Publicidade

Posts com a Tag Hugo Hoyama

segunda-feira, 28 de maio de 2012 Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 19:35

Brasil também terá 'reforço externo' em Londres. Vale a pena?

Compartilhe: Twitter

A chinesa naturalizada brasileira Gui Lin, ao lado de seu 'mentor', Hugo Hoyama

E a notícia mais relevante do esporte olímpico do Brasil nesta segunda-feira foi a confirmação da primeira atleta naturalizada do tênis de mesa do Brasil na história dos Jogos Olímpicos. Gui Lin, de 18 anos, teve sua convocação anunciada pela CBTM (Confederação Brasileira de Tênis de Mesa) como uma das integrantes da delegação do país que estará em Londres, a partir de 27 de julho.

Agora, assim como já fizeram Argentina e República Dominicana em outras ocasiões, o Brasil também terá a sua “chinesa” na equipe. No caso de Gui Lin, o objetivo é mais ambicioso: conquistar uma medalha individual nas Olimpíadas do Rio, em 2016. A grande dúvida que pode surgir na cabeça de muita gente: será que esta estratégia vale a pena?

O caso de Gui Lin merece uma análise à parte, sem qualquer traço de preconceito. Traz alguma semelhança com o que ocorreu com a cubana naturalizada britânica Yamila Aldama, que aos 39 anos defenderá a Grã-Bretanha em sua terceira olimpíada por um país diferente, após morar mais de dez anos na ilha da Rainha. E ainda assim enfrentou algumas críticas da imprensa local, irritada com a enorme quantidade de atletas naturalizados, chamados jocosamente de “britânicos de plástico”.

Gui Lin está no Brasil desde os 12 anos,  quando veio participar de um programa de intercâmbio. Passou a treinar em São Bernardo do Campo, onde mora e compete, tendo sido “adotada” esportivamente por Hugo Hoyama. É considerada pelos dirigentes brasileiros da modalidade como dona de um talento excepcional. Daí o esforço da cartolagem em naturalizá-la e já integrá-la na equipe, ao menos da disputa por equipes.  Nesta caso, como o Brasil não tem atletas de nível competitivo, a presença de Gui Lin pode dar um “upgrade” no tênis de mesa do país.

E vale destacar outra coisa: Gui Lin não será a primeira atleta naturalizada que o Brasil já usou em Jogos Olímpicos. Fernando Meligeni, no tênis, e Sebastian Cuattrin, na canoagem, ambos argentinos de nascimento, estiveram representando as cores brasileiras em Olimpíadas. E Londres 2012 poderá marcar a presença do primeiro americano numa seleção masculina de basquete, Larry Taylor, já convocado pelo técnico Rubén Magnano (que por sinal é argentino…)

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 6 de março de 2012 Olimpíadas, Pan-Americano, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 08:31

Hoyama e Caroline, os contrastes do tênis de mesa do Brasil em Londres 2012

Compartilhe: Twitter

Hugo Hoyama e Caroline Kumahara garantiram classificação para Londres

Um desafia os limites do tempo e se torna uma referência de sua modalidade no Brasil, mesmo que graças apenas às glórias efêmeras dos Jogos Pan-Americanos. A outra representa um sopro de renovação no esporte, mas certamente precisará da autorização dos pais para deixar o Brasil rumo a Londres 2012.

Veja quem são os brasileiros já clasificados para as Olimpíadas de 2012

Nesta segunda-feira, durante a Seletiva das Américas, no Rio, o tênis de mesa do Brasil cravou mais dois classificados para as Olimpíadas de Londres. O veteraníssimo Hugo Hoyama, de 42 anos, igualou uma marca do velejador Torben Grael e participará de sua sexta (será que última?) edição dos Jogos. Com 99% de certeza, não voltará para casa com uma medalha, mas é preciso tirar o chapéu para a obstinação e amor ao esporte que Hoyama demonstra.

Leia também: Missão cumprida para Hoyama. Será?

Já a classificação de Caroline Kumahara representa uma aposta para os Jogos Olímpicos de 2016, que serão realizados no Rio de Janeiro. A ainda adolescente Caroline nem sabia que seria selecionada para participar da Seletiva e passou por momentos de tensão nos últimos dias. Precoce, começou a brilhar no tênis de mesa há apenas quatro anos, quando tornou-se líder do ranking infantil e passou a integrar a seleção brasileira.

Nesta terça-feira, encerra-se a Seletiva das Américas no tênis de mesa e mais dois brasileiros brigam por classificação, ao menos para a disputa por equipe: Cazuo Matsumoto e Jessica Yamada. Ambos, porém, não poderão disputar o torneio individual caso conquistem a vaga, pois há a limitação de dois atletas por país, restando somente a eles participar do torneio por equipes.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

domingo, 4 de março de 2012 Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 21:55

Brasil já tem duas vagas no tênis de mesa em Londres 2012

Compartilhe: Twitter

Gustavo Tsuboi garantiu sua vaga ao derrotar o cubano Jorge Campos na seletiva do Rio

O primeiro dia das Seletivas Latino-Americanas do tênis de mesa para as Olimpíadas de Londres 2012, que estão sendo realizadas no Rio de Janeiro, renderam ao Brasil dois classificados neste domingo. No masculino, Gustavo Tsuboi assegurou sua vaga ao vencer o cubano Jorge Campos, na semifinal. Já no feminino, a experiente Lígia Silva superou a dominicana naturalizada Lian Qian e também carimbou seu passaporte.

Tsuboi – que na decisão da primeira seletiva acabou derrotado pelo dominicano naturalizado Ju Lin – é o número um do ranking brasileiro há alguns anos e terá sua segunda partipação olímpica em Londres 2012, repetindo o feito de quatro anos atrás, quando esteve em Pequim 2008.

Veja quem são os brasileiros classificados para os Jogos Olímpicos de Londres 2012

A classificação de Lígia da Silva foi ainda mais especial. Primeira mulher do país a participar das Olimpíadas, em Sydney 2000, Lígia, de 30 anos, disputará os Jogos pela terceira vez (esteve ainda em Atenas 2004). Natural de Manaus (AM), Lígia costuma brincar que se considera uma “japonesa falsa”, por causa de sua estatura (1,62 m), tática e temperamento. Na decisão da seletiva, Lígia ficou com o título, ao derrotar a colombiana Paula Medina, que também estava classificada.

Mas o tênis de mesa do Brasil ainda tem possibilidade de aumentar a lista de classificados para as Olimpíadas. Nesta segunda e terca-feiras, serão realizados mais dois torneios. Assim, o veteraníssimo Hugo Hoyama, Cazuo Matsumoto, Caroline Kumahara e Jessica Yamada ainda têm chances.

leia também: O “interminável” Hugo Hoyama desafia até robô

Todos os mesatenistas derrotados neste domingo poderão jogar nesta segunda e, se não conseguirem a vaga, terão uma última chance na terça. Na segunda-feira, estarão em jogo duas vagas no masculino e feminino, e na terça-feira, duas no feminino e somente uma no masculino.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012 Ídolos, Isso é Brasil, Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 16:01

O “interminável” Hugo Hoyama desafia até robô

Compartilhe: Twitter

Em busca de sua sexta participação em Olimpíadas, após ter sua convocação confirmada na seleção brasileira que disputará o Pré-Olímpico e o Campeonato Latino-Americano de tênis de mesa, marcado para o mês de março, no Rio de Janeiro, o “interminável” Hugo Hoyama, de 42 anos, não perde uma oportunidade para fazer o seu comercial.

Veja também: Brasil define equipe para Pré-Olímpico de tênis de mesa

Na última quarta-feira, o veterano mesa-tenista fez uma aparição na Campus Party, encontro de tecnologia e cultura digital que está sendo realizada em São Paulo. E chegou para encarar um desafio no mínimo inusitado: participar de uma demonstração jogando contra uma máquina, o RoboPong. A engenhoca é usada em treinamentos, disparando bolas em várias opções de velocidade e freqüência, mandando inclusive bolas com efeito. Máquina semelhante existe há anos no tênis.

Ah, para quem está curioso com o desempenho de Hoyama no desafio: ele devolveu com perfeição praticamente todas as bolas lançadas pela máquina.

Confira abaixo duas imagens do “clássico” entre Hugo Hoyama e o RoboPong:

O "RoboPong" é uma máquina usada em treinamentos de tênis de mesa

Hoyama, que busca vaga em Londres 2012, durante o desafio contra a máquina

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 19 de outubro de 2011 Com a palavra, Ídolos, Pan-Americano, Seleção brasileira | 13:26

Thiago Pereira e o preço do marketing do recorde

Compartilhe: Twitter

Thiago Pereira, extenuado após a prova dos 200 m peito em Guadalajara

“Está doendo pra c… Fui no limite”



Frase de Thiago Pereira, captada pelo repórter Marcel Rizzo, enviado especial do iG Esporte aos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, logo após ficar com o bronze na prova dos 200 m peito, foi significativa.

Quando um cara de 25 anos reclama das dores no corpo e avisa que não pretende mais repetir a maratona a qual vem se submetendo neste Pan, disputando quase uma dezena de provas, mostra que alguma coisa está errada. E muito disso ocorre pela corrida em busca do “recorde” de ganhador de medalhas individuais em Pan-Americanos, que provavelmente deverá ser obtido nesta quarta pelo próprio Pereira, que nadará duas provas – 200 m medley e revezamento 4 x 200 m livre.

É claro que não há nada de errado em querer ganhar. Isso é algo básico para qualquer atleta. Além disso, a disputa particular entre Pereira e Hugo Hoyama (atual recordista individual com dez ouros) acaba servindo de combustível para fazer aumentar o interesse do público no próprio Pan. O problema é quando isso se torna uma ferramenta de marketing.

Ou muito me engano, mas dificilmente Cesar Cielo, apenas para ficar com um exemplo brasileiro, gostaria de ser chamado de “Mr. Pan” por TVs e jornais. O cara tem que buscar marcar seu nome na história do esportes em Olimpíadas, Mundiais…Thiago Pereira, que é um ótimo nadador, já se deixou levar por esta armadilha no Pan do Rio, em 2007, e depois acabou amargando com as críticas após o fraco desempenho nas Olimpíadas de Pequim, no ano seguinte.

Tomara que nesta quarta-feira, finalmente Thiago Pereira consiga este maldito recorde, que só serve mesmo para nós, jornalistas, arranjarmos chamadas mais interessantes nas manchetes de sites, jornais, TVs etc. E faça o que sabe melhor: nadar. Sem dar bola para o marketing.

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 17 de outubro de 2011 Ídolos, Pan-Americano, Seleção brasileira | 21:24

Missão cumprida para Hoyama. Será?

Compartilhe: Twitter

Hugo Hoyama comemora ponta na final por equipes, contra a Argentina

Cada vez mais está provado que Hugo Hoyama tem tudo a ver com os Jogos Pan-Americanos. Ninguém consegue conquistar dez medalhas de ouro ao longo de sete edições do evento, como o mesatenista fez, aumentando esta coleção ao ganhar o título por equipes, ao lado de Gustavo Tsuboi e Thiago Monteiro.

Agora, engana-se quem achar que este ouro significou o seu adeus das competições.  “Se aparecer alguém melhor do que eu, entrego a raquete na boa. Mas, enquanto eu estiver bem fisicamente continuarei treinando para 2015”.

Vai longe o samarai highlander, hein?

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 12 de outubro de 2011 Almanaque, Ídolos, Pan-Americano, Seleção brasileira | 23:03

Hugo Hoyama, o samurai highlander

Compartilhe: Twitter

O mesa-tenista Hugo Hoyama, que foi homenageado pelo COB e será o porta-bandeira do Brasil

Bacana a homenagem prestada pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro) ao interminável mesa-tenista brasileiro Hugo Hoyama, anunciado nesta quarta-feira como o porta-bandeira da delegação do Brasil no desfile de abertura dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, que começam nesta sexta-feira.

Se não conseguiu alcançar um patamar mais importante ao longo de sua carreira em termos olímpicos, é no Pan-Americano que Hoyama tornou-se uma figura marcante. Aos 42 anos, o atleta paulista é simplesmente o maior ganhador de medalhas de ouro na história do Brasil na competição (nove), nas modalidades individual, duplas e equipe.

Além disso, caminha para igualar mais uma marca importante: completará sua sétima participação no Pan, repetindo o feito do atirador Durval Guimarães, que participou entre 1963 e 95. A diferença é que Hoyama caminha para seu sétimo Pan consecutivo. Definitivamente, não é para qualquer um.

Não sei se Hugo Hoyama se inspira no famoso personagem Connor MacLeod, interpretado no cinema por Christopher Lambert no filme “Highlander”, um guerreiro escocês que se torna imortal desde 1536, quando foi ferido numa batalha, mas ressuscitou.  O risco é se Hoyama se animar com esta história e tentar emplacar sua presença também no Pan de Toronto, nos Jogos de 2015. Vai complicar a vida da turma que atualiza o media guide do COB…

Autor: Tags: , , , , , , ,