Publicidade

sexta-feira, 15 de novembro de 2013 Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 14:37

Esquiva também se torna profissional e abre crise no boxe

Compartilhe: Twitter
Crédito: Daniel Ramalho/AGIF/COB

Esquiva Falcão comemora a conquista da medalha de prata nas Olimpíadas de Londres

Pelo jeito, não há Bolsa Pódio que sossegue o boxe olímpico brasileiro. Nesta sexta-feira, a seleção brasileira da modalidade sofreu mais um duro golpe, com a decisão de Esquiva Falcão em se tornar lutador profissional. Ele assinou contrato com a empresa Top Rank, a mesma que gerencia a carreira do peso médio filipino Manny Pacquiao, um dos maiores boxeadores da atualidade e que já foi campeão mundial em seis categorias diferentes. Há a possibilidade de Esquiva fazer sua estreia (provavelmente na categoria peso médio) já no começo de 2014.

A profissionalização de Esquiva, medalha de prata nas Olimpíadas de Londres 2012, é a terceira grande baixa na equipe olímpica do Brasil, que já perdeu outro representante da família Falcão, Yamaguchi, bronze em Londres e que também se profissionalizou, e Adriana Araújo, essa excluída da seleção feminina por problemas de relacionamento com Mauro José da Silva, presidente da CBBoxe (Confederação Brasileira de Boxe).

Simplesmente os três medalhistas do boxe do Brasil nas últimas Olimpíadas não disputarão os Jogos de 2016, no Rio de Janeiro. Não se trata de uma infeliz coincidência.

>>> VEJA TAMBÉM: Ministério do Esporte tenta acordo de paz entre CBBoxe e Adriana Araújo

O mais irônico é que Esquiva Falcão acabou de ganhar medalha (bronze) no último Campeonato Mundial e  estava incluído na relação dos três atletas que receberiam o Bolsa Pódio do Ministério do Esporte (ao lado de Everton Lopes e Robenilson de Jesus) a partir de 2014. Yamaguchi também fazia parte da lista, assim como Adriana também, se ainda estivesse na seleção. Se o caminho da profissionalização no boxe precisa ser encarado até com certa naturalidade entre os amadores, a saída dos principais boxeadores brasileiros da seleção merece ser vista com alguma atenção.

Seria bom que a CBBoxe sobre tudo isso, em pleno início de ciclo olímpico para os Jogos do Rio de Janeiro, para tentar proteger seus melhores talentos da tentação (mais do justa) de passarem a competir como profissionais. Ou então resolver seus problemas internos rapidamente.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

2 comentários | Comentar

  1. 52 Celso Amaro 15/11/2013 17:18

    Mais uma prova da incompetência dos nossos dirigentes; nossos atletas estão mais do que certos em buscarem melhores condições para exercerem suas profissões. Não vale a pena o sacrifício de conquistar medalhas olímpicas para uma país que não investe e não valoriza seus atletas. Uma vergonha o que temos como dirigentes de esportes olímpicos.

  2. 51 alexandre vale 15/11/2013 17:05

    já tinha que ter se profissionalizado antes! todos nós sabemos que dinheiro só há para o Futebol, vôlei e para alguns poucos privilegiados. não há dinheiro para o Boxe. Demoraram tanto com a bolsa que o atleta teve que se virar para não passar dificuldades.

    No PAN do RJ foi a mesma coisa:atletas passando dificuldades, sem dinheiro, patrocínio, sem bolsa e etc. Depois queremos ganhar tudo! em um passe de mágica!
    Boa Esquiva! Dá banana para eles!

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.