Publicidade

quarta-feira, 9 de abril de 2014 Isso é Brasil, Olimpíadas, Política esportiva | 15:05

COI fará um plano de ação para salvar o Rio 2016

Compartilhe: Twitter

A situação dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, marcados para 2016, atingiu um ponto crítico para a cúpula do COI (Comitê Olímpico Internacional). Depois de um dos integrantes da entidade, o italiano Francesco Ritti Bicci, ter declarado na terça-feira, em uma reunião de dirigentes esportivos na Turquia, que já seria o momento de pensar em um plano B para as próximas Olimpíadas, o próprio COI resolveu agir.

Carlos Nuzman, Nawal El Moutawakel, Gilbert Felli e Eduardo Paes visitam as obras do Parque Olímpico da Barra da Tijuca: na última visita de inspeção do COI, em março

Carlos Nuzman, Nawal El Moutawakel, Gilbert Felli e Eduardo Paes visitam as obras do Parque Olímpico da Barra da Tijuca, na última visita de inspeção do COI, em março

De acordo com a assessoria de imprensa do COI, em contato com o blog, diversas reuniões foram feitas nesta quarta-feira para buscar soluções em relação aos incontáveis atrasos nas obras de arenas e de infraestrutura para o Rio 2016. Para piorar, desde a última quinta-feira (3), uma greve no canteiro de obras do Parque Olímpico paralisa o andamento daquilo que já está muito atrasado.

Segundo o COI, foi definido um plano de ação para ajudar na organização dos Jogos, cujos princípios gerais constam o monitoramento e geração de relatórios de todos os andamentos da organização do evento, entre outros detalhes. “O COI tem delineado a sua preocupação com os atrasos há algum tempo e declarou em várias ocasiões que o tempo está se esgotando. No entanto, acreditamos que o Rio 2016 ainda pode entregar uma boa edição dos Jogos, se ações apropriadas forem tomadas imediatamente”, disse o COI em contato com o blog.

Os dirigentes da entidade estão em contato com os integrantes do comitê organizador do Rio 2016, “para informa-los deste plano de ação”. Na prática, convenhamos, o que está acontecendo é uma intervenção do COI para salvar as Olimpíadas do Rio!

E o maior sinal de que a situação é grave está no fato de que o próprio presidente do COI, Thomas Bach, dar uma entrevista coletiva nesta quinta-feira, a partir das 11h (horário de Brasília), na sede da entidade, na Suíça, para dar mais detalhes sobre o tal “plano de ação”. E o próprio dirigente demonstrou mais uma vez sua preocupação com o sucesso dos próximos Jogos Olímpicos nesta quarta-feira. “É tempo de agir. Compartilho das mesmas preocupações que eles. Faremos de tudo para que estas Olimpíadas sejam um sucesso”, afirmou Bach.

Como diria um amigo meu, o gato está subindo no telhado do Rio 2016 sem a menor cerimônia.

Autor: Tags: , ,

9 comentários | Comentar

  1. 59 Helio 11/04/2014 18:29

    Legado da Copa e Olimpíadas, Brasil um pais de contos de fadas…rs.rs.rs, não temos a mínima condições de realizar a Copa de Futebol e muito menos as Olimpíadas, não por mim ou você brasileiro trabalhador do dia a dia, mas sim, pela falta de seriedade de nossos políticos, que não têm competência em administrar, em ser gestor pois primeiramente pensam nas vantagens que pode ter, veja como é clara a falta de competência, fomos escolhidos para sediar a Copa de 2014 a quantos anos atrás veja a data: 30/10/2007 e estamos entregando os Estádios inacabados sem falar na mobilidade em 2014 ( piada ) e as Olimpíadas em 02/10/2009, e hoje sofremos o golpe da intervenção do COI, pois se eles não entrarem não irá sair nada, pior será as Paraolimpíadas numa cidade que não consegue dá mobilidade aos seus cidadãos comuns imagina à quem precisa de mobilidade especial. VERGONHA!!!

  2. 58 j. prudente 10/04/2014 16:03

    .Ainda dá tempo de cancelar tudo e economizar essa grana fabulosa que poderia ser gasta em coisas mais úteis a cidade.
    Como por exemplo urbanizar e acabar com as favelas
    Vai melhorar muito, mas muito mesmo a qualidade de vida do RJ.

  3. 57 j. prudente 10/04/2014 15:49

    Ainda dá tempo de cancelar tudo e economizar essa grana.
    Seria muito mais bem utilizada em livrar o Rio das favelas.

  4. 56 Milton 10/04/2014 12:53

    O que falta, e o que sempre faltou, neste país é profissionalismo, planejamento e competência. Todas estas qualidades são obtidas com EDUCAÇÃO de qualidade desde o jardim de infância.
    É por isso que eventos deste porte quando entregues a países com índices de qualidade da EDUCAÇÃO muito maiores que o nosso, problemas desta magnitude não ocorrem jamais.
    Somente um exemplo: A Coreia do Sul saiu destroçada de uma guerra no início dos anos 1950 e vejam no que se transformou nos dias de hoje basicamente investindo pesadamente em EDUCAÇÃO para garantir o sucesso de suas futuras gerações.
    Como disseram neste blog, o RJ é o reflexo da nossa sociedade do OBA OBA, do BLÁ BLÁ BLÁ e da superficialidade, falta conteúdo.

  5. 55 Francisco 10/04/2014 4:48

    Dá tempo até de fazer um Carnaval em 2015 e outro em 2016…

  6. 54 Anônimo 09/04/2014 22:25

    Estamos passando para o resto do mundo um triste atestado de incompetência. Uma imagem favorável demora décadas para ser construída, para destruí-la por uma desfavorável, bastam poucos dias. O que acontecer nas olimpíadas, pro bem ou pro mal,vai repercurtir nas nossas vidas por mto tempo, mesmo que não tenhamos consciência disto.

  7. 53 Michael Buckley 09/04/2014 21:56

    É melhor parar antes que o vexame de Sérgio Cabral e Eduardo Paes seja maior, envergonhando a todos nós, cidadãos. Cabral já pulou fora. E o que dizer do Nuzman?

  8. 52 Marcos 09/04/2014 18:37

    É o atestado da nossa incompetência! Como se não bastasse todos os problemas com a realização da Copa do Mundo, agora as Olimpíadas. O Hino Nacional Brasileiro deveria ser uma certa música do grupo Ultraje a Rigor.

  9. 51 Malcolm Roger 09/04/2014 16:36

    O Rio de Janeiro sempre foi a cidade do “oba-oba”, mas o que falta as autoridades publicas é profissionalismo, real compromisso com esta cidade tão bonita. Dá tempo sim de fazer uma formidável olimpíada em 2016…

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.