Publicidade

Arquivo de maio, 2015

terça-feira, 19 de maio de 2015 Imprensa, Olimpíadas | 13:04

Um até breve. E que o sonho olímpico nunca termine

Compartilhe: Twitter

Este post tem um gosto meio agridoce, há de se reconhecer. Desde a última quinta-feira já não faço mais parte da equipe do iG Esporte e portanto, não estarei mais atualizando este blog. Uma tarefa que me deu extremo prazer nos últimos quatro anos e dois meses, somando 815 posts (contando com este), nos quais falamos de Olimpíadas, Pan-Americanos, Mundiais, ídolos, heróis, vilões, acertos e erros na organização brasileira para os Jogos Olímpicos do Rio 2016, o maior evento esportivo já realizado na América do Sul.

Aos leitores que me acompanharam, criticaram, elogiaram, deram sugestões, divulgaram os posts, enfim, a todos vocês que fizeram valer a pena a pena a existência do Espírito Olímpico, deixo os meus mais sinceros agradecimentos.

A gente se vê por aí

Autor: Tags: ,

terça-feira, 12 de maio de 2015 Mundiais, Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 23:57

Brasileira medalhista no Mundial de taekwondo está perto da vaga em 2016

Compartilhe: Twitter
Iris Tang Sing (à esquerda) acerta golpe em adversária durante o primeiro dia de disputas do Mundial de Taekwondo

Iris Tang Sing (à esquerda) acerta golpe em adversária durante o primeiro dia de disputas do Mundial de Taekwondo

A vitória suada diante da chinesa Zhayoi Li, assegurada apenas nos segundos finais da luta, deu à carioca Iris Tang Sing a vaga nas semifinais do Campeonato Mundial de taekwondo, que começou nesta terça-feira em Chelyabinsk (Rússia). Por tabela, deu ao Brasil também sua primeira medalha na competição, pois mesmo que perca seu combate para Panipak Wongpattanakit, da Tailândia, nesta quarta-feira, já terá conquistada pelo menos a medalha de bronze, na categoria até 46 kg.

Mas o foco da lutadora carioca, de 24 anos, está também voltado para os Jogos Olímpicos do Rio 2016. Para isso, ela precisa encerrar a temporada de 2015 entre as seis primeiras colocadas do ranking olímpico da WTK (Federação Mundial de Taekwondo), na categoria até 49 kg (olímpica) e assim dar ao Brasil mais uma vaga para o ano que vem. Atualmente, Iris ocupa a nona colocação e está a menos de seis pontos da tailandesa Chanatip Sonkham, que ocupa a sexta posição, limite para assegurar mais uma vaga olímpica.

Como país sede, o Brasil tem quatro vagas garantidas nos Jogos do Rio, duas na chave masculina e outras duas na feminina. Mas uma delas já foi definida pela CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo), para a categoria pesado masculina (acima de 80 kg), justamente a que pode ter a presença de Anderson Siilva, astro do UFC que está suspenso por doping e já manifestou interesse em disputar as seletivas nacionais.

Autor: Tags: , , , , , ,

Histórias do esporte, Ídolos, Isso é Brasil, Vídeos | 13:38

Salvem o GP Brasil de atletismo

Compartilhe: Twitter
O Estádio Mangueirão, em Belém, não receberá a edição 2015 do Grande Prêmio Brasil de atletismo

O Estádio Mangueirão, em Belém, não receberá a edição 2015 do Grande Prêmio Brasil de atletismo

Os mais novos podem não saber, mas há quase 30 anos o Brasil entrou na rota dos eventos internacionais de atletismo. Foi em 1985, tendo como grande estrela o então campeão olímpico dos 800 m rasos Joaquim Cruz que realizou-se a na pista do Conjunto Constâncio Vaz Guimarães, no Ibirapuera, a primeira edição do Grande Prêmio Brasil de atletismo. Ao longo destes anos, o nome mudou de acordo com os patrocinadores, mas não foram poucos os astros da modalidade que desfilaram por aqui.

Sintam só o nível: além de grandes atletas brasileiros como Cruz, Zequinha Barbosa e Robson Caetano, os torcedores puderam apreciar de perto feras como Carl Lewis, Michael Johnson, Serguei Bubka, Said Aouita, Steve Ovett, Evelyn Ashford, Merlene Ottey, Calvin Smith, Dennis Mitchell e até Ben Johnson. Todos campeões olímpicos, muitos recordistas mundiais. Algo que hoje em dia é inimaginável pensar em se repetir, tal valor dos cachês de estrelas como Usain Bolt e Elena Isinbayeva.

Depois do Ibirapuera, o Grande Prêmio Brasil mudou de casa, foi disputado em algumas edições no Rio de Janeiro e por fim instalou-se em Belém desde 2002, no Estádio Mangueirão, sempre com arquibancadas lotadas. Houve um intervalo entre 2010 e 2012, quando retornou para o Rio, desta vez na pista do Engenhão.

Pois esta história de quase 30 anos corre sério risco de acabar…

Nesta segunda-feira, a CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) soltou um comunicado confirmando que a SEEL (Secretaria de Esportes e Lazer) do Pará enviou carta à entidade, abrindo mão de organizar a edição 2015 do evento, por falta de verba. A competição está prevista para acontecer no próximo dia 21 de junho e para não perder a data e amargar um vexame justamente na data comemorativa de 30 anos, o presidente da CBAt, José Antonio Fernandes, o Toninho, corre atrás de algum patrocinador para bancar a competição. Entre passagens, hospedagem, premiação e outros custos de organização, o GP Brasil não sai por menos de R$ 2 milhões, verba que a Confederação não tem disponível.

Para quem gosta de atletismo, seria lamentável se um evento tão tradicional e que integra o circuito da Iaaf Challenge, o segundo em importância no mundo, atrás apenas da Liga de Diamante, fosse cancelado e, pior, tirasse o Brasil da rota do atletismo mundial, a pouco mais de um ano da realização dos Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Mate um pouco a saudade dos bons tempos do GP Brasil de atletismo nos vídeos abaixo, com as históricas transmissões da TV Bandeirantes e o seu “Show do Esporte”, narração de Jota Júnior e comentários de Álvaro José:

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 11 de maio de 2015 Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:12

Com possível rival de Anderson Silva, taekwondo estreia nesta terça no Mundial da Rússia

Compartilhe: Twitter
Possível rival de Anderson Silva na seletiva olímpica, Guilherme Félix luta sábado no Mundial de Taekwondo

Possível rival de Anderson Silva na seletiva olímpica, Guilherme Félix luta sábado no Mundial de Taekwondo

O Brasil inicia nesta terça-feira sua participação no Campeonato Mundial de taekwondo. na cidade de Chelyabinsk, na Rússia. A competição, que vai até a próxima segunda-feira (18), será fundamental para a soma de pontos nos rankings mundial e olímpico, que são critérios de classificação para as Olimpíadas do Rio 2016. A equipe brasileira está representada por um total de 16 atletas.

Colocada no olho do furacão em razão do pedido (plenamente aceito) de Anderson Silva, ex-campeão do UFC e suspenso preventivamente por um duplo caso de doping, para disputar a seletiva olímpica, a CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo) tem entre seus convocados aquele que pode ser o futuro rival do “Spider” na definição da seleção nacional. Na categoria acima de 87 kg, Guilherme Félix lutará no sábado (16) e seu combate de estreia será contra Diabete Toumani, de Mali. Félix manifestou-se publicamente contra a intenção de Anderson Silva em disputar a seletiva. Ele é o melhor brasileiro classificado no ranking olímpico da WTF (Federação Mundial de Taekwondo), ocupando a 20ª colocação na lista anunciada em maio. “Se tiver que enfrentá-lo, com certeza apostaria na minha vitória”, disse Félix ao iG Esporte, em reportagem publicada no último dia 23 de abril.

O Mundial de taekwondo apresenta algumas diferenças em relação ao torneio olímpico da modalidade, especialmente em relação às categorias de peso. Guilhrme Félix, por exemplo, que busca uma vaga no Rio 2016 na categoria + 80 kg, irá competir na Rússia na categoria + 87 kg. As demais classes olímpicas do taekwondo são até 58 kg, até 68 kg, até 80 kg e acima de 80 kg (masculino); até 49 kg, até 57 kg, até 67 kg e acima de 67 kg (feminino). O Brasil, por ser o país-sede dos Jogos Olímpicos, terá direito a duas vagas asseguradas antecipadamente e uma delas é na categoria pesado (+ 80 kg) masculino.

Confira abaixo as datas e os adversários de estreia dos brasileiros em Chelyabinsk:

12/5 – Terça-feira

Até 46 kg- feminino
Iris Sing x venc, de Accacia Aggarwall (QUE) x Claudia Lipcsei (HUN)

Até 58 kg – masculino
Leonardo Moraes x Machario Patti (HOL)

13/5 – Quarta-feira

Até 49 kg – feminino
Talisca Reis x Ana Petrusic (ESL)

Até 74 kg – masculino
Henrique Precioso x venc, Gianluca Barbara (MAL) x Rostand Kiki (BEN)

14/5 – Quinta-feira

Até 67 kg – feminino
Paloma Lima x Alexis Arnoldt (ARG)

Até 68 kg – masculino
Gustavo Almeida x Dong Yun (COR)

15/5 – Sexta-feira

Até 53 kg – feminino
Alessandra Trevisan x Yamicel Nuñez (CUB)

Até 73 kg – feminino
Hellorayne Paiva x Dong Hua (CHN)

Até 54 kg – masculino
Venilton Teixeira x Aadil Al Wahaibi (OMA)

16/5 – Sábado

Até 73 kg – feminino
Raphaella Galacho x Hye-ri Oh (COR)

Até 87 kg – masculino
John Lee Silva x Apostolos Telikostoglou (GRE)

Acima de 87 kg – masculino
Guilherme Félix x Diabate Toumani (MAL)

17/5 – Domingo

Até 57 kg – feminino
Josiane Lima x venc. Emely Cartagena (PUR) x Da-yeong Kim (COR)

Até 63 kg – masculino
Davilani Cruz x Abolfazl Yaghoubi Jouybar (IRA)

18/5 – Segunda-feira

Até 62 kg – feminino
Julia Vasconcelos x venc. Caroline Person (SUE) x Kyra Potter (EUA)

Até 80 kg – masculino
André Bilia x Maksat Abdrambrek (CAZ)

Autor: Tags: , , , ,

sábado, 9 de maio de 2015 Ídolos, Imprensa, Mundiais, Seleção brasileira | 16:21

Crise fora de hora no atletismo brasileiro

Compartilhe: Twitter
O brasileiro Thiago Braz é considerado a maior revelação do salto com vara masculino do Brasil

O brasileiro Thiago Braz é considerado a maior revelação do salto com vara masculino do Brasil

Relevante e preocupante a informação publicada na edição deste sábado da Folha de S. Paulo, relatando aquele que é um princípio de crise dentro da seleção brasileira de atletismo: o rompimento entre os treinadores Elson Miranda e o ucraniano Vitaly Petrov, do salto com vara, em razão de decisão de Thiago Braz, considerado a maior revelação da modalidade, em  trabalhar somente com Petrov em sua base de treinamento, em Fornia, na Itália (a história completa pode ser conferida aqui, na versão online do jornal).

Em resumo, a crise começou quando no ano passado, após casar-se com a também atleta Ana Paula Oliveira, do salto em altura, Thiago Braz decidiu mudar-se para a Itália e treinar diretamente com Petrov, rompendo assim uma parceria de anos com Miranda, que é o treinador da equipe brasileira de salto com vara e também da equipe BM&F, de São Caetano. O ucraniano, que foi o treinador do ainda recordista mundial Serguei Bubka, passou a atuar como consultor de Miranda em 2001 e após o título mundial de Fabiana Murer, em 2011, foi contratado como consultor pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), em parceria com o COB (Comitê Olímpico do Brasil), até os Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Obviamente que a história não poderia acabar bem. Para a Folha, Miranda acusou Petrov de ter aliciado Thiago Braz e afirmou que ele e Fabiana, que é sua mulher, não usarão mais as instalações do ucraniano na Itália, quando estiverem competindo e treinando na Europa. Para completar o quadro, agora Petrov é contratado pelo COB apenas para orientar Braz, que também deixou o BM&F e agora compete pela Orcampi/Unimed, de Campinas.

Mais do que uma briga de egos feridos ou de posturas profissionais questionáveis, está em jogo a própria harmonia dentro de uma parte importante da seleção brasileira de atletismo. Foi inegável a evolução de Fabiana Murer tendo a ajuda de Petrov em seus treinamentos nos últimos anos e seria importante contar com alguém de sua experiência ao lado tanto no Mundial de Pequim, em agosto próximo, quanto nos Jogos do Rio, no ano que vem.

Também preocupa o efeito que esta confusão terá na cabeça de Thiago Braz, sem dúvida um dos grandes talentos revelados pelo atletismo brasileiro nos últimos anos. Em menos de cinco anos, sua melhor marca no salto com vara saiu de 5m10, obtida em setembro de 2010, para 5m83, em julho de 2013, atual recorde sul-americano e brasileiro. Com apenas 21 anos, ele foi campeão mundial juvenil em Barcelona (ESP), em 2012, e ficou em quarto lugar no Mundial indoor de Sopot (POL), no ano passado.

Na próxima sexta-feira (15), Elson Miranda e Th iago Braz deverão se encontrar para a disputa do título do salto com vara no Troféu Brasil de atletismo, na Arena Caixa, em São Bernardo do Campo (SP). Tomara que a direção da CBAt tenha habilidade para saber aparar as arestas dos dois lados e evitar que o atletismo brasileiro seja o maior prejudicado em toda esta confusão.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 4 de maio de 2015 Mundiais, Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 00:14

Revezamentos do Brasil asseguram vaga no Rio 2016

Compartilhe: Twitter
Rosângela Santos e Franciela Krasucki comemoram a vaga do Brasil para o Rio 2016

Rosângela Santos e Franciela Krasucki comemoram a vaga do Brasil  no revezamento 4 x 100 m para o Rio 2016

O final de semana esportivo encerrou-se neste domingo com saldo positivo para o atletismo brasileiro. Ao final da segunda edição do simpático Campeonato Mundial de revezamentos de atletismo, realizado em Nassau, nas Bahamas, o Brasil conseguiu alcançar o principal objetivo proposto, que era o de assegurar a vaga antecipada para as Olimpíadas do Rio 2016.

A lição de casa foi feita de forma completa, com as equipes do 4 x 100 e 4 x 400 m, masculino e feminino, assegurando a classificação olímpica. E um fato que merece ser destacado é que apenas três países conseguiram classificar suas equipes nestas quatro provas: os fortíssimos times dos Estados Unidos e Jamaica, além do Brasil. Um feito importante, sem dúvida, mas que não deve despertar maiores ondas de ufanismo fora de hora.

Do ponto de vista técnico, todas as equipes fizeram na final seus melhores resultados no ano, em termos de tempo: o 4 x 100 masculino foi quem teve a melhor colocação, ao terminar em quarto lugar, com 38s63; o feminino do 4 x 100 m, apontado como favorito para brigar por uma medalha olímpica, foi o sexto, com 42s92; o 4 x 400m masculino fechou sua participação em quinto, com 3min00s96; e por fim o 4 x 400 m feminino, o único que fez a melhor marca da temporada na eliminatória, ficou em oitavo e último lugar na final, com 3min31s30.

E não se pode dizer que foi um Mundial fácil, pois a Jamaica, com Usain Bolt e tudo, perdeu o ouro para os Estados Unidos no 4 x 100 m masculino, no sábado à noite. Ou seja, com um nível técnico forte, só comprova que o Brasil precisará trabalhar muito para chegar ao pódio olímpico no ano que vem e ajudar a alcançar a ousada meta de ficar no top 10 do quadro de medalhas nos Jogos do Rio.

Confira aqui todas as modalidades que já têm países classificados para os Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Autor: Tags: , , , , ,