Publicidade

segunda-feira, 13 de abril de 2015 Ídolos, Olimpíadas | 20:29

Anderson Silva no Rio 2016? Marketing e nada mais

Compartilhe: Twitter
O presidente da CBTKD, Carlos Fernandes e o lutador de UFC Anderson Silva, em encontro recente na entidade

O presidente da CBTKD, Carlos Fernandes e o lutador de UFC Anderson Silva, em encontro recente na entidade

A notícia que bombou o universo olímpico brasileiro nesta segunda-feira foi a declaração de Anderson Silva, o ex-campeão do UFC que está preventivamente suspenso por uso de doping, de pretender um lugar na equipe olímpica do taekwondo do Brasil que disputará as Olimpíadas do Rio 2016. A intenção foi registrada em carta enviada ao presidente da CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo), Carlos Fernandes, publicada no site da entidade.  Na página da entidade, Fernandes diz que ainda pretende se reunir com o lutador para conversar com mais detalhes a respeito desta intenção.

Tudo muito bonito, se não fosse uma clara estratégia de marketing, provavelmente dos dois lados.

É bem verdade que Anderson Silva não é um completo ET no universo do taekwondo. Foi essa a modalidade que o introduziu no mundo das artes marciais. Só que existem alguns fatores que complicam os restringem a intenção do lutador em tornar realidade o seu desejo (se é que isso representa mesmo sua vontade).

O iG Esporte demonstrou em reportagem nesta segunda-feira que alguns aspectos barram a intenção do lutador, o primeiro deles a própria indefinição da situação esportiva do Spider, atualmente suspenso de forma preventiva pela Comissão Atlética de Nevada, em razão dos dois casos de doping antes e depois da luta contra Nick Diaz. Primeiro, é necessário saber qual será a punição que ele irá receber por estas infrações e, mais importante, se o brasileiro será julgado de acordo com as normas da Wada (Agência Mundial Antidoping). Se isso ocorrer e ele for considerado culpado, um abraço, pois as novas determinações da entidade proíbem que qualquer atleta que tenha sido considerado dopado no ciclo olímpico participe das Olimpíadas em questão.

Depois, as regras da CBTKD são claras: uma das exigências para integrar a seleção brasileira é que o lutador esteja entre os 20 primeiros do ranking olímpico. Este ranking é computado graças aos resultados dos lutadores em diversas competições internacionais, ao longo do ciclo olímpico. Isso já vale para a formação do time que vai ao Pan-Americano de Toronto 2015 e só não valerá para o Rio 2016 se houver uma virada radical de mesa.

Por fim, está a indefinição do próprio Anderson, que em 2012 chegou a declarar que desejaria defender o Brasil no Rio 2016, mas em 2013, antes da fatídica luta contra Chris Weidman, quando fraturou a perna esquerda, disse que não tinha tempo hábil para assegurar a vaga e nem autorização de Dana White, chefão do UFC.

Assim, enquanto não ocorrer um movimento explícito da confederação brasileira, admitindo que rasgará suas regras para encaixar Anderson Silva na equipe olímpica – o que representaria sem dúvida uma bela sacada de marketing no Rio 2016 -, tudo o que se falar sobre este tema não passará exatamente disso: uma manjada ação marqueteira e nada mais.

 

Autor: Tags: , , , ,

6 comentários | Comentar

  1. 56 Luiz Antonio Avanzini 14/04/2015 8:57

    Acho, melhor o Anderson Silva se aposentar, pois já se trata de um vovô ou então voltar para aquela carnificina ridícula, que por interesses comerciais é chamada hoje de esporte.

  2. 55 rafael 14/04/2015 8:55

    eh, vai ser uma beleza os competidores nadando no lixo daquela rodrigo de freitas, uma vergonha worldwide. Assim como foi a roubalheira pra construir os elefantes brancos, qm joga em MANAUS, BRASILIA, CUIABA? NINGUEM, VERGONHA!

  3. 54 Adriano Massaini 14/04/2015 8:13

    Se o Anderson estivesse no auge da forma física e as regras o permitissem de representar o Brasil, seria um diferencial para o evento. Tenho a plena convicção de que entraria para trazer uma medalha para o Brasil, sem contar o fato de que seus oponentes estariam na frente de um verdadeiro campeão e isto iriam afetá-los psicologicamente dando vantagem ao brasileiro.

  4. 53 LUIZÃO 14/04/2015 8:11

    Robô do SECOM

  5. 52 LEONARDO 14/04/2015 5:39

    vc habita em que galáxia, pedro ??????????? com certeza, teve ter assistido à COPA da tv de casa, e nunca foi vítima de violencia nas ruas das gdes capitais, SEM EXCEÇÃO. E AINDA, deve ser um daqueles satisfeitos com o desgoverno da PTralhada, que mama nas nossas tetas……

  6. 51 pedro 13/04/2015 21:47

    A copa do mundo no Brasil foi um sucesso em todos os sentidos e os legados pós copa estão aí para quem quiser ver, apenas para exemplificar o “novo” terminal de cumbica está show de bola, de meter inveja a muito gringo, apesar daqueles do contra que apostavam nos protestos e no fracasso, agora chegou a vez das olimpiadas, 2016 vai ficar na história, será mais um lindo capítulo desse povo que sabe receber como ninguem. Muitos gringos, depois da copa, foram prometendo voltar, e indicar o Brasil para amigos virem visitar, depois das olimpíadas, o Brasil, já bastante recomendado será mais recomendado ainda. Que diferença do Brasil de hoje para o de 14 anos atrás

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.