Publicidade

sexta-feira, 2 de agosto de 2013 Isso é Brasil, Olimpíadas, Paraolimpíadas, Política esportiva | 19:10

O que salvou o Célio de Barros: a "reflexão" de Sérgio Cabral ou as pesquisas eleitorais?

Compartilhe: Twitter

Em coletiva, Sérgio Cabral anunciou que o Célio de Barros também será mantido. Aleluia

Há três dias, o blogueiro sabichão aqui disse, com todas as letras, que ao menos que ocorrer uma reviravolta de última hora, o apelo da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) para que o Célio de Barros não fosse demolido seria em vão. Como jamais dá para confiar em um político (nesse caso, felizmente), não é que nesta sexta-feira o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB-RJ) resolveu me contrariar e decidiu que o mais tradicional estádio do atletismo brasileiro será preservado.

Foi a notícia mais importante do dia para o esporte olímpico brasileiro. Não havia nenhuma explicação que pudesse justificar a demolição tanto do Célio de Barros quanto do Parque Aquático Júlio Delamare, que foi poupado pelo mesmo Cabral no início da semana. Foi feita a justiça e ponto final.

>>> Veja também: Carta de Joaquim Cruz é a última esperança do Célio de Barros

Mas algo precisa ser analisado com calma em cima de todo este episódio, a despeito da alegria em ver a memória do esporte brasileiro mantida. Ao evitar que os dois estádios fossem colocados abaixo e dessem espaço a estacionamentos e lojas que seriam erguidas pelo consórcio que administra o complexo do Maracanã, fico imaginando os motivos que levaram Cabral a tomar esta sensata decisão.

>>> Leia ainda: O que restou do Célio de Barros

Teria o nobre governador ficado comovido com as declarações de amor ao Célio de Barros contidas na carta enviada pelo campeão olímpico Joaquim Cruz? Ou então ele levou em consideração as avaliações das últimas pesquisas de intenção de voto e os diversos protestos realizados debaixo de sua janela, contra todo o processo de privatização do Maracanã?

A estranha velocidade com a qual decidiu revisar os processos de demolição dos dois equipamentos esportivos deixam evidente a aposta na segunda opção. Agora, ele que se vire com o consórcio do Maracanã sobre a questão de estacionamentos, lojas etc. O mais importante está feito: o Célio de Barros será mantido.

Autor: Tags: , , , , , ,

7 comentários | Comentar

  1. 57 Ruth 03/08/2013 12:04

    Não foi reflexão…… foi sim o povo com muita sabedoria com protestos vendo seu dinheiro sendo disperdisado atoa que fez eles brecarem com tanto disperdicio Ruth

  2. 56 Ruth 03/08/2013 11:45

    Não foi reflecção dos governantes e sim presão do povo que esgotou ver tantos absurdos,
    de disperdicio do nosso tão suado dinheiro Ruth

  3. 55 Marlon bianco 03/08/2013 11:16

    Sergio Cabral se tornou o pior governador do Rio de janeiro logo ele deseja continuar mamando nas tetas do governo então ele sede, para que seu pupilo Pezão tenha chance de ganhar.
    Mais ele não esta conseguindo e o pior que teremos que pagar para reconstruir a merda que ele fez,E isso éla já sabia que não poderia ter feito Pois não se chama Maracanã e sim complexo Maracanã , mais o boçal não sabia disto. Ele não sabe é nada que acontece no Rio de janeiro pois não fez nada.

  4. 54 Antonio 03/08/2013 9:44

    Ir ao cinema com uma criança no shopping mais caro do Rio, incluindo refrigerante , pipoca e estacionamento , custa 120 reais. Para ver o Flamengo e Botafogo, (uma inteira e uma meia) atrás do gol, segunda alternativa mais barata , gastei 180 reais . Alguma coisa estava errada na privatização do Maracanã

  5. 53 marcio 02/08/2013 21:52

    A tese do desespero é a melhor explicação para a INflexão do desgovernador. A mesma cabe para esse surto oportunista de humildade e democratismo. Mais uma vez, aposta na memória curto dos cariocas e fluminenses. Nojo!

  6. 52 Antonio de Souza Leite Filho 02/08/2013 19:36

    Ditado,Quem tem C. tem medo.esse corrupto e seus aliados estão pensando que o povo e idiota. cade o AMARILDO. FORA CABRAL

  7. 51 Alan 02/08/2013 19:26

    Maracanã precisa de um estacionamento. Escuto isso desde que era moleque.

    Era para ser construídos os dois complexos e depois demolidos esses aí.

    A volta atrás do governo é mais um complicador. O consorcio vai devolver dinheiro para o estado? O estado vai voltar a ficar com o Maracanã e trata-lo como era tratado antes (uma estatal ineficiente, cabide de empregos e corrupta)?

    Na ânsia de salvar-se o governador tenta medidas populares.

    Está tudo errado no meu RJ.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.