Publicidade

Posts com a Tag esqui estilo livre

segunda-feira, 31 de março de 2014 Ídolos, Imprensa, Isso é Brasil, Jogos de Inverno | 18:48

Lucidez dos atletas brasileiros no caso Laís Souza

Compartilhe: Twitter
Laís Souza, ao lado dos médicos e fisioterapeutas, no hospítal da Universidade de Miami

Laís e os médicos e fisioterapeutas, na Universidade de Miami, onde faz seu tratamento

Mesmo com um certo atraso, ainda vale registrar por aqui a exemplar e madura posição demonstrada por alguns dos integrantes da comissão de atletas do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), que procurados pelo iG Esporte na semana passada, opinaram a respeito da lamentável situação da ex-ginasta e esquiadora Laís Souza, que sofreu grave acidente em sua preparação para as Olimpíadas de inverno de Sochi e que não consegue movimentar os membros superiores e inferiores.  Na prática, a comissão, cujo mandato dura quatro anos, representa o principal canal de comunicação entre os atletas e os dirigentes que comandam o esporte do Brasil.

No último dia 16, o COB anunciou o lançamento de uma campanha de arrecadação de fundos, para ajudar a atleta a reorganizar sua vida assim que deixar o hospital de Miami (EUA), onde faz seu tratamento. Na prática, o que foi lançado não passou de uma vaquinha virtual, muito pouco, em minha opinião, para uma entidade que arrecada tanto em verbas públicas, via lei Agnelo/Piva.

Em linhas gerais, chamou-me a atenção, ao menos entre os integrantes que aceitaram se posicionar sobre o caso, a opinião unânime de que já passou da hora de se discutir a real condição do atleta olímpico brasileiro. Em relação ao caso de Laís Souza, por exemplo, todos defendem que se estude uma forma de exigir seguros de vida que cubram morte e invalidez permanente, não apenas no período em que eles estejam defendendo o Brasil em competições internacionais.

O que me deixou surpreso positivamente foi a forma com que alguns destes integrantes se manifestaram. Por ser uma comissão formada pelo COB, seria até natural que alguns preferissem o silêncio ou mesmo posições neutras diante de um tema tão polêmico. Não foi, contudo, a posição tanto do presidente Emanuel Rego, do vôlei de praia, quanto da ex-cestinha Hortência, da seleção feminina de basquete, vic-presidente do órgão, ou de ídolos como o ginasta Arthur Zanetti ou o velejador Robert Sheidt.

Opiniões lúcidas, ponderadas, mas firmes. Como por exemplo, a demonstrada por Hortência, dizendo que já psssou da hora dos atletas olímpicos brigarem para que sua atividade seja reconhecida como uma profissão, assim com já ocorre com os jogadores de futebol. Ou então da ex-jogadora de vôlei Ana Moser, presidente da ONG “Atletas pelo Brasil”, ao dizer, sem meias palvras, que “o atleta é um ser solitário e o sistema só se preocupa em usá-lo, sem dar qualquer tipo de suporte”.

Para ver com mais detalhes o que os atletas brasileiros pensam a respeito do caso Laís Souza e da própria condição do esporte olímpico brasileiro, basta clicar aqui, aqui e aqui.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 13 de março de 2014 Ídolos, Jogos de Inverno, Seleção brasileira | 23:50

A imagem do dia

Compartilhe: Twitter
Laís Souza, ao lado dos médicos e fisioterapeutas, no hospítal da Universidade de Miami

Laís Souza, ao lado dos médicos e fisioterapeutas, no hospítal da Universidade de Miami, onde se recupera do acidente de janeiro

Tocante a imagem que já foi exibida à exaustão pelos principais portais, telejornais e redes sociais, mostrando a primeira foto da atleta Laís Souza no Jackson Memorial Hospital, da Universidade de Miami (EUA), onde se recupera do gravíssimo acidente sofrido enquanto esquiava, no final de janeiro. A ex-ginasta, que iniciava uma carreira nos esportes de inverno, aguardava a realocação de vagas para poder participar das Olimpíadas de Sochi.

Ao lado dos médicos que acompanham sua recuperação (entre eles o brasileiro Anonio Marttos Jr) e fisioterapeutas, Laís impressiona pelo semblante tranquilo e também confiante, apesar da gravidade de seu quadro, no qual não apresenta movimentos nos membros inferiores e apenas move os ombros.  Esse drama todo, porém, parece não desanimá-la.

>>> Relembre: O dia em que um 20º lugar valeu mais do que um 1º

“Primeiramente gostaria de agradecer a torcida e o carinho de todos que estão rezando por mim. Estou me sentindo melhor e preparada para encarar o que vem pela frente. Continuem torcendo. Beijos”, afirmou Lais, em comunicado divulgado pelo COB.

A coragem de Laís Souza é um exemplo a todos.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014 Histórias do esporte, Jogos de Inverno, Olimpíadas | 17:45

O dia em que um 20º lugar valeu mais do que o 1º

Compartilhe: Twitter
A brasileira Josi Santos cai no choro após completar sua prova no esqui aerials

A brasileira Josi Santos cai no choro após completar sua prova no esqui aerials

O salto foi dado na rampa mais baixa da Rosa Khutor Extreme Park, em Sochi. O grau de dificuldade, portanto, o mais fraco entre todas as concorrentes. Ou seja, era natural esperar que o resultado fosse muito ruim. Ainda assim, a última coisa em que a brasileira Josi Santos estava preocupada nesta sexta-feira era com sua performance na prova do esqui estilo livre, modalidade aerials, pelas Olimpíadas de Inverno. O que ela queria mesmo era homenagear a amiga e companheira de treinos Laís Souza.

VEJA MAIS SOBRE AS OLIMPÍADAS DE SOCHI 2014

>>> Começou a briga por medalhas do esporte mais bacana de Sochi 2014
>>> Empresa faz homenagem às mães dos atletas de Sochi 2014
>>> Conheça os locais de competição de Sochi 2014

Se não tivesse sofrido o trágico acidente no dia 27 de janeiro, quando esquiava livremente em um intervalo dos treinos, em Salt Lake City (EUA), era Laís quem provavelmente estaria no lugar de Josi na prova desta sexta. No acidente, Laís teve uma fratura na terceira vértebra da coluna e está sem movimentos nos braços e pernas. A ex-ginasta olímpica, que desde maio de 2013 integrava um projeto da CBDN (Confederação Brasileira de Desportos na Neve) para buscar novos atletas, já passou por três cirurgias e segue internada no Hospital da Universidade de Miami.

Josi Santos, também ex-ginasta, era companheira de treinos de Laís e estava com ela na hora do acidente. Acabou herdando a vaga da amiga, mas chegou a Sochi consciente de que não teria nenhuma chance de brigar por uma medalha. Por isso, sua única preocupação era não cair na hora do salto. Ao completar a aterrissagem, mostrou a letra “L” com os dedos, em homenagem à Laís, caindo no choro em seguida.

A classificação final das eliminatórias do esqui aerials apontou Josi Santos em 20º lugar, com a nota 49,60, tendo ficado à frente ainda de uma suíça e de uma bielorussa. No fundo, isso pouco importa. Ao conseguir superar um drama pessoal sem tamanho, homenagear a amiga que luta por uma recuperação quase impossível e também completar com dignidade sua participação olímpica, Josi Santos conquistou sua medalha pessoal em Sochi.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013 Jogos de Inverno, Olimpíadas, Seleção brasileira | 16:21

Ainda sem índice, ex-ginasta Laís Souza é pré-convocada para as Olimpíadas de Sochi 2014

Compartilhe: Twitter
Laís Souza está buscando uma vaga no Aerials para os Jogos de Sochi

Laís Souza está buscando uma vaga no Aerials para os Jogos de Sochi

A pouco mais de um mês para a abertura oficial dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, na Rússia, a CBDN (Confederação Brasileira de Desportos na Neve) divulgou nesta sexta-feira a lista de atletas pré-convocados para o evento. E entre os chamados está Laís Souza, que representou a seleção brasileira na ginástica artística em duas Olimpíadas (Atenas 2004 e Pequim 2008) e que tenta uma vaga no aerials, uma das modalidades do esqui estilo livre.

Mesmo sem ainda ter índice para participar dos Jogos de Sochi (a abertura será no dia 7 de fevereiro), trata-se de uma grande vitória para Laís, que ao lado da também ex-ginasta Josi Santos, parte do zero em uma nova modalidade e buscando uma vaga olímpica. Laís contou a história de sua reinvenção no esporte ao iG, onde não teve medo em admitir medo com os desafios impostos pelo aerials, onde é obrigada a descer uma rampa de 25m de extensão e dar saltos mortais até chegar ao chão.

Isso tudo depois de ter passado por oito cirurgias no joelho e de ter sido cortada dos Jogos de Londres 2012 um dia antes de entrar da Vila Olímpica, por causa de uma fratura na mão. Convenhamos, se conseguir participar de Sochi, Laís entrará na história do esporte do Brasil.

Os demais pré-convocados pela CBDN são os seguintes:

Isabel Clark – Snowboard
Jaqueline Mourão – Cross Country e Biatlon
Leandro Ribela – Cross Country
Jhonatan Longhi – Esqui Alpino
Maya Harrison – Esqui Alpino
Lais Souza – Esqui estilo livre/Aerials
Josi Santos – Esqui estilo livre/Aerials

Autor: Tags: , , , , , , ,