Publicidade

Arquivo da Categoria Diário de viagem

segunda-feira, 13 de agosto de 2012 Diário de viagem, Isso é Brasil, Olimpíadas | 07:00

Agora a bola está com a gente. Vamos fazer o dever de casa?

Compartilhe: Twitter

Prefeito do Rio, Eduardo Paes, agita a bandeira olímpica, na cerimônia de encerramento em Londres

E terminou com uma belíssima festa uma das edições mais fantásticas já realizadas dos Jogos Olímpicos. A cidade de Londres deu um verdadeiro show dentro de pistas, quadras, campos, piscinas, os atletas não decepcionaram, conquistando resultados históricos e que ficarão marcados para a história. Mas agora que tudo acabou, chegou o momento de voltar os olhos para o maior desafio já enfrentado pelo esporte olímpico do Brasil: organizar as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

E uma pergunta que era recorrente  aqui em Londres, entre os jornalistas brasileiros, diante da quase perfeição de organização que os britânicos fizeram, era a seguinte: como vamos conseguir chegar perto disso?

Talvez a melhor resposta seja exatamente fugir da premissa da pergunta. É impossível copiar tudo o que Londres realizou simplesmente porque são cidades diferentes, com histórias diferentes, orçamentos diferentes, riqueza cultural, educacional e financeira totalmente opostas ao que temos no Rio de Janeiro.

Mas isso não é necessariamente uma coisa ruim.

Se havia algo irritante nestas Olimpíadas, era que esta organização impecável dos britânicos também esbarra em um traço cultural do próprio povo, que faz tudo “certinho”, não abre brechas para algo que fuja do script. Se um caminho mostra que você precisa dar a volta na esquina para chegar a uma entrada de metrô, não adiantava você tentar explicar para o segurança que bastava você atravessar aquela bendita calçada que chegaria no mesmo lugar, mais rápido. O sujeito não iria concordar com você e certamente começaria uma bela discussão caso você insistisse. Com risco até de chamar a polícia.

Se o Rio de Janeiro não terá a menor condição de copiar este sistema secular e fantástico do transporte público londrino, que te leva para absolutamente todos os lugares da cidade, tem ao menos a obrigação de fazer algo que tenha capacidade de atender uma demanda que promete ser gigantesca de pessoas e jornalistas. Se falhar nisso, será meio caminho para o fracasso.

Do ponto de vista das arenas, a melhor lição de Londres é aquela que costuma ser o nosso calcanhar de Aquiles: o gasto desenfreado com estádios que depois irão virar elefantes brancos. A Copa do Mundo de 2014 está aí para confirmar isso. Quantas arenas estão sendo construídas e ficarão praticamente ociosas após o Mundial?

No caso das Olimpíadas, Londres mostrou que instalações provisórias podem ser extremamente funcionais. Evitando problemas como os pontos cegos do Aquatics Centre, não é necessário se gastar milhões. E felizmente parece que o comitê organizador da Rio 2016 está sinalizando que esse deverá ser o caminho a ser adotado.

O Rio de Janeiro, se não tiver sonhos de megalomania, utilizar recursos públicos e privados com inteligência e, fundamentalmente, se organizar, poderá fazer uma edição de Jogos Olímpicos muito boa. Basta fazer o dever de casa. E a hora para isso já começou.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 9 de agosto de 2012 Diário de viagem, Imagens Olímpicas, Olimpíadas | 09:26

O clima 'contagiante' da maratona aquática em Londres

Compartilhe: Twitter

O torcedor não resistiu a tanta emoção na maratona aquática... e caiu no sono

A combinação maratona aquática de 10 km + sol forte do verão londrino pode produzir danos irreparáveis ao sono do torcedor que acompanha a prova no Hyde Park. Com duração prevista para cerca de duas horas, a competição dos Jogos Olímpicos de Londres e que conta com a participação da brasileira Poliana Okimoto tem sido uma prova de resistência até para os mais fanáticos.

Que o diga o torcedor da foto acima.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 31 de julho de 2012 Diário de viagem, Olimpíadas | 09:00

Nem a falta do ouro abala o astral britânico

Compartilhe: Twitter

Britânicos comemoram a medalha de bronze na ginástica artística por equipe e a torcida fez a festa

Há alguns dias, havia escrito um post mostrando que ainda não havia sentido nas ruas de Londres, em locais distantes do Parque Olímpico ou dos centro de competição, um clima de empolgação com os Jogos Olímpicos. Bom, mas nas arenas, ginásios e estádios, o que ocorre é justamente o contrário.

O londrino está curtindo acompanhar as Olimpíadas, curtindo demais. Em qualquer local de competição em que tenha um britânico competindo, o apoio é total. Mesmo em esportes nos quais eles não têm a menor aptidão, como basquete ou vôlei de praia. O que fica evidente é que não importa o resultado, o importante é fazer a festa.

Claro que quando ela vem acompanhada por uma medalha, tanto melhor. Foi  o que houve nesta segunda-feira, quando a equipe masculina de ginástica artística da Grã-Bretanha levou o bronze na final por equipes. A North Greenwich Arena quase veio abaixo quando o placar apontou a segunda colocação para o time da casa, resultado modificado depois para o bronze por causa de um protesto do Japão.

Mesmo sem ouro (por enquanto), os britânicos estão curtindo demais as Olimpíadas disputadas em sua casa.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 27 de julho de 2012 Diário de viagem, Olimpíadas | 17:25

Começou…e em alto estilo!

Compartilhe: Twitter

Estádio Olímpico em festa para a abertura dos Jogos Olímpicos de 2012

Já se vão mais de 20 minutos da cerimônia de abertura…britanicamente começando às 17h (horário de Brasília), 21h locais. A chuva deu uma trégua, embora tenha caindo com certa força cerca de uma hora antes do show começar.

Por enquanto, a festa dirigida pelo cineasta Danny Boyle impressiona pela grandiosidade, contando um pouca da história da formação do povo britânico. Bela festa.

Acompanhe todos os detalhes da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos 2012 no tempo real do iG Esporte

Autor: Tags: , ,

Diário de viagem, Olimpíadas | 06:59

Chegou o dia. Mas cadê o clima olímpico nas ruas londrinas?

Compartilhe: Twitter

Ingresso para a cerimônia de abertura. Até os jornalistas precisarão de um destes aí

Depois de 1.433 dias, desde que a chama olímpica se apagou em Pequim, a partir das 17h (horário de Brasília), 21h locais, possivelmente debaixo de uma leve chuva, serão abertas oficialmente a 30ª edição dos Jogos Olímpicos da Era Moderna. Para quem é amante dos esportes olímpicos, foi uma espera danada de longa! E particularmente para este blogueiro, que verá ao vivo os Jogos pela terceira vez, a emoção é ainda mais especial.

Uma coisa estes corridos dias aqui em Londres, atrás de reportagens com atletas brasileiros e grandes ídolos mundiais, já conseguiram mostrar: não se verão instalações esbanjando luxo e arrojos arquitetônicos. Com exceção do Estádio Olímpico, local da cerimônia de abertura, o que se vê por aqui são instalações muito bonitas, porém sem excessos. Outro dia, conversando com o técnico José Roberto Guimarães, da seleção feminina de vôlei, ele comentou que a Vila Olímpica de Londres é boa, mas bem menor do que havia em Pequim 2008.

E pode ser até que a situação mude a partir da abertura, mas até agora, você consegue perceber o chamado espírito olímpico, a empolgação das pessoas por conta do evento mais importante do esporte mundial, somente na região do Parque Olímpico, em Stratford. Nas demais ruas londrinas por onde passei, ao menos entre as pessoas, não se sente no ar aquele clima de empolgação tradicional que um grande evento desta natureza proporciona.

Mas algo me diz que isso começará a mudar a partir desta sexta-feira.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 24 de julho de 2012 Diário de viagem, Olimpíadas | 06:52

Calor (por enquanto) e expectativa de sucesso em Londres

Compartilhe: Twitter

O metrô de Londres tem estado assim, lotado, em todas as linhas. Mas nada de caos, por enquanto

Sim, agora definitivamente podemos dizer que as Olimpíadas começaram pra valer, ao menos para o blog!

Após dois dias resolvendo questões burocráticas e de infraestrutura, além de claro produzir material para a completa cobertura que o iG Esporte irá realizar ao longo das Olimpíadas de Londres 2012, deu para encontrar um tempo de tirar a teia de aranha do blog. e para começar, vai aqui uma primeira impressão deste começo de cobertura: as Olimpíadas têm tudo para ser um grande sucesso.

Os ingleses se desdobraram para fazer desta uma edição inesquecível dos Jogos Olímpicos. E ao menos nos pontos em que eu presenciei de perto, tudo está funcionando perfeitamente. O desembarque em Heathrow, que muitos previam que seria caótico, vem funcionando perfeitamente. O trânsito tem problemas idênticos ao de qualquer grande metrópole (claro que a partir de sexta-feira, a tendência é que tudo fique mais complicado). Por fim, o metrô, que por aqui te leva para qualquer lugar, tem estado lotado, mas funcionando. O grande teste será a partir da cerimônia de abertura.

A segurança, outro ponto que era colocado como possível sinal de fracasso dos Jogos, está excelente, até demais, diga-se de passagem. Sim, porque o controle de checagem na entrada do Parque Olímpico (e provavelmente será a mesma coisa nas arenas) é irritantemente rigoroso. Mas faz parte do show…

Até mesmo o calor, que andava sumido por estas bandas segundo colegas que chegaram mais cedo, resolveu dar as caras por aqui nos últimos dois dias, fazendo jus ao nome oficial do evento: Jogos Olímpicos de Verão. Mas é bom ninguém comemorar muito, pois já existe uma previsão de chuva para o dia da abertura das Olimpíadas!

Nada mais londrino.

Autor: Tags: