetáculo nos tapetes, transmissões para o mundo todo, inclusive para o Brasil. Não vi nada em Londres que pudesse justificar essa retirada do programa.

Quais são os critérios usados para se excluir um esporte do programa olímpico?

Apesar da falta de clareza na nota emitida pelo COI, falaram em relatórios referentes a audiência (em Londres) ratings do broadcasting (dos Jogos de Londres) controle de doping, e universalidade da modalidade. Na minha opinião, o wrestling se saiu muito bem em todos os quesitos, e não acredito que nenhum destes tenha sido determinante para a decisão do COI. De qualquer forma, você medir uma modalidade pela audiência é bastante subjetivo, pois a popularidade na Grã-Bretanha é uma, a popularidade em Tóquio, para citar o exemplo de uma das possíveis futuras sedes para 2020, ou mesmo em Istambul, cidades (países) que tem o wrestling enraizado em suas culturas, seriam dados completamente distintos.

O taekwondo, que também é um esporte de luta, fez parte da análise do comitê executivo do COI, mas foi poupado. Qual o motivo do taekwondo ter sido mantido e as lutas não?

Acredito que tenha sido o trabalho político da Federação Internacional de Taekwondo. Como disse anteriormente, senti os dirigentes da FILA extremamente confiantes, no sentido de que o esporte sequer estivesse ameaçado de sair do programa, e isto realmente pode ter pesado.

Vocês imaginam que será possível reverter esse quadro até a assembleia geral do COI, em setembro? Atitudes como a criação de uma página no Facebook, tentando sensibilizar o COI, podem ter resultado, ou será uma decisão política?

Acho que temos que trabalhar com as ferramentas que temos em mãos. Redes sociais são mecanismos importantes para informar e conscientizar a opinião pública, e se a voz do povo é a voz de Deus, temos que gritar aos quatro cantos do mundo o grande erro que o COI está cometendo, apagando a sua própria história. Imagino o que o Barão de Coubertin acharia disso tudo, certamente estaria muito infeliz! A decisão será política sim, temos que procurar os membros executivos do COI com mensagens positivas, mostrando que o wrestling e Jogos Olímpicos são uma coisa só, e um não existe sem o outro, com sucesso. O trabalho deve ocorrer em todas as frentes visando reverter esta infeliz decisão.

Em caso negativo, qual será o futuro das lutas como modalidade esportiva? É possível que os atletas passem a migrar para outros esportes, como o MMA, por exemplo?

A luta faz parte da história da humanidade, foi o primeiro esporte praticado e passado de geração em geração. Não creio que a modalidade irá acabar por causa de uma decisão infeliz de um grupo. Eles podem enfraquecer a modalidade, que certamente terá no profissionalismo do MMA uma forma de sobreviver, mas o wrestling é maior do que qualquer decisão política, é um esporte universal, que une os povos, e está enraizado nas culturas pelo mundo todo. Se o pior acontecer, o que eu espero que não se concretize, o wrestling achará uma forma de sobreviver. Estamos falando dos homens e mulheres, mais preparados do mundo, certamente eles não irão sucumbir a uma derrota. cair e levantar faz parte do nosso jogo. Seguiremos lutando!

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013 Olimpíadas | 11:57

COI rasga sua própria história ao excluir a luta dos Jogos

Compartilhe: Twitter

A brasileira Joice Silva participou dos Jogos de Londres 2012, como única representante na luta olímpica

Só pode ser pegadinha de carnaval, não há outra explicação….

A terça-feira que abre o último dia da comemoração carnavalesca começou com uma notícia bombástica para o esporte olímpico: em reunião realizada em Lausane pelo comitê executivo do COI (Comitê Olímpico Internacional), foi recomendado que a luta (cujas modalidades são livre e greco-romana) deixe de fazer parte do programa olímpico a partir dos Jogos Olímpicos de 2020, cuja sede será escolhida em setembro.

Assim, a luta tentará uma vaga ao lado de outras sete modalidades: beisebol/softbol, caratê, squash, escalada esportiva (!), esporte sobre patins, wakeboard e wushu (!!!). A decisão sobre o 26º esporte do programa olímpico sairá desta mesma assembleia geral do COI, que está marcada para Buenos Aires (Arg).

Em poucas palavras, os cartolas do COI estão querendo rasgar sua própria história ao sugerir a exclusão da luta olímpica!

A luta faz parte do programa olímpico desde a primeira edição dos Jogos, em Atenas 1896. Ficou fora somente nos Jogos de Paris 1900, que contou com uma aberração como o cabo de guerra entre as modalidades do evento. É, portanto, uma das bases do esporte olímpico moderno e também dos Jogos da Grécia Antiga, é bom lembrar.

Claro que a exclusão não é definitiva, e muita coisa pode acontecer até a realização da assembleia geral de setembro. Mas a palavra do comitê executivo tem muita força entre os membros do COI. Esportivamente falando, não há nada que justifique essa recomendação. Só mesmo a política explica tamanho absurdo.

Agora, só uma perguntinha: se for para excluir uma modalidade, por que não o badminton, que viu o escândalo da armação de resultados nos Jogos de Londres 2012, culminando com a expulsão de vários atletas?

Autor: Tags: , , , , , ,

quinta-feira, 20 de setembro de 2012 Candidaturas, Olimpíadas | 20:20

Tóquio aparece como favorita para levar as Olimpíadas de 2020

Compartilhe: Twitter

O cartaz da candidatura de Tóquio para os Jogos de 2020

Informação colocada nesta quinta-feira pelo site Gamebids.com, especializado em candidaturas olímpicas dos Jogos de Verão e Inverno, mostra que cresceu, e muito, o favoritismo de Tóquio para vencer a disputa pela sede dos Jogos Olímpicos de 2020.

Em pesquisa colocada no ar pelo site, nos últimos dois dias a candidatura da capital japonesa deu um incrível salto à frente de sua maior concorrente, a cidade de Istambul, na Turquia. Hoje, de acordo com os números do Gamebids, Tóquio tem 77,7% de chance de vencer a disputa, contra 17,7% da cidade turca. A candidatura de Madri aparece em último lugar na preferência dos internautas, com somente 4,45% de possibilidade.

Já na cotação que o Gamebids faz das candidaturas olímpicas para 2020, baseado em um índice próprio, a favorita é Istambul. A cidade turca lidera o “Bidindex”, índice criado pelo site que leva em conta diversos fatores que fariam uma cidade vencer a eleição, desde relatórios feitos pelo COI como repercussão da própria opinião dos moradores da cidade a favor ou contra a candidatura. Quanto mais alto este índice, maior favoritismo tem a a cidade.

Nesta classificação, a vantagem de Istambul é pequena em relação a Tóquio (60,20 a 59,92 da cidade japonesa). Madri repete a terceira colocação. Vale lembrar que em 2009, o Gamebids já afirmava bem antes da assembleia que deu a vitória ao Rio de Janeiro que a cidade brasileira deveria ser a sede dos Jogos de 2016.

A definição da sede dos Jogos de 2020 acontecerá na Assembleia Geral do COI que ocorrerá em Buenos Aires, em julho do ano que vem.

Autor: Tags: , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última