Publicidade

Posts com a Tag Jade Barbosa

quarta-feira, 6 de março de 2013 Ídolos, Isso é Brasil, Olimpíadas | 11:40

A culpa pelos ginastas desempregados não é (só) do Flamengo

Compartilhe: Twitter

Jade Barbosa, Diego e Daniele Hypólito falam sobre o fim da equipe de ginástica do Flamengo

Um drama recorrente no esporte brasileiro, a cena de ver atletas olímpicos de alto rendimento sem clube é sempre triste e revoltante. Quando isso ocorre em pleno ciclo olímpico para as Olimpíadas que serão organizadas no próprio país, no Rio de Janeiro, em 2016, o caso é ainda mais dramático. Não foi diferente, portanto, o sentimento que me tomou ao ver a revolta e perplexidade dos integrantes da equipe de ginástica do Flamengo, ao tomarem conhecimento da decisão do clube em acabar com o patrocínio da modalidade, ocorrido nesta terça-feira.

Além dos ginastas – entre eles algumas das estrelas da modalidade no Brasil, como os irmãos Diego e Daniele Hypólito, Jade Barbosa e Sérgio Sasaki – a equipe de judô também foi desativada. Seguiram o mesmo caminho da equipe de natação, cuja maior estrela era Cesar Cielo, fechada no final de 2012.

Os culpados por mais este crime no esporte olímpico brasileiro são vários, não se pode apontar o dedo apenas para um deles.

O primeiro culpado é o clube. É claro que o Flamengo tomou esta decisão pensando apenas na planilha de custos. Ninguém em seu juízo perfeito sairia fechando equipes olímpicas, com atletas de ponta e ídolos em suas modalidades, cujo retorno de imagem é sempre o maior possível. A decisão foi estritamente do ponto de vista de dinheiro.

O Flamengo é um clube com problemas financeiros históricos, fruto de gestões pífias e incompetentes. Mas o maior pecado dos dirigentes rubro-negros foi anunciar esta decisão EM MARÇO, com o segundo trimestre do ano em pleno andamento. Quando a natação acabou, em dezembro de 2012, já estava na cara que os demais esportes olímpicos teriam o mesmo fim. Agora, no primeiro ano do ciclo olímpico, estes atletas terão inúmeras dificuldades para encontrar um novo clube.

O segundo culpado é o governo, na figura do Ministério do Esporte. A falta de uma política esportiva ampla, que não seja preocupada apenas com grandes eventos ou programas de incentivo que muitas vezes demoram para alcançar o atleta, também é responsável pelo drama dos ginastas, judocas e nadadores flamenguistas.

Só para lembrar: no ano passado, com toda pompa, a presidenta Dilma Rousseff anunciou a criação do Bolsa Pódio, programa que promete repassar até R$ 1 bilhão até 2016 a atletas, treinadores, preparadores físicos etc. O valor individual pode chegar até a R$ 15 mil/mês, dependendo de cada atleta. Mas até agora, ficou só na promessa. Dizem que as inscrições serão abertas agora em março. Dizem…

Por fim, o terceiro culpado é o COB (Comitê Olímpico Brasileiro). Por mais que a entidade diga que não tem responsabilidade na gestão das modalidades  (tarefa que segundo ele pertence às confederações), o COB é quem comanda o esporte brasileiro. E desde 2003, passou a ter a chave do cofre, quando começou a receber os recursos da Lei Agnelo/Piva. Nunca o esporte do Brasil teve tanto dinheiro. Mas o COB falha ao não cobrar as entidades de uma forma mais contundente.

A única certeza é que entra tantos culpados, os atletas olímpicos desempregados do Flamengo são as grandes vítimas. Triste filme repetido tantas vezes.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 7 de julho de 2012 Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 17:04

Foto de Jade Barbosa é golpe de mestre ou golpe baixo?

Compartilhe: Twitter

As imagens assustam, mas Jade Barbosa não é a única ginasta com mãos nestas condições

Em mais um capítulo de sua guerra particular com a CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), a ginasta Jade Barbosa divulgou nesta sexta-feira à noite, nas redes sociais, a impressionante foto acima, que mostra as condições de suas mãos, bastante machucadas em virtude dos treinamentos duros e diários. Coisas que todo ginasta de alto nível passa diariamente, é bom ressaltar.

“Você treina a vida inteira, se esforça… para chegar um mês antes da olimpíada e alguém acabar com o seu sonho! Obrigada a todos que nunca deixaram de acreditar em mim”, escreveu Jade. Imagino a repercussão que esta foto deva ter causado entre os fãs da ginasta.

Mas sempre é bom analisar as coisas com calma. Já escrevi bastante a respeito do tema e acho que não existem vilões e mocinhos nesta história, todos estão errados, a começar por Jade e seu pai, que cuida dos interesses de sua carreira. Ela bateu o pé mas voltou atrás, quando já era tarde demais.

Da mesma forma, a CBG mostrou uma intransigência pouco vista com atletas de ponta, no esporte olímpico brasileiro. No popular, teimosia e falta de habilidade política em tratar de um tema tão delicado.

Por isso, acredito que possam ser dois os efeitos da foto chocante de Jade Barbosa: criar um clima de compaixão e revolta dos torcedores, que não perdoam especialmente a diretora técnica da CBG, Geogette Vidor; ou ficar com a imagem de que ela “apelou” para ganhar a simpatia da torcida. Afinal, como eu disse no começo deste texto, Jade Barbosa não detém a exclusividade de ter mãos machucadas entre todas as ginastas do Brasil.

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 3 de julho de 2012 Com a palavra, Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:58

Solidariedade dos atletas para Jade Barbosa

Compartilhe: Twitter

Joanna Maranhão está inconformada com a chance de Jade Barbosa não ir a Londres

“Será que a burocracia e a política vão tirar Jade dos Jogos? Acho triste que a punição seja apenas para a atleta”

Nadadora Joanna Maranhão, que usou o Twitter para dar apoio à Jade Barbosa, que não deve ser convocada para as Olimpíadas de Londres 2012. Veja as opiniões de outros atletas sobre o caso de Jade Barbosa no iG Esporte
Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 2 de julho de 2012 Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:00

Show de incompetência e teimosia no caso Jade Barbosa

Compartilhe: Twitter

Final infeliz na novela envolvendo Jade Barbosa e CBG. Todos são culpados

Faltam adjetivos para que eu possa definir o resultado do imbróglio que envolveu Jade Barbosa e a direção da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), que começou com a recusa da atleta em assinar um termo de compromisso concordando em usar os patrocinadores da entidade, e que culminou com o corte definitivo de Jade da equipe que irá a Londres 2012, definido nesta segunda-feira.

Por isso, me parece bem apropriado o título deste post para resumir toda esta incrível confusão, que acabará privando a seleção feminina de ginástica artística de sua mais talentosa representante.

Mas que ninguém pense que aqui verá um texto saindo em defesa de Jade, que ela foi injustiçada ou coisa do gênero. Ela (e as pessoas que administram sua carreira) é tão culpada quanto os intransigentes dirigentes da CBG.

A maior prova que Jade estava errada ao não aceitar assinar o tal termo de compromisso foi o próprio recuo da atleta no final da semana passada, quando percebeu a burrada que estava fazendo. Mas se Jade Barbosa ao menos teve o mérito de recuar de uma posição estúpida, a CBG (só pra variar) mostrou ter a habilidade de um elefante numa loja de cristais.

Perde Jade Barbosa, perde a CBG, perde o esporte brasileiro. É muita burrice junta numa frase só!

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 27 de junho de 2012 Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 14:25

Crise entre CBG e Jade Barbosa não é recente

Compartilhe: Twitter

Por desacordo com a CBG, Jade Barbosa não irá aos Jogos de Londres 2012

A notícia que agitou o esporte olímpico nesta quarta-feira, o corte de Jade Barbosa da seleção brasileira feminina de ginástica artística que irá às Olimpíadas de Londres 2012, na verdade é mais um capítulo de uma tumultuada relação que envolve a CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) e a própria atleta. Para ser mais exato, desde o fim das Olimpíadas de Pequim 2008.

Após sua participação nos Jogos na China, Jade e seu pai, César Barbosa, deram entrevistas acusando a direção da CBG na época de ter obrigado a atleta a se preparar para as Olimpíadas com uma séria lesão no pulso direito. Além disso, o pai da atleta na época criticava abertamente a entidade por conta do repasse da ajuda de custo para sua filha.

Uma espécie de “cachimbo da paz” acabou ocorrendo em 2010, quando Jade e CBG entraram em acordo, especialmente por conta de uma divergência entre o patrocinador pessoal da ginasta (banco BMG) e o da entidade (Caixa). Com isso, Jade voltou a ser convocada e até conquistou uma medalha de bronze no Mundial de Roterdã (Hol), em 2010.

A crise que agora culminou com o corte de Jade da equipe que vai para Londres beira o surreal. A ginasta, sabe-se lá por que razão (ela ainda não falou oficialmente sobre o caso), recusou-se a assinar um termo de responsabilidade para o uso do uniforme com as marcas de patrocinadores da seleção. Impossível imaginar que um atleta, a 30 dias de começar uma  edição de Jogos Olímpicos, tome uma atitude como essa.

Em compensação, a CBG também tem sua parcela de culpa. Não se pode deixar uma crise como essa estourar a ponto de ter que cortar uma atleta do nível de Jade Barbosa. Faltou bom senso e habilidade política, coisas que o temperamento explosivo da coordenadora da seleção brasileira, Georgette Vidor, costuma deixar de lado muitas vezes.

O resultado de tudo isso? Prejuízo irreparável para a participação do time feminino de ginástica em Londres.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 19:30

Ginástica feminina do Brasil se classifica pela 3ª vez seguida para as Olimpíadas

Compartilhe: Twitter

Meninas da seleção de ginástica artística comemoram a vaga para Londres 2012

A suada classificação da seleção brasileira feminina de ginástica artística para as Olimpíadas de Londres 2012 serviu para manter uma recente tradição da modalidade em Jogos Olímpicos: esta será a terceira participação consecutiva de uma equipe feminina do Brasil na história olímpica.

A primeira vez que as meninas brasileiras foram às Olimpíadas com uma equipe completa foi nos Jogos de Atenas 2004, repetindo o feito na edição seguinte, em Pequim 2008. Exatamente durante o período de maior sucesso da modalidade no brasil, concidentemente quando a seleção era comandada pelo treinador ucraniano Oleg Ostapenko, um dos melhores técnicos do mundo.

Veja também: Crise na ginástica artística é excesso de #mimimi

Desta vez, havia uma boa dose de dúvida no sucesso das meninas, em razão do fiasco apresentado no Mundial de Tóquio e depois no Pan de Guadalajara, quando um princípio de crise de relacionamento entre as atletas acabou sendo escancarado devido aos maus resultados.

Nesta quarta-feira, graças aos ótimos desempenhos das principais estrelas da equipe – Daniele Hypólito, Daiane dos Santos e Jade Barbosa -, o Brasil garantiu sua equipe feminina de ginástica novamente em uma edição de Jogos Olímpicos. No sufoco, é verdade, mas carimbou o passaporte. O que elas conseguirão em termos de resultado em Londres 2012, é outra história.

Com isso, já são 149 atletas brasileiros classificados para os Jogos de Londres 2012. Confira aqui a relação completa dos classificados.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

terça-feira, 27 de dezembro de 2011 Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 22:44

Revéillon de muito trabalho na ginástica feminina

Compartilhe: Twitter

Daniele Hypólito integra a equipe brasileira que tentará vaga para Londres 2012

Bom, depois de uma folguinha de Natal pra lá de necessária, chegou a hora de tirar a teia de aranha do blog. Mas não são apenas os jornalistas que estão encarando um plantão nestas festas de fim de ano. A seleção brasileira feminina de ginástica artística também passará a virada de ano em plena atividade. Desde a última segunda-feira, as meninas estão na cidade de Ipswich, na Inglaterra, preparando-se para o evento-teste das Olimpíadas de Londres, que servirá como último evento classificatório aos Jogos de 2012.

Estão treinando na Inglaterra Adrian Gomes, Daiane dos Santos, Bruna Leal, Ethiene Franco, Daniele Hypolito, Gabriela Soares, Jade Barbosa e Priscila Cobello. O grupo está treinando juntos desde o dia 1º de dezembro, de olho no torneio-teste, marcado para ocorrer entre os dias 10 e 13 de janeiro na North Greenwich Arena.

Vale lembrar que as quatro equipes mais bem classificadas, entre as oito que participarão do evento-teste, garantem vaga o em Londres 2012. E também é necessário recordar que só por causa da péssima participação brasileira no Mundial do Japão, quando o grupo estava rachado e não conseguiu garantir a classificação, é que as garotas terão que deixar a festa de Revéillon de lado este ano e treinar duro.

Do contrário, os Jogos de Londres só serão acompanhados pelas meninas da ginástica artística brasileira pela televisão.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 11 de novembro de 2011 Imprensa, Olimpíadas, Seleção brasileira | 17:05

Jornal americano prevê recorde de ouros do Brasil em 2012

Compartilhe: Twitter

Everton Lopes foi apontado pelo "USA Today" para ganhar uma medalha de ouro em 2012

O pessoal do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) deve ter comemorado bastante a última projeção que o site do jornal americano “USA Today” fez em relação ao quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem. Nesta mais recente classificação – a lista costuma ser atualizada a cada dois meses, mais ou menos -, os jornalistas do “USA Today” fizeram uma análise bastante favorável ao Brasil, prevendo que a delegação terminará os Jogos de 2012 com oito medalhas de ouro, o que representaria um recorde na participação brasileira olímpica.

O COB, que não costuma fazer projeções de medalhas em Olimpíadas ou mesmo Pan-Americanos, já chegou a declarar, na palavra de seu superintendente Marcus Vinícius Freire, que espera algo em torno de 15 medalhas na campanha de Londres 2012. Mas nesta previsão do ‘USA Today”, o Brasil terminaria os Jogos com 18 medalhas. Além das oito de ouro já citadas, seriam mais quatro de prata e seis de bronze.

Entre os prováveis ganhadores do ouro para o Brasil, indicados pelo jornal americano, estão algumas “barbadas”, como o nadador Cesar Cielo, nos 50 m livre; a dupla Juliana e Larissa, no vôlei de praia; a dupla Robert Scheidt/Bruno Prada, na vela (classe Star);  as duas seleções de vôlei (masculina e feminina); a seleção masculina de futebol; e por fim, no atletismo, Fabiana Murer (salto com vara). A novidade foi a inclusão do boxeador Everton Lopes, que recentemente foi campeão mundial dos meio médio ligeiros.

As demais medalhas brasileiras na lista do “USA Today” seriam as seguintes, de acordo com a última projeção:

Prata: Alison/Emanuel (vôlei de praia); Arthur  Zanetti (ginástica artística/argolas); Sarah Menezes e Leandro Guilheiro (judô)

Bronze: Esquiva Florentino Falcão (boxe); Jade Barbosa (ginástica artística/salto); Rafaela Silva, Leandro Cunha e Mayra Aguiar (judô); e Cesar Cielo (natação/100 m livre)

Ah, detalhe importante: as grandes estrelas individuais do Pan de Guadalajara passarão em branco nas Olimpíadas de Londres, segundo o “USA Today”: Diego Hypólito (4º lugar no solo) e Thiago Pereira (5º lugar nos 400 m medley).

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 29 de outubro de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Pan-Americano, Seleção brasileira | 14:26

Crise na ginástica artística é excesso de #mimimi

Compartilhe: Twitter

Diego Hypólito festeja mais um ouro no Pan. mas todo mundop só fala da briga da mulherada

Tenho que confessar que sou um assumido ignorante em certas coisas que rolam nas chamadas “mídias sociais”, apenas para ficar com uma expressão da moda. O Twitter, que é aquela que eu mais utilizo, até por razões profissionais, popularizou uma expressão engraçada e esquisita ao mesmo tempo, o “mimimi”. Também traduzido por frescura, beicinho, viadagem, como queiram…

Pois bem, analisando os últimos acontecimentos na ginástica artística do Brasil neste Pan-Americano de Guadalajara, podemos dizer com tranquilidade que está sobrando #mimimi na seleção feminina. Por causa delas, deixou-se de dar mais destaque à ótima campanha da equipe masculina, em especial a de Diego Hypólito, dono de três medalhas de ouro (recorde na modalidade num único Pan), e abriu-se espaço para analisar uma crise dos diabos envolvendo Daniele Hypólito, Daiane dos Santos e cia bela.

E o pior é que as trocas de acusações e declarações atravessadas que as ginastas deram nos últimos dias, tendo como pano de fundo um pedido para a retomada da seleção permanente e o retorno do técnico ucraniano Oleg Ostapenko, é apenas reflexo de duas péssimas campanhas do Brasil, tanto no Mundial do Japão como agora no Pan-Americano. Em Tóquio, foi ainda pior, porque as meninas brasileiras perderam a chance de garantir vaga nas Olimpíadas de Londres.

“A maioria não tem coragem de falar os problemas com as outras. As outras são mais quietas e não falam nada. Só que elas falam umas das outras por trás. É difícil assim”, disse Adrian Nunes, uma das integrantes da seleção, e que defende, assim como Daiane, a volta do ucraniano. “Eu prefiro continuar treinando no Flamengo, no Rio”, disse Daniele, a única que deixou o México com medalhas (duas de bronze).

Deve-se separar bem as coisas, antes de tomar partido nesta questão. É inegável o valor que Oleg Ostapenko – que voltou ao Brasil para coordenar o projeto de formação de novas atletas em Curitiba, em parceria com o movimento Live Wright – tem para o desenvolvimento da ginástica artística do brasil. Foi com ele no copmando que as meninas brasileiras começaram a conquistar medalhas em Mundiais e Pan-Americanos, além de ter colocado Daiane dos Santos como uma estrela da modalidade entre 2003 e 2004.

Mas Oleg não é um midas, um messias. Todos se esquecem dos inúmeros problemas de relacionamento dele com suas atletas, que se queixavam de seus métodos de treinamento. Embora a ginástica seja um esporte onde a perfeição só se conquista com muita dose de sacrifício, nada justifica o descaso com que problemas físicos de algumas meninas foram tratados à época.

Além disso, existem um outro probleminha básico: não há renovação na seleção feminina. Enquanto novos talentos estão aparecendo no time masculino, como Arthur Zanetti, prata nas argolas no Mundial, na equipe feminina são os mesmos nomes que carregam o time há anos: Daniele, Daiane e Jade Barbosa, que não foi ao Pan por causa de uma lesão.

Por tudo isso, parece que a frase colhida de Diego Hypólito pelos enviados especiais do iG Esporte a Guadalajara, Marcel Rizzo e Vicente Seda, define com precisão o que é esta “crise” na ginástica feminina. “O que posso falar para as meninas é que elas têm que treinar, só isso. Não adianta falar em seleção permanente, ou treinamento em clube, tem que treinar”, disse Diego.

Em bom português do Twitter, é muito #mimimi.

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 23 de setembro de 2011 Olimpíadas, Pan-Americano, Seleção brasileira | 11:11

Estrela da ginástica artística estará em Guadalajara

Compartilhe: Twitter

A americana Shawn Johnson deve ser a principal estrela da ginástica artística do Pan

Para quem gosta de dizer (entre eles este blogueiro) que o Pan-Americano não atrai mais a atenção das grandes estrelas do esporte mundial, causou surpresa a convocação da seleção americana feminina de ginástica artística para os Jogos de Guadalajara, que começam no próximo dia 14 de outubro.

A principal novidade foi a presença do nome de Shawn Johnson na lista das convocadas. Trata-se simplesmente de uma das estrelas da ginástica mundial, tendo brilhado nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, quando levou uma medalha de ouro (trave) e três de prata (equipe, individual geral e solo). Um ano antes,  ela fora o grande nome da ginástica artística no Pan do Rio, ao ganhar nada menos do quatro medalhas de ouro (equipe, individual geral, barras assimétricas e trave) e uma de prata (solo).

Aos 19 anos, Shawn Johnson está retornando agora às competições, após ficar praticamente um ano parada em razão de uma cirurgia no joelho, lesionado após a ginasta sofrer uma queda esquiando na neve.

Com sua presença confirmada em Guadalajara, Johnson usará o Pan como preparação importante para seu grande objetivo, que é brilhar nas Olimpíadas de Londres, no ano que vem.

Isso significa que Jade Barbosa, Daniela Hypólito, Daiane dos Santos e Cia terão uma bela pedreira pela frente na briga por medalhas em Guadalajara.

Autor: Tags: , , , , , , ,