Publicidade

Arquivo da Categoria Isso é Brasil

quarta-feira, 13 de julho de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Olimpíadas | 21:38

Doping vai ganhando de goleada no esporte brasileiro

Compartilhe: Twitter

Pedro Solberg teve um resultado positivo para esteroide. Mas ele diz que é inocente

Para um país que quer ostentar o status de “olímpico” nos próximos anos – de olho, obviamente, na organização das Olimpíadas do Rio, em 2016, as últimas semanas não estão sendo nada agradáveis ao Brasil. Se não bastasse o mega escândalo envolvendo o campeão olímpico e mundial Cesar Cielo, eis que surgiu nesta quarta-feira mais um caso: Pedro Solberg, do vôlei de praia, flagrado em um exame no Rio de Janeiro realizado pela Wada (Agência Mundial Antidoping), cujo resultado apontou a presença de um esteroide.

Em comunicado divulgado em seu site oficial, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) confirmou o resultado positivo e disse que esperava que o assunto seja resolvido da melhor maneira. O atleta está suspenso preventivamente. Mais tarde, o próprio Solberg alegou que não tomou nada ilegal.

É impressionante, para não dizer patético, a forma com que o doping vai ganhando de goleada no esporte brasileiro. Não que o Brasil tenha a obrigação de resolver um verdadeiro câncer que atinge o esporte mundial que é o doping, mas convenhamos que a quantidade de casos positivos por aqui nos últimos tempos é preocupante.

Exemplos temos de sobra: o escândalo da equipe de velocistas de atletismo da extinta equipe rede; o doping por um diurético ingerido por Daiane dos Santos, na ginástica; o “doping burro” de Fabíola Molina, na natação; as denúncias da “ESPN Brasil” sobre o ciclismo brasileiro; fora o caso Cielo.

Tudo isso em menos de dois anos!

E o anúncio de um novo caso, agora envolvendo o vitorioso vôlei de praia, só aumenta a diferença no placar a favor do doping. Sinceramente, este não é o “Brasil olímpico” que sonhamos, não é mesmo?

Veja também:

>> O doping e a hipocrisia

>> Doping burro, o pior que existe

>> O que acontece com o tribunal da CBAt?

Autor: Tags: , , , , , , , ,

segunda-feira, 11 de julho de 2011 Isso é Brasil, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 12:13

A ausência de Leandrinho e as confusões da CBB

Compartilhe: Twitter

Na caixinha de comentários para serem aprovados – sim, os comentários dos blogs do iG necessitam de aprovação antes de irem para o ar – encontro uma mensagem de Artur Barbosa, que vem a ser irmão e principal conselheiro na carreira do armador Leandrinho Barbosa. Ele comentou um post publicado há uma semana, justamente para falar sobre o pedido de dispensa do jogador do Toronto Raptors na apresentação da seleção brasileira masculina, que se prepara para disputar o Pré-Olímpico de Mar del Plata, marcado para o final de agosto. Reproduzo aqui a mensagem de Artur Barbosa, antes de fazer algumas considerações:

“Marcelo Laguna
Concordo com você, o Leandrinho deveria ter se apresentado e falado com a imprensa e explicado sua situação ao vivo.

Não se apresentou porque a CBB ligou para ele (Leandrinho) e aconselhou que ele não se apresentasse. E que mandasse um email. Por isso ele não se apresentou, e o Rubens [Magnano], que é da CBB, meteu o pau nele. Esta eu não entendi , ele cumpriu determinação da CBB, mas não houve respaldo da CBB.

Sua segunda pergunta, se o Brasil se classificar, será que o Leandrinho vai estar à disposição para servir à Seleção.  Resposta: É claro que sim, pensar positivo e estar com a saúde 100 por cento e estaremos à disposição da CBB, sim.”

Diante das palavras de Artur Barbosa, fica claro que a CBB (Confederação Brasileira de Basquete) prega uma coisa e pratica outra. Aliás, não é de hoje que a entidade que comanda o basquete brasileiro mete os pés pelas mãos no quesito tratamento aos atletas. Dizem até que uma das razões para alguns dos vários pedidos de dispensa de Nenê Hilário, outro ausente no Pré-Olímpico de Mar del Plata, está justamente na forma com que a CBB sempre o tratou, especialmente no momento de negociar o seguro com o Denver Nuggets.

O pior de tudo é ver que a entidade mandou o próprio Leandrinho não se apresentar e mandar o e-mail! Será que o técnico da seleção, o argentino Ruben Magnano, estava sabendo de tudo isso antes de disparar suas críticas aos jogador?

A única certeza que fica para mim é que não importa a gestão, o comando da CBB é sempre uma bagunça.

Veja também:

>> Leandrinho também pede dispensa. Vai bem o basquete brasileiro para o Pré-Olímpico, hein?

>> Nenê fora do Pré-Olímpico de basquete. E agora, Magnano?

>> Era uma vez o basquete do Brasil…

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 4 de julho de 2011 Isso é Brasil, Musas, Olimpíadas, Pan-Americano | 18:38

As "gêmeas do nado sincronizado" são atletas ou VIPs?

Compartilhe: Twitter

As gêmeas do nado sincronizado, ao lado do presidente do Vasco, Roberto Dinamite

Sim, reconheço: serei implicante agora. Mas é que algumas coisas no universo do esporte brasileiro me incomodam profundamente. Uma destas coisas é a presença sempre constante na mídia das gêmeas Bia e Bianca Feres, mais conhecidas no mundo do esporte brasileiro como as gêmeas do nado sincronizado. Só que o local onde menos você vê notícias referentes às duas atletas não são em reportagens ligadas ao nado sincronizado.

Bia e Bianca ficaram famosas na época do Pan do Rio, em 2007, preenchendo um vazia deixado por outras gêmeas, Isabela e Carolina de Moraes, que chegaram a disputar os Jogos Olímpicos de Sydney-00 e Atenas-04. A grande diferença é que Isabela e Carolina faziam o dueto, enquanto Bia e Bianca disputam por equipe, ou seja, não são as protagonistas. Além disso, as duas primeiras gêmeas chegaram a disputar uma final olímpica (em Atenas). Já Bia e Bianca foram bronze no Pan de 2007.

Por causa de sua beleza estonteante, as duas começaram a ser chamadas para estrelas campanhas publicitárias, tiveram um programa na MTV, fizeram ensaios sensual para a revista “VIP”, e mais recentemente, transformaram-se numa espécie de mascotes do Vasco da Gama. Estiveram em Curitiba, na decisão da Copa do Brasil, e nesta segunda-feira marcaram presença no lançamento do novo uniforme do clube vascaíno.

Nada contra esta exposição. Cada um sabe onde aperta o calo. Mas me parece que as duas belas gatinhas ainda não sabem se querem continuar investindo na carreira esportiva, onde as doses de sacrifício são cavalares – e os resultados difíceis de conquistar -, ou vão preferir pelo caminho mais agradável do mundo das celebridades.

Por que enquanto continuarem com um pé em cada canoa, as duas não estarão ajudando a divulgar o nado sincronizado. Mas sim trabalhando em causa própria.

Veja também:

>>A embaixadora do Pan de Guadalajara

>>Juliana Veloso fora do Mundial. Uma musa a menos

>>Guadalajara inaugura centro aquático para o Pan 2011

Autor: Tags: , , , , , ,

sábado, 2 de julho de 2011 Com a palavra, Ídolos, Isso é Brasil, Seleção brasileira | 23:52

Duas opiniões sobre o caso Cielo

Compartilhe: Twitter

“À primeira vista, a sanção da federação brasileira parece bem leve. Vamos esperar a posição da Federação Internacional sobre o caso”

Nadador francês Alain Bernard, em comunicado oficial neste sábado, ao comentar a punição de advertência a Cesar Cielo e outros três nadadores pela presença da substância furosemida

“Não é legal. Com certeza vai manchar um pouco a carreira dele e dos outros envolvidos”

Ex-nadador brasileiro Ricardo Prado, medalha de prata nos 400m medley nas Olimpíadas de Los Angeles-84, em entrevista à ESPN Brasil, na última sexta-feira.

Duas opiniões bastante respeitáveis. E vocês, o que acham?

Autor: Tags: , , , , ,

Ídolos, Isso é Brasil, Seleção brasileira | 08:34

O doping e a hipocrisia

Compartilhe: Twitter

Cesar Cielo lê declaração à imprensa, na noite desta sexta-feira

Para início de conversa, não acho, sinceramente, que Cesar Cielo e seus três companheiros de seleção brasileira – Nicholas Santos, Henrique Barbosa e Vinicius Waked – tenham ingerido a substância furosemida, que apareceu em um exame antidoping realizados após o Troféu Maria Lenk, de forma proposital. Creio, sim, na versão apresentada pelo nadador campeão olímpico e mundial, que houve uma contaminação de suplementos alimentares que os quatros tomam normalmente.

Isto posto, permitam-me fazer a seguinte colocação: não tivesse o nome de Cesar Cielo na relação anunciada nesta sexta-feira pelo painel de doping da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) e posso assegurar, com toda certeza, que todos seriam punidos. Nem que fosse por uma pena mínima, de três meses.

Provavelmente os responsáveis pelo controle antidopagem do Brasil, entre eles o renomado médico Eduardo de Rose, membro fundador da Wada (Agência Mundial Antidoping),  rebateriam minha tese com uns 200 argumentos, usando dados técnicos, científicos, pegando pontos obscuros de regulamentos. Não importa. É tão evidente que existem dois pesos e duas medidas sempre que o assunto doping vem à tona que nenhum argumento médico me convencerá do contrário. O ídolo sempre é preservado, no mundo inteiro.

Embora, como disse na abertura do post, acredite na inocência dos quatro nadadores, algumas coisas ficaram mal contadas. Por exemplo, será que a tal farmácia de manipulação, que soube-se mais tarde ser a responsável pela contaminação nos suplementos alimentares dos nadadores, tem realmente condições para exercer tal função? Que farmácia é essa, cujo nome não foi divulgado? E quando se sabe que um dos envolvidos, Vinicius Waked, já tinha sido flagrado num exame em 2009 e pegou dois meses de gancho, dá pra acreditar piamente que só há santos nesta história?

O escândalo mais recente de doping do esporte brasileiro está pronto para entrar na mesma categoria do doping burro, tema já abordado no blog e que puniu recentemente a também nadadora Fabíola Molina. E para piorar o que já está ruim, ainda houve a econômica declaração de Cielo à imprensa, que sem permitir perguntas dos jornalistas, somente repetiu o que já havia sido divulgado em seu comunicado, no início da tarde. Tinha que ter dado entrevista, sim, senhor!

No fundo, o que me parece é que existe uma baita hipocrisia em relação ao doping. Já vimos casos assim no atletismo brasileiro e mesmo internacional, como foi com o próprio Carl Lewis, que admitiu ter competido dopado, mas jamais foi punido. Porém, a lei é sempre mais dura e rigorosa para uns do que para outros.

Ou se cumpre a lei, mesmo que seja de uma forma dolorida, ou então que se acabe com a hipocrisia. O que não dá é para a coisa continuar nesta toada, onde atletas, dirigentes e médicos querem nos chamar de idiotas sem a menor cerimônia.

Veja também:

>>Ben Johnson é um cara de pau!

>>Desculpa esfarrapada da CBC

>>Dois pesos e duas medidas

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 30 de junho de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Olimpíadas, Pan-Americano, Seleção brasileira | 22:47

O drama de Laís Souza

Compartilhe: Twitter

Laís de Souza, durante as Olimpíadas de 2008. Ginasta terá que ser operada novamente

Se por um lado os fãs da ginástica artística comemoraram, com toda razão, o bom retorno de Daiane dos Santos às competições no último final de semana, no Meeting Internacional de Natal, têm por outro lado motivos de sobra para se preocuparem. A paulista Laís Souza será obrigada a passar por uma nova cirurgia nos próximos dias, desta vez no joelho direito. Será a sétima cirurgia a qual Laís, de apenas 22 anos, precisará ser submetida.

Com isso, terminaram de vez as chances de Laís, que integrou a seleção brasileira de ginástica artística no Pan do Rio-2007 e nas Olimpíadas de Pequim-08, de sonhar com uma chance de ir ao Pan de Guadalajara, em outubro, ou mesmo aos Jogos de Londres, no ano que vem. Isso porque o processo de recuperação deverá demorar de dez meses a um ano.

Não é de hoje que Laís de Souza vem padecendo com contusões. Ela mesmo admitiu que competiu em Pequim “baleada”, pela falta de melhor cuidado do departamento médico da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) na época. Assim como a própria Daiane dos Santos e Jade Barbosa, que competiu com uma contusão gravíssima no pulso, que quase abreviou sua carreira.

Só resta torcer para que Laís Souza consiga se recuperar de mais uma cirurgia e consiga recuperar o tempo perdido. Mas a verdade é que não será fácil.

Veja também:

>>Daiane volta para iniciar o caminho do adeus

>>Final feliz na ginástica artística

>>Um exemplo de desperdício na ginástica artística

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 10 de junho de 2011 Com a palavra, Isso é Brasil, Pan-Americano | 17:01

Brasil aprova obras do Pan de Guadalajara. Mas e os atrasos?

Compartilhe: Twitter

“Está tudo correndo bem, dentro dos prazos previstos pelo COPAG, o que reforça a nossa confiança de que teremos uma boa edição dos Jogos Pan-Americanos”


Bernard Rajzman, chefe de missão do Brasil para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, que começam no dia 14 de outubro, após o encerramento da visita de inspeção que o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) fez à cidade mexicana, encerrada nesta quinta-feira, ao lado de outras nove delegações.

O engraçado é o Brasil ter referendado as condições em que se encontram as obras do Pan, que tem um atraso inacreditável na construção da Vila Pan-Americana ou então no estádio de atletismo, entre outras obras que também se encontram foram do prazo.

Talvez a avaliação compreensiva de Bernard seja pelo fato de o Brasil ter passado pelo mesmo sufoco, às vésperas do Pan de 2007, no Rio, quando os cofres públicos do governo brasileiro salvaram o país de um belo vexame.

Verdadeiro conhecimento de causa.

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 9 de junho de 2011 Isso é Brasil, Olimpíadas | 18:07

Paes comemora título do Vasco e põe Nuzman em "saia-justa"

Compartilhe: Twitter

Integrantes da comissão do COI, com Paes, Nuzman e as camisas do Vasco

Ainda comemorando a conquista da Copa do Brasil pelo Vasco da Gama, nesta quarta-feira,  o prefeito do Rio, Eduardo Paes, resolveu extravasar a alegria. Vascaíno fanático, ele resolveu presentear dois dos principais integrantes da comissão de vistoria do COI (Comiitê Olímpico Internacional) com camisas personalizadas do clube vascaíno. Os dirigentes do COI estão na cidade esta semana para vistoriar as obras das Olimpíadas de 2016.

Mas não contente em entregar duas camisas para Gilbert Felli e Nawal El Moutawake, principais dirigentes da missão do COI ao Brasil, Paes ainda “tirou um sarro” de Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e também lhe deu uma camisa do Vasco de presente. O problema é que o cartola é conhecido por sua estreita ligação com o Fluminense, clube pelo qual é torcedor e onde atuou na época em que era jogador de vôlei.

O sorriso amarelo de Nuzman segurando a camisa do rival mostra o quanto ele gostou do presente…

Veja também:

Presenteados com camisa do Vasco, membros do COI elogiam Jogos

Que moleza para o COI, hein?

E se a luz acabar na cerimônia de abertura?

Autor: Tags: , , , , , ,

quarta-feira, 8 de junho de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Seleção brasileira | 08:25

Nalbert corneta a CBV via Twitter

Compartilhe: Twitter

Nalbert quer atenção da CBV com os ídolos do vôlei brasileiro

Exemplo de organização no esporte olímpico brasileiro, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) recebeu uma bela cornetada via Twitter, durante o jogo de despedida de Ronaldo Fenômeno pela seleção brasileira, nesta terça-feira, na vitória de 1 a 0 sobre a Romênia. E a cornetada veio em uma espécie de “fogo amigo”:  o ex-capitão Nalbert, campeão mundial (2002, na Argentina) e olímpico (2004, em Atenas) com a seleção brasileira masculina.

“Perguntar não ofende: por que nenhum ídolo do vôlei recebeu uma homenagem como essa até hoje”, disparou Nalbert em sua página no microblog, para em seguida enaltecer e cumprimentar Ronaldo pela despedida.

Pelo que conheço dos padrões do vôlei, especialmente da seleção brasileira, onde parece ser proibido criticar e dar notícias com viés negativo, as palavras de Nalbert terão certamente um peso bem forte dentro da CBV.

Veja também:

Ministério do Esporte ajuda a encher os cofres do vôlei

Brasileiros compram mais ingressos de vôlei para Londres-12

Vitória contra o preconceito. Mas a luta só começou…

Autor: Tags: , , , , , ,

domingo, 5 de junho de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Seleção brasileira | 13:02

Erro de planejamento?

Compartilhe: Twitter

Fabiana ficou em 3º lugar nos EUA. Mas valeu a pena?

Uma perguntinha básica: será que valeu a pena Fabiana Murer enfrentar uma verdadeira maratona aérea no trajeto São Paulo-Buenos Aires-Oregon (EUA), e terminar com o terceiro lugar em sua estreia da Liga de Diamante no último sábado, na prova do salto com vara no Prefontaine Classic, quando alcançou a marca de 4,48m? Só para constar, foi a pior marca de Fabiana em uma competição internacional desde 2005, quando salto 4,40m no GP de Helsinki.

Por mais que o técnico de Fabiana, Elson Miranda, justifique que o foco da atleta em 2011 é conquistar uma medalha no Mundial de Atletismo em Daegu, na Coreia do Sul, faz sentido questionar que ele e a CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) tenham optado por colocar Fabiana disputando o Sul-Americano de Buenos Aires – onde por sinal cravou o melhor salto do ano na modalidade, com 4,70m – e depois submetê-la a uma cansativa viagem aos EUA.

Teria sido melhor que Fabiana Murer estreasse na Liga de Diamante, competição que reúne os melhores atletas do mundo, somente no GP de Oslo, na Noruega, na próxima quinta-feira. Mais descansada, certamente Fabiana conseguiria um resultado melhor do que o obtido em Eugene.

Ou a razão de Fabiana ter participado do Prefontaine Classic terá sido comercial, pois o principal patrocinador do evento (a Nike) também é um dos patrocinadores da atleta brasileira?

Faltou planejamento aí, hein!

Veja também:

Fabiana Murer em números

O que acontece com o tribunal da CBAt?

Joaquim Cruz e uma análise pessimista para Londres-12

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 10
  3. 19
  4. 20
  5. 21
  6. 22
  7. 23
  8. Última