Publicidade

quinta-feira, 26 de setembro de 2013 Isso é Brasil, Mundiais, Seleção brasileira | 19:07

Confederação de canoagem rebate campeão mundial e punição não está descartada

Compartilhe: Twitter
A Confederação Brasileira de canoagem rebateu as acusações de Isaquias Queiroz

A Confederação Brasileira de canoagem rebateu as acusações de Isaquias Queiroz. Vem punição por aí?

Não demorou nem 24 horas para que a CBCa (Confederação Brasileira de Canoagem) negasse as pesadas críticas feitas por Isaquias Queiroz na última quarta-feira, menos de um mês depois de tornar-se o primeiro brasileiro  campeão mundial de canoagem de velocidade, ao faturar o ouro na categoria C1 500 m (prova não olímpica), além do bronze no C1 1.000 m. Nada mais lógico que viesse a resposta da entidade.

Em longo texto publicado no site oficial da entidade e reproduzido em reportagem do portal Ahe!, o presidente da CBCa, João Tomasini Scwertner, rebateu uma a uma as fortes pancadas desferidas por Isaquias em sua página no Facebook, negando, entre ouitras coisas, que havia promessa de pagamento por premiação em caso de título mundial e de algum tipo de preconceito com atletas de diferentes regiões do Brasil.

Preocupado em escolher as palavras e não colocar mais lenha na fogueira, Scwertner preferiu no comunicado exaltar a “estrutura nunca vista antes na Canoagem Brasileira oferecida” aos atletas e aos programas oficiais de remuneração aos quais os atletas têm acesso, como Bolsa-Atleta e o Bolsa-Pódio, voltado para as principais esperanças de medalha nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

Ausente do Brasil – está em viagem ao Leste europeu – João Tomasini Scwertner não pôde atender ao iG nesta quinta-feira para comentar as declarações de Isaquias Queiroz. Oficialmente, a entidade não tem nenhuma posição sobre a aplicação de alguma medida disciplinar no atleta. Mas pessoas próximas à entidade disseram que nenhuma hipótese está sendo descartada neste momento.

Em outras palavras, acho que dificilmente Isaquias Queiroz escapará de pelo menos receber uma multa. Punição que o próprio canoísta disse esperar, em seu post no Facebook.

Tanto o dirigente quanto o atleta deverão se encontrar a partir da próxima semana, no Centro de Treinamento de alto rendimento da CBCa, localizado em São Paulo.

Para não me acusarem de ficar em cima do muro: até prova em contrário, acredito nas palavras do atleta, a despeito do completo e longo comunicado da Confederação Brasileira de Canoagem. Ninguém sai batendo daquele jeito sem ter motivos. E os anos de estrada no jornalismo esportivo me ensinaram a receber com extremo cuidado estes comunicados oficiais…

 

Autor: Tags: , , , , , , ,

1 comentário | Comentar

  1. 51 Marcelo Romano 27/09/2013 10:52

    Assim como o Laguna acredito no atleta. A Confederação ao invés de valorizar e preservar sua ” jóia rara” resolve bater de frente. As reivindicações do atleta são justíssimas. E só conseguiu faze-las por seu desempenho no mundial. Tivesse terminado em 8º e ninguém repercutiria. Mesmo não prometendo premiação, a Confederação deveria destinar uma quantia ao atleta devido a sua conquista histórica. Citar na nota que ” dá estrutura” é muito simples e obrigação de uma entidade que recebe verbas.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.