Publicidade

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013 Mundiais, Seleção brasileira | 20:50

Aviso aos navegantes: o Brasil não é zebra na final do Mundial de handebol

Compartilhe: Twitter
Jogadoras da seleção feminina de handebol comemoram a histórica vitória sobre a Dinamarca

Jogadoras da seleção feminina de handebol comemoram a histórica vitória sobre a Dinamarca

Atualizado

Após alguns minutos da (mais uma) vitória épica da seleção brasileira feminina de handebol sobre a Dinamarca, por 27 a 21, garantindo a vaga para uma inédita final no Campeonato Mundial da Sérvia, é possível fazer algumas análises com um pouco mais de tranquilidade:

1) Exceto por alguns minutos no segundo tempo, quando as dinamarquesas chegaram a diminuir a diferença para apenas três gols, em nenhum momento o Brasil correu um risco real de perder a partida. As jogadoras comandadas pelo técnico Morten Soudbak tiveram domínio total do jogo;

2) Se a defesa foi o ponto fraco na dramática vitória sobre a Hungria nas quartas de final, desta vez a marcação brasileira soube anular com competência os ataques das rivais e sem apelar tanta para as faltas em que a jogadora precisava ficar dois minutos afastada de quadra;

3) Mais uma vez, a goleira Babi foi o ponto alto da seleção, realizando defesas sensacionais ao longo da partida. Aliás, goleira não é problema nesta seleção até agora, pois a reserva Mayssa também fechou o gol nas vezes em que foi utilizada;

4) O Brasil chega à decisão do Mundial com o a única equipe invicta da competição, com oito vitórias em oito jogos. A Sérvia, adversária das brasileiras na decisão, perdeu somente um jogo – justamente para o Brasil, na primeira fase do torneio, por 25 a 23;

5) A fanática torcida pode ser a grande arma da Sérvia na decisão. Nesta sexta-feira, com as arquibancadas lotadas, o time atropelou a Polônia por 24 a 18;

6) Para que ninguém fale em golpe de sorte, vale lembrar que o Brasil derrotou uma seleção que já foi três vezes campeã olímpica;

7) Nas 21 edições anteriores dos Mundiais femininos de handebol, apenas duas vezes um país não europeu esteve entre os três primeiros – Coreia do Sul, ouro em 1995 e bronze em 2003. O Brasil é o segundo a entrar neste seleto grupo.

8) Uma modalidade sem badalação da grande mídia no país, sem o mesmo apoio financeiro e a estrutura do vôlei, por exemplo, chega à decisão em igualdade de condições com seu oponente. A seleção feminina de handebol não será zebra na final deste domingo.

Autor: Tags: , , ,

6 comentários | Comentar

  1. 56 Luiz 21/12/2013 16:19

    JULIO MOREIRA, parabéns pelo seu comentário concordo plenamente!!!!

  2. 55 JULIO MOREIRA 21/12/2013 14:13

    Zebra apenas para aqueles que não acreditam que nesse país nada funciona e esquecem que quando há planejamento, dedicação e disciplina o esporte evolui e se torna vitorioso. Pobre do país que os seus cidadãos menosprezam a sua própria pátria.

  3. 54 Fernanda Mattos 21/12/2013 10:30

    O Brasil está crescendo no Handebol já faz algum tempo, quem acompanha sabe perfeitamente disso. Mas infelizmente para se tornarem estas atletas com um padrão de jogo de igual para igual , tiveram que sair do país. Se continuassem a jogar apenas no Brasil , acho que não chegariam aonde estão, isso me deixa triste! Mas estou feliz pelo handebol brasileiro de qualquer forma, amo o handebol, e estou torcendo demais por estas meninas!!!

  4. Marcelo Laguna 20/12/2013 23:14

    É isso, Denise (aliás, que honra ter sua presença nos comentários deste blog). Handebol tem tudo pra trilhar o caminho que o vôlei abriu há mais de 30 anos – quando ninguém falava de vôlei no Brasil. Beijão

  5. 53 denise mirás 20/12/2013 23:04

    Perfeito, Laguna! As brasileiras só não foram às semis no Mundial 2011, em São Paulo, apenas pelo gol da Espanha a 15 segundos do fim; depois, na Olimpíada de Londres 2012, o Brasil batia a Noruega, campeã olímpica e mundial no primeiro tempo, até simplesmente parar de jogar no segundo, depois que entrou Loke, a melhor jogadora do mundo em 2011 (as norueguesas foram bicampeãs olímpicas…) Agora, já com Alexandra como melhor do mundo de 2012, depois da Olimpíada, estava mais que na hora! Depois de passar pelo fantasma das quartas e com a concentração e o jogo consciente contra a Dinamarca neste Mundial da Sérvia…. a seleção do Morten – terceiro técnico do mundo em 2011, sesgundo em 2012… (primeiro em 2013??! – tem tudo para ser ouro sobre a Sérvia (em casa, mas com time renovado) – e ouro invicto! Como esse pessoal merece!!!!!! Vamo-que-vamo!!

  6. 52 Marcio 20/12/2013 22:22

    Parabens para a seleção, espero mais uma vitória no domingo. Creio que este resultado é fruto do trabalho desde as categorias de base e o consequente aumento no número de praticantes do esporte. Que este exemplo seja seguido por todas as modalidades, para o Brasil ter atletas disputando em condições de igualdade com as grandes potências do esporte.

  7. 51 Tomas Thur Bando 20/12/2013 21:34

    è bom sair um pouco dessa paranóia de só querer saber de futebol.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.