Publicidade

Posts com a Tag Francisco Barretto

terça-feira, 7 de outubro de 2014 Ídolos, Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 17:16

O feito inédito da ginástica brasileira e o drama de Phelps

Compartilhe: Twitter
Seleção masculina de ginástica comemora o inédito 6º lugar no Mundial de Nanquim

Seleção masculina de ginástica comemora o inédito 6º lugar no Mundial de Nanquim

O Brasil olímpico, que ainda vive sob uma irritante monocultura esportiva, a despeito de receber os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro daqui a dois anos, teve nesta terça-feira um resultado inédito em sua história. Certamente aqueles que só querem saber de comemorar títulos mundiais e medalhas de ouro não irão dar a menor bola, mas na China houve um resultado histórico obtido pela ginástica artística masculina do Brasil.

Até hoje, nenhuma seleção brasileira havia participado da final por equipes do Mundial. Isso já tinha sido alcançado pela ginástica feminina, que por tradição sempre esteve em um patamar acima, até por causa de talentos como Luiza Parente, Daiane dos Santos, Daniele Hypólito, Jade Barbosa, entre outras. A escrita foi derrubada nesta segunda (6) em Nanquim (CHN), onde acontece o Mundial 2015, graças à classificação da seleção masculina. E hoje, terça (7), os brasileiros conseguiram terminar na sexta colocação, feito extremamente comemorado por toda a equipe.

>>> Veja também: Um tiro certeiro na monocultura esportiva do Brasil

Acha pouco? Pois saiba que até hoje, a melhor colocação de uma seleção masculina em Mundiais de ginástica foi um 13º lugar, em Tóquio 2011. Esta sexta posição tem ainda mais peso quando se lembra que a CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) não tem ainda um centro de treinamento próprio e que boa parte destes ginastas foram demitidos pelo Flamengo no ano passado, tendo que se virar para treinar.

Até mesmo o campeão olímpico de Londres 2012, Arthur Zanetti, precisou reclamar das péssimas condições de treinamento que ele e seus companheiros encontravam em São Caetano do Sul e teve até uma reunião com a secretaria de alto rendimento do Ministério do Esporte para tentar encontrar uma solução.

Arthr Zanetti; Diego Hypólito; Arthur Nory; Francisco Barreto; Sérgio Sasaki; e Lucas Bitencourt. Graças a estes seis atletas, a equipe de ginástica artística masculina do Brasil conseguiu o maior feito de sua história.

O drama de um campeão

É lamentável, para dizer o mínimo, a situação do nadador americano Michael Phelps, o maior ganhador de medalhas olímpicas na história (22, sendo 18 de ouro), que anunciou uma interrupção na carreira para fazer um tratamento de reabilitação por consumo de álcool. Para piorar, nesta segunda-feira a federação americana de natação anunciou sua suspensão por seis meses das competições, a exclusão na seleção do país que irá competir no Mundial de 2015, em Kazan (RUS) e a interrupção no pagamento mensal por ser integrante da seleção americana.

Não é a primeira vez que Phelps tem problemas fora das piscinas. Há poucos anos, ele chegou a ser suspenso por consumo de drogas. Agora, foi o excesso de bebidas. Ironicamente, ele segue o mesmo roteiro de outro ícone da natação, o australiano Ian Thorpe, que depois de fracassar na tentativa de voltar às competições abres das Olimpíadas de Londres 2012, acabou acumulando escândalos por causa de bebidas, drogas e uma séria crise de depressão.

Triste sina esta pela qual passam dois dos maiores ídolos do esporte olímpico.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,