Publicidade

quarta-feira, 29 de maio de 2013 Olimpíadas, Política esportiva | 13:53

Luta, squash e beisebol/softbol: qual deles vai sobreviver nas Olimpíadas?

Compartilhe: Twitter

Comunidade da luta olímpica continua em campanha pela permanência da modalidade

E o COI (Comitê Olímpico Internacional) decidiu nesta quarta-feira a pré-lista dos três esportes que continuam brigando pela vaga final no programa olímpico dos Jogos de 2020. Na reunião do comitê executivo da entidade, realizada em São Petersburgo (RUS), decidiu-se que a luta olímpica, o squash e o beisebol/softbol permanecem na briga pela vaga do 26º esporte. Foram eliminados caratê, escalada esportiva, wakeboard, esportes sobre patins e wushu. A decisão final sairá na Assembleia Geral do COI, em setembro, em Buenos Aires.

A decisão do COI não pode ser considerada uma surpresa. Já na semana passada, uma pesquisa no site Gamebids, especializado na cobertura do movimento olímpico, apontava para a definição destas três modalidades na pré-lista. Comentava-se nos bastidores que a recusa da MLB (Major League Baseball) em liberar seus milionários atletas para as Olimpíadas pudesse pesar contra a modalidade, mas o lobby das emissoras de TV dos EUA, que pagam milhões ao COI pelos direitos de transmissão e que têm grande interesse na volta dos dois esportes, pesou na escolha.

Pessoalmente, fiquei feliz com a decisão. Embora ainda seja uma pré-lista e muita água irá rolar debaixo desta ponte até setembro (politicamente falando), será um absurdo de proporções tsunâmicas que a luta, esporte base das Olimpíadas desde os Jogos da Grécia Antiga, fosse excluída na reunião desta quarta-feira.

E como não fico em cima do muro, minha torcida é pela manutenção da luta olímpica na eleição do COI, em setembro.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

1 comentário | Comentar

  1. 51 teres virmond 29/05/2013 16:08

    Aqui em Brasília dois professores sustentam a luta olímpica em dois colégios públicos, com salários de 350 reais por mês. Ganharam os tatamis (dois) de graça e traslado para competições amadoras no Rio de Janeiro (uma vêz, se não me engao). Só. O governo federal e o GDF destinam fortunas para o esporte em geral sem resultado algum. Os projetos são totalmente sem objetivos e visam tão somente o enriquecimento ilícito de algumas gangs que atuam no setor a muito tempo. As turminhas de luta olímpica desses dois heróis já ganharam até medalhas, com um vice-campeonato. O Brasil precisa de 26 atletas para 1016 a até agora não tem nem 7 em condições mínimas de competição. E aja licitação, convênios, acordos milionários com empresas e institutos de políticos para cursos e mais cursos. Aulas práticas, como esses dois se empenham em ministrar, nem pensar. Existe uma Federação que virou feudo de um cidadão que deve os tubos à receita e colaboradores eventuais não podendo atuar em nada que seja oficial. CAOS.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.