Publicidade

sexta-feira, 7 de junho de 2013 Isso é Brasil, Política esportiva | 09:15

O 'Brasil olímpico' que não existe para o esporte de base

Compartilhe: Twitter

Dueto paulista disputa o Interfederativo em 2012

Para evitar constrangimentos ou represálias, vamos manter o anonimato de um pai indignado com o que acontece com o esporte de base do Brasil e sua estrutura pífia. Aquele mesmo esporte de base no qual o ministro Aldo Rebelo assegura que está recebendo um amplo investimento do governo.

Pois bem, este pai tem uma filha que pratica nado sincronizado. É a paixão da vida da menina. Ao lado de outras garotas, conseguiu classificação na seletiva realizada pela FAP (Federação Aquática Paulista) para a disputa do 3º Campeonato Interfederativo, que será realizado no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro, a partir desta sexta-feira, encerrando-se no próximo domingo.

Só que para isso, cada atleta terá que bancar do próprio bolso a compra do maiô de competição. Equipamento básico para disputar o nado sincronizado, teoricamente deveria ser fornecido pela própria entidade que convocou a equipe. Ou, em último caso, através de um programa de auxílio às federações por parte da CBDA, do eterno presidente Coaracy Nunes, recentemente reeleito para mais um mandato. A mesma CBDA, diga-se de passagem, que detém um generoso patrocínio dos Correios há muitos anos.

Mesmo assim, são os pais das atletas que precisam comprar os maiôs da filhas. Cada peça não sai por menos de R$ 450,00. Uma peça que irá durar apenas uma competição, é bom lembrar. Com sorte, a menina poderá usá-lo em dois torneios.

E você ainda tem que escutar por aí as autoridades batendo no peito dizendo que o Brasil irá virar uma potência olímpica em 2016. Se nem do básico conseguem cuidar…

Por que a FAP não fornece os maiôs para suas atletas?

Por que a CBDA não auxilia, por meio de seus contatos, com o fornecimento de material esportivo para suas entidades filiadas?

Será que alguém consegue responder a estas duas simples perguntas?

Autor: Tags: , , , , ,

9 comentários | Comentar

  1. 59 ronaldo 11/06/2013 8:47

    enquanto o “babaca transvestido de Ministro de Esporte”, dando entrevista que o Brasil vai ser um exemplo para o mundo”, pior ainda vai acontecer, caro jornalista

  2. 58 Tiklos 11/06/2013 3:52

    As coisas funcionam dessa maneira porque no Brasil não existe a cultura da prática do esporte. O que acontce é que o povo prefere samba e carnaval do que praticar esporte com seriedade, mesmo que seja de maneira recreativa.
    A razão disso é que o apoio oficial aos campeonatos amadores praticamente inexistem. O pessoal todo corre para os profissionais porque é lá que suas marcas aparecem.
    A política esportiva, falta dela e os políticos também contribuem para que as coisas não aconteçam de maneira satisfatória.
    Enquanto a sociedade esportiva não se manifestar de maneira mais intensa nada mudará.

  3. 57 Celso 07/06/2013 18:57

    Marcelo, segue o link de comentário meu que responde parte de sua indignação.
    http://sportvc.com/news/as-federaes-estaduais-e-os-clubes-no-esporte-brasileiro
    É claro que a Cbda como tem patrocínio grande tem condições de fazer algo a mais, mas um dos problemas básicos no esporte brasileiro é o que descrevo, com experiência própria para comprovar o que digo. Se tivessem o que digo no comentário, também nao ficariam devendo nada para as Confederações .

  4. 56 Paula admite corte em programa do Governo e reclama de burocracia | Linha da notícia 07/06/2013 18:41

    […] Blog Espírito Olímpico: O ‘Brasil Olímpico’ que não existe para o esporte de base […]

  5. 55 LIVRO CIBERCÉLULAS 07/06/2013 15:50

    O Brasil brasileiro que não existe para os brasileiros.

  6. 54 Patricia 07/06/2013 14:44

    Boa tarde a todos…
    Infelizmente essa é a realidade de todos os atletas brasileiros. Tenho um filho que desde os 6 anos treina basquete, hoje tem 14 anos, ja participou da seleção catarinense de basquete ano passado, treina uma média de 6 horas por dia, durante 5 vezes na semana. Nós pais é quem somos os verdadeiros patrocinadores de nossos filhos. Em minha cidade ainda temos uma ajuda de custos, mas essa não é a realidade para todos.

  7. 53 AAN 07/06/2013 14:23

    Ás vesperas das competições “importantes” aparecem um monte de empresas querendo colocar sua marca, mas se esquecem que sem a base não há nada, nem atleta, nem medalha, nem reconhecimento, infelizmente, temo, ou melhor, pode-se prever que as Olimpíadas para o esporte brasileiro será um fiasco.

  8. 52 mãe de atleta 07/06/2013 12:46

    num País de futebol nossas meninas da natação , nado sincronizado tem pouco espaço,

    compreensão e Patrocinadores, natação é um esporte caro, o traje da natação custa por volta de

    R$ 900,00 , nossas meninas e nós os paitrocinadores precisamos lutar pelo reconhecimento

    do esporte aquático em geral não apenas investir ou falar de um Cielo, Thiago Pereira, Lara,

    Jade, tem muita gente boa competindo sem o menor apoio.

  9. 51 Loro Lima 07/06/2013 12:21

    Isso é um absurdo, pois os jogadores de futebol têm mais condições de bancar os próprios uniformes e a CBF dá de tudo e mais um pouco para eles, não que eu não goste de futebol, ao contrário, sou louco por Futebol, mas isso não exime minha indignação com o total descaso e abandono e falta de incentivo. Podemos dizer que essas meninas do nada fazem isso por Amor, mas sabemos também que só com amor pelo que faz não chega a lugar nenhum. Depois quando o Brasil fica nas ultimas colocações nessas competições ainda culpam as Atletas. Muita injustiça……Acorda ministério do Esporte….

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.