Publicidade

Arquivo da Categoria Paraolimpíadas

sábado, 10 de janeiro de 2015 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 20:03

Prepare-se: corrida para ingressos da Rio 2016 começa dia 15

Compartilhe: Twitter

logo2016Com um atraso de dois meses em relação ao prazo inicial divulgado, começará na próxima quinta-feira (15), a corrida para a venda de ingressos para as Olimpíadas e Paraolimpíadas do Rio 2016. Neste dia, o comitê organizador dos Jogos irá anunciar os detalhes para a reserva e distribuição dos bilhetes. Ao todo, serão colocados à venda cerca de 7,5 milhões de tíquetes para os eventos olímpicos e paraolímpicos.

A data original prevista para o início do processo de venda de ingressos era de 15 de novembro. O motivo do atraso, segundo informação colhida pelo blog junto a fontes ligadas ao comitê organizador, foi acertar todos os detalhes jurídicos para evitar algum tipo de problema que acabasse em possíveis ações na Justiça brasileira. O trauma causado pelos problemas enfrentados com a Fifa durante a comercialização das entradas da Copa do Mundo 2014 ainda está bem vivo na memória dos integrantes do Rio 2016.

O sistema de vendas dos ingressos das Olimpíadas e Paraolimpíadas 2016 foi desenvolvido pela empresa alemã CTS Eventim, segunda maior no setor de ingressos em todo o mundo e que foi a responsável pelo programa de ingressos da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Inverno de Turim 2006 e Sochi 2014.

LEIA MAIS SOBRE O TEMA

>>> Cadastramento para compra de ingressos do Rio 2016 começará em novembro

>>> Tabela de ingressos para a Rio 2016 será anunciada dia 16/9

Os ingressos mais baratos custam R$ 40, para as provas iniciais de futebol, vela, remo, luta livre e greco-romana e ciclismo mountain bike. Os ingressos mais caros serão vendidos por R$ 4,6 mil e darão acesso à cerimônia de abertura dos jogos no Estádio do Maracanã.

Autor: Tags: ,

domingo, 21 de dezembro de 2014 Imagens Olímpicas, Olimpíadas, Paraolimpíadas | 12:41

Confira imagens e o balanço das obras do Rio 2016

Compartilhe: Twitter

Na última sexta-feira, a EOM (Empresa Olímpica Municipal) divulgou um extenso balanço das obras que estão sendo construídas para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016. Na apresentação, conduzida pelo prefeito Eduardo Paes, foram exibidas novas imagens de algumas das arenas em construção no Parque Olímpico da Barra da Tijuca e maquetes virtuais destes mesmos locais para o período das Olimpíadas.

Clique em cada uma das fotos para ver detalhes das obras para os Jogos de 2016

Tudo muito bonitnho, mas…

No mesmo dia 19, o TCU (Tribunal de Contas da União) também aproveitou a data para soltar um balanço próprio das obras olímpicas, e o resultado foi um pouco mais crítico, para dizer o mínimo. Segundo o relatório, foram constatadas falhas e inconsistências na matriz de responsabilidade, além de prazos muito curtos para a conclusão das obras a tempo. “Esta situação representa risco para realização do evento, além de possibilitar aumento nos custos, comprometimento da qualidade e da segurança dessas construções”, disse o ministro Aroldo Cedraz em seu relatório. “A gente vai dar as explicações para o TCU, mas não há qualquer risco de aumento de custo ou de atraso de nenhum desses equipamentos”, rebateu Paes.

Vale lembrar que o próprio COI (Comitê Olímpico Internacional), através de sua comissão de avaliação dos Jogos, já repetiu inúmeras vezes que o Rio de Janeiro não tem mais tempo a perder, embora demonstre confiança com a evolução que as obras tiveram nos últimos meses, especialmente após a crise ocorrida no inicio deste ano, quando se chegou a falar numa espécie de “intervenção” do COI na organização do Rio 2016.

Abaixo, o balanço geral das obras olímpicas para os Jogos de 2016, segundo dados divulgados pela EOM. Vamos anotar direitinho as datas prometidas para a conclusão das obras e poder cobrar depois em caso de atrasos…

PARQUE OLÍMPICO

Arenas Cariocas 1, 2 e 3

Conclusão – Terceiro trimestre de 2015.

Arena Carioca 1

Capacidade: 16.000 lugares

Modalidades: Basquete, basquete em cadeira de rodas e rúgbi em cadeira de rodas

Eventos-teste – Janeiro de 2016 (basquete e rúgbi em cadeira de rodas)

Arena Carioca 2

Capacidade: 10.000 lugares

Modalidades: Judô, luta greco-romana, luta livre e bocha paralímpica

Eventos-teste – Janeiro de 2016 (judô, taekwondo e luta livre)

Arena Carioca 3

Capacidade: 10.000 lugares

Modalidades: Esgrima, taekwondo e judô paralímpico

Eventos-teste – Abril de 2016 (levantamento de peso e esgrima)

Centro de Tênis

Conclusão – Quarto trimestre de 2015.

Capacidade: 19.750 lugares

Quadra principal: 10.000 lugares

Quadra 2: 5.000 lugares

Quadra 3: 3.000 lugares

Treze quadras de treino e aquecimento: 250 lugares cada

Modalidades: Tênis, tênis em cadeira de rodas e futebol de 5

Evento-teste – Dezembro de 2015 (tênis)

Velódromo

Conclusão – Quarto trimestre de 2015.

Capacidade: 5.000 lugares

Modalidades: Ciclismo (pista) e paraciclismo de pista

Evento-teste – Março de 2016 (ciclismo pista)

Arena do Futuro

Conclusão – Quarto trimestre de 2015.

Capacidade: 12.000 lugares

Modalidades: Handebol e golbol

Eventos-teste: Abril (handebol) e maio (golbol) de 2016

Estádio Aquático

Conclusão – Primeiro trimestre de 2016.

Capacidade: 18.000 lugares

Modalidades: Natação, polo aquático e natação paralímpica

Evento-teste: Maio de 2016 (natação olímpica e paralímpica)

Parque Aquático Maria Lenk

Conclusão (adequação) –  Primeiro trimestre de 2016.

Capacidade: 5.000 lugares

Modalidades: Saltos ornamentais e nado sincronizado

Evento-teste: Fevereiro (saltos ornamentais) e março (nado sincronizado) de 2016

Arena Rio

Conclusão (adequação) – Quarto trimestre de 2015

Capacidade: 12.000 lugares

Modalidades: Ginástica artística, ginástica de trampolim, ginástica rítmica e basquete em cadeira de rodas

Evento-teste: Abril de 2016 (ginástica artística)

Centro Internacional de Transmissão (IBC)

Conclusão – Terceiro trimestre de 2015

Centro Principal de Mídia (MPC)

Conclusão – Quarto trimestre de 2015

CAMPO DE GOLFE

Conclusão: Segundo trimestre de 2016

Capacidade: 15 mil lugares

Modalidade: Golfe

Evento-teste: Novembro de 2015

RIOCENTRO

Conclusão (adequação): Segundo trimestre de 2016

Capacidade:

Pavilhão 2: 6.500 lugares

Pavilhão 3: 6.500 lugares

Pavilhão 4: 6.500 lugares

Modalidades:

Pavilhão 2: levantamento de peso olímpico e levantamento de peso paralímpico

Pavilhão 3: tênis de mesa olímpico e tênis de mesa paralímpico

Pavilhão 4: badminton

Pavilhão 6: boxe e vôlei sentado

Eventos-teste: Novembro de 2015 (bocha, tênis de mesa, badminton e boxe)

VILA DOS ATLETAS

Conclusão: Dezembro de 2015.

COMPLEXO ESPORTIVO DE DEODORO

Existentes:

Centro de Tiro – Os sete estandes passarão por adequações. Será construído um estande temporário para as finais (tiro e carabina), com 2.000 lugares

Conclusão: Quarto trimestre de 2015

Capacidade total: 7.250 lugares

Evento-teste: Abril de 2016

Piscina do pentatlo moderno – A piscina será reformada e terá uma arquibancada com 2 mil lugares temporários.

Conclusão: Quarto trimestre de 2015

Capacidade: 2 mil lugares

Centro de Hipismo

Situação atual: A pista da arena do CCE existente está sendo adaptada, com a implantação de sistema de irrigação e controle de vetores.

Conclusão: Quarto trimestre de 2015

Capacidade total: 35.200 lugares

Evento-teste: Agosto de 2015

Centro de Hóquei Sobre Grama – Os dois campos existentes serão adaptados. Serão construídos vestiários, uma arquibancada permanente com 2.500 lugares na quadra principal e um centro de administração. Durante os Jogos, o Centro de Hóquei terá 5.000 assentos temporários na quadra secundária e 10.000 lugares na quadra principal, sendo 2.500 permanentes.

Situação atual – As obras estão em fase de terraplenagem

Conclusão: Quarto trimestre de 2015

Capacidade total: 15 mil lugares

Evento-teste: Novembro de 2015

Novas instalações permanentes:

Arena da Juventude – O ginásio, que abrigará as partidas da primeira fase de basquete feminino e a disputa de esgrima do pentatlo moderno, terá 2.000 lugares permanentes e 3.000 temporários

Conclusão: Quarto trimestre de 2015

Capacidade: 5.000 lugares

Evento-teste: Março de 2016

Pista de BMX

Conclusão: Terceiro trimestre de 2015

Capacidade: 7.500 lugares temporários

Evento-teste: Outubro de 2015

Circuito de canoagem slalom

Conclusão: Quarto trimestre de 2015

Capacidade: 8.000 lugares temporários

Evento-teste: Novembro de 2015

Instalações provisórias

Pista de Mountain Bike

Conclusão: Terceiro trimestre de 2015

Capacidade: 27.500 lugares, sendo 2.500 temporários e 25.000 em pé

Evento-teste: Outubro de 2015

Estádio de Deodoro – A arena receberá as disputas de rúgbi, hipismo do pentatlo moderno e combinado do pentatlo moderno (corrida e tiro) e futebol de 7

Conclusão: Quarto trimestre de 2015

Capacidade: 15.000 lugares

Evento-teste: Março de 2016

MARINA DA GLÓRIA

Situação atual: Os trabalhos de adaptação para os Jogos Olímpicos foram iniciados com a instalação de tapumes instalados e montagem de canteiros de apoio. Foram estabelecidos parâmetros de ocupação para a área da Marina da Glória que visam a valorizar a paisagem cultural do Parque do Flamengo.

Conclusão: Quarto trimestre de 2015

Capacidade: 10.000 lugares

Evento-teste: Agosto de 2015

SAMBÓDROMO

Situação atual: A reforma necessária para os Jogos foi finalizada em fevereiro de 2012

Modalidades: Largada e chegada da maratona, tiro com arco e tiro com arco paralímpico

Capacidade: 30.000 lugares (maratona), 6.000 lugares (tiro com arco).

Evento-teste: Julho (maratona) e setembro (tiro com arco) de 2015

ESTÁDIO OLÍMPICO JOÃO HAVELANGE

A ampliação temporária do Estádio Olímpico João Havelange – de 45 mil para 60 mil lugares – será realizada no primeiro semestre de 2016. A licitação para as obras de adequação do estádio aos requisitos olímpicos foi lançada em outubro de 2014. As obras começarão no primeiro trimestre de 2015.

Modalidade: Atletismo

Capacidade: 60.000 lugares (sendo 45.000 permanentes)

Evento-teste: Maio de 2016

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 01:32

Vinicius e Tom, uma bola dentro do Rio 2016

Compartilhe: Twitter
Vinícius e Tom, os mascotes olímpicos e paraolímpicos dos Jogos de 2016

Vinícius e Tom, os nomes escolhidos para os mascotes olímpicos e paraolímpicos dos Jogos de 2016

Eis que o domingo garoento e até meio frio aqui em São Paulo terminou com uma grata surpresa, ao menos para o blogueiro, com o anúncio de que Vinícius e Tom foram escolhidos para batizar as mascotes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016. Na escolha via internet, a dupla de nomes vencedora contou com 44% da preferência do público, somando um total de 323.327 votos. Oba-Eba foi a segunda dupla de nomes mais votada, com 38%, e os bizarros Tiba Tuque-Esquindim tiveram 18% da preferência.

Aleluia, ainda tem gente de bom senso neste país…

Admito que não esperava que Vinicius de Moraes e Tom Jobim, uma justíssima homenagem a duas das maiores riquezas culturais do Brasil, pudessem sensibilizar uma geração que apesar de altamente conectada, praticamente desconhece a obra destes gênios. E se pensar na natureza  bem-humorada do brasileiro, que deixa a zoeira acima de qualquer coisa, esperava sinceramente que Oba e Eba fossem os escolhidos. O trauma do Fuleco na Copa 2014 ainda é grande, vamos admitir.

Houve quem disse que nome de mascote não precisa agradar adulta. Precisa sim ser fácil de gravar e agradar às crianças. Por este raciocínio, é claro que os bobos Oba-Eba eram os favoritos absolutos. Mas a tomar pela preferência aqui de casa, na hora em que souberam do resultado, meus filhos (uma de 14 e outo de 11) comemoram demais.

Veja ainda:

>>>Mascotes Rio 2016: ao menos escolham Vinícius e Tom!
>>> Você conhece a história das mascotes das Olimpíadas?

Vinícius, o mascote olímpico, representa a diversidade dos animais do País. Reúne a agilidade dos felinos, o gingado dos macacos e a leveza das aves. Já Tom, o mascote paraolímpico, é uma inédita mistura da flora brasileira. Consegue se transformar o tempo todo, com determinação e alegria, crescendo e superando obstáculos.

Vinícius e Tom foi uma grande bola dentro para as Olimpíadas e Paraolimpíadas de 2016.

Autor: Tags: , , ,

domingo, 7 de dezembro de 2014 Imprensa, Olimpíadas, Paraolimpíadas | 15:12

Conforme-se: você irá dormir muito pouco no Rio 2016

Compartilhe: Twitter
O vôlei de praia nos Jogos de Londres também teve partidas disputadas tarde da noite

O vôlei de praia nos Jogos de Londres também teve partidas disputadas tarde da noite

A confirmação por parte do COI (Comitê Olímpico Internacional), na última sexta-feira, de que o vôlei de praia será o mais novo esporte com horários esdrúxulos no programa de provas dos Jogos Olímpicos do Rio 2016, só confirma uma tendência:  as próximas Olimpíadas serão apropriadas para os notívagos. Prepare-se para ter poucas horas de sono daqui a dois anos.

O comitê executivo do COI anunciou durante a reunião preliminar para a abertura da 127ª Assembleia Geral, em Monaco, que algumas partidas do torneio olímpico de vôlei de praia começarão após a meia-noite, horário do Rio de Janeiro. A natação já havia sido a primeira modalidade a confirmar que seu programa de provas teria um horário diferenciado, com as finais começando a partir das 22h (na prática, não terminando antes da 0h). O atletismo também terá finais realizadas em horários pouco usuais, com pelo menos 13 eventos definindo seus campeões no período da manhã, algo que não ocorria desde as Olimpíadas de 1988, em Seul.

Tudo isso tem apenas um motivo: interesse da televisão. A rede americana NBC, que pagou milhões de dólares pelos direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos ao COI, bateu o pé e fez valer o seu direito de escolher que as modalidades esportivas que tenham mais audiência nos EUA sejam transmitidas no horário nobre. E neste caso, manda quem paga a conta. Azar dos atletas e dos torcedores, que terão que invadir a madrugada para acompanhar as competições.

VEJA TAMBÉM:

>>> Atletismo irá acordar cedo nos Jogos do Rio
>>> Natação no ritmo de ‘sessão coruja”para a Rio 2016

Como bem disse o porta-voz do COI, Mark Adams, não será a primeira vez que as Olimpíadas terá finais no final da noite. “O calendário tem que funcionar em todo o mundo, para dar melhor visibilidade aos Jogos”, disse Adams, lembrando que o planejamento final de competições ainda precisa ser aprovado oficialmente pelo COI, mas foi aceito nesta configuração.

Mas nem todo mundo parece estar feliz com essa decisão do Comitê Olímpico em atender aos interesses da TV americana. John Coates, vice-presidente do comitê olímpico australiano e vice-presidente do próprio COI, chegou a classificar em novembro como “demanda irracional” colocar os atletas para nadarem no final da noite.

Por questão de justiça, é bom dizer que nas Olimpíadas de Londres 2012 o vôlei de praia também terminava bem tarde. Só que no caso do Rio 2016, há um “pequeno” agravante. Como a programação reservará para começar à meia-noite as partidas mais importantes do dia, estas invariavelmente envolverão atletas dos EUA e do Brasil, as principais forças da modalidade. E restará ao torcedor, ao final de um jornada que certamente não acabará antes da 1h da madrugada do dia seguinte, contar com a eficiência do sistema de transporte público.

Em Londres, tudo funcionou perfeitamente. E no Rio, como será?

Autor: Tags: , , , , , , , ,

domingo, 30 de novembro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 09:00

Veja imagens das obras do Parque da Barra para o Rio 2016

Compartilhe: Twitter

O comitê organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016 divulgou no final da semana passada as imagens mais recentes das obras que estão acontecendo no Parque Olímpico da Barra da Tijuca, que são considerados o “coração dos Jogos”. Neste mesmo local serão disputados eventos de 24 modalidades olímpicas e paraolímpicas.

Clique nas fotos da galeria abaixo e veja os detalhes de cada instalação ali exibida. As fotos são de autoria de Alex Ferro, do Comitê Rio 2016.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 25 de novembro de 2014 Isso é Brasil, Olimpíadas, Paraolimpíadas | 17:56

Professora da USP ajuda a difundir os valores olímpicos

Compartilhe: Twitter
A professora Katia Rubio ao lado das integrantes do projeto de handebol no Centro Olímpico de SP, após uma das palestras

A professora Katia Rubio (à esquerda), ao lado das integrantes do projeto de handebol no Centro Olímpico de SP, após uma de suas palestras

Uma das funções (ao menos na teoria) dos Jogos Olímpicos sendo realizados no Brasil seria o de ajudar a expandir os horizontes das pessoas a respeito das modalidades e valores que compõe o rico e emocionante universo das Olimpíadas. Pena que isso ficou apenas na teoria. Há menos de dois anos para a abertura dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016, quase nada foi pensado como forma de usar o mega-evento para levar ao público brasileiro um pouco mais do que previsão de medalhas ou resultados dos atletas de alto rendimento nos eventos pré-olímpicos.

Nem irei falar no trabalho com a base esportiva do Brasil, pois aí a conversa vai ficar mais longa ainda e o cenário desolador.

Enfim, se os responsáveis pelos Jogos de 2016 não se prepararam (ou não se preocuparam) em criar formas de difundir os valores olímpicos, há quem esteja fazendo isso individualmente. Desde o final de outubro, Katia Rubio, professora da USP (Universidade de São Paulo) de psicologia e educação física, tem ministrado uma série de palestras sobre o tema “Esporte, Educação e Valores Olímpicos” para professores, coordenadores, alunos e atletas da Rede Municipal de Ensino de São Paulo e de quem vivencia o meio esportivo e educativo.

Estas palestras são uma contrapartida da professora pelos recursos obtidos com a lei Rouanet que irão ajudar a bancar o lançamento da Enciclopédia Olímpica Brasileira, que faz parte do projeto de pesquisa “Memórias Olímpicas por Atletas Olímpicos Brasileiros”, que é desenvolvido por Katia há 15 anos e que tem como objetivo recuperar a memória dos 1.800 atletas olímpicos que representaram o Brasil em Jogos Olímpicos da Era Moderna.

Nos últimos 10 anos, Katia publicou e organizou 18 livros na área de Psicologia do Esporte e Estudos Olímpicos e em junho de 2010 foi agraciada com a Medalha do Mérito Desportivo do então presidente Luis Inácio Lula da Silva.

>>> Veja também: Exemplo de legado esportivo com o esporte paraolímpico

A palestra tem como finalidade ampliar os temas relacionados com a educação olímpica dentro da cultura e da história do esporte brasileiro e tentar estimular o hábito de leitura e também ampliar a possibilidade dessa atividade na interpretação e análise de textos proporcionado pelo conteúdo das apresentações.

Nesta quinta-feira (27), Katia Rubio fará mais uma de suas palestras, no Auditório DRE (Delegacia Regional de Ensino) Capela – Rua Adib Chammas, nº 105, na Capela do Socorro, zona Sul de São Paulo. Ótimo programa para quem quer aprender um pouco mais sobre os valores olímpicos.

Autor: Tags: , , ,

domingo, 23 de novembro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 22:45

Mascotes Rio 2016: ao menos escolham Vinicius e Tom!

Compartilhe: Twitter
Imagem das mascotes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016

Imagem das mascotes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, apresentadas neste domingo

Fim do mistério, após a divulgação, neste domingo à noite, das imagens das mascotes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos das Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. E seguindo uma tendência que vem se repetindo nas últimas edições olímpicas de verão, foram escolhidas figuras que estão mais próximo do estranho do que o normal.

Saudades do simpático ursinho Misha, de Moscou 1980!

A mascote das Olimpíadas, vamos admitir, ainda tem uma imagem mais definida de um animal. Só que ao invés de optar por um único bicho, a mascote olímpica representa a “diversidade dos animais do País: a agilidade dos felinos, o gingado dos macacos e a leveza dos pássaros”, segundo informa o site oficial das mascotes dos Jogos de 2016. Já o mascote paraolímpico é (pelo menos é o que dizem ser) uma inédita mistura da flora brasileira, “com uma cabeleira de folhagens tropicais e cores que lembram a paisagem do Rio e toda a exuberância da natureza”, explica o site.

Veja ainda: Rio 2016 apresenta mascotes, que ainda precisam ser batizados

Enfim, se as figuras das mascotes até poderão cair no gosto popular (dificilmente conseguiriam fazer algo tão ridículo como o Izzy de Atlanta 1996), as opções para batizá-los são de doer a alma. Do nível do Fuleco, da Copa 2014

No site oficial, o internauta pode escolher uma das três duplas de nomes para batizar as mascotes. As opções são Oba e Eba; Tiba Tuque e Esquindim; e Vinicius e Tom.

E mais: Você conhece a história das mascotes das Olimpíadas?

Que o público tenha um mínimo de bom senso e escolham a terceira opção, uma homenagem a um dos maiores dramaturgos e poetas de nossa literatura e um dos maiores compositores da música popular brasileira.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 14 de novembro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 14:40

Quer ser voluntário para a Rio 2016? O prazo foi prorrogado

Compartilhe: Twitter
Mais de 160 mil pessoas já se inscreveram para o programa de voluntários de 2016

Mais de 160 mil pessoas já se inscreveram para o programa de voluntários de 2016

Os interessados em tentar uma vaga para atuar como voluntários nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio 2016 terão um tempo extra para fazer sua inscrição. Nesta sexta-feira, o comitê organizador das próximas Olimpíadas informou que o prazo foi prorrogado. Assim, a data final, que terminaria neste sábado, dia 15, foi prolongada por mais um mês, terminando em 15 de dezembro.

A meta do comitê organizador é contar com 70 mil pessoas trabalhando de forma voluntária na organização das Olimpíadas e Paraolimpíadas de 2016. Segundo dados da Rio 2016, mais de 160 mil inscrições foram feitas, englobando todos os estados do Brasil e mais de 180 países. Entre os brasileiros, 85% dos inscritos estudam ou trabalham e há candidatos que possuem desde o ensino fundamental até doutorado.

Para poder se inscrever, a pessoa precisa ter 18 anos até fevereiro de 2016 e disponibilidade mínima de dez dias para atuar durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. São mais de 500 funções possíveis para atuar no mega-evento. Mais informações podem ser encontradas na página oficial da Rio 2016.

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 10 de novembro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas | 12:45

Arenas de esgrima e taekwondo têm obras adiantadas

Compartilhe: Twitter

Apesar da indefinição do destino de várias das arenas olímpicas – conforme atestou reportagem do iG na última sexta-feira, com a preocupação do TCU a respeito do legado dos Jogos de 2016 -, as obras no Parque Olímpico da Barra da Tijuca seguem em ritmo intenso. Neste final de semana, foi praticamente finalizada a instalação da estrutura metálica de uma das chamadas Arenas Cariocas, no caso a Arena 3, que receberá as competições de esgrima, taekwondo e judô paraolímpico nas Olimpíadas do  Rio de Janeiro. Confira a foto abaixo:

Imagem aérea das obras das Arenas Cariocas. A Arena 3 já tem a estrutura metálica do teto finalizada (Foto: Renato Sette Camara/EOM)

Imagem aérea das obras das Arenas Cariocas. A Arena 3 já tem a estrutura metálica do teto finalizada (Foto: Renato Sette Camara/EOM)

Segundo informou a EOM (Empresa Olímpica Municipal), o trabalho de montagem da estrutura começou com a pré-montagem, formando módulos que foram içados com uso de guindastes. Os serviços de alvenaria e instalações já estão em andamento nos três pavilhões. A Arena Carioca 3 terá capacidade para 10 mil pessoas e receberá as competições de esgrima, taekwondo e judô paraolímpico em 2016. As obras estão previstas para serem concluídas no terceiro trimestre de 2015.

O conjunto de três pavilhões ainda tem a Arena Carioca 1, que terá eventos de basquete, basquete em cadeira de rodas e rúgbi em cadeira de rodas, com capacidade para 16 mil pessoas; e a Arena 2, que receberá competições de judô, luta greco-romana, luta livre e bocha paraolímpica, com capacidade total de 10 mil pessoas.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 7 de novembro de 2014 Olimpíadas, Paraolimpíadas, Vídeos | 12:12

No ritmo do baião-funk, programa de voluntários para a Rio 2016 chega na reta final

Compartilhe: Twitter
Cena do clipe para divulgação do programa de voluntários das Olimpíadas  e Paraolimpíadas de 2016

Cena do clipe do programa de voluntários das Olimpíadas e Paraolimpíadas de 2016

Está chegando ao fim o período de inscrições do programa de voluntários para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. A data final será no próximo sábado, dia 15. Segundo informou o comitê Rio 2016, o número de inscritos já chega a 140 mil. Depois do Brasil, o maior número de inscritos estão na Rússia e China, sendo que Grã-Bretanha e Argentina também aparecem com um bom número de interessados.

>>> Veja também: Mais de 56 mil já se inscreveram para trabalhar como voluntários em 2016

Elea Mercurio será voluntária na Rio 2016 como fotógrafa

Elea Mercurio será voluntária na Rio 2016 como fotógrafa

No Brasil, o Rio de Janeiro tem o maior número de candidatos (cerca de 40%), seguido de São Paulo e Minas Gerais. Eles vão atuar em nove áreas: esportes, atendimento ao público, produção de cerimônias, imprensa e comunicação, protocolo e idiomas, serviços de saúde, apoio operacional, tecnologia e transportes.

Para motivar a participação dos voluntários, o comitê Rio 2016 está divulgando na internet um divertido vídeoclipe no ritmo baião-funk, interpretado pelos atores Elea Mercurio e Lucas Laufert, que também atuaram de forma voluntária na produção. Elea, que atuou como a chef de cozinha Ludmila na novela O Rebu, da TV Globo, se voluntariou como fotógrafa para os Jogos Rio 2016 porque também é formada em fotografia.

 

Autor: Tags: ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última