Publicidade

Posts com a Tag João Derly

domingo, 31 de agosto de 2014 Almanaque, Ídolos, Mundiais, Seleção brasileira | 00:55

As medalhas do Brasil nos Mundiais de judô

Compartilhe: Twitter
A brasileira Mariua Suelen Altheman não conseguiu superar a cubana Idalys Ortiz na final da categoria acima de 78 kg

A brasileira Maria Suelen Altheman (à esquerdas) não conseguiu superar a cubana Idalys Ortiz na final da categoria acima de 78 kg

No último dia de disputas individuais do Campeonato Mundial de judô, que está sendo realizado na cidade russa de Chelyabinsk, na Rússia, o Brasil ampliou seu número de medalhas na competição. O melhor resultado foi obtido por Maria Suelen Altheman, na categoria acima de 78 kg, que acabou repetindo o desempenho do Mundial do ano passado, realizado no Brasil, e ficou com a medalha de prata. Novamente derrotada pela forte cubana  Idalys Ortiz, por ippon, em uma luta na qual ela saiu com uma contusão no joelho.

Depois, foi a vez de Rafael Silva, na categoria acima de 100 kg, que não repetiu o vice-campeonato de 2013 mas não deixou a Rússia com as mãos abanando, ao levar o bronze após derrotar o alemão Roy Meier. Neste domingo, o Mundial de Chelyabinsk se encerra com a disputa do torneio por equipes.

No geral, o Brasil soma um total de 38 medalhas em Mundiais de judô ao longo da história.

Confira abaixo todas as medalhas brasileiras

Medalha de ouro

João Derly – 66 kg – Cairo (Egito)/2005
João Derly – 66 kg – Rio de Janeiro (Brasil)/2007
Tiago Camilo – 81 kg – Rio der Janeiro (Brasil)/2007
Luciano Corrêa (100 kg) – Rio de Janeiro (Brasil)/2007
Rafaela Silva (57 kg) – Rio de Janeiro (Brasil)/2013
Mayra Aguiar (78 kg) – Chelyabinsk (Rússia)/2014

Medalha de prata

Aurélio Miguel – 95 kg – Hamilton (Canadá)/1993
Aurélio Miguel – 95 kg – Paris (França)/1997
Mayra Aguiar – 78 kg – Tóquio (Japão)/2010
Leandro Guilheiro – 81 kg -Tóquio (Japão)/2010
Leandro Cunha – 66 kg – Tóquio (Japão)/2010
Leandro Cunha – 66 kg – Paris (França)/2011
Rafaela Silva – 57 kg – Paris (França)/2011
Érika Miranda – 52 kg – Rio de Janeiro (Brasil)/2013
Maria Suelen Altheman – + 78 kg – Rio de Janeiro (Brasil)/2013
Rafael Silva – + 100 kg – Rio de Janeiro (Brasil)/2013
Maria Suelen Altheman – + 78 kg – Chelyabinsk (Rússia)/2014

Medalha de bronze

Chiaki Ishii – 93 kg – Ludwigshafen (Alemanha)/1971
Walter Carmona – 86 kg – Paris (França)/1979
Aurélio Miguel – 95 kg – Essen (Alemanha)/1987
Rogério Sampaio – 73 kg – Hamilton (Canadá)/1993
Daniele Zangrando – 56 kg – Tóquio (Japão)/1995
Edinanci Silva – 72 kg – Paris (França)/1997
Fúlvio Myata – 60 kg – Paris (França)/1997
Sebastian Pereira – 73 kg – Birmingham (Inglaterra)/1999
Mario Sabino – 100 kg – Osaka (Japão)/2003
Edinanci Silva – 78 kg – Osaka (Japão)/2003
Carlos Honoraro – 90 kg – Osaka (Japão)/2003
Luciano Correa – 100 kg – Cairo (Egito)/2005
João Gabriel Schilittler – + de 100 kg – Rio de Janeiro (Brasil)/2007
Sarah Menezes – 48 kg – Tóquio (Japão)/2010
Sarah Menezes – 48 kg – Paris (França)/2011
Leandro Guilheiro – 81 kg – Paris (França)/2011
Mayra Aguiar – 78 kg – Paris (França)/2011
Sarah Menezes – 48 kg – Rio de Janeiro (Brasil)/2013
Mayra Aguiar – 78 kg – Rio de Janeiro (Brasil)/2013
Érika Miranda – 52 kg – Chelyabinsk (Rússia)/2014
Rafael Silva – + 100 kg – Chelyabinsk (Rússia)/2014

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 29 de março de 2011 Ídolos, Olimpíadas, Seleção brasileira | 22:30

O sonho olímpico de Derly ainda não acabou. Será?

Compartilhe: Twitter

João Derly está confiante de que conseguirá ir à Londres-12. Mas está difícil

Depois de ter ficado afastado dos tatames por 15 meses por causa de duas cirurgias no joelho esquerdo  e justamente no dia de seu retorno às competições ter sentido nova contusão no joelho (desta vez o direito), o judoca João Derly ainda não entregou os pontos e continua botando fé que estará integrando a equipe brasileira nas Olimpíadas de Londres, no ano que vem.

Em um comunicado emitido por seu clube, a Sogipa, Derly agradeceu às mensagens de solidariedade e garantiu que o sonho olímpico continua mais vivo do que nunca. Até porque a contusão foi menos grave do que se supunha.

É louvável toda  esta fé e confiança em sua recuperação, mas no fundo o próprio Derly sabe que a vaga de Londres é algo que hoje está muito distante dele. Com a contusão, ele ficou fora da equipe nacional, que conta com apoio financeiro da CBJ (Confederação Brasileira de Judô) para a disputa das principais competições que valem pontos no ranking mundial. Só lembrando que este ranking é que definirá os atletas que estarão classificados para Londres-12.

Para que o sonho olímpico de João Derly realmente continue vivo, será preciso bem mais do que confiança e otimismo em sua recuperação física.

Autor: Tags: , ,

sábado, 26 de março de 2011 Ídolos, Olimpíadas, Pan-Americano, Seleção brasileira | 20:02

O drama de João Derly

Compartilhe: Twitter

João Derly sofreu nova lesão, desta vez no joelho direito

Muito triste o drama pelo qual está passando o judoca gaúcho João Derly, bicampeão mundial dos meio-leves (até 66kg). Justamente neste sábado, dia em que voltava aos tatames, após ter passado por duas cirurgias no joelho esquerdo e ficado afastado nada menos do que 15 meses dos tatames, eis que na seletiva para definir a seleção brasileira que irá competir em 2011, ele sofreu uma nova lesão, desta vez no joelho direito. Resultado: está fora do Pan-Americano de Guadalajara, no próximo mês de outubro, e das Olimpíadas de Londres, no ano que vem.

Um dos maiores talentos do judô brasileiro, Derly vem sofrendo com as lesões no joelho desde sua participação nas Olimpíadas de Pequim, quando foi eliminado ainda na segunda rodada. Nas vésperas da seletiva deste sábado, o gaúcho era só otimismo. “Estou voltando a competir em um bom nível e vindo de uma preparação muito boa”, afirmou. Um dia depois, era a imagem da desolação, após sentir dores em sua segunda luta, contra Marcelo Contini. Era sua estreia em nova categoria, a dos leves (até 73kg).

O pior é que mesmo se após exames mais detalhados a gravidade da lesão não se confirmar, Derly terminou as seletiva na última colocação e ficou fora da equipe principal do Brasil, que contará com apoio financeiro da CBJ (Confederação Brasileira de Judô) para disputar as principais competições mundiais, e que contam pontos no ranking classificatório aos Jogos de Londres.

Uma pena mesmo. Que Derly encontre forças para dar mais uma volta por cima.

Autor: Tags: , , ,