Publicidade

Posts com a Tag Everton Lopes

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013 Imprensa, Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 17:19

Crise põe em risco projeto olímpico da Petrobras

Compartilhe: Twitter
A remadora brasileira Fabiana Beltrame comemora no pódio, ao lado da filha, a medalha de ouro no Mundial de 2011, na Eslovênia

A remadora Fabiana Beltrame comemora, ao lado da filha, a medalha de ouro no Mundial de 2011, na Eslovênia

Quem acompanha este blog com alguma atenção certamente já leu posts com referência ao Projeto Petrobras de apoio ao esporte olímpico brasileiro, lançado em 2011. A ideia era fantástica: até 2016, data das Olimpíadas do Rio de Janeiro, a empresa de capital misto iria investir R$ 256 milhões em cinco modalidades pouco desenvolvidas no universo esportivo do Brasil: boxe, esgrima, levantamento de peso, remo e taekwondo. O objetivo final seria o de colocar o maior número de atletas em condições de brigar por medalhas nos próximos Jogos Olímpicos.

E logo no primeiro ano, dois excelentes resultados: as medalhas de ouro conquistadas por Fabiana Beltrame, no Mundial de remo, e a de Everton Lopes, no Mundial de boxe. Duas conquistas inéditas para o esporte olímpico brasileiro, que só reforçavam que o caminho do projeto estava certo. Ainda por cima, quem quem estava por trás na coordenação era Maria Paula Gonçalves, a Magic Paula, uma das maiores jogadoras da história do basquete brasileiro e mundial.

No comando do Instituto Passe de Mágica, ela se encarregava da distribuição direta dos recursos para os atletas destas cinco modalidades, seja para competições ou períodos de treinamento, sem que o dinheiro tivesse que passar pelos dirigentes. Um verdadeiro sentimento de independência financeira, pois a maioria absoluta das confederações dependia quase que exclusivamente na época de recursos oriundos da Lei Agnelo/Piva, com dinheiro das loterias, que é distribuída pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro).

Mas eis que esse projeto, que representava uma ajuda importantíssima e estes primos pobres do esporte brasileiro, está ameaçado de ver seu investimento diminuir drasticamente. Reportagem do jornal Folha de S. Paulo desta quarta-feira destacou que a Petrobras estuda diminuir a verba do projeto para 2014 de forma drástica. Inclusive tanto Paula quanto as cinco confederações envolvidas já teriam sido informadas. Na delegação brasileira que competiu nas Olimpíadas de Londres 2012, 21 atletas eram contemplados com verbas do programa.

>>> Relembre: Ouro inédito no boxe mostra que há vida além do COB

Procurada pelo blog, a Petrobras, em nota, negou que haverá corte no patrocínio às cinco modalidades em relação aos valores pagos neste ano, que chegam a um total de R$ 8,2 milhões. Ainda segundo a gerência de comunicação da empresa, o planejamento técnico das confederações para 2014 foi recebido pela companhia e pelo Instituto Passe de Mágica no último dia 29 de novembro. “Somente após esta etapa serão definidos os valores dos patrocínios, que podem, inclusive, ser maiores que os valores contratados em 2013”, concluí a nota.

O que a nota não explica é como que o mesmo investimento deste ano (R$ 8,2 milhões) , previsto para 2014, não pode ser considerado menor do que tudo o que foi investido nos três primeiros anos, cerca de R$ 40 milhões. E mais: ainda segundo a Folha, a própria Paula deu um número diferente da Petrobras contratado em 2013, que seria de R$ 15 milhões. E uma rápida passagem pelo noticiário econômico já mostra que a situação da Petrobras está longe de ser a mais confortável, com redução de 15% do lucro em comparação com 2012 e queda nas ações após o reajuste no preço dos combustíveis.

Pelo visto, os primos pobres do esporte olímpico brasileiro voltarão aos temos de menos fartura, justamente na fase decisiva da preparação para os Jogos Olímpicos de 2016.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 23 de outubro de 2013 Mundiais, Seleção brasileira | 18:30

Boxe brasileiro faz história no Azerbaijão

Compartilhe: Twitter
O brasileiro Robson Conceição (de azul) acerta golpe no indiano

O brasileiro Robson Conceição (de azul) acerta golpe no indiano Vikah Malik. Agora, ele tenta vaga na final

Nesta quarta-feira, o boxe amador do Brasil conquistou um feito que pode ser classificado como notável. Em apenas um dia, a modalidade assegurou duas medalhas na disputa do Campeonato Mundial da modalidade, que está sendo realizado na cidade de Almaty, no Cazaquistão. Tal feito foi alcançado graças às vitórias de Everton Lopes sobre o lituano Evaldas Petrauskas, na categoria 64 kg (meio médio ligeiro), e a de Robson Conceição sobre o indiano Vikash Malik, na categoria 60 kg (leves).

Isso já iguala, em total de medalhas, a ótima participação brasileira no Mundial de 2011, no Azerbaijão, quando o mesmo Everton Lopes conquistou uma inédita medalha de ouro, e Esquiva Falcão ficou com o bronze na categoria 75 kg,  na qual ganharia a medalha de prata nas Olimpíadas de Londres, no ano seguinte. E pensar que até então, o Brasil tinha uma solitária medalha, um bronze conquistado por Hamilton Ribeiro, no Mundial de Reno (EUA), em 1986.

>>> Relembre:  Ouro inédito no boxe mostra que há vida além do COB

Sempre é válido lembrar que o boxe olímpico do Brasil integra o projeto Esporte e Cidadania, da Petrobras, que investe em cinco modalidades menos “badaladas”, como taekwondo, esgrima, levantamento de peso e remo, além do próprio boxe, desde 2011. O programa da estatal injetará, até 2016, R$ 256 milhões para ajudar na formação de novos atletas e preparação das respectivas equipes aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quinta-feira, 3 de outubro de 2013 Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 15:51

Sem Yamaguchi, seleção irá desfalcada ao Mundial de boxe

Compartilhe: Twitter
Yamaguchi Falcão  (de vermelho)  luta contra Egor Mekhontcev, da Russia, na disputa do bronze em Londres

Yamaguchi Falcão (de vermelho) luta contra Egor Mekhontcev, da Russia, na disputa do bronze em Londres

A opção do boxeador brasileiro Yamaguchi Falcão em assinar um contrato profissional com a Golden Boy Promotions, empresa que pertence ao ex-boxeador americano Oscar de la Hoya, foi recebida com certa surpresa pela CBBoxe (Confederação Brasileira de Boxe). Embora a entidade reconheça que é normal o desejo de boxeadores em partir para uma carreira no profissionalismo, a entidade estranhou a maneira rápida com que tudo ocorreu. A confirmação da assinatura de contrato de Yamaguchi veio nesta quarta-feira, segundo site da empresa de De La Hoya.

Mas a escolha do boxeador – que foi medalha de bronze na categoria até 81 kg durante os Jogos Olímpicos de Londres 2012 – acabou trazendo uma dor de cabeça extra para a CBBoxe. Yamaguchi estava selecionado para defender o Brasil na disputa do próximo Campeonato Mundial de boxe amador, que será realizado na cidade de Almaty, no Cazaquistão.

Leia também: Ouro inédito no boxe mostra que há vida além do COB

Com sua decisão repentina em optar pelo profissionalismo, a seleção brasileira estará desfalcada na competição, que começa no próximo dia 14. É que o reserva imediato de Yamaguchi, o carioca Michel Borges, está com uma inflamação nos olhos e não poderá disputar o torneio. Assim, o Brasil estará representado em apenas oito categorias no Mundial. Entre eles Éverton Lopes, que defenderá o título mundial conquistado em 2011 na categoria 69 kg, e Esquiva Falcão, irmão de Yamaguchi e que foi prata em Londres na categoria 75 kg.

E para a CBBoxe, a opção de Yamaguchi em tentar a carreira no boxe profissional enterra definitivamente qualquer possível pretensão dele em disputar as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

terça-feira, 15 de maio de 2012 Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 18:11

Boxe brasileiro vive momento histórico

Compartilhe: Twitter

Adriana Araújo (de azul) será a primeira brasileira a disputar o boxe feminino olímpico em Londres

Nenhuma modalidade merece tanto festejar um bom resultado nas Olimpíadas de Londres 2012 quanto o boxe. Relegado à condição de “primo pobre” dos esportes de combate, perdendo longe em prestígio para o judô no terreno olímpico – nem vou citar os badalados MMA/UFC no campo profissional atualmente, porque aí a derrota é ainda mais vexatória -, o boxe olímpico brasileiro passa por um momento especialmente feliz. E ainda por cima, resolveu fazer história no esporte brasileiro.

Primeiro, veio com a conquista de Everton Lopes, campeão mundial em 2011, na categoria até 64 kg (Meio Médio Ligeiro), o primeiro obtido por um boxeador amador do Brasil. Depois, veio a brilhante participação da equipe nacional no Pré-Olímpico das Américas, realizado no Rio de Janeiro, há uma semana. No torneio, o Brasil classificou quatro pugilistas, que ao lado dos que já estavam assegurados pelo Mundial, somam um total de sete boxeadores, recorde brasileiro na história olímpica da modalidade.

Nesta terça-feira, o feito histórico coube a uma mulher, Adriana Araújo, que ao avançar para as quartas de final do Mundial de Qinhuangdao, na China, tornou-se a primeira brasileira a participar do primeiro torneio olímpico feminino de boxe na história dos Jogos. Não é pouca coisa, especialmente por se tratar de uma categoria com poucas praticantes e onde o preconceito ainda é muito forte.

Não sei se estes bons resultados irão se traduzir em medalhas em Londres. Mas é inegável que o boxe olímpico brasileiro trilha um caminho certo e que tem tudo para se transformar em importantes vitórias nos próximos anos.

Autor: Tags: , , , , , ,

sábado, 5 de maio de 2012 Olimpíadas, Pré-Olímpico | 08:30

Boxe busca última chance de classificação para Londres

Compartilhe: Twitter

Boxeadores brasileiros buscam a partir deste sábado, no Ginásio do Maracanãzinho (RJ), a última chance de carimbar o passaporte para as Olimpíadas de Londres, com a disputa do Pré-Olímpico das Américas. Ao todo, 33 países do continente, reunindo 177 atletas, estarão buscando as 38 vagas remanescentes para os Jogos Olímpicos de 2012.

As disputas no Maracanãzinho neste sábado começarão a partir das 14h,  e de domingo (5) até o dia 12, data de encerramento da competição, o programa começará sempre às 15h, com entrada gratuita ao publico.

Vale lembrar que o Brasil tem três atletas classificados, graças ao desempenho no Mundial de Baku (Azerbaijão), em 2011: Everton Lopes (categoria até 64 kg); Esquiva Florentino (categoria até 75 kg); e Robson Conceição (categoria até 60 kg).

A distribuição de vagas por categoria no Pré-Olímpico do Rio é a seguinte:

49 kg: 3 vagas
52 kg: 2 vagas
56 kg: 4 vagas
60 kg: 4 vagas
64 kg: 5 vagas
69 kg: 5 vagas
75 kg: 5 vagas
81 kg: 4 vagas
91 kg: 3 vagas
+91kg: 3 vagas

O Brasil participa da competição com equipe completa (exeção às categorias em que já está classificado). Confira a seleção brasileira no Pré-Olímpico:

49 kg: Paulo Carvalho
52 kg: Julião Neto
56 kg: Robenilson Jesus
69 kg: Myke Carvalho
81 kg: Yamaguchi Florentino
91 kg: Elber Passos
+91 kg: Gidelson Oliveira

Vale lembrar que o boxe feminino, que fará sua estreia nos Jogos de Londres, terá como última seletiva o Campeonato Mundial da categoria, que será realizado em Chongqing (China), a partir da próxima quarta-feira (9).

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 11 de novembro de 2011 Imprensa, Olimpíadas, Seleção brasileira | 17:05

Jornal americano prevê recorde de ouros do Brasil em 2012

Compartilhe: Twitter

Everton Lopes foi apontado pelo "USA Today" para ganhar uma medalha de ouro em 2012

O pessoal do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) deve ter comemorado bastante a última projeção que o site do jornal americano “USA Today” fez em relação ao quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem. Nesta mais recente classificação – a lista costuma ser atualizada a cada dois meses, mais ou menos -, os jornalistas do “USA Today” fizeram uma análise bastante favorável ao Brasil, prevendo que a delegação terminará os Jogos de 2012 com oito medalhas de ouro, o que representaria um recorde na participação brasileira olímpica.

O COB, que não costuma fazer projeções de medalhas em Olimpíadas ou mesmo Pan-Americanos, já chegou a declarar, na palavra de seu superintendente Marcus Vinícius Freire, que espera algo em torno de 15 medalhas na campanha de Londres 2012. Mas nesta previsão do ‘USA Today”, o Brasil terminaria os Jogos com 18 medalhas. Além das oito de ouro já citadas, seriam mais quatro de prata e seis de bronze.

Entre os prováveis ganhadores do ouro para o Brasil, indicados pelo jornal americano, estão algumas “barbadas”, como o nadador Cesar Cielo, nos 50 m livre; a dupla Juliana e Larissa, no vôlei de praia; a dupla Robert Scheidt/Bruno Prada, na vela (classe Star);  as duas seleções de vôlei (masculina e feminina); a seleção masculina de futebol; e por fim, no atletismo, Fabiana Murer (salto com vara). A novidade foi a inclusão do boxeador Everton Lopes, que recentemente foi campeão mundial dos meio médio ligeiros.

As demais medalhas brasileiras na lista do “USA Today” seriam as seguintes, de acordo com a última projeção:

Prata: Alison/Emanuel (vôlei de praia); Arthur  Zanetti (ginástica artística/argolas); Sarah Menezes e Leandro Guilheiro (judô)

Bronze: Esquiva Florentino Falcão (boxe); Jade Barbosa (ginástica artística/salto); Rafaela Silva, Leandro Cunha e Mayra Aguiar (judô); e Cesar Cielo (natação/100 m livre)

Ah, detalhe importante: as grandes estrelas individuais do Pan de Guadalajara passarão em branco nas Olimpíadas de Londres, segundo o “USA Today”: Diego Hypólito (4º lugar no solo) e Thiago Pereira (5º lugar nos 400 m medley).

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 8 de outubro de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 10:45

Ouro inédito no boxe mostra que há vida além do COB

Compartilhe: Twitter

O baiano Everton Lopes fez história para o boxe brasileiro no Azerbaijão

O incrível e inédito feito do baiano Everton Lopes, que conquistou neste sábado a primeira medalha de ouro na história do boxe amador do Brasil, ao derrotar o ucraniano Denys Berinchyc na final da categoria meio médio ligeiro (até 64 kg), em Baku (Azerbaijão), tem um significado ainda maior para o próprio esporte brasileiro.

Na prática, a vitória de Lopes – como já havia sido com Fabiana Beltrame, ouro no Mundial de remo – mostrou que é possível fazer um trabalho sério e vencedor sem depender apenas das verbas oficiais distribuídas pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro), graças ao dinheiro das loterias, pela Lei Agnelo/Piva.

O boxe brasileiro faz parte, ao lado do remo, taekwondo, levantamento de peso e esgrima, de um projeto paralelo de investimento no esporte olímpico e também de base da Petrobras, o Esporte e Cidadania, que investirá R$ 256 milhões nestas modalidades visando resultados nas Olimpíadas de 2016, no Rio. Algo que não depende do repasse de verbas do COB – o que significa grande independência, politicamente falando – além de ser um projeto cujo o destino do dinheiro será para o atleta, apenas ele, sem risco de se perder pelo caminho, se é que vocês me entendem…

Administrado pelo Instituto Passe de Mágica, comandado pela ex-armadora da seleção feminina de basquete Magic Paula, o projeto exige que as confederações destas cinco modalidades expliquem de forma detalhada a forma com que irão usar o dinheiro, seja em viagens de treinamento, participação em competições internacionais e por aí vai. Só então a verba é liberada pelo Passe de Mágica, que ainda pede para as confederações uma detalhada prestação de contas.

O resultado já começa a aparecer. As conquistas de Fabiana Beltrame e Éverton Lopes, além de bons resultados internacionais recentes na esgrima e taekwondo (que inclusive já garantiu o lutador Diogo Silva nas Olimpíadas de Londres, em 2012) mostram que há vida além da dependência das verbas oficiais distribuídas pelo COB para o esporte brasileiro. Basta querer.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

terça-feira, 4 de outubro de 2011 Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 18:20

Os brasileiros classificados para Londres 2012

Compartilhe: Twitter

O brasileiro Esquiva Florentino comemora a classificação para Londres 2012

Atualizado em 5/10/2011

E o tapetão foi o responsável por tirar uma das vagas do boxe brasileiro nas Olimpíadas de Londres, no ano que vem. Nesta quarta-feira,  após um protesto feito pelos dirgentes da Ucrânia, o brasileiro Robson Conceição, da categoria peso leve (até 60 kg) teve anulada sua vitória sobre Vasyl Lomachenko, pelo Campeonato Mundial de boxe amador, em Baku (Azerbaijão).

Com isso, Conceição foi eliminado das quartas de final e não garantiu antecipadamente a vaga olímpica, destinada aos dez primeiros colocados em cada categoria.  Para isso, terá que se virar no Pré-Olímpico do ano que vem.

Assim, são apenas dois, e não três, os boxeadores brasileiros classificados para os Jogos de Londres. Na terça-feira,  o meio médio ligeiro (até 64 kg) Everton Lopes e o peso médio (até 75 kg) Esquiva Florentino avançaram para as quartas de final da competição.

Total de atletas brasileiros garantidos para Londres 2012: 76

Basquete

Modalidade masculino (12 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 10/09/2011, com a vitória da seleção brasileira sobre a República Dominicana, por 83 a 76, nas semifinais do Torneio Pré-Olimpico de Mar del Plata

Modalidade feminino (12 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/10/2011, com a vitória da seleção brasileira sobre a Argentina por 74 a 33 na decisão do Torneio Pré-Olímpico de Neiva

Boxe

Everton Lopes – categoria até 64 kg (meio médio ligeiro)
Data e local em que garantiu a vaga: 4/10/2011, com a vitória sobre Anthony Yigit (SUE), pelas oitavas de final do Mundial do Azerbaijão

Esquiva Florentino – categoria até 75 kg (médio)
Data e local em que garantiu a vaga: 4/10/2011, com a vitória sobre Anthony Ogog (ING), pelas oitavas de final do Mundial do Azerbaijão

Ciclismo

Modalidade Estrada (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 8/05/2011, com a vitória de Gregolry Panizo no Campeonato Pan-Americano de ciclismo, em Antioquia (Colômbia)

Futebol

Modalidade feminino (18 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 21/11/2010, ao vencer o Chile na decisão do Campeonato Sul-Americano do Equador

Modalidade masculino (18 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 13/02/2011, ao vencer o Uruguai na rodada final do Campeonato Sul-Americano do Peru

Hipismo

Modalidade saltos – Equipe (5 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 6/10/2010, ao ficar em quarto lugar durante o Mundial de Kentucky (EUA)

Maratona aquática

Prova dos 10km feminino (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 19/07/2011, com o sexto lugar de Poliana Okimoto no Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai (China)

Natação

Revezamento 4 x100m livre (4 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 24/07/2011, com o 9º lugar da equipe masculina, formada por Bruno Fratus, Nicolas Oliveira, Marcos Macedo e Marcelo Chierighini, no Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai (China)

Taekwondo

Diogo Silva – categoria até 68kg
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/07/2011, ao ficar com a medalha de bronze no Pré-Olímpico de Baku, no Azerbaijão

Tiro esportivo

Modalidade Pistola 25m feminino – Ana Luiza Mello
Data e local em que garantiu a vaga: 20/11/2010, ao conquistar a medalha de ouro no Campeonato das Américas, no Rio de Janeiro

Modalidade Fossa Olímpica Double – Felipe Fuzaro
Data e local em que garantiu a vaga: 24/11/2010, ao conquistar a medalha de ouro no Campeonato das Américas, no Rio de Janeiro

Autor: Tags: , , , , , ,