Publicidade

Arquivo da Categoria Paraolimpíadas

terça-feira, 4 de novembro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 17:10

Medalhas da Rio 2016 serão feitas com material reciclado

Compartilhe: Twitter
As medalhas que foram distribuídas nas Olimpíadas de 2012, em Londres

As medalhas que foram distribuídas nas Olimpíadas de 2012, em Londres

Ainda sem data definida para lançamento, as medalhas que serão distribuídas aos atletas durante as Olimpíadas e Paraolimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, seguirão a cartilha do ecologicamente correto. Ao todo, as 4.924 medalhas de premiação e 75 mil de participação  terão em sua composição uma porcentagem de metal oriundo da reciclagem de equipamentos eletrônicos.

As medalhas serão confeccionadas pela Casa da Moeda, que acabou de assinar contrato de parceria com o comitê organizador dos Jogos de 2016. A empresa também será a responsável pelo lançamento da coleção das moedas comemorativas das Olimpíadas, cujo primeiro lote começa a circular no mercado neste mês de novembro.

>>> Veja também: Moeda comemorativa da Rio 2016 começa a circular na semana que vem

A Casa da Moeda já tinha experiência em fabricação de condecorações de eventos esportivos: foi ela que produziu as medalhas de premiação dos Jogos Pan-Americanos do Rio 2007 e dos Jogos Mundiais Militares de 2011, também realizados na capital carioca.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 30 de outubro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 08:55

Moeda comemorativa da Rio 2016 começa a circular na próxima semana

Compartilhe: Twitter
As moedas que serão lançadas para homenagear os Jogos Olímpicos de 2016

As moedas que serão lançadas para homenagear os Jogos Olímpicos de 2016

A partir da próxima semana, começarão a circular as primeiras moedas comemorativas produzidas pelo Banco Central e pela Casa da Moeda em homenagem aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016. A primeira série que entrará em circulação terá moedas (com valor facial de R$ 1) homenageando as modalidades golfe, atletismo, natação e paratriatlo. A primeira cunhagem colocará agora em novembro um total de 80 milhões de moedas em circulação.

No total, serão 36 moedas com diferentes desenhos, sendo 16 moedas de R$ 1, de circulação comum, quatro de ouro e 16 de prata. Elas serão lançadas em quatro etapas. As demais chegarão ao mercado em fevereiro de 2015, agosto de 2015 e fevereiro de 2016.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 28 de outubro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 22:32

Triatlo define data de evento-teste para a Rio 2016

Compartilhe: Twitter

A ITU (União Internacional de Triatlo, na sigla em inglês) anunciou nesta terça-feira a data do evento-teste da instalação da modalidade para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Segundo a entidade, a arena provisória que será erguida na região da praia de Copacabana receberá o evento qualificatório mundial do triatlo e paratriatlo nos dias 1º e 2 de agosto de 2015.

Confira abaixo a imagem projetada da sede do triatlo para os Jogos do Rio 2016

Projeção da instalação do triatlo para a Rio 2016, na Praia de Copacabana

Projeção da instalação do triatlo para a Rio 2016, na Praia de Copacabana

O evento será o segundo programado pelo Aquece Rio, como foi batizado a série de competições programadas pelo comitê organizador dos Jogos para testar a funcionalidade das arenas que receberão os atletas nas próximas Olimpíadas. Em agosto deste ano, a regata internacional de vela inaugurou a lista de competições, na semana em que foi festejada a data de dois anos para a abertura dos Jogos do Rio. O terceiro evento será o Campeonato Mundial júnior de remo, entre os dias 6 e 9 de agosto do próximo ano.

Rio 2016 divulga calendário do eventos-testes

“Com o início da busca por pontos para o ranking classificatório aos Jogos Olímpicos, a ITU está ansiosa para mostrar mais uma vez o triatlo e estrear o paratriatlo em um dos cenários esportivos de maior prestígio para o esporte mundial”, declarou Marisol Casado, presidente da entidade. “A praia de Copacabana será um belíssimo pano de fundo para o que esperamos ser uma corrida fenomenal”, completou.

Confira o calendário completo dos eventos-testes para os Jogos Olímpicos Rio 2016

Pelo menos 75 homens e mulheres deverão compor a lista de largada para o evento-teste do triatlo, que inclusive deverá oferecer o nível máximo de pontos da qualificação olímpica, no mesmo patamar da final do World Triathlon Series. A prova do paratriatlo deverá contar com no mínimo 60 participantes.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 17 de outubro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas, Vídeos | 15:40

Veja a evolução das obras no Parque da Barra para 2016

Compartilhe: Twitter
Obras nas três Arenas Cariocas, localizadas no Parque Olímpico da Barra, que receberão competições de oito modalidades em 2016

Obras nas três Arenas Cariocas, localizadas no Parque Olímpico da Barra, que receberão competições de oito modalidades em 2016

Com cerca de 40% das obras concluídas, segundo dados divulgados no início de outubro pela EOM (Empresa Olímpica Municipal), o Parque Olímpico da Barra da Tijuca, principal local de competições dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016, continua com seus trabalhos em ritmo intenso.

A última visita da comissão de avaliação do COI (Comitê Olímpico Internacional) rendeu inclusive elogios justamente de quem, meses antes, havia demonstrado extrema preocupação com os atrasos nos trabalhos – a ponto de a própria entidade realizar uma “intervenção disfarçada”, ao colocar um dirigente para acompanhar ainda mais de perto o ritmo dos trabalhos.

>>> Veja também: Estádio de tênis para o Rio 2016 começa a tomar forma

Segundo a EOM, já foram instalados no Parque Olímpico mais de 10,5 quilômetros de redes de drenagem, 5,3 quilômetros em redes de esgoto, 8,3 quilômetros de redes de água, 5,0 quilômetros de redes de incêndio, 5,0 quilômetros de rede de iluminação pública, 9,9 quilômetros de rede de média tensão e 21,9 quilômetros de redes de telecomunicações.

Veja o vídeo que mostra a evolução das obras no Parque Olímpico:

 

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 14 de outubro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 22:26

Estádio de tênis para 2016 começa a tomar forma

Compartilhe: Twitter
Imagem aérea da obra do estádio principal do Centro de Tênis

Imagem aérea da obra do estádio principal do Centro de Tênis, no Parque Olímpico da Barra

A imagem acima ainda é de um belo canteiro de obras, vamos admitir. Mas é preciso reconhecer que o estádio principal do Centro de Tênis no Parque Olímpico da Barra da Tijuca já começa a tomar forma. Neste local, durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016, serão erguidas mais quinze quadras, entre temporárias e permanentes, que após as Olimpíadas farão parte do Centro Olímpico de Treinamento.

A instalação principal terá a capacidade para 10 mil pessoas e pela foto percebe-se que o anel superior está quase completo. De acordo com o Portal da Transparência Rio 2016, a obra, que foi iniciada em novembro de 2013, tem previsão de término de construção para o terceiro trimestre do ano que vem. Por sinal, um dos eventos-testes dos Jogos está programado para o local, em dezembro de 2015. O valor total da obra é de R$ 164,8 milhões.

>>>Veja ainda: Rio 2016 divulga calendário de eventos-testes

Além da quadra principal permanente, a instalação terá uma quadra temporária, com 5 mil lugares e outra com 3 mil lugares que permanecerá após os Jogos sem as arquibancadas. Haverá ainda 13 quadras descobertas: sete delas, com 250 lugares cada, serão usadas para disputas de partidas. As outras servirão para treinamento e aquecimento. Nos Jogos Olímpicos, o Centro de Tênis receberá as competições de tênis; e nos Jogos Paralímpicos, as de tênis em cadeira de rodas e futebol de 5.

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 9 de setembro de 2014 Imagens Paraolímpicas, Paraolimpíadas, Política esportiva | 18:41

Exemplo de legado esportivo

Compartilhe: Twitter

Se existe uma entidade que pode ser chamada de exemplo de eficiência no esporte brasileiro é o CPB (Comitê Paraolímpico Brasileiro). O desempenho nos Jogos de Londres 2012, quando o Brasil terminou na sétima colocação geral no quadro de medalhas (43 no total, sendo 21 de ouro) comprovam a afirmação da frase anterior.

Mas o que já é bom, tem tudo para ficar ainda melhor. Pelo menos é a expectativa que fica em relação ao Centro Paraolímpico Brasileiro, cujas obras estão a todo vapor e deverão ser concluídas até o segundo semestre do ano que vem. O total de investimentos para a obra é de R$ 288,7 milhões.

>>> Você leu aqui no Espírito Olímpico: Brasil, potência paralímpica

Localizado no terreno que abrigava a antiga Febem Imigrantes, na Zona Sul de São Paulo, o Centro Paraolímpico será a base de preparação da equipe brasileira para as Paraolimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Além disso, ficará como legado esportivo para futuras competições paraolímpicas e olímpicas também. Especialistas asseguram que nenhuma outra instalação esportiva pode abrigar 15 modalidades como prevê o projeto da instalação brasileira.

Alguns números que resumem um pouco o que será o Centro Paraolímpico:

  • Início das obras: dezembro de 2013
  • Previsão de conclusão: em 2015
  • Total do investimento: R$ 264.700.000,00 (obras) + R$ 24.000.000,00 (equipamentos)
  • Financiamento do governo federal: R$ 145.000.000,00 (obras) + R$ 20.000.000,00 (equipamentos e materiais esportivos)
  • Financiamento do governo estadual: R$ 119.700.000,00 (obras) + R$ 4.000.000,00 (equipamentos)
  • Número de trabalhadores em agosto de 2014: aproximadamente 1.350

15 Modalidades serão atendidas no local

Atletismo
Basquete em cadeira de rodas
Bocha
Esgrima em cadeira de rodas
Futebol de 5
Futebol de 7
Golbol
Halterofilismo
Judô
Natação
Rúgbi
Tênis
Tênis em cadeira de rodas
Triatlo
Voleibol sentado

Fonte: Ministério do Esporte

Confira algumas imagens das obras do Centro Paraolímpico de São Paulo

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 27 de agosto de 2014 Imprensa, Olimpíadas, Paraolimpíadas | 23:45

Até 5 mil britânicos podem atuar como voluntários em 2016

Compartilhe: Twitter
Voluntárias auxiliam turista no metrô de Londres, durante os Jogos de 2012

Voluntárias auxiliam turista no metrô de Londres, durante os Jogos de 2012

A notícia foi divulgada pelo site “Inside the Games”, que acompanha o dia a dia do movimento olímpico pelo mundo. Segundo reportagem do portal publicada esta semana, até cinco mil britânicos poderão reforçar o corpo de voluntários para as Olimpíadas e Paraolimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. As inscrições serão abertas pelo comitê organizador dos Jogos nesta quinta-feira (28), que espera recrutar até 70 mil pessoas para atuar nos dois mega-eventos.

É extremamente comum ver estrangeiros, além dos habitantes do país-sede das Olimpíadas, atuando na área do voluntariado, nas mais diversas funções. Especificamente em duas delas eles acabam sendo fundamentais, atuando ao lado das delegações esportivas nas arenas de competição, e auxiliando no apoio aos jornalistas no Media Center (centro de imprensa escrita e online) e no IBC (onde trabalham os jornalistas das redes de televisão e rádio).

>>> Veja também: Saiba o que você precisa fazer para se tornar voluntário nos Jogos do Rio 2016

O sucesso do trabalho dos voluntários nas Olimpíadas de Londres 2012 e recentemente nos Jogos da Comunidade Britânica (os Commonwealth Games), realizados em Glasgow, na Escócia, servem como argumento que justifica a estimativa otimista. E tem que realmente ter muita vontade de trabalhar apenas para ajudar a fazer a festa olímpica carioca um sucesso, pois não será nada barato. Estima-se que cada britânico que pretender atuar como voluntário gastará, só de passagem, cerca de US$ 4.100 (mais de R$ 9 mil em valores de hoje).

Ainda assim, há quem acredite que um mini-exército britânico invadirá o Rio daqui a dois anos. “O voluntariado em grandes eventos esportivos é um exemplo de como transformar uma forma de trabalho em lazer sério. Para muitas pessoas, poder ficar com o uniforme e a credencial tem um valor inestimável. Não seria surpresa para mim se pelo menos cinco mil britânicos trabalharem nos Jogos de 2016”, diz Simon Shibli, professor da Sheffield Hallam University e que desenvolve estudos sobre voluntariado esportivo.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 20 de agosto de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 19:14

Quer ser voluntário para a Rio 2016? Então prepare-se…

Compartilhe: Twitter
Voluntário orienta a chegada de público no Parque Olímpico de Londres, em 2012: função vital para o sucesso dos Jogos

Voluntário orienta a chegada de público no Parque Olímpico de Londres, em 2012: função vital para o sucesso dos Jogos

Na próxima quinta-feira, dia 28, serão abertas as inscrições para quem quiser trabalhar como voluntário nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Pode não parecer muito relevante para quem nunca viu uma edição de Olimpíadas ao vivo, mas trata-se de uma das funções mais importantes para o bom funcionamento do esquema de organização dos Jogos.  Seja para orientar e informar o público que irá às arenas, seja para auxiliar o trabalho da mídia que irá divulgar o mega-evento ou mesmo no apoio aos atletas e dirigentes, nas competições ou na Vila Olímpica. Sem voluntário, não tem Olimpíadas.

(Embora, em uma opinião muito pessoal, um evento que movimenta muitos milhões de dólares como são as Olimpíadas, bem que poderia desembolsar um pouco de seu incrível lucro para auxiliar ao menos a hospedagem desta turma, cá entre nós…)

A meta do comitê organizador da Rio 2016 é contar com 70 mil voluntários, sendo 45 mil para as Olimpíadas e 25 mil nas Paraolimpíadas, entre brasileiros e estrangeiros. Os escolhidos – que precisarão passar por entrevistas seletivas, treinamento presencial, online e participação nos eventos testes – serão divididos em duas categorias: generalista (não necessita de conhecimento técnico ou específico para desempenhar sua função) e especialista (necessita de conhecimento técnico ou específico para desempenhar sua função, como profissionais da saúde, profissionais de TI, esportistas ou pessoas vinculadas ao esporte). A fluência em outro idioma não é obrigatória para que a pessoa seja um voluntário nas Olimpíadas.

As únicas exigências são ter no mínimo 18 anos, ensino fundamental completo e disponibilidade de tempo para atuar ao longo de todo o período dos Jogos (Olímpicos e Paraolímpicos). A organização dos Jogos só oferece alimentação e transporte em dia de trabalho na região metropolitana do Rio de Janeiro. Hospedagem e transporte até a sede das próximas Olimpíadas ficam por conta do voluntário.

Os interessados podem conferir mais informações na página especial do site dos Jogos Olímpicos de 2016.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 5 de agosto de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 09:37

O espírito da Copa bastará para fazer da Rio 2016 um sucesso?

Compartilhe: Twitter
A exatos dois anos da abertura das Olimpíadas do Rio 2016, muitas incertezas ainda cercam a organização do mega-evento

A exatos dois anos da abertura das Olimpíadas do Rio 2016, muitas incertezas ainda cercam a organização do mega-evento

Há exatos 23 dias, o encerramento da Copa do Mundo trouxe ao torcedor brasileiro um sentimento de satisfação com o sucesso, ao menos nos gramados e arquibancadas, na organização de um evento em que muitos apostavam num fracasso retumbante. Se é inegável que o Mundial de futebol trouxe uma onda de otimismo, engana-se redondamente quem achar que somente com o “espírito da Copa” será possível ao Brasil ser aprovado com louvor em seu novo desafio: organizar com brilhantismo os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Nesta terça-feira, 5 de agosto, faltam exatamente dois anos para a abertura do mega evento.

E o adjetivo “mega” já serve para explicar que não há termos de comparação entre o Mundial da Fifa e o maior evento poliesportivo do planeta, sob responsabilidade do COI (Comitê Olímpico Internacional). Primeiro, porque são na prática 28 Copas do Mundo, referentes às modalidades esportivas que compõe o programa olímpico, acontecendo simultaneamente, todos eles com suas características e necessidades específicas, o que já torna a tarefa muito mais complicada.

>>>Londres 2012 x Rio 2014: semelhanças e diferenças

Além disso, enquanto 32 seleções disputaram a Copa do Mundo 2014, mais de 200 países (foram 204 em Londres 2012) mandam representantes para os Jogos Olímpicos, que ficam reunidos na mesma cidade, enquanto 12 cidades-sedes receberam as partidas do Mundial. Questões como logística e eficiência nos transportes são condição número 1 para o sucesso dos Jogos.

E como complicação pouca é bobagem, não se pode esquecer que a cidade carioca receberá ainda a edição dos Jogos Paraolímpicos, a partir de 7 de setembro de 2016, com 23 modalidades e com a obrigação de dar acessibilidade a atletas, técnico, dirigentes e torcedores.

>>>Rio 2016 divulga calendário para eventos-testes

Com tudo isso, o desafio do Rio de Janeiro, a primeira cidade da América do Sul a receber as Olimpíadas, já seria gigantesco, se não contasse com o desagradável (para dizer o mínimo) habito brasileiro de atropelar prazos e menosprezar cronogramas, correndo no final para cumprir todas as obras. Foi assim na Copa e será assim nos Jogos Olímpicos.

Como bem apontou o jornal Folha de S. Paulo em sua edição do último domingo, o Rio ainda precisa concluir 76% das obras nas arenas que receberão os atletas olímpicos daqui a dois anos. É muita coisa para ser feita com prazos apertados. Lembrem-se de que o Rio de Janeiro foi indicada pelo COI para organizar os Jogos de 2016 há praticamente sete anos, em outubro de 2009.

Com dados da APO (Autoridade Pública Olímpica) e Rio Transparente, é possível saber que pelo menos 15 obras e reformas de arenas dos Jogos nem saíram do papel. E foi apenas no início de julho que o Complexo Esportivo de Deodoro, sede de 11 modalidades olímpicas e paraolímpicas daqui a dois anos, viu os primeiros tratores iniciarem obras de construção e reforma nas arenas previstas para o local.

Não foi à toa, portanto, que o COI fez uma espécie de intervenção na organização dos Jogos, em abril, alarmado com os incontáveis atrasos e descompasso entre os poderes municipal, estadual e federal, em relação aos custos dos Jogos, estimados hoje em R$ 37,6 bilhões, entre gastos de construção e reformas de instalações esportivas, mobilidade e legado urbano, além de custos de organização. O discurso do COI, após entrar para valer na organização da Rio 2016, agora é de otimismo, porém sempre alertando para a questão dos prazos.

>>>Aleluia: as obras de Deodoro começaram!

Nestes próximos dois anos, ao contrário do que ocorreu com a Copa do Mundo, será preciso ainda engajar a população para um evento poliesportivo, com modalidades esportivas que 90% dos torcedores jamais viram na vida. Este talvez fosse o maior legado que as Olimpíadas do Rio poderiam trazer ao país, a semente para acabar com a monocultura esportiva do futebol, mas infelizmente isso não irá acontecer, ao menos a curto prazo, por culpa exclusiva do Brasil.

Por conta disso tudo, é importante para os dirigentes e políticos não perderem o foco com manifestações exageradas de otimismo e manter as mangas arregaçadas. Já população e imprensa, mais do que nunca, precisam manter o alerta ligado na cobrança de prazos e fiscalização dos custos.

A Copa do Mundo, a “Copa das Copas”, traz saudades a todos, mas a realidade nos Jogos Olímpicos é completamente diferente. Ainda há muita coisa a ser feita pelo Brasil e o Rio se quiserem tornar a festa olímpica de 2016 uma festa igualmente inesquecível.

Autor: Tags: , , , , , ,

segunda-feira, 4 de agosto de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 20:10

Rio 2016 divulga calendário de eventos-testes

Compartilhe: Twitter
Foto-montagem que exibe as imagens das modalidades que terão eventos-testes antes das Olimpíadas do Rio

Montagem com imagens das modalidades que terão eventos-testes para as Olimpíadas do Rio 2016

Na semana que marca os dois anos para a abertura dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016, o comitê organizador anunciou nesta segunda-feira o primeiro calendário completo dos eventos-testes das Olimpíadas. O primeiro deles, inclusive, já está em disputa, que é a Regata Internacional de vela, que ocorre na poluída Baia da Guanabara e se encerrará no próximo sábado.

Sob o nome “Aquece Rio”, os eventos que serão realizados em maior número a partir do ano que vem tem como objetivo testar a funcionalidade das arenas que receberão os eventos e também a operação dos Jogos, tanto Olímpicos como Paraolímpicos. Ao todo, os eventos-testes deverão trazer ao Rio de Janeiro nos próximos dois anos um total de 8.400 atletas.

>>> VEJA TAMBÉM: As primeiras impressões dos estrangeiros sobre as águas da Baia da Guanabara

Pelo calendário divulgado nesta segunda – e que poderá ser atualizado -, o próximo evento programado será uma maratona, em julho de 2015. No mês de agosto do ano que vem, sete outras modalidades receberão novas competições, onde a ideia será testar inclusive algumas das instalações que já estarão prontas (caso não ocorram atrasos, sempre é bom lembrar), como remo, ciclismo estrada, marcha atlética, maratona aquática, vela e golfe. A lista completa pode ser acessada neste link.

O calendário do Rio 2016 incluirá 33 eventos para esportes olímpicos, seis exclusivamente para esportes paraolímpicos e outros seis contendo tanto competições olímpicas quanto Paraolímpicas, totalizando 45 eventos-testes. “A definição do calendário é um passo importante, pois estes eventos nos permitirão testar todos os aspectos das competições e garantir que na hora dos Jogos tudo esteja perfeito para que os atletas possam obter seus melhores desempenhos”, disse o diretor de esportes do Rio 2016, Agberto Guimarães.

Nesta terça-feira, faltarão exatos dois anos para a abertura dos Jogos Olímpicos de 2016. A abertura dos Jogos Paraolímpicos está marcada para o dia 7 de setembro de 2016.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última