Publicidade

Arquivo da Categoria Mundiais

terça-feira, 12 de maio de 2015 Mundiais, Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 23:57

Brasileira medalhista no Mundial de taekwondo está perto da vaga em 2016

Compartilhe: Twitter
Iris Tang Sing (à esquerda) acerta golpe em adversária durante o primeiro dia de disputas do Mundial de Taekwondo

Iris Tang Sing (à esquerda) acerta golpe em adversária durante o primeiro dia de disputas do Mundial de Taekwondo

A vitória suada diante da chinesa Zhayoi Li, assegurada apenas nos segundos finais da luta, deu à carioca Iris Tang Sing a vaga nas semifinais do Campeonato Mundial de taekwondo, que começou nesta terça-feira em Chelyabinsk (Rússia). Por tabela, deu ao Brasil também sua primeira medalha na competição, pois mesmo que perca seu combate para Panipak Wongpattanakit, da Tailândia, nesta quarta-feira, já terá conquistada pelo menos a medalha de bronze, na categoria até 46 kg.

Mas o foco da lutadora carioca, de 24 anos, está também voltado para os Jogos Olímpicos do Rio 2016. Para isso, ela precisa encerrar a temporada de 2015 entre as seis primeiras colocadas do ranking olímpico da WTK (Federação Mundial de Taekwondo), na categoria até 49 kg (olímpica) e assim dar ao Brasil mais uma vaga para o ano que vem. Atualmente, Iris ocupa a nona colocação e está a menos de seis pontos da tailandesa Chanatip Sonkham, que ocupa a sexta posição, limite para assegurar mais uma vaga olímpica.

Como país sede, o Brasil tem quatro vagas garantidas nos Jogos do Rio, duas na chave masculina e outras duas na feminina. Mas uma delas já foi definida pela CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo), para a categoria pesado masculina (acima de 80 kg), justamente a que pode ter a presença de Anderson Siilva, astro do UFC que está suspenso por doping e já manifestou interesse em disputar as seletivas nacionais.

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 11 de maio de 2015 Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:12

Com possível rival de Anderson Silva, taekwondo estreia nesta terça no Mundial da Rússia

Compartilhe: Twitter
Possível rival de Anderson Silva na seletiva olímpica, Guilherme Félix luta sábado no Mundial de Taekwondo

Possível rival de Anderson Silva na seletiva olímpica, Guilherme Félix luta sábado no Mundial de Taekwondo

O Brasil inicia nesta terça-feira sua participação no Campeonato Mundial de taekwondo. na cidade de Chelyabinsk, na Rússia. A competição, que vai até a próxima segunda-feira (18), será fundamental para a soma de pontos nos rankings mundial e olímpico, que são critérios de classificação para as Olimpíadas do Rio 2016. A equipe brasileira está representada por um total de 16 atletas.

Colocada no olho do furacão em razão do pedido (plenamente aceito) de Anderson Silva, ex-campeão do UFC e suspenso preventivamente por um duplo caso de doping, para disputar a seletiva olímpica, a CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo) tem entre seus convocados aquele que pode ser o futuro rival do “Spider” na definição da seleção nacional. Na categoria acima de 87 kg, Guilherme Félix lutará no sábado (16) e seu combate de estreia será contra Diabete Toumani, de Mali. Félix manifestou-se publicamente contra a intenção de Anderson Silva em disputar a seletiva. Ele é o melhor brasileiro classificado no ranking olímpico da WTF (Federação Mundial de Taekwondo), ocupando a 20ª colocação na lista anunciada em maio. “Se tiver que enfrentá-lo, com certeza apostaria na minha vitória”, disse Félix ao iG Esporte, em reportagem publicada no último dia 23 de abril.

O Mundial de taekwondo apresenta algumas diferenças em relação ao torneio olímpico da modalidade, especialmente em relação às categorias de peso. Guilhrme Félix, por exemplo, que busca uma vaga no Rio 2016 na categoria + 80 kg, irá competir na Rússia na categoria + 87 kg. As demais classes olímpicas do taekwondo são até 58 kg, até 68 kg, até 80 kg e acima de 80 kg (masculino); até 49 kg, até 57 kg, até 67 kg e acima de 67 kg (feminino). O Brasil, por ser o país-sede dos Jogos Olímpicos, terá direito a duas vagas asseguradas antecipadamente e uma delas é na categoria pesado (+ 80 kg) masculino.

Confira abaixo as datas e os adversários de estreia dos brasileiros em Chelyabinsk:

12/5 – Terça-feira

Até 46 kg- feminino
Iris Sing x venc, de Accacia Aggarwall (QUE) x Claudia Lipcsei (HUN)

Até 58 kg – masculino
Leonardo Moraes x Machario Patti (HOL)

13/5 – Quarta-feira

Até 49 kg – feminino
Talisca Reis x Ana Petrusic (ESL)

Até 74 kg – masculino
Henrique Precioso x venc, Gianluca Barbara (MAL) x Rostand Kiki (BEN)

14/5 – Quinta-feira

Até 67 kg – feminino
Paloma Lima x Alexis Arnoldt (ARG)

Até 68 kg – masculino
Gustavo Almeida x Dong Yun (COR)

15/5 – Sexta-feira

Até 53 kg – feminino
Alessandra Trevisan x Yamicel Nuñez (CUB)

Até 73 kg – feminino
Hellorayne Paiva x Dong Hua (CHN)

Até 54 kg – masculino
Venilton Teixeira x Aadil Al Wahaibi (OMA)

16/5 – Sábado

Até 73 kg – feminino
Raphaella Galacho x Hye-ri Oh (COR)

Até 87 kg – masculino
John Lee Silva x Apostolos Telikostoglou (GRE)

Acima de 87 kg – masculino
Guilherme Félix x Diabate Toumani (MAL)

17/5 – Domingo

Até 57 kg – feminino
Josiane Lima x venc. Emely Cartagena (PUR) x Da-yeong Kim (COR)

Até 63 kg – masculino
Davilani Cruz x Abolfazl Yaghoubi Jouybar (IRA)

18/5 – Segunda-feira

Até 62 kg – feminino
Julia Vasconcelos x venc. Caroline Person (SUE) x Kyra Potter (EUA)

Até 80 kg – masculino
André Bilia x Maksat Abdrambrek (CAZ)

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 9 de maio de 2015 Ídolos, Imprensa, Mundiais, Seleção brasileira | 16:21

Crise fora de hora no atletismo brasileiro

Compartilhe: Twitter
O brasileiro Thiago Braz é considerado a maior revelação do salto com vara masculino do Brasil

O brasileiro Thiago Braz é considerado a maior revelação do salto com vara masculino do Brasil

Relevante e preocupante a informação publicada na edição deste sábado da Folha de S. Paulo, relatando aquele que é um princípio de crise dentro da seleção brasileira de atletismo: o rompimento entre os treinadores Elson Miranda e o ucraniano Vitaly Petrov, do salto com vara, em razão de decisão de Thiago Braz, considerado a maior revelação da modalidade, em  trabalhar somente com Petrov em sua base de treinamento, em Fornia, na Itália (a história completa pode ser conferida aqui, na versão online do jornal).

Em resumo, a crise começou quando no ano passado, após casar-se com a também atleta Ana Paula Oliveira, do salto em altura, Thiago Braz decidiu mudar-se para a Itália e treinar diretamente com Petrov, rompendo assim uma parceria de anos com Miranda, que é o treinador da equipe brasileira de salto com vara e também da equipe BM&F, de São Caetano. O ucraniano, que foi o treinador do ainda recordista mundial Serguei Bubka, passou a atuar como consultor de Miranda em 2001 e após o título mundial de Fabiana Murer, em 2011, foi contratado como consultor pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), em parceria com o COB (Comitê Olímpico do Brasil), até os Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Obviamente que a história não poderia acabar bem. Para a Folha, Miranda acusou Petrov de ter aliciado Thiago Braz e afirmou que ele e Fabiana, que é sua mulher, não usarão mais as instalações do ucraniano na Itália, quando estiverem competindo e treinando na Europa. Para completar o quadro, agora Petrov é contratado pelo COB apenas para orientar Braz, que também deixou o BM&F e agora compete pela Orcampi/Unimed, de Campinas.

Mais do que uma briga de egos feridos ou de posturas profissionais questionáveis, está em jogo a própria harmonia dentro de uma parte importante da seleção brasileira de atletismo. Foi inegável a evolução de Fabiana Murer tendo a ajuda de Petrov em seus treinamentos nos últimos anos e seria importante contar com alguém de sua experiência ao lado tanto no Mundial de Pequim, em agosto próximo, quanto nos Jogos do Rio, no ano que vem.

Também preocupa o efeito que esta confusão terá na cabeça de Thiago Braz, sem dúvida um dos grandes talentos revelados pelo atletismo brasileiro nos últimos anos. Em menos de cinco anos, sua melhor marca no salto com vara saiu de 5m10, obtida em setembro de 2010, para 5m83, em julho de 2013, atual recorde sul-americano e brasileiro. Com apenas 21 anos, ele foi campeão mundial juvenil em Barcelona (ESP), em 2012, e ficou em quarto lugar no Mundial indoor de Sopot (POL), no ano passado.

Na próxima sexta-feira (15), Elson Miranda e Th iago Braz deverão se encontrar para a disputa do título do salto com vara no Troféu Brasil de atletismo, na Arena Caixa, em São Bernardo do Campo (SP). Tomara que a direção da CBAt tenha habilidade para saber aparar as arestas dos dois lados e evitar que o atletismo brasileiro seja o maior prejudicado em toda esta confusão.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 4 de maio de 2015 Mundiais, Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 00:14

Revezamentos do Brasil asseguram vaga no Rio 2016

Compartilhe: Twitter
Rosângela Santos e Franciela Krasucki comemoram a vaga do Brasil para o Rio 2016

Rosângela Santos e Franciela Krasucki comemoram a vaga do Brasil  no revezamento 4 x 100 m para o Rio 2016

O final de semana esportivo encerrou-se neste domingo com saldo positivo para o atletismo brasileiro. Ao final da segunda edição do simpático Campeonato Mundial de revezamentos de atletismo, realizado em Nassau, nas Bahamas, o Brasil conseguiu alcançar o principal objetivo proposto, que era o de assegurar a vaga antecipada para as Olimpíadas do Rio 2016.

A lição de casa foi feita de forma completa, com as equipes do 4 x 100 e 4 x 400 m, masculino e feminino, assegurando a classificação olímpica. E um fato que merece ser destacado é que apenas três países conseguiram classificar suas equipes nestas quatro provas: os fortíssimos times dos Estados Unidos e Jamaica, além do Brasil. Um feito importante, sem dúvida, mas que não deve despertar maiores ondas de ufanismo fora de hora.

Do ponto de vista técnico, todas as equipes fizeram na final seus melhores resultados no ano, em termos de tempo: o 4 x 100 masculino foi quem teve a melhor colocação, ao terminar em quarto lugar, com 38s63; o feminino do 4 x 100 m, apontado como favorito para brigar por uma medalha olímpica, foi o sexto, com 42s92; o 4 x 400m masculino fechou sua participação em quinto, com 3min00s96; e por fim o 4 x 400 m feminino, o único que fez a melhor marca da temporada na eliminatória, ficou em oitavo e último lugar na final, com 3min31s30.

E não se pode dizer que foi um Mundial fácil, pois a Jamaica, com Usain Bolt e tudo, perdeu o ouro para os Estados Unidos no 4 x 100 m masculino, no sábado à noite. Ou seja, com um nível técnico forte, só comprova que o Brasil precisará trabalhar muito para chegar ao pódio olímpico no ano que vem e ajudar a alcançar a ousada meta de ficar no top 10 do quadro de medalhas nos Jogos do Rio.

Confira aqui todas as modalidades que já têm países classificados para os Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 23 de abril de 2015 Jogos de Inverno, Mundiais, Olimpíadas, Paraolimpíadas, Rola pelo mundo | 19:22

COI prepara o lançamento da TV Olímpica

Compartilhe: Twitter
Flickr/COI

A ideia da criação de uma TV Olímpica é defendida há tempos por Thomas Bach

Imagine você, fã ardoroso de esportes olímpicos, se tivesse à disposição um canal de televisão que transmita notícias e eventos ligados às Olimpíadas ou de suas respectivas modalidades, 24 horas por dia. Utopia? Bem, saiba que tal canal está muito perto de ser colocado no ar. Nesta semana, o COI (Comitê Olímpico Internacional) confirmou que seu canal olímpico de TV será lançado até abril do ano que vem. O anúncio foi feito por Yiannis Exarchos, chefe executivo do serviço de radiodifusão da entidade, departamento que é responsável pela negociação dos direitos de transmissão para todo o planeta dos eventos olímpicos.

A ideia de se criar uma plataforma permanente para divulgação de seus eventos, sem depender da negociação de direitos ou grades de programação das emissoras de cada país é uma das primeiras plataformas de governo do presidente do COI, Thomas Bach.  Este novo canal era citado como uma das formas de ampliação dos ideais olímpicos durante o lançamento da Agenda 20 + 20, no final de 2014, considerada pelo próprio Bach como fundamental para a renovação do próprio COI.

Não será um canal de TV tradicional, contudo. Num momento inicial, o canal olímpico está disponível somente para dispositivos móveis (tablets e smarthphones) e terá sua estação principal com sede na cidade de Madri (Espanha), enquanto o departamento comercial ficará baseado em Lausanne (Suíça), sede do COI. O projeto vem sendo desenvolvido ao logo dos últimos sete anos e tem um custo estimado de US$ 478 milhões (cerca de R$ 1,4 bilhão).

LEIA AINDA

+ Eduardo Paes x Thomas Bach: quem fala a verdade?
+ Pacotão do COI veio para salvar as Olimpíadas

 

Os primeiros testes da TV Olímpica começarão em janeiro do ano que vem e o lançamento deve ficar entre os meses de abril ou maio de 2016, ou seja, às vésperas das Olimpíadas do Rio. A intenção é produzir uma programação de 24h com noticiários, transmissão de eventos qualificatórios olímpicos ou campeonatos mundiais das federações internacionais ligadas ao COI. O novo canal não deverá, contudo, transmitir competições dos Jogos Olímpicos (verão, inverno e da juventude).

Embora o lançamento da TV Olímpica tenha sido aprovada por unanimidade pelos 104 membros da Assembleia Geral do COI no último final de semana, durante a convenção SportAccord, em Sochi, na Rússia, encontra alguma resistência dentro do movimento olímpico. Alguns dirigentes de federações esportivas criticam o investimento na nova plataforma e acham que a verba deveria ser  destinada para o desenvolvimento do esporte.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015 Ídolos, Mundiais, Musas, Olimpíadas | 19:25

Ysinbayeva volta e já fala em ouro no Rio 2016

Compartilhe: Twitter
A russa Elena Isinbayeva anuncia em entrevista coletiva seu retorno às competições

Isinbayeva anuncia seu retorno às competições, de olho nas Olimpíadas do Rio (Foto: AP)

Acabou a moleza. A russa Elena Isinbayeva reuniu-se com os jornalistas nesta quinta-feira para anunciar o que muitos já davam como certo: seu retorno às provas do salto com vara neste ano, iniciando sua preparação para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. E a meta não é menos do que retornar para casa com mais uma medalha de ouro para sua coleção.

“Estas serão as minhas Olimpíadas, será o ouro ou nada”, disse Isinbayeva, durante uma entrevista coletiva no CSKA, clube pelo qual irá fazer parte de sua preparação. “Eu já ganhei tudo o que eu poderia querer em minha carreira. Apenas uma nova medalha de ouro poderia ser acrescentada a tudo o que já conquistei”, afirmou a russa, de 32 anos.

Elena Isinbayeva retorna às competições após um período sabático iniciado ao final do Campeonato Mundial de Moscou de 2013, quando após faturar o título parou sua carreira para engravidar. Sua filha nasceu em junho do ano passado.

Não se pode prever como será o retorno de Isinbayeva às competições, quais as dificuldades que ela enfrentará em retomar a antiga forma etc. Mas o seu currículo permite que se espere alguém que ainda poderá brindar os torcedores com momentos inesquecíveis na pista do Engenhão, onde ocorrerão as disputas do atletismo em 2016. A russa é bicampeã olímpica (Atenas 2004 e Pequim 2008); ganhou um bronze olímpico (Londres 2012); foi três vez campeã mundial outdoor (pista descoberta), em 2005, 2007 e 2013; e foi também quatro vezes campeã do mundo em pista coberta (2004, 2006, 2008 e 2012). Ela é dona dos recordes mundiais ao ar livre (5m06) e em pista coberta (5m01).

Se confirmar sua vaga, as Olimpíadas de 2016 só terão a ganhar com uma estrela como Elena Isinbayeva, mesmo que isso represente uma ameaça ao sonho de uma medalha de ouro para o Brasil, com Fabiana Murer.

Autor: Tags: , , ,

domingo, 1 de fevereiro de 2015 Mundiais, Olimpíadas, Pré-Olímpico | 21:54

Com título no Mundial de handebol, França já tem vaga em 16 eventos no Rio 2016

Compartilhe: Twitter
Jogadores da seleção da França  erguem o troféu do Mundial masculino de handebol, obtido neste domingo

Jogadores da seleção da França erguem o troféu do Mundial masculino de handebol, obtido neste domingo

Felizmente o verdadeiro espírito do esporte prevaleceu e a França acabou com a graça da seleção do Catar na final do Campeonato Mundial masculino de handebol, encerrado neste domingo em Doha (Catar). A vitória por 25 a 22, além de assegurar o quinto título do torneio aos franceses, evitou que uma aberração esportiva acontecesse e a “falsa” seleção catari, que tem nada menos do que nove atletas naturalizados entre os 16 atletas inscritos, ficasse com o troféu, consagrando de vez a malfadada onde de naturalizações no esporte olímpico mundial.

O título mundial da França também teve outro efeito: assegurou a vaga da equipe no torneio olímpico de handebol dos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Agora, a competição, que contará com 12 equipes, já tem classificados o Brasil (como país-sede) e a seleção francesa, que de quebra garantiu neste domingo sua presença em 16 eventos olímpicos no próximo ano.

Confira na página especial do blog todos os países já classificados para os Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015 Mundiais, Olimpíadas | 16:04

O perigoso sucesso do Catar no Mundial de handebol

Compartilhe: Twitter
Jogadores do Catar comemoram a inédita classificação para a final do Mundial masculino de handebol

Jogadores do Catar comemoram a inédita classificação para a final do Mundial masculino de handebol

Há poucos minutos, um resultado histórico aconteceu no Mundial masculino de handebol, que está sendo realizado no Catar. Diante de um ginásio lotado, a seleção catari alcançava um feito inédito, ao derrotar a Polônia por 31 a 29 e classificar-se para a final do torneio. Foi a primeira vez em 24 edições do Mundial que uma equipe de fora da Europa chegava à decisão. Até aí nada demais, se não fosse o fato de que essa é uma “falsa” seleção do Catar.

Dos 16 jogadores inscritos para a competição, nada menos do que nove são naturalizados. NOVE! Tem bósnio, cubano, sérvio, francês, espanhol, tunisiano. O próprio técnico, Valero Rivera, é espanhol. Com esta seleção multinacional, o Catar vem cumprindo uma campanha brilhante, tendo vencido sete das oito partidas que disputou até agora. Pelo andar da carruagem, pode até ganhar o Mundial, neste domingo, e classificar-se antecipadamente para os Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Trata-se de uma trapaça, uma espécie de doping técnico impulsionado pelos dólares que jorram do país árabe, polêmica sede da Copa do Mundo de futebol de 2022. É só ter um mínimo de conhecimento esportivo para saber que sem estes naturalizados, o Catar não passaria de um (péssimo) figurante no Mundial, dada a sua total falta de tradição no handebol.

O assunto é tão incômodo (para não dizer vergonhoso) que os próprios dirigentes da federação catari proibiram os jogadores e o treinador foram proibidos de responder a perguntas sobre o assunto de naturalização.

E nem se pode dizer que a culpa é apenas do Catar. A moda de naturalizações vem infestando o esporte mundial nos últimos anos, em todas as modalidades. Tênis de mesa, ginástica artística, polo aquático, vôlei, basquete, atletismo… em todos estes esportes têm sido possível encontrar atletas que nasceram em outras nações, mas que resolveram mudar sua pátria movidos pelos mais diferentes motivos. Poucos, muito poucos, o fizeram por ter uma identificação genuína com o novo país. Nas Olimpíadas de 2012, o excesso de naturalizações atingiu a delegação da Grã-Bretanha foi tão grande que despertou a ira de torcedores e jornalistas, chamando os naturalizados de “britânicos de plástico”.

Aliás, que ninguém pense que o Brasil está imune a isso, pois já tivemos dois casos (Larry Taylor, no basquete, e Gui Lin, no tênis de mesa) de naturalização na delegação do país em Londres, e com certeza teremos muitos mais até as Olimpíadas do Rio 2016, no Rio de Janeiro, especialmente em modalidades onde o Brasil não consegue desenvolver talentos de nível competitivo.

Relembre: Brasil terá “reforço externo” em Londres. Será que vale a pena?

Se ainda esta febre de naturalização mundial viesse acompanhada de um verdadeiro processo de massificação e descobrimento de novos talentos para estas modalidades, daria para aceitar, meio a contragosto. Mas o que está por trás, na maioria dos casos, é somente a busca pela glória efêmera, vitaminada por talentos que nasceram em lugares muito distantes das bandeiras pelas quais eles correm, saltam e jogam. O esporte só tem a perder com esta globalização fajuta.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015 Listas, Mundiais, Pan-Americano, Pré-Olímpico | 12:00

O calendário 2015 do esporte olímpico

Compartilhe: Twitter

Toronto 2015

A chegada de 2015 promete ser um prato cheio aos amantes dos esportes olímpicos. Afinal, este será o último ano antes da maior festa poliesportiva mundial, as Olimpíadas do Rio 2016. E o grande aquecimento, ao menos para o torcedor brasileiro, será em julho, com a realização dos Jogos Pan-Americanos em Toronto (Canadá), competição onde tradicionalmente o Brasil faz a festa em relação a conquista de medalhas.

Mas será um ano também de importantes campeonatos mundiais, como o de esportes aquáticos, em Kazan (Rússia) e de atletismo, em Pequim (China), onde boa parte da equipe olímpica brasileira nestas duas modalidades poderá ser definida. Ainda teremos mundiais de judô (Cazaquistão), ginástica artística (Escócia) e handebol (Dinamarca). Para completar, também será uma temporada na qual estão previstos vários eventos-testes para os Jogos do Rio.

Ou seja, tem atração para todos os gostos.

E o blogueiro aproveita também para desejar um Feliz 2015 aos leitores!

JANEIRO

10 e 11 – Circuito Masculino de rúgbi seven – Mar del Plata (ARG)
15/1 a 1º/2 – Campeonato Mundial masculino de handebol – Doha (QAT)
17 a 18 – Circuito Masculino de rúgbi seven – Viña del mar (CHI)
19/1 a 1º/2 – Aberto da Austrália de tênis
30/1 a 1º/2 – Grand Prix de luta olímpica – Paris (FRA)

FEVEREIRO

7 e 8 – Circuito Mundial feminino de rúgbi seven – São Paulo (BRA)
16 a 22 – Rio Open de tênis – Rio de Janeiro (BRA)
18 a 22 – Campeonato Mundial de ciclismo de pista – Saint-Quentin-en-Yvelines (FRA)
20 a 22 – Grand Prix de judô – Dusseldorf (ALE)
28/2 a 10/3 – Copa do Mundo de tiro esportivo (tiro ao prato) – Acapulco (MEX)

MARÇO

6 a 8 – Copa Davis de tênis – 1ª rodada
7 e 8 – Aberto Pan-Americano de judô – Santiago (CHI)
14 a 15 – Circuito Mundial de rúgbi seven – EUA
14 e 15 – Aberto Pan-Americano de judô – Montevidéu (URU)
19 a 29 – Copa do Mundo de tiro esportivo (tiro ao prato) – Al Ain (EAU)
21 e 22 – Aberto Pan-Americano de judô – Buenos Aires (ARG)
25 a 27 – Copa do Mundo de ginástica artística (1ª etapa) – Doha (QAT)
27 a 29 – Grand Prix de judô – Samsun (TUR)

ABRIL

3 a 5 – Copa do Mundo de ginástica artística (2ª etapa) – Ljubljana (ESL)
6 a 11 – Troféu Maria Lenk de natação – Rio de Janeiro (BRA)
8 a 16 – Copa do Mundo de tiro esportivo (carabina e pistola) – Changhow (KOR)
15 a 19 – Copa do Mundo de hipismo saltos (final) – Las Vegas (EUA)
18 e 19 – Circuito Mundial de rúgbi seven – Canadá
24 a 26 – Campeonato Pan-Americano de luta olímpica – Santiago (CHI)
24 a 26 – Campeonato Pan-Americano de judô – Edmonton (CAN)
24/4 a 4/5 – Copa do Mundo de tiro esportivo (tiro ao prato) – Lanarca (CHP)
26/4 a 3/5 – Campeonato Mundial de tênis de mesa – Suzhou (CHN)

MAIO

1º a 3 – Grand Prix de judô – Zagreb (CRO)
2 e 3 – Campeonato Mundial de revezamentos de atletismo – Nassau (BAH)
7 a 9 – Copa do Mundo de ginástica artística (4ª etapa) – Varna (BUL)
8 a 10 – Grand Slam de judô – Baku (AZE)
9 a 31 – Giro D’Italia de ciclismo estrada – vários locais
11 a 19 – Copa do Mundo de tiro esportivo (carabina e pistola) – Fort Benning (EUA)
16/5 A 19/7 – Liga Mundial masculina de vôlei – vários locais
21 a 24 – Copa do Mundo de ginástica artística (5ª etapa) – Anadia (POR)
24/5 a 7/6 – Torneio de tênis de Roland Garros – Paris (FRA)
26 a 31 – Grand Slam de vôlei de praia – Moscou (RUS)
26/5 a 2/6 – Copa do Mundo de tiro esportivo (carabina e pistola) – Munique (ALE)
31/5 a 8/6 – Campeonato Pan-Americano feminino de handebol – Cuba

JUNHO

5 a 7 – Campeonato Sul-Americano de atletismo – Assunção (PAR)
6/6 a 5/7 – Copa do Mundo de futebol feminino – Canadá
6 a 16/6 – Copa do Mundo de tiro esportivo (carabina, pistola e tiro ao prato) – Gabala (AZE)
12 a 14 – Grand Prix de judô – Miami (EUA)
16 a 21 – Grand Slam de vôlei de praia – São Petersburgo (RUS)
26/6 a 26/7 – Grand Prix feminino de vôlei – vários locais
26/6 a 5/7 – Campeonato Mundial de vôlei de praia – Holanda
28/6 a 6/7 – Campeonato Mundial de pentatlo moderno – Berlim (ALE)
29/6 a 5/7 – Torneio de tênis de Wimbledon – Londres (ING)
29/6 a 5/7 – Campeonato Mundial de vela (Nacra 17) – Aarhus (DIN)
29/6 a 8/7 – Campeonato Mundial de vela (Laser e Laser Radial) – Kingston (JAM)

JULHO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de vôlei – Rio de Janeiro
7 a 26 – Jogos Pan-Americanos (cerimônia de abertura será dia 10) – Toronto (CAN)
4 a 26 – Tour de France de ciclismo estrada – França
13 a 19 – Campeonato Mundial de esgrima – Kazan (RUS)
16 a 23 – Campeonato Mundial de taekwondo – Chelyabinsk (RUS)
17 a 19 – Copa Davis de tênis – Quartas de final
17 a 19 – Grand Slam de judô – Tyumen (RUS)
21 a 26 – Grand Slam de vôlei de praia – Yokohama (JAP)
21 a 25 – Campeonato Mundial de ciclismo BMX – Heusden-Zolder (BEL)
24/7 a 9/8 – Mundial de esportes aquáticos (natação, nado sincronizado, saltos ornamentais, polo aquático e maratona) – Kazan (RUS)
26/7 a 2/8 – Campeonato Mundial de tiro com arco – Copenhague (DIN)

AGOSTO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de vôlei de praia – Rio de Janeiro (BRA)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de triatlo – Rio de Janeiro (BRA – Forte de Copacabana)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de remo – Rio de Janeiro (BRA – Lagoa Rodrigo de Freitas)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de ciclismo estrada – Rio de Janeiro (BRA – Parque do Flamengo)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de maratona aquática – Rio de Janeiro (BRA – Forte de Copacabana)
1 e 2 – Aberto Pan-Americano de judô – Miami (EUA)
2 e 3 – Aquece Rio 2016 de hipismo CCE – Rio de Janeiro (BRA – Deodoro)
8 a 16 – Pré-Olímpico feminino de basquete – Edmonton (CAN)
9 – GP do Brasil de atletismo – Belém (BRA)
10 a 16 – Campeonato Mundial de badminton – Jacarta (IDN)
12 a 22 – Aquece Rio 2016 de vela – Rio de Janeiro (BRA – Marina da Glória)
14 a 16 – Evento-teste Rio 2016 de hipismo saltos – Rio de Janeiro (BRA)
17 a 22 – Troféu José Finkel de natação – São Paulo (BRA)
18 a 23 – Grand Slam de vôlei de praia – Long Beach (EUA)
19 a 23 – Campeonato Mundial de canoagem velocidade – Milão (ITA)
22/8 a 6/9 – Copa do Mundo feminina de vôlei – Japão
22/8 a 4/9 – Pré-Olímpico masculino de basquete – Monterrey (MEX)
22/8 a 13/9 – Vuelta a España – ciclismo estrada – Espanha
22 a 30 – Campeonato Mundial de atletismo – Pequim (CHN)
25 a 30 – Grand Slam de vôlei de praia – Polônia
25 a 30 – Tour do Rio de ciclismo estrada – Rio de Janeiro
25 a 30 – Campeonato Mundial de judô – Astana (CAZ)
31/8 a 6/9 – Campeonato Mundial de ciclismo mountain bike – Andorra (ESP)

SETEMBRO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de canoagem velocidade – Rio de Janeiro (BRA – Lagoa Rodrigo de Freitas)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de tiro com arco – Rio de Janeiro (BRA – Sambódromo)
7 a 13 – Campeonato Mundial de ginástica rítmica – Stuttgart (ALE)
7 a 13 – Campeonato Mundial de luta olímpica – Las Vegas (EUA)
8 a 23 – Copa do Mundo masculina de vôlei – Japão
9 a 18 – Campeonato Mundial de tiro esportivo (tiro ao prato) – Lonato (ITA)
16 a 20 – Campeonato Mundial de canoagem slalom – Eton Dorney (ING)
17 a 20 – Copa do Mundo de ginástica artística (6ª etapa) – Osijek (CRO)
18 a 20 – Copa Davis de tênis – Semifinais
19 a 27 – Campeonato Mundial de ciclismo estrada – Richmond (EUA)

OUTUBRO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de ciclismo BMX – Rio de Janeiro (BRA – Deodoro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de ciclismo mountain bike – Rio de Janeiro (BRA – Deodoro)
1º a 4 – Finais do Circuito Mundial de vôlei de praia – EUA
5 a 13 – Campeonato Mundial masculino de boxe – Doha (QAT)
17 e 18 – Grand Slam de judô – Paris (FRA)
17 a 24 – Campeonato Mundial de vela (RS:X) – Al Musay (OMN)
24/10 a 1º/11 – Campeonato Mundial de ginástica artística – Glasgow (ESC)
31/10 e 1º/11 – Grand Prix de judô – Abu Dhabi (EAU)

NOVEMBRO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de tênis de mesa – Rio de Janeiro (BRA – Riocentro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de polo aquático – Rio de Janeiro (BRA – Julio de Lamare)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de hoquei na grama – Rio de Janeiro (BRA – Deodoro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de badminton – Rio de Janeiro (BRA – Riocentro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de canoagem slalom – Rio de Janeiro (BRA – Deodoro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de golfe – Rio de Janeiro (BRA – Campo Olímpico de Golfe)
15 a 22 – Finais da ATP de tênis – Londres (ING)
17 a 22 – Campeonato Mundial de vela (49er) – Buenos Aires (ARG)
20 a 30 – Campeonato Mundial de vela (Finn) – Wellington (NZL)
25 a 28 – Campeonato Mundial de ginástica trampolim – Odense (DIN)
26 a 29 – Grand Prix de judô – Jeju (KOR)
27 a 29 – Copa Davis de tênis (final)
28 e 29 – Circuito Mundial masculino de rúgbi seven – Dubai (EAU)

DEZEMBRO

Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de boxe – Rio de Janeiro (BRA – Riocentro)
Data a confirmar – Aquece Rio 2016 de tênis – Rio de Janeiro (BRA – Centro Olímpico de Tênis)
4 a 6 – Grand Slam de judô – Tóquio (JAP)
5 e 6 – Circuito Mundial feminino de rúgbi seven – Dubai (EAU)
5 a 20 – Campeonato Mundial feminino de handebol – Dinamarca
3 a 7 – Campeonato Mundial de natação em piscina curta – Doha (CAT)

Fontes consultadas: jornais “Folha de S. Paulo” e “O Globo” e sites de federações esportivas internacionais

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sábado, 13 de dezembro de 2014 Isso é Brasil, Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 00:11

O vôlei do Brasil não merece os cartolas que têm

Compartilhe: Twitter
Seleção feminina comemora a medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres, na última grande glória do vôlei brasileiro (Foto: Getty Images)

Seleção feminina comemora a medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres, na última grande glória do vôlei brasileiro (Foto: Getty Images)

Muita atenção para estes nomes…

Willian, Montanaro, Renan, Bernard, Xandó e Amauri

Jaqueline, Isabel, Vera Mossa, Heloisa, Dulce e Ivonete

Mauricio, Marcelo Negrão, Tande, Giovanni, Paulão e Carlão

Ana Moser, Fernanda Venturini, Ana Paula, Ana Flávia, Márcia Fu e Ida

Ricardinho, Nalbert, Escadinha, Rodrigão, Giba e Dante

Dani Lins, Jaqueline, Fabiana, Fabi, Sheilla e Thaisa

Estão listados acima apenas alguns dos grandes responsáveis pelas grandes conquistas do vôlei brasileiro nos últimos 30 anos. Poderia perfeitamente preencher pelo menos mais umas 10 linhas listando alguns dos grandes times brasileiros em Campeonatos Mundiais e Jogos Olímpicos. Sem falar na turma que brilhou no vôlei de praia, o irmão mais novo porém igualmente vencedor, com Emanuel, Ricardo, Alisson, Sandra Pires, Shelda, Jaqueline Silva, Adriana Behar, Larissa, Juliana…

O fato é que todos estes nomes, que tantas glórias fizeram para tornar do vôlei o segundo esporte mais popular do Brasil, não merecem os dirigentes que jogaram a modalidade na lama neste ano de 2014, culminando com o grande vexame ocorrido nesta quinta-feira, quando o Banco do Brasil suspendeu o histórico e milionário patrocínio (estimado em R$ 70 milhões anuais) pagos à CBV (Confederação Brasileira de Vôlei). Tudo isso motivado após a divulgação de um relatório da CGU (Controladoria Geral da União), apontando diversas irregularidades em contratos firmados pela entidade, que chegam a R$ 30 milhões. No popular, dinheiro público que seria destinado ao desenvolvimento e manutenção da modalidade foi desviado, sabe-se lá para onde.

As denúncias feitas pela “ESPN”, em uma sensacional série de reportagens do jornalista Lúcio de Castro desde o início do ano, jogaram por terra a imagem de competência dos cartolas da CBV. Durante muitos anos, passou-se a imagem de que o vôlei era uma ilha de excelência no atrasado mundo olímpico brasileiro. Pelos resultados em quadra, somente das quadras de vôlei o país poderia aprender a criar um modelo vencedor. Centro de Treinamento de última geração, categorias de basa sempre revelando nomes para as seleções, o vôlei virou uma referência para as demais modalidades.

Mas o modelo vencedor, um “case” de sucesso em gestão esportiva segundo o ex-presidente Ary Graça, atual mandatário da FIVB (Federação Internacional de Vôlei), também tinha seus problemas. Basta relembrar a quantidade de equipes que fecharam as portas nos últimos anos, a despeito de ter uma liga nacional com exposição extrema nos canais de esporte a cabo (na TV aberta, apenas as finais e as seleções tinham espaço). É estranho também um esporte tão vencedor ver um êxodo de atletas nos últimos anos. Sheilla e Bruninho, que atuam na Europa. são apenas dois exemplos, enquanto Jaqueline ficou uma temporada sem clube, tendo acertado há pouco com o Minas.

Que todo este vexame que o vôlei viveu ao longo do ano, inclusive nos últimos dias de 2014, sirva para afastar todos os cartolas corruptos de uma vez. E torcer para que esta crise que parecia inimaginável até um tempo atrás não afete o desempenho das equipes nas Olimpíadas de 2016, no Rio.

 

 

Autor: Tags: , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última