Publicidade

terça-feira, 20 de agosto de 2013 Com a palavra, Histórias do esporte, Ídolos, Imprensa, Isso é Brasil, Mundiais, Seleção brasileira | 23:54

O arrependimento de Vanda e a fragilidade do atleta brasileiro

Compartilhe: Twitter

“O que eu quis dizer quando falei comer mal e dormir mal é que quando você sai do conforto da sua casa, você está comendo mal e dormindo mal. Não me lembro de ter dito que a CBAt não nos deu comida ou pouso”

Vanda amenizou o tom das críticas no Brasil

A frase da velocista Vanda Gomes, menos de 48 horas depois de soltar o verbo, ao tentar justificar a eliminação da equipe brasileira na final do revezamento 4 x 100 feminino, durante o Mundial de atletismo de Moscou, não deve surpreender ninguém. Depois de acusar com todas as letras, aos microfones do canal Sportv, que a preparação foi deficitária, que as atletas tiveram problemas com alimentação, hospedagem etc, Vanda decidiu recuar.

Na verdade, naquele momento ela nada mais estava do que tentando encontrar uma explicação para aquela cena inacreditável: a queda do bastão na última passagem, em uma prova que tinha tudo para terminar com as brasileiras no pódio na Rússia.

Não é de hoje que atletas brasileiros acabam falando mais do que devem e depois, diante da pressão externa, acabam voltando atrás. O atletismo é mestre em ter situações como essa. Lembro-me bem de Joaquim Cruz, ao dar uma entrevista na qual deixava claro que suspeitava da condição da americana Florence Griffth-Joyner, já falecida, nas Olimpíadas de Seul 1988. Cruz acreditava que as incríveis marcas dela nos 100 e 200 m eram frutos de doping. A repercussão de suas palavras – o brasileiro foi campeão olímpico nos 800m em Los Angeles 1984 e prata na Coreia do Sul na mesma prova – foi tamanha que Cruz precisou se retratar, dizendo que fora mal interpretado.

Veja também: As lições do Mundial de Moscou ao atletismo do Brasil

É natural que Vanda Gomes esteja frustrada, irritada e até envergonhada com  o erro que pode ter custado uma medalha para o Brasil. Mas não se pode cravar que o erro foi apenas dela. Era uma prova em equipe, afinal. E nem ninguém pode eximir a comissão técnica da  CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) de algum tipo de culpa também.

E mais: O fiasco brasileiro no Mundial de atletismo e a miopia dos críticos

Acho que todos têm sua parcela de responsabilidade neste caso e na  fraca participação brasileira em Moscou, de modo geral. E a maior prova do equívoco da atleta foi que o discurso das outras integrantes da equipe não seguiu na mesma linha. Para piorar, a CBAt pretende puni-la de forma severa pelas declarações.

O que fica evidente é que falta preparo psicológico a muitos atletas em competições de alto nível. Mais do que simples “frescura”, um trabalho sério de psicologia esportiva mostra-se cada vez mais necessário, para qualquer equipe. No caso do esporte brasileiro, carente em tentas coisas, isso pode fazer a diferença entre um bastão no chão e uma medlaha no peito.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

15 comentários | Comentar

  1. 65 Bruno GH 21/08/2013 12:33

    Gostei do comentário do Fernando M. Martins, mas como atleta e como espectador, compartilho tb da opinião do Alan…

    “Falta torcedores que gostem do esporte”, eu amplio um pouco:
    – Falta torcedores que gostem dE esporte.

    Isso mesmo, aqui só se fala em futebol. é como um dos artigos anteriores desta coluna, a monocultura esportiva! Colocam-se jogos de basquete e vôlei em horários esdrúxulos pq não podem alterar as grades de programação nem dos canais pagos. E sempre tem um dos canais passando reprises, que poderia passar o evento de outros esporte (que não futebol) ao vivo. Qdo é futebol, passam 3 jogos ao vivo, ao mesmo tempo, um em cada canal!

    Falta um canal aberto que passe espote de verdade!

  2. 64 germana 21/08/2013 12:07

    Só no Brasil! Ela vai ser punida por ter falado a verdade!ABSURDO!

  3. 63 Bras Vitorino 21/08/2013 11:46

    A Wanda falhou sim e feio, por falta de treino, talvez. Não ponham a culpa na “equipe” não. Que também não deve ter treinado o que devia. Agora voltar de lá sem nem uma medalhinha de lata que fosse, é o maior retrocesso do nosso atletismo, em décadas. Já imaginou na Olimpíada ?

  4. 62 Haroldo 21/08/2013 11:26

    Lamento pela queda do bastão, mas sinceramente quando vi a atleta com aquele corpo flácido e desprovido de músculos, me pergunto como vamos ganhar alguma coisa!

  5. 61 jao 21/08/2013 11:21

    Aqui no Brasil todos somos atletas, somos todos campeões, pois temos tudo contra nós. Precisamos lutar diariamente contra a ignorância, a pobreza, a violência, o trânsito, e ainda por cima o governo e federações, em vez de ajudar, só atrapalham, com corrupção, incompetência do judiciário, pela ausência total do estado.
    Mesmo lutando contra tudo e contra todos, e com o governo para atrapalhar, quem consegue chegar no mundial já é um campeão. Agora pra ser campeão de verdade, além de vencer todas as dificuldade, tem que assumir os erros. Só os melhores assumem seus erros.

  6. 60 Gustavo 21/08/2013 10:43

    NAO DA PRA CURCIFICAR A ATLETA, MAS ELA TA PRECISANDO TER MAIS HUMILDADE NAS DECLARACOES…

  7. 59 Bilu 21/08/2013 10:40

    Atleta brasileiro ou chora quando ganha medalha ou tropeça na hora H. São atletas despreparados física e psicologicamente. O Brasil consegue ficar atrás de países como Jamaica e Cuba, estes bem mais pobres que a 6º economia do mundo. Falta competência não só no esporte, mas em todas as áreas de atuação em nosso país. Só existe um ramo em que somos campeões, o ramo da bandidagem, nesse somos os melhores, disparadamente.

  8. 58 Marcelo 21/08/2013 10:35

    País do futebol, onde a estrela é o pobrezinho Neymar, namoradinho da Bruna e ídolo do Galvão bueno. Nosso esporte se resume a isso! Um país desse tamanho, com tantos talentos ocultos q vivem à sombra da omissão governamental e privada.

  9. 57 Alan 21/08/2013 9:39

    Falta preparo psicológico.

    Faltam cartolas preparados.

    Falta torcedores que gostem do esporte.

    Falta medalhas.

    Só dinheiro público que não falta.

  10. 56 Paulo Pereira 21/08/2013 9:20

    Como se fosse de hoje que a situação dos atletas no Brasil está desse jeito. No calor da emoção, essa jovem provavelmente disse o que realmente pensava; as outras, ou não tiveram coragem ou estavam por demais decepcionadas para dizer qualquer coisa.
    Dizer o que se pensa não é motivo para punição, senhores membros da comissão olímpica! Os senhores nem sequer são atletas, façam-me o favor.

  11. 55 carlos 21/08/2013 8:59

    Acredito na sinceridade da atleta Vanda. A ela não deve ser imputada nenhuma responsabilidade, já que quem resolveu colocá-la foi o técnico. A responsabilidade é toda dele sabendo das condições da atleta para aquela prova. Esse técnico deveria ter a ombridade de assumir em vez de ficar se escondendo!! Quem deve ser punido é o técnico e toda a comissão técnica. Será quem não teve uma só pessoa capaz de discordar da atitude de mudança de última hora?! É uma grande injustiça punir essa atleta!

  12. 54 JACY ANTONIO FERNANDES 21/08/2013 8:18

    Pior que a falha da atleta (vamos lembrar que Bolt foi eliminado na Coreia por ter queimado a largada e o mundo não caiu) foi a declaração do chefe da delegação brasileira ao SPORTV dizendo-se satisfeito com 7º, 8º, 11º lugares obtidos nas poucas provas em que participamos.
    E é assim em todos os esportes. Pobre País, nas mãos de dirigentes esportivos satisfeitos com pouco. Esperanças olímpicas ? Esquece!

  13. 53 FERNANDO MONTEIRO MARTINS 21/08/2013 7:42

    POR QUE ESTÃO RENDENDO ESSE ASSUNTO? O FATO É QUE O ESPORTE EXISTE PARA TERMOS MOMENTOS APRAZÍVEIS EM NOSSAS VIDAS, SENDO ASSIM, ERRO E ACERTOS PODEM ACONTECER, O IMPORTANTE É SEMPRE TIRAR O MELHOR COM OS ACERTOS E OS ERROS, O RESTO É RESTO E PARABÉNS PARA TODAS ELAS, POIS MESMO COM O OCORRIDO INFELIZ, A META FOI CUMPRIDA, A GRAÇA E A BELEZA E A EMOÇÃO DE REPRESENTAR O NOSSO PAÍS.

  14. 52 Sandro 21/08/2013 6:09

    No caso, todos são responsáveis pelo erro, porém, todos erram, pelo simples fato de serem humanos. Então, o atleta deve entrar “quieto” e sair “calado”. Entendi.

  15. 51 Stella 21/08/2013 0:26

    Será uma grande injustiça jogar a responsabilidade da falta de uma medalha à atleta Vanda. Os dirigentes do atletismo precisam dar explicações da decadência do atletismo no Brasil nos últimos anos. e olha que a próxima olimpíada será no Rio. Estamos caminhando para o fiasco, não pelos atletas mas, pela falta de estrutura e investimento.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.