Publicidade

Posts com a Tag Ciclismo

quarta-feira, 10 de agosto de 2011 Isso é Brasil, Seleção brasileira | 23:39

Doping no esporte brasileiro também chega ao judô. Vergonha!

Compartilhe: Twitter

Taciana Lima testou positivo para Furosemida

É inacreditável, mas dia sim, outro também, pinta um novo caso de doping no esporte brasileiro. Desta vez, em um furaço do companheiro Rodrigo Farah, do iG Esporte, ao noticiar o caso positivo da judoca Taciana Lima, da categoria ligeiro (até 48 kg), que foi flagrada com a substância Furosemida – a mesma que apareceu no famoso suplemento alimentar de Cesar Cielo -, durante exame realizado na etapa da Copa do Mundo, em São Paulo, no final de junho.

Parece brincadeira, mas é extremamente preocupante a quantidade de casos que vem pipocando ou tendo julgamentos com resultados “estranhos”, quando o assunto é relacionado a doping no Brasil. Aquele sujeito mais otimista irá analisar de forma positiva e entender que está sendo feito um controle cada vez mais rígido no esporte brasileiro.

Eu, como sou mais cético e chato, prefiro acreditar que a moçada anda descuidada demais, cusonumindo estes suplementos de origem extremamente duvidosa e não avaliam os riscos que podem causar. Ou então são burros mesmo!

Bom, a lista vai só aumentando: Cesar Cielo, Henrique Barbosa, Nicholas Santos, Vinicius Waked, geisa Arcanjo, Fabíola Molina, vários casos (omitidos) no ciclismo brasileiro, e agora Taciana Lima. Sem contar os casos recentes, de Daiane dos Santos e o escândalo da extinta equipe Rede, de atletismo, em 2009.

Vergonha é pouco!

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 13 de julho de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Olimpíadas | 21:38

Doping vai ganhando de goleada no esporte brasileiro

Compartilhe: Twitter

Pedro Solberg teve um resultado positivo para esteroide. Mas ele diz que é inocente

Para um país que quer ostentar o status de “olímpico” nos próximos anos – de olho, obviamente, na organização das Olimpíadas do Rio, em 2016, as últimas semanas não estão sendo nada agradáveis ao Brasil. Se não bastasse o mega escândalo envolvendo o campeão olímpico e mundial Cesar Cielo, eis que surgiu nesta quarta-feira mais um caso: Pedro Solberg, do vôlei de praia, flagrado em um exame no Rio de Janeiro realizado pela Wada (Agência Mundial Antidoping), cujo resultado apontou a presença de um esteroide.

Em comunicado divulgado em seu site oficial, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) confirmou o resultado positivo e disse que esperava que o assunto seja resolvido da melhor maneira. O atleta está suspenso preventivamente. Mais tarde, o próprio Solberg alegou que não tomou nada ilegal.

É impressionante, para não dizer patético, a forma com que o doping vai ganhando de goleada no esporte brasileiro. Não que o Brasil tenha a obrigação de resolver um verdadeiro câncer que atinge o esporte mundial que é o doping, mas convenhamos que a quantidade de casos positivos por aqui nos últimos tempos é preocupante.

Exemplos temos de sobra: o escândalo da equipe de velocistas de atletismo da extinta equipe rede; o doping por um diurético ingerido por Daiane dos Santos, na ginástica; o “doping burro” de Fabíola Molina, na natação; as denúncias da “ESPN Brasil” sobre o ciclismo brasileiro; fora o caso Cielo.

Tudo isso em menos de dois anos!

E o anúncio de um novo caso, agora envolvendo o vitorioso vôlei de praia, só aumenta a diferença no placar a favor do doping. Sinceramente, este não é o “Brasil olímpico” que sonhamos, não é mesmo?

Veja também:

>> O doping e a hipocrisia

>> Doping burro, o pior que existe

>> O que acontece com o tribunal da CBAt?

Autor: Tags: , , , , , , , ,

domingo, 8 de maio de 2011 Listas, Olimpíadas, Seleção brasileira | 21:49

Os brasileiros classificados para Londres-12

Compartilhe: Twitter

Gregolry Panizo (no centro) comemora a vitória no Pan de ciclismo e a vaga do Brasil em Londres-12

Depois de uma semana complicada, após denúncia da “ESPN Brasil” de um suposto caso coletivo de doping não divulgado pela CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo), eis que o final deste domingo trouxe uma boa notícia ao ciclismo nacional. Ao vencer a prova de estrada do Campeonato Pan-Americano da modalidade, realizado na cidade colombiana de Antioquia, Gregolry Panizo assegurou também a vaga do Brasil nesta prova para as Olimpíadas de Londres, em 2012.

O triunfo de Panizo foi muito difícil, graças a um intenso duelo que travou com o chileno Gonzalo Garrido e com o colombiano Luis Felipe Laverde. A vitória só foi definida nos 500m finais, com o brasileiro segurando o sprint final de Garrido, que ficou em segundo, enquanto Laverde terminou em terceiro. Panizo cumpriu o percurso de 176km em 4h03min55s.

Total de atletas brasileiros garantidos para Londres-12: 44

Ciclismo
Modalidade Estrada (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 8/05/2011, com a vitória de Gregolry Panizo no Campeonato Pan-Americano de ciclismo, em Antioquia (Colômbia)

Hipismo
Modalidade saltos – Equipe (5 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 6/10/2010, ao ficar em quarto lugar durante o Mundial de Kentucky (EUA)

Futebol
Modalidade feminino (18 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 21/11/2010, ao vencer o Chile na decisão do Campeonato Sul-Americano do Equador

Modalidade masculino (18 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 13/02/2011, ao vencer o Uruguai na rodada final do Campeonato Sul-Americano do Peru

Tiro esportivo
Modalidade Pistola 25m feminino – Ana Luiza Mello
Data e local em que garantiu a vaga: 20/11/2010, ao conquistar a medalha de ouro no Campeonato das Américas, no Rio de Janeiro

Modalidade Fossa Olímpica Double – Felipe Fuzaro
Data e local em que garantiu a vaga: 24/11/2010, ao conquistar a medalha dse ouro no Campeonato das Américas, no Rio de Janeiro

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 6 de maio de 2011 Imprensa, Isso é Brasil | 21:29

E a CBC se manifesta…

Compartilhe: Twitter

Nesta sexta-feira, em nota divulgada por sua assessoria de imprensa, a CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo) resolveu se manifestar a respeito do escândalo de doping de oito ciclistas, que teria sido acobertado pela entidade, de acordo com reportagem que será exibida pelo programa “Histórias do Esporte”, da ESPN Brasil, no próximo dia 28 de maio.

Abaixo, a posição oficial da CBC a respeito do caso:

Nota de esclarecimento

A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) foi surpreendida nos últimos dois dias com matérias veiculadas por parte da imprensa com afirmações inverídicas sobre a postura da entidade frente a casos de doping. De forma absolutamente irresponsável, as reportagens ousaram dizer, sem ao menos nos consultar oficialmente ou acessar o nosso site, que a CBC estaria escondendo e engavetando casos de doping de atletas brasileiros.

Inicialmente é preciso registrar que todas, isso mesmo, TODAS as decisões ou atos processuais relativos a matéria disciplinar, inclusive de doping, estão publicadas aonde deveriam estar, ou seja no link do STJD na página da CBC na internet: http://www.cbc.esp.br/stjd/editais.html

Como se denota, com um simples click, o interessado poderia acessar informações sobre os órgãos da Justiça Desportiva (STJD e Comissão Disciplinar) e Comissão Antidoping da CBC, instâncias desportivas compostas por renomados juristas em Direito Desportivo ou profissionais de nomeada em Medicina do Esporte. Em outras palavras, a totalidade dos casos de atletas brasileiros com controle positivo em provas internacionais realizadas no Brasil e enviadas pela UCI através de processo regular de coleta e controle de doping, ou já foram julgados pela Comissão Nacional Antidoping da CBC e as decisões estão publicadas (inclusive de alguns atletas citados nas matérias que repita-se, encontra-se no nosso site), ou estão em tramitação, ou simplesmente a CBC não recebeu qualquer comunicado oficial da UCI a respeito. Já os casos de controle positivo de atletas brasileiros em provas fora do Brasil são julgados diretamente pelas entidades internacionais, não cabendo a CBC julgar ou divulgar as decisões.

Além disso, outra informação veiculada seria a de que atletas punidos estariam competindo normalmente. Trata-se de outro equívoco, pois apesar de não poder impedir a participação de atletas irregulares, devendo relatar o feito ao STJD, a CBC não tem nenhuma notícia de atuação de atletas em cumprimento de qualquer suspensão em provas da CBC.

A política da CBC em matéria de doping e infrações em geral, diga-se, é de cumprimento irrestrito da legislação desportiva nacional e internacional, em especial ao Código Mundial Antidoping, Regulamentos UCI e Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Nesse contexto, em absoluto respeito a normas de divulgação pública e confidencialidade previstas na codificação mundial, e harmonizadas com o ordenamento jurídico brasileiro que garante o sagrado direito a ampla defesa, estamos autorizados a divulgar informações sobre processos de dopagem somente após a notificação dos atletas envolvidos comunicando de sua suspensão “provisória”. E ainda respeitado o prazo para exercerem o direito de solicitação da amostra “B” e defesa prévia, seguidos de intimação para julgamento pela Comissão Antidoping da CBC, cujas decisões são submetidas a homologação da União Ciclística Internacional. Mesmo porque vale registrar que a sanção provisória imposta pela UCI pode ser descontada / comutada em caso de condenação definitiva, ou mesmo dependendo das circunstâncias especiais, substâncias especificadas ou involuntariedade, as penas podem ser parcial ou totalmente suspensas ou canceladas. Tais peculiaridades jurídicas são altamente relevantes para serem pura e simplesmente ignoradas e de forma açodada e precipitada, como anotado de forma mendaz nas matérias jornalísticas em referência, poderem ser divulgadas com muita antecedência aos julgamentos.

Em suma, a única verdade que deveria ser amplamente divulgada e estampada pela mídia é a de que a CBC não tolera, omite, engaveta ou esconde casos de doping. Muito pelo contrário, apenas para se ter uma idéia, nos últimos três anos investimos R$ 278.400,00 tão-somente para viabilizar a realização de 181 exames de controle de dopagem, montante que daria por si só para realizar vários eventos de ciclismo no nosso país. No entanto, conseguimos nesses anos quase que triplicar a chancela de pontuação internacional nos eventos existentes ou para novas competições do nosso calendário, e para tanto foi necessário a adequação de exigências da UCI, inclusive em matéria de doping. E se fosse para “esconder ou engavetar”, certamente os resultados e penas aplicadas não seriam as que estão divulgadas no site da CBC, que novamente convidamos a visita de quem tenha interesse.

A CBC é uma instituição séria, conduzida por pessoas sérias, mas que infelizmente não foi tratada com a seriedade necessária por determinados profissionais da mídia, que na ansiedade por holofotes, palcos ou furos de reportagens, descuidaram de premissas básicas da ética jornalística, qual seja de ouvir o outro lado, ou simplesmente apertar o botão do mouse para se informar para não “desinformar a sociedade”.

Finalmente, ressaltamos que a CBC se reserva o direito de adotar as medidas judiciais necessárias contra aqueles que de forma irresponsável e equivocada mentiram em troca de audiência às custas da dignidade e moralidade da CBC, seus dirigentes e colaboradores.

Londrina, 6 de maio de 2011
Paulo M. Schmitt
vice-presidente no exercício da Presidência da Confederação Brasileira de Ciclismo


Autor: Tags: , ,

Isso é Brasil | 13:43

Desculpa esfarrapada da CBC

Compartilhe: Twitter

Totalmente sem fundamento a desculpa dada pela CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo) ao jornal “Folha de S. Paulo” desta sexta-feira, sobre o caso do doping de oito ciclistas anunciado em comunicado da UCI (União de Ciclismo Internacional) e que não foi divulgado pela entidade brasileira.

Segundo reportagem da “Folha”, a CBC disse que não divulgou o nome dos ciclistas para preservá-los, seguindo padrão da UCI.

Só que isso é mentira.

O site oficial da UCI tem um link para a seção “antidoping”, onde se abre uma nova página e com um pouco de atenção, é possível encontrar a lista de sanções desde 2006 e são listados todos os ciclistas punidos por doping. Além disso, a atitude da CBC contraria as próprias normas da Wada (Agência Mundial Antidoping), que orienta que sejam divulgadas todas as punições.

O programa “Histórias do Esporte”, da “ESPN Brasil”, que irá ao ar no próximo dia 28, trará a história de um caso de doping coletivo que foi acobertado pela CBC. Leia mais aqui para entender o caso, uma grande vergonha para o esporte nacional.

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 4 de maio de 2011 Isso é Brasil, Olimpíadas | 23:42

Doping volta a envergonhar o esporte brasileiro

Compartilhe: Twitter

E o doping continua fazendo estragos na reputação esportiva do Brasil. Sede das Olimpíadas de 2016, no Rio, o país ainda se ressente do escândalo da equipe Rede de atletismo, em 2009, quando surge um novo caso, denunciado pelos ótimos repórteres Roberto Salim e Marcelo Gomes, do programa “Histórias do Esporte”, da “ESPN Brasil”. Os dois descobriram um megacaso de doping anunciado no ano passado pela UCI (União Internacional de Ciclismo), mas que estranhamente a CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo) não fez a menor questão de divulgar.

O programa, que irá ao ar no próximo dia 28 de maio, revelará que foram flagrados no antidoping Herman Trezza de Paiva, Pedro Nicácio, João Paulo de Oliveira, Lucas Onesco. Jair Fernando dos Santos, Fábio Ribeiro Jr., Rogério dos Reis e Edson Marcos de Carvalho. A UCI chegou a soltar uma nota anunciando os resultados positivos, mas a CBC nada falou.

De acordo com a reportagem, os ciclistas estão cumprindo a punição normalmente, mas nada seria divulgado para não atrapalhar no contrato da CBC com o Banco do Brasil. E mais estarrecedor ainda é que um ex-ciclista, Anderson Echeverria, revela que havia até apoio de dirigentes e alguns treinadores para que os ciclistas usassem os medicamentos e assim conseguir os resultados.

Uma vergonha. O mínimo que se pode falar de tudo isso.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 27 de abril de 2011 Olimpíadas | 13:45

Sorteio decidirá o destino de ingressos para Londres-12

Compartilhe: Twitter

Gente demais para ingresso de menos. O balanço de reserva de vendas do primeiro lote de ingressos para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem, num total de 6,6 milhões de bilhetes, mostrou que houve três vezes mais interessados do que ingressos disponíveis. No total, ocorreram 20 milhões de pedidos de ingressos, feitos por 1,8 milhão de pessoas.

Aí, entra a matemática: como tem mais gente interessada do que ingresso disponível, a solução para saber quem vai levar será a realização de sorteios nos eventos que já estão com lotação esgotada. Os sortudos serão informados, a partir de junho, sobre quais provas poderão assistir durante os Jogos.

Os eventos que já estão com lotação completa são ciclismo, ginástica rítmica, triatlo, pentatlo moderno, hipismo e as cerimônias de abertura e encerramento, além da maioria das provas de natação e jogos de tênis. Uma outra curiosidade do balanço feito pelo Comitê Organizador dos Jogos: 95% dos pedidos de ingressos foram feitos por pessoas do Reino Unido.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sábado, 16 de abril de 2011 Olimpíadas, Pan-Americano | 09:33

Pedaladas pan-americanas e olímpicas

Compartilhe: Twitter

Rubens Donizete é um dos favoritos para vencer a etapa de Araxá da Copa Internacional

Uma motivação a mais animará os competidores da Copa Internacional Banco do Brasil de Mountain Bike, marcada para acontecer neste sábado e domingo, na cidade de Araxá (MG). Ainda sem número de vagas confirmadas pela Copaci (Confederação Pan-Americana de Ciclismo), o evento será classificatório para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (Mex), marcados para outubro. Além disso, contará pontos para o ranking mundial, que definirá os classificados para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem.

Em Araxá, estão inscritos 951 ciclistas, 41 a mais do que na competição realizada em 2010. Os principais nomes do MTB brasileiro participarão desta etapa, entre eles Rubens Donizete, campeão da Copa Internacional do ano passado. No feminino, os destaques são Roberta Stopa, Jullyana Machado e Érika Grasmiscelli.

Além da etapa deste final de semana, o evento seguinte do torneio, que ocorrerá entre 18 e 19 de junho, na cidade de São Lourenço (MG) também será classificatório ao Pan e contará pontos para o ranking mundial.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 9 de março de 2011 Olimpíadas | 13:24

Ciclismo olímpico em clima real

Compartilhe: Twitter

O palácio de Hampton Court assistirá a largada e chegada da prova contra o relógio em estrada

As provas de ciclismo de estrada dos Jogos Olímpicos de Londres podem dizer que, literalmente, serão disputadas num clima de nobreza. Os organizadores das Olimpíadas do ano que vem anunciaram nesta quarta-feira que as provas individuais contra o relógio nos Jogos de 2012 terão largada e encerramento no castelo de Hampton Court.

Localizado ao Sul de Londres, o Hampton Court é uma das grandes atrações turísticas da região.  Reformado entre os anos de 1515 e 1521 pelo Arcebispo de York, Thomas Wolsey, foi confiscado pelo rei Henrique VIII em 1525. Em 1760, após o reinado de Jorge II, deixou de ser uma residência real. Nem por isso perdeu seu charme: dizem que vários fantasmas vivem em Hampton Court, entre eles o do próprio Henrique VIII.

As provas contra relógio das Olimpíadas de 2012 serão disputadas nas distâncias de 44km para os homens e 29km para as mulheres. A competição é realizada numa única volta, no percurso que irá cobrir diversos bairros londrinos, como Richmond, Kingston, Surrey e Elmbridge Borough. Os ciclistas largam em um intervalo de 90 segundos entre eles e vence aquele que fizer o melhor tempo. A disputa está marcada para o dia 1º de agosto de 2012 e ao contrário dos salgados preços que serão cobrados nos eventos esportivos olímpicos de 2012, o ciclismo contra o relógio poderá ser acompanhado de graça. Até mesmo na chegada, nos nobres jardins de Hampton Court.

Autor: Tags: ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última