Publicidade

quinta-feira, 1 de agosto de 2013 Isso é Brasil, Olimpíadas, Paraolimpíadas, Política esportiva | 19:41

Carta de Joaquim Cruz é a última esperança do Célio de Barros

Compartilhe: Twitter
Getty Images

O brasileiro Joaquim Cruz comemora a conquista da medalha de ouro dos 800m nas Olimpíadas de Los Angeles, em 1984. De longe, ele tenta ajudar a salvar o Célio de Barros

Uma emocionada carta do campeão olímpico Joaquim Cruz, ouro nos 800 m nas Olimpíadas de Los Angeles 1984, pode ser a chance derradeira de sobrevivência do Estádio Célio de Barros, condenado à demolição para que seja erguido em seu terreno estacionamentos e lojas que farão parte do complexo do Maracanã.

A decisão do destino do Célio de Barros será tomada de forma definitiva nesta sexta-feira pelo governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB-RJ), querecebeu das mãos do presidente da Federação de Atletismo do Rio, Carlos Alberto Lancetta, uma carta de Cruz pedindo que a decisão de demolir o estádio seja revista. Atualmente, Joaquim Cruz mora nos EUA, onde trabalha como técnico da equipe paraolímpica de atletismo americana.

Após Cabral afirmar esta semana que o Parque Aquático Júlio Delamare não será mais demolido, a comunidade do atletismo voltou a ter esperança que o mesmo possa acontecer com o Célio de Barros, embora o próprio governo do Rio tenha oferecido como alternativa a construção de um novo estádio em um terreno próximo.

Será que as palavras de um campeão olímpico como Joaquim Cruz terão mesmo influência sobre Sérgio Cabral? Vamos aguardar…

Confira a íntegra da carta de Joaquim Cruz

Senhor Governador Sergio Cabral,

É com muita tristeza que acompanho de longe as noticias sobre a decisão da cidade do Rio de Janeiro demolir o Estádio de atletismo Célio de Barros. Eu tinha 15 anos quando competi no Rio de Janeiro pela primeira vez. Apesar de ter nascido em Brasilia, cresci acreditando que o Rio de Janeiro era a cidade maravilhosa, o nosso simbolo de orgulho nacional. Durante os 19 anos de carreira a pista de atletismo foi o meu palco de competições. Corri vários recordes brasileiros inclusive o recorde mundial na categoria Juvenil nos 800 metros durante o Troféu Brasil de Atletismo em 1981.

Em 1997 decidi aposentar do atletismo no Rio de Janeiro porque achei que a minha contribuição no esporte nacional e internacional fosse ser preservada e eternizada no Estádio.

Senhor Governador, um pais sem histórias não tem memórias. Não permita que apaguem a minha e a história de muitos outros atletas que competiram na pista de atletismo do Estádio Célio de Barros.

Joaquim Cruz

Autor: Tags: , , , , , ,

3 comentários | Comentar

  1. 53 Anastacio Trindade 02/08/2013 8:54

    é no mínimo inexplicável essa intenção de destruir um patrimônio público para a construção de lojas para “compor” um complexo que só irá atender aos interesses do senhor eike batista e seus sócios. Com tantos milhões gastos nesse arremedo feito no Maracanã, o governador ainda não se dá por satisfeito e quer destruir parte da história do esporte carioca? O autódromo Nelson Piquet já está destruído e a promessa da construção de um novo a cada dia cai no esquecimento do prefeito e assim se faz a história, pois as atrações do turismo carioca vão ficando apenas nos pontos que a natureza presenteou os cariocas e os brasileiros como um todo. Muito dinheiro e o próprio patrimônio público serão destruídos para beneficiar um pequeno grupo de empresários. Isso é racional? é ético? é probo?

  2. 52 Paulo Olimpio 02/08/2013 8:15

    Um país que está se preparando para uma copa do mundo e uma olimpíada, não pode abrir mão de um estádio como o célio de barros.
    Esse estádio atrai crianças de grande parte do rio de janeiro, principalmente da baixada fluminense por que é de fácil acesso.
    Eu tenho uma filha que é atleta e quando ele começou a treina tinha muita criança com potencial igual ou melhor que ela. Mas, infelizmente os pais não tinham condições de custear as despesas com transportes e alimentação dos seus filhos e por isso muitos desistiram, ficaram pelo caminho, meninos e meninas com grande potencial não tiveram como realizar o sonho de ser um atleta de profissional e defender o seu país.
    Eu, graças a meu bom Deus, tenho conseguido manter a minha filha no atletismo, procuro sempre está nas competições quando acontecem aqui no Rio e nos finais de semana.
    Agora eu pergunto, aquela galeria com fotos dos atletas que serve e muito de estimulo e muitas das vezes superação para os atletas será transformada em poeira?
    Quantos atletas terão o sonho destruído e outros terão as suas memorias apagadas?
    Não destruam os sonhos dos nossos jovem porque estaremos destruindo um pedaço de nós.
    Que Deus nos abençoe.

  3. 51 diego 02/08/2013 8:06

    Em outras palavras: “Governador, tome vergonha na cara, pare de gastar dinheiro público demolindo patrimonio público, para construção de estacionamentos e lojas que serão explorados por empresários que cobrarão preços altíssimos e vão acabar com parte da história do esporte nacional, que já é fraca”

    e outra… porque ele não faz esse complexo de lojas e estacionamentos no “terreno próximo” que foi oferecido para a construção no novo estádio no caso de demolição? isso é mais lógico, não acham?

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.