Publicidade

Posts com a Tag Guadalajara 2011

sábado, 7 de janeiro de 2012 Almanaque, Olimpíadas | 08:01

Advogado faz o Haiti sonhar com medalha em Londres

Compartilhe: Twitter

O haitiano Samyr Laine sonha em dar uma medalha ao Haiti em Londres 2012

Você sabe quantas medalhas o Haiti, um dos países mais miseráveis do mundo, conquistou na história dos Jogos Olímpicos? Duas míseras medalhinhas, uma de prata em Amsterdã-1928 e uma de bronze em Paris-1924. Este jejum olímpico, contudo, não é nada comparado ao dramático estado de desolação que assola o país, especialmente após o terrível terremoto de 2010.

Mas se nada indica que a situação na pequena ilha da América Central irá mudar em curto prazo, há uma pequena esperança de que pelo menos uma medalha olímpica volte a ser conquistada pelo país nos Jogos de Londres 2012. E o responsável por alimentar este sonho é o advogado Samyr Laine, de 27 anos, que compete no salto triplo.

Filho de pais haitianos e criado em Nova York, Laine poderia perfeitamente ter optado pela cidadania americana quando começou a participar de competições, nas Universidades de Harvard e do Texas, onde cursava direito. Mas preferiu defender a terra natal dos pais. “Eu me sinto como um embaixador do Haiti. Usar aquele uniforme azul e vermelho é algo que faço com muito prazer”, disse Laine à BBC.

Por enquanto, a melhor coisa que Samyr Laine tem feito dentro das pistas é a parte de relações públicas. No último Campeonato Mundial de Daegu, na Coreia do Sul, Laine ficou apenas em 10º lugar, saltando 16,38 m. Nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, melhorou somente um centímetro e ficou em um modesto quinto lugar. Resultados muito distantes dos 17m39 alcançados em uma prova em Bogotá (Colômbia), em 2009.

O currículo modesto não impede o haitiano de sonhar com um bom resultado nas Olimpíadas de Londres. “Sinto que tenho condições de fazer algum barulho por lá. Não importa se for como finalista, terminando entre os cinco primeiros ou saltando o mais longe que puder, suficiente para chamar a atenção de todos. Sinto que Londres será marcante para a história do atletismo do Haiti”, explicou Laine à BBC.

Sonhar, definitivamente, não faz mal a ninguém.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011 Imprensa, Listas, Mundiais, Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 21:00

Conheça a equipe do Brasil para Londres 2012

Compartilhe: Twitter

Até há pouco tempo, a coisa era fácil de administrar: num mês, era uma equipe que se classificava em um Pré-Olímpico. No mês seguinte, era um outro atleta, que garantia a vaga no Campeonato Mundial de sua modalidade. Só que nas últimas semanas, especialmente após os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, a coisa passou a ficar incontrolável. Era um tal de ter brasileiro garantindo classificação para as Olimpíadas de Londres 2012 a toda hora que resolvi colocar ordem na casa!

A partir de agora, até para facilitar a vida do blogueiro e também do internauta, além de auxiliar a leitura de outros posts, foi criada uma página especial no blog, localizada aqui na barra lateral direita, chamada “Rumo a Londres 2012“. Clicando nela, você pode conhecer toda a delegação do Brasil para as Olimpíadas do ano que vem sendo atualizada constantemente, tão logo os atletas e/ou equipes consigam a classificação.

Hoje, são 127 atletas classificados. A vaga mais recente foi assegurada no Mundial de Vela, que está sendo realizado em Perth (Austrália), graças a Jorge Zarif, que garantiu a vaga na classe Finn.

O velejador Jorge Zarif assegurou uma vaga para o Brasil na classe Finn nos Jogos de Londres 2012

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 30 de novembro de 2011 Olimpíadas, Pan-Americano, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 22:15

Prata do handebol masculino no Pan 2011 pode custar emprego de treinador espanhol

Compartilhe: Twitter

Jogador brasileiro Bruno Santana lamenta e argentinos festejam na final do Pan de Guadalajara

Ainda não foi totalmente digerida a derrota da seleção brasileira masculina na final do torneio de handebol dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara para a Argentina. Na ocasião, o time brasileiro perdeu por 26 a 23 e além de deixar escapar a conquista do tricampeonato pan-americano, a equipe desperdiçou a melhor chance de se classificar para as Olimpíadas de Londres 2012.

Agora, a última chance do Brasil será disputar um Pré-Olímpico mundial, possivelmente contra fortes equipes europeias que ficarem sem a vaga no Campeonato Europeu, que será realizado em janeiro do próximo ano.

O fato é que dentro da CBHb (Confederação Brasileira de Handebol), a prata do Pan de Guadalajara foi considerada desastrosa. “Eu não escondo de ninguém que estou profundamente decepcionado com o resultado da seleção masculina. Fizemos a melhor preparação da nossa história e deixamos escapar a medalha de ouro e a vaga olímpica”, lamenta Manoel Luiz Oliveira, presidente da CBHb.

Quem convive de perto com o dirigente diz que ele ficou irritadíssimo com a derrota para os argentinos e vem promovendo um rigoroso processo de avaliação do trabalho executado tanto pelos jogadores como pelo treinador espanhol Javier Garcia Cuesta. Embora o técnico conte com bastante prestígio na entidade, não existe 100% de certeza que ele será o comandante brasileiro na disputa do Pré-Olímpico.

“Vamos analisar tudo com muita calma, ver todos os fatores que nos levaram a perder aquela medalha de ouro. Nosso treinador é extremamente competente e com um belo currículo no handebol mundial, mas se chegarmos à conclusão que precisamos fazer mudanças, faremos”, avisou Oliveira.

Como diria um amigo meu, a paella de Garcia Cuesta está cozinhando em fogo altíssimo.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 18 de novembro de 2011 Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 23:17

Natália Falavigna é a última esperança do Brasil no Pré-Olímpico do taekwondo

Compartilhe: Twitter

Márcio Wenceslau foi derrotado pelo mexicano Damian Villa na disputa do bronze em sua categoria

O taekwondo do Brasil realmente não passa por uma boa temporada. Após uma pífia participação nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, quando voltou com apenas uma medalha de bronze, nesta sexta-feira, a seleção brasileira que disputa o Pré-Olímpico das Américas, em Queretaro (México) amargou duas derrotas, que custaram a possibilidade de classificar para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem. Agora, as esperanças estão concentradas em Natália Falavigna, bronze nos Jogos de Pequim 2008, que competirá no domingo.

Marcio Wenceslau, dono do bronze solitário no Pan, há menos de um mês, perdeu a disputa do terceiro lugar para o mexicano Damian Villa, que já o havia derrotado no Pan. Como os três primeiros garantiam a vaga, Wenceslau está fora das Olimpíadas. A outra eliminada do dia foi Kátia Arakaki, na categoria até 49 kg, derrotada nas quartas de final pela guatemalteca Elizabeth Gordillo.

Esperava-se mais dos brasileiros, especialmente de Márcio Wenceslau. Segundo o lutador Diogo Silva, já classificado para Londres 2012, que descreveu a luta  por sua conta no Twitter, o brasileiro liderava a luta por 6 a 4 e quando faltava três segundos para o final, o mexicano teria chutado em direção ao rosto de Wenceslau, mas o golpe não teria acertado. Mesmo assim, os árbitros deram o ponto para Villa, que também superou o brasileiro em Guadalajara com uma arbitragem polêmica.

Como eu não vi a luta, não vou cravar aqui que Wenceslau foi ou não garfado. Possivelmente foi mesmo, afinal disputava a vaga derradeira em sua categoria com um mexicano, em pleno México. O mais importante é ressaltar que provavelmente o único brasileiro que estará em Londres representando o taekwondo nacional será mesmo Diogo Silva.

Afinal, como já foi comentado por aqui, Natália Falavigna, da categoria acima de 67 kg, ficou mais de um ano parada, em virtude de cirurgias no joelho. Mesmo se tratando de uma atleta de alto nível, precisará se superar para carimbar seu passaporte, pois está longe de sua melhor forma.

Os cartolas do taekwondo brasileiro precisam fazer uma profunda análise do que acontece na modalidade no país, diante do fraco desempenho apresentado nesta temporada.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 10 de novembro de 2011 Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 21:49

Taekwondo brasileiro tenta última chance para Londres

Compartilhe: Twitter

Márcio Wenceslau (à esq.), vai ao México com boas chances de garantir sua vaga olímpica

Após uma participação decepcionante nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, onde conquistou somente uma medalha de bronze, graças a Márcio Wenceslau, na categoria até 58 kg, o taekwondo brasileiro tenta evitar um prejuízo ainda maior nesta temporada. E aposta suas fichas no Pré-Olímpico das Américas que será realizado entre 18 e 20 deste mês, na cidade de Queretaro, no México. Será a última chance para os brasileiros garantirem vaga nas Olimpíadas de Londres 2012.

O Brasil já tem um lutador previamente classificado. Diogo Silva, na categoria até 68 kg, assegurou sua classificação ao ficar com a medalha de bronze no Pré-Olímpico mundial, realizado no final de junho, em Baku (Azerbaijão). Mas até por conta dos investimentos que a modalidade vem recebendo – o taekwondo foi uma das cinco modalidades escolhidas para receber apoio financeiro da Petrobras, sem contar o dinheiro recebido da Lei Agnelo/Piva -, é esperado que mais lutadores brasileiros assegurem presença nos Jogos de Londres.

Para o Pré-Olímpico de Queretaro, participarão três atletas: o próprio Wenceslau, Kátia Arakaki (até 49 kg) e Natália Falavigna (acima de 67 kg). Enquanto Natália, que se recupera de um longo período de inatividade, em virtude de uma cirurgia, faz sua preparação nos EUA, Wenceslau e Katia integram um camping de treinamento promovido pela CBTKD (Confederação Brasileira de Taewkondo), no Rio, que se encerra neste sábado, e que conta com a presença de alguns integrantes da seleção brasileira, além de atletas de França e Argélia.

Marcio Wenceslau, até por seu desempenho em Guadalajara, aparece com boas chances de se classificar. Mesmo ainda longe de sua forma ideal, Natalia Falavigna chega com o status de ter sido medalhista de bronze em Pequim 2008. A missão mais dura parece ser a de Kátia Arakaki. Espera-se, no mínimo, que dois deles voltem do México com o passaporte carimbado para Londres 2012.

Qualquer resultado abaixo disso será encarado como um retrocesso.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quarta-feira, 2 de novembro de 2011 Com a palavra, Ídolos, Imprensa, Isso é Brasil, Olimpíadas, Pan-Americano | 20:58

Recado para os que adoram detonar o esporte de Cuba…

Compartilhe: Twitter

O cubano Omar Cisneros, ouro nos 400 m com barreira nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara: o objetivo do esporte cubano não é ganhar medalhas

Sempre que termina um evento esportivo como Jogos Olímpicos ou Pan-Americanos, a “pachecada de direita” – uma sub-divisão da famosa turma que reúne os torcedores fanáticos pelo Brasil-sil-sil e que também não suportam uma visão progressista do mundo – adora detornar Cuba. “Ah, eles estão em decadência”, dizem uns. “De que adiante ter medalha se vivem debaixo de uma ditadura sangrenta”, gritam outros. “Quero ver em Londres como eles vão se sair”, provocam mais alguns.

Sem entrar no mérito da questão de como Fidel Castro e seus amigos controlam as coisas lá na ilha, não há como negar o sucesso da política esportiva de Cuba. E não se trata de algo que começou do dia pra noite e sim fruto de uma visão a longo prazo, e que começou a ser tratada assim que Fidel chegou ao poder, em 1959.

Para esta turma que adora detonar o regime de Cuba e torcem para seu fiasco olímpico, achando que o Brasil está pronto para ocupar seu lugar como segunda potência esportiva das Américas, deixo estas palavras de Alberto Juantorena, ex-campeão olímpico dos 400 e 800 m nas Olimpíadas de Montreal 1976, para reflexão da pachecada.

“O mais importante para nós não são as medalhas, mas o ser humano e o melhoramento da qualidade de vida e que o esporte possa ser algo importante na educação das novas gerações de cubanos”

*Trecho acima extraído de post do ótimo blog do jornalista José Cruz

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 31 de outubro de 2011 Listas, Olimpíadas, Seleção brasileira | 21:51

Os brasileiros classificados para Londres 2012

Compartilhe: Twitter

Gregolry Panizo em ação, na prova de ciclismo de estrada no Pan de Guadalajara

Atualizado em 31/10/2011

Apesar dos resultados pífios nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, o ciclismo brasileiro ampliou para 104 o número de atletas brasileiros já garantidos nos  Jogos Olímpicos de Londres do ano que vem. Depois de ter passado em branco no México, o ciclismo nacional recebeu uma bela notícia nesta segunda-feira, com a confirmação da UCI (União Ciclística Internacional) que o país havia assegurado mais dois atletas na prova de estrada masculino, além da vaga que já estava garantida desde o último mês de maio. O motivo foi o fato do Brasil ter terminado em terceiro lugar no ranking das Américas em 2011, atrás somente da Colômbia e Venezuela.

Total de atletas brasileiros garantidos para Londres 2012: 104

Basquete

Modalidade masculino (12 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 10/09/2011, com a vitória da seleção brasileira sobre a República Dominicana, por 83 a 76, nas semifinais do Torneio Pré-Olímpico de Mar del Plata

Modalidade feminino (12 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/10/2011, com a vitória da seleção brasileira sobre a Argentina por 74 a 33 na decisão do Torneio Pré-Olímpico de Neiva

Boxe

Everton Lopes – categoria até 64 kg (meio médio ligeiro)
Data e local em que garantiu a vaga: 4/10/2011, com a vitória sobre Anthony Yigit (SUE), pelas oitavas de final do Mundial do Azerbaijão

Esquiva Florentino – categoria até 75 kg (médio)
Data e local em que garantiu a vaga: 4/10/2011, com a vitória sobre Anthony Ogog (ING), pelas oitavas de final do Mundial do Azerbaijão

Robson Conceição – categoria até 60 kg (leve)
Data e local em que garantiu a vaga: 7/10/2011, classificado na repescagem com a vitória do ucraniano Vitaly Lomachenko sobre o italiano Domenico Valentino, pelas semifinais do Mundial do Azerbaijão

Canoagem

Erlon Silva e Ronilson Oliveira – C2 1000 m
Data e local em que garantiu a vaga: 28/10/2011, com a medalha de prata obtida nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Ciclismo

Modalidade Estrada (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 8/05/2011, com a vitória de Gregolry Panizo no Campeonato Pan-Americano de ciclismo, em Antioquia (Colômbia)

Modalidade Estrada (2 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 31/10/2011, com a confirmação da UCI que o Brasil terminou em terceiro lugar no ranking das Américas, classificando mais dois ciclistas

Futebol

Modalidade feminino (18 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 21/11/2010, ao vencer o Chile na decisão do Campeonato Sul-Americano do Equador

Modalidade masculino (18 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 13/02/2011, ao vencer o Uruguai na rodada final do Campeonato Sul-Americano do Peru

Ginástica artística

Diego Hypólito – Solo
Data e local em que garantiu a vaga: 15/10/2011, ao conquistar a medalha de bronze no Campeonato Mundial de ginástica artística, em Tóquio (Japão)

Arthur Zanetti – Argola
Data e local em que garantiu a vaga: 15/10/2011, ao conquistar a medalha de prata no Campeonato Mundial de ginástica artística, em Tóquio (Japão)

Handebol

Modalidade feminino (14 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 24/10/2010, ao ficar com a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Hipismo

Modalidade saltos – Equipe (5 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 6/10/2010, ao ficar em quarto lugar durante o Mundial de Kentucky (EUA)

Modalidade Concurso Completo de Equitação – Equipe (5 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 23/10/2011, ao ficar com a medalha de bronze da prova dor equipes do CCE nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Maratona aquática

Prova dos 10km feminino (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 19/07/2011, com o sexto lugar de Poliana Okimoto no Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai (China)

Natação

Revezamento 4 x100m livre (4 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 24/07/2011, com o 9º lugar da equipe masculina, formada por Bruno Fratus, Nicolas Oliveira, Marcos Macedo e Marcelo Chierighini, no Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai (China)

Pentatlo moderno

Yane Marques – prova feminina
Data e local em que garantiu a vaga: 15/10/2011, com a medalha de prata de Yana Marques nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara

Taekwondo

Diogo Silva – categoria até 68kg
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/07/2011, ao ficar com a medalha de bronze no Pré-Olímpico de Baku, no Azerbaijão

Tiro esportivo

Modalidade Pistola 25m feminino – Ana Luiza Mello
Data e local em que garantiu a vaga: 20/11/2010, ao conquistar a medalha de ouro no Campeonato das Américas, no Rio de Janeiro

Modalidade Fossa Olímpica Double – Felipe Fuzaro
Data e local em que garantiu a vaga: 24/11/2010, ao conquistar a medalha de ouro no Campeonato das Américas, no Rio de Janeiro

Triatlo

Modalidade masculina – 1 atleta
Data e local em que garantiu a vaga: 23/10/2011, com a medalha de ouro de Reinaldo Colucci nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 30 de outubro de 2011 Isso é Brasil, Pan-Americano, Seleção brasileira | 22:12

Análise do COB sobre o Pan 2011 traz uma meia-verdade

Compartilhe: Twitter

Marcus Vinícius Freire, superintendente do COB, na coletiva de balanço do Pan 2011

Contra números não há argumentos, dizem por aí. E o que ficará registrado nos livros das estatísticas dos Jogos Pan-Americanos é que o  Brasil realizou em Guadalajara sua melhor campanha, sem levar em conta a competição realizada no Rio de Janeiro, em 2007, quando o fato de ser a sede do evento traz inúmeras vantagens (logísticas, torcida e até arbitragem) ao anfitrião.  As 48 medalhas de ouro (e 141 no total) deixaram o Brasil na terceira colocação no quadro final de medalhas, atrás somente de EUA e Cuba, assegurando aos brasileiros a condição de terceira força esportiva nas Américas. Ao menos em Pan-Americanos.

Até aí, tudo bem. O problema começa quando os dirigentes do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) pegam estes mesmos números e começam a fazer interpretações, digamos, mais generosas do que deveriam fazer. Foi o que fez o superintendente executivo de esportes da entidade, Marcus Vinícius Freire, neste domingo, na tradicional coletiva que o COB realiza sempre após Olimpíadas e Pans, para fazer um balanço da participação brasileira.

E quando comemorava o fato do Brasil ter feito seu melhor Pan-Americano fora de casa, disparou a seguinte frase, apontando para um gráfico preparado especialmente para a coletiva. “Tivemos o melhor resultado em Jogos Pan-Americanos fora de casa e consolidamos nosso patamar de Top 3 nas Américas, o que está completamente dentro da expectativa. Cuba está em uma tendência de queda”, afirmou Freire.

Trata-se de uma meia-verdade, no meu ponto de vista. A apresentação do COB também colocava o Canadá numa curva descendente em termos de conquista de medalhas, comparando Santo Domingo 2003, Rio 2007 e Guadalajara 2011. Mas não foi  dito por nenhum dirigente do COB que Cuba admitiu publicamente que enviaria menos atletas a Guadalajara, seja por questões econômicas, seja para realizar uma melhor preparação visando as Olimpíadas de Londres, no ano que vem. Da mesma forma, o Canadá também não apresentou-se com sua força máxima em várias modalidades.

Deve-se exaltar sim a boa participação do Brasil, como a realizada em Guadalajara, mas sem se deixar  enganar por resultados superdimensionados que um Pan-Americano pode trazer.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sábado, 29 de outubro de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Pan-Americano, Seleção brasileira | 14:26

Crise na ginástica artística é excesso de #mimimi

Compartilhe: Twitter

Diego Hypólito festeja mais um ouro no Pan. mas todo mundop só fala da briga da mulherada

Tenho que confessar que sou um assumido ignorante em certas coisas que rolam nas chamadas “mídias sociais”, apenas para ficar com uma expressão da moda. O Twitter, que é aquela que eu mais utilizo, até por razões profissionais, popularizou uma expressão engraçada e esquisita ao mesmo tempo, o “mimimi”. Também traduzido por frescura, beicinho, viadagem, como queiram…

Pois bem, analisando os últimos acontecimentos na ginástica artística do Brasil neste Pan-Americano de Guadalajara, podemos dizer com tranquilidade que está sobrando #mimimi na seleção feminina. Por causa delas, deixou-se de dar mais destaque à ótima campanha da equipe masculina, em especial a de Diego Hypólito, dono de três medalhas de ouro (recorde na modalidade num único Pan), e abriu-se espaço para analisar uma crise dos diabos envolvendo Daniele Hypólito, Daiane dos Santos e cia bela.

E o pior é que as trocas de acusações e declarações atravessadas que as ginastas deram nos últimos dias, tendo como pano de fundo um pedido para a retomada da seleção permanente e o retorno do técnico ucraniano Oleg Ostapenko, é apenas reflexo de duas péssimas campanhas do Brasil, tanto no Mundial do Japão como agora no Pan-Americano. Em Tóquio, foi ainda pior, porque as meninas brasileiras perderam a chance de garantir vaga nas Olimpíadas de Londres.

“A maioria não tem coragem de falar os problemas com as outras. As outras são mais quietas e não falam nada. Só que elas falam umas das outras por trás. É difícil assim”, disse Adrian Nunes, uma das integrantes da seleção, e que defende, assim como Daiane, a volta do ucraniano. “Eu prefiro continuar treinando no Flamengo, no Rio”, disse Daniele, a única que deixou o México com medalhas (duas de bronze).

Deve-se separar bem as coisas, antes de tomar partido nesta questão. É inegável o valor que Oleg Ostapenko – que voltou ao Brasil para coordenar o projeto de formação de novas atletas em Curitiba, em parceria com o movimento Live Wright – tem para o desenvolvimento da ginástica artística do brasil. Foi com ele no copmando que as meninas brasileiras começaram a conquistar medalhas em Mundiais e Pan-Americanos, além de ter colocado Daiane dos Santos como uma estrela da modalidade entre 2003 e 2004.

Mas Oleg não é um midas, um messias. Todos se esquecem dos inúmeros problemas de relacionamento dele com suas atletas, que se queixavam de seus métodos de treinamento. Embora a ginástica seja um esporte onde a perfeição só se conquista com muita dose de sacrifício, nada justifica o descaso com que problemas físicos de algumas meninas foram tratados à época.

Além disso, existem um outro probleminha básico: não há renovação na seleção feminina. Enquanto novos talentos estão aparecendo no time masculino, como Arthur Zanetti, prata nas argolas no Mundial, na equipe feminina são os mesmos nomes que carregam o time há anos: Daniele, Daiane e Jade Barbosa, que não foi ao Pan por causa de uma lesão.

Por tudo isso, parece que a frase colhida de Diego Hypólito pelos enviados especiais do iG Esporte a Guadalajara, Marcel Rizzo e Vicente Seda, define com precisão o que é esta “crise” na ginástica feminina. “O que posso falar para as meninas é que elas têm que treinar, só isso. Não adianta falar em seleção permanente, ou treinamento em clube, tem que treinar”, disse Diego.

Em bom português do Twitter, é muito #mimimi.

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 28 de outubro de 2011 Listas, Olimpíadas, Seleção brasileira | 15:34

Os brasileiros classificados para Londres 2012

Compartilhe: Twitter

Erlon Silva e Ronilson Oliveira comemoram a medalha de prata e a vaga olímpica

Atualizado em 28/10/2011

A delegação brasileira que vai aos Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem, alcançou nesta sexta-feira o total de 102 atletas. Isso graças à canoagem, com a conquista da medalha de prata na prova do C2 1000 m, pelos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Os canoístas Erlon Silva e Ronílson Oliveira ficaram em segundo lugar na prova, atrás dos cubanos Karel Aguilar e Serguey Torres.  Como os cubanos já tinham assegurado a vaga anteriormente no Mundial, os brasileiros carimbaram o passaporte olímpico.

Total de atletas brasileiros garantidos para Londres 2012: 102

Basquete

Modalidade masculino (12 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 10/09/2011, com a vitória da seleção brasileira sobre a República Dominicana, por 83 a 76, nas semifinais do Torneio Pré-Olímpico de Mar del Plata

Modalidade feminino (12 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/10/2011, com a vitória da seleção brasileira sobre a Argentina por 74 a 33 na decisão do Torneio Pré-Olímpico de Neiva

Boxe

Everton Lopes – categoria até 64 kg (meio médio ligeiro)
Data e local em que garantiu a vaga: 4/10/2011, com a vitória sobre Anthony Yigit (SUE), pelas oitavas de final do Mundial do Azerbaijão

Esquiva Florentino – categoria até 75 kg (médio)
Data e local em que garantiu a vaga: 4/10/2011, com a vitória sobre Anthony Ogog (ING), pelas oitavas de final do Mundial do Azerbaijão

Robson Conceição – categoria até 60 kg (leve)
Data e local em que garantiu a vaga: 7/10/2011, classificado na repescagem com a vitória do ucraniano Vitaly Lomachenko sobre o italiano Domenico Valentino, pelas semifinais do Mundial do Azerbaijão

Canoagem

Erlon Silva e Ronilson Oliveira – C2 1000 m
Data e local em que garantiu a vaga: 28/10/2011, com a medalha de prata obtida nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Ciclismo

Modalidade Estrada (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 8/05/2011, com a vitória de Gregolry Panizo no Campeonato Pan-Americano de ciclismo, em Antioquia (Colômbia)

Futebol

Modalidade feminino (18 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 21/11/2010, ao vencer o Chile na decisão do Campeonato Sul-Americano do Equador

Modalidade masculino (18 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 13/02/2011, ao vencer o Uruguai na rodada final do Campeonato Sul-Americano do Peru

Ginástica artística

Diego Hypólito – Solo
Data e local em que garantiu a vaga: 15/10/2011, ao conquistar a medalha de bronze no Campeonato Mundial de ginástica artística, em Tóquio (Japão)

Arthur Zanetti – Argola
Data e local em que garantiu a vaga: 15/10/2011, ao conquistar a medalha de prata no Campeonato Mundial de ginástica artística, em Tóquio (Japão)

Handebol

Modalidade feminino (14 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 24/10/2010, ao ficar com a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Hipismo

Modalidade saltos – Equipe (5 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 6/10/2010, ao ficar em quarto lugar durante o Mundial de Kentucky (EUA)

Modalidade Concurso Completo de Equitação – Equipe (5 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 23/10/2011, ao ficar com a medalha de bronze da prova dor equipes do CCE nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Maratona aquática

Prova dos 10km feminino (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 19/07/2011, com o sexto lugar de Poliana Okimoto no Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai (China)

Natação

Revezamento 4 x100m livre (4 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 24/07/2011, com o 9º lugar da equipe masculina, formada por Bruno Fratus, Nicolas Oliveira, Marcos Macedo e Marcelo Chierighini, no Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai (China)

Pentatlo moderno

Yane Marques – prova feminina
Data e local em que garantiu a vaga: 15/10/2011, com a medalha de prata de Yana Marques nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara

Taekwondo

Diogo Silva – categoria até 68kg
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/07/2011, ao ficar com a medalha de bronze no Pré-Olímpico de Baku, no Azerbaijão

Tiro esportivo

Modalidade Pistola 25m feminino – Ana Luiza Mello
Data e local em que garantiu a vaga: 20/11/2010, ao conquistar a medalha de ouro no Campeonato das Américas, no Rio de Janeiro

Modalidade Fossa Olímpica Double – Felipe Fuzaro
Data e local em que garantiu a vaga: 24/11/2010, ao conquistar a medalha de ouro no Campeonato das Américas, no Rio de Janeiro

Triatlo

Modalidade masculina – 1 atleta
Data e local em que garantiu a vaga: 23/10/2011, com a medalha de ouro de Reinaldo Colucci nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. 10
  8. Última