Publicidade

segunda-feira, 18 de março de 2013 Imprensa, Isso é Brasil, Olimpíadas | 16:15

O que restou do Estádio Célio de Barros

Compartilhe: Twitter

O Estádio Célio de Barros, que virou um verdadeiro canteiro de obras, ao lado do Maracanã

Observe bem a imagem acima. A foto, registrada em oportuna reportagem do portal ahe!, novo parceiro para a cobertura de esportes olímpicos do iG, exibe o que restou do tradicional Estádio Célio de Barros, palco que durante muitos anos recebeu algumas das mais tradicionais competições do atletismo brasileiro. Aquela pista que já viu Adhemar Ferreira da Silva, Aída dos Santos, João Carlos de Oliveira (o João do Pulo) e Joaquim Cruz, só para ficar em alguns dos monstros sagrados do atletismo brasileiro, competiram lá.

O Célio de Barros já teve sua morte decretada pela própria prefeitura do Rio, justamente no período que antecede a realização dos Jogos Olímpicos de 2016. Em seu lugar, será erguido um estacionamento para atender ao público que comparecerá ao Maracanã durante a Copa do Mundo de 2014. Hoje, ao invés de receber atletas, tornou-se um grande canteiro de obras.

A CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) vem tentando de todas as formas impedir a demolição do Célio de Barros. O novo presidente da CBAt, Toninho Fernandes, assumiu na última sexta-feira e encaminhou um documento ao governador Sérgio Cabral, assinado por atletas, alguns deles medalhistas olímpicos, treinadores e dirigentes, solicitando a revisão dos planos.

Veja trecho da carta da CBAt enviada ao governo do Rio:

“…Como é sabido, o Governo do Rio de Janeiro anunciou a demolição do histórico estádio, para construir em seu lugar, um estacionamento ou algo similar. Ao mesmo tempo, em resposta a um apelo do presidente da IAAF, o governador respondeu que o Atletismo ganharia uma nova praça, mais moderna, próxima ao Maracanã.

No entanto, o Governo do Estado não apresentou nenhum projeto para o novo estádio, nem informou o prazo em que esta nova praça estaria à disposição dos atletas e treinadores, que não têm outro espaço para fazer sua preparação à Olimpíada do Rio 2016.

Por outro lado, chegou ao conhecimento da CBAt que a área citada pelo Governo do Rio para novo estádio não é a adequada. Assim, continuam os movimentos da comunidade atlética, principalmente a carioca, em prol do ‘Célio de Barros’.

A CBAt, as seis associações continentais de atletismo e o presidente da IAAF, Lamine Diack, já alertaram o Governo do Estado para os prejuízos que sofrerá a cidade-sede dos próximos Jogos, por conta desse sério problema enfrentado pelo principal dos esportes olímpicos.

Apelamos ao Governo do Rio de Janeiro para que repare essa injustiça à modalidade que inúmeras glórias trouxe ao Rio de Janeiro, entre tantas outras, as medalhas olímpicas de José Telles da Conceição, Robson Caetano da Silva e Arnaldo de Oliveira Silva.

Manaus, AM, em 15 de março de 2013.”

Pena, ao menos para a CBAt e toda a comunidade do atletismo, que a carta enviada ao digníssimo governador do Rio terá efeito ZERO para evitar o fim do Célio de Barros.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

9 comentários | Comentar

  1. 59 paul 31/03/2013 13:34

    Pior do que demolir é não fazer uma nova pista antes de destruir a atual como fizeram com o autódromo.

  2. 58 Cândido Lemos Carneiro 23/03/2013 11:35

    Sou suspeito para opinar porque como arquiteto fiz parte da equipe que projetou o Célio de Barros e o Júlio de Lamare, todavia estarrece a qualquer pessoa de bom senso que o governador para atender apenas ao interesse de algum impresário ganancioso queira demolir os melhores estádios das modalidades às vesperas de uma olimpíada. O investimento de alto valor alí feito, o interesse social da população e dos atletas que ali treinam para não citar que ainda não temos nada melhor em instalações para a prática desses esportes que foram justamente o maior fiasco nosso na última olimpíada são um motivo para uma denúncia ao Comite Olímpico Internacional para que cancele a olimpíada no Brasil a custa desse escabroso ônus. Urbanisticamente nada mais contra indicado do que cercar um estádio com estacioname nto pois o caos no tânsito ao fim de cada espetáculo será terrível, tanto assim que o Detran sempre proibiu estacionamento no em torno do Estádio nos grandes eventos. O terreno onde dizem que serão construidos novos estádios é que deveria ser destinado ao estacionamento e a um custo muito menor.
    Deste a criação o Maracanã foi programado como um Complexo Esportivo e não automobilístico. Agora pensam em torná-lo uma garagem monstro para poluir bem o local e criar mais um shoping comercial que já são demais na cidade.
    O Museu do Índio é outra bravata porque o prédio jamais será restaurado muito menos para museu Olímpico; o próprio prédio não tem perfil para esse fim pois carece de detalhes da arquitetura grega, berço da olimpíada, e não se presta a tal objetivo. O tempo vai mostrar que o destino do prédio histórico conforme é in tenção governamental será mesmo a demolição em nome da especulação imobiliária. Quem viver verá..

  3. 57 Valmir Fausto 18/03/2013 21:27

    A demolição do Célio de Barros, faz parte de um pacote de maldade do Governador Sérgio Cabral e do Prefeito Eduardo Paes, para fazer feliz o empresário Eike Batista que será o dono do MARACANA.

    Para estes senhores, o que importa são os patrocínios de campanha, e o dinheiro de retorno que o macarana vai dar após a construção de um estacionamento VIP no espaço onde hoje, é o Célio de Barros.

    Infelismente, este absurdo teve o aval de um ex-atleta do atletismo, medalista Olimpico, que ao ser consultado, informou aos políticos da Secretaria de Esportes do Rio de Janeiro que os atletas poderiam treinar no Engenhão. Entretanto, este mesmo atleta, esqueceu que os saltadores e arremessadores, não podem arremessar ou saltar no local.

    O Senhor EIKE BATISTA, não ficaria satisfeito em ver em dias de competição, atletas NEGROS e brancos nordestinos pobres, praticando esporte no quintal do MARACANA, como eles asim entendem.

    Como um estado e uma cidade como a do Rio de Janeiro, pode pensar em Olimpiadas, se um dos esportes com maior número de modalidades e participantes, não póssui um local adequado para treinar e competir.

    Lamento profundamente, a omissão de alguns atletas, políticos, e; em particular do Governo Federal, que em razão da aliança política com o PMDB estadual, não se manifestou contra este absurdo.

    Entretanto, em 2014 teremos novas eleições ( Presidente, Governador, Senador e Deputado Federal), o que nós ex-atletas, dirigentes, familiares e professores, ligados ao atletismo, devemos dazer, é não votar em nenhum poítico do PT e muito menos do PMDB, e também de politicos aliados com estes partidos.

    Esta olimpíada no Rio de Janeiro, só servira para deixar o Sr. Lula, Sérgio Cabral e Eduardo Paes, mais RICOS e Poderosos. Todavia, esles não podem comprar a nossa memoria, a nossa indignação, revolta e nojo por eles.

    Deus queira que muitos jovens, continuem trilhar por seus ideais, e que os professores e dirigentes do atletismo carioca, não tenham medo de se manisfestar sobre este tema.

    Pantera ( Ex- atleta / arremessador de Dardo)

  4. 56 Dilton 18/03/2013 20:26

    Isso é uma vergonha para o pais, mostra como são os nossos politicos.

  5. 55 Wallace 18/03/2013 19:35

    Se eu fosse presidente da CBAT, minha cruzada seria para que nenhum atleta participasse ” das olimpiadas do desvio” e nenhuma competição organizada no Rio de Janeiro. Parece que o Rio de Janeiro sofre da Síndrome dos governantes incompetentes, entra um, sai outro e as lambanças tão ai pipocando por toda a cidade. “Cidade da musica e autódromo é o retrato da incompetência do falastrão cesar maia que deveria ser pendurado no mastro da Bandeira. Agora, a incompetência tá no andar de baixo e de cima….. Os espertos estão na iniciativa privada, pra surrupiar o dinheiro público via BNDES. Já os míopes e imprestáveis estão no governo se locupletando com as propinas….. Conclusão: O Brasil será sempre um grande e ordinário lugar para corruptos e desonestos viverem, nem daqui a 1500 anos será um lugar decente e honesto.

  6. 54 Paulo Cesar Ferreira 18/03/2013 18:27

    Por estas atitudes,se tem a certeza que o que menos importa é o esporte, tudo é feito visando
    unica e exclusivamente o lucro de alguns poucos, os atletas e a população ficam com
    os onus, das manobras por tras dos panos.

  7. 53 Adilio Faustini 18/03/2013 17:33

    O que menos eles estão preocupados são com a Copa e os Jogos Olímpicos.O que fizeram com as estruturas dos jogos Panamericanos?Acho que o Brasil não é dos brasileiros.Se fosse, teria ocorrido um referendo ou plebiscito para saber se queríamos essa gastança.Gestão correta é aquela que sabe definir prioridades e acho que não é o caso como não é a do tal Trem Bala.

  8. 52 toninho 18/03/2013 17:24

    E aquela famosa contribuição de campanha, como fica?

  9. 51 Gustavo 18/03/2013 16:59

    Ah, estão preocupados com o Estádio Célio de Barros?
    E a “bela obra” que estão construindo onde era o Autódromo de Jacarepaguá, como fica?
    O que percebemos é que as autoridades cariocas estão pouco se lixando prá história do esporte brasileiro!
    Destroem arenas esportivas como se fosse algo inexpressivo, tudo às custas do contribuinte e em pró do bolso alheio.
    É o brasil (com “b” minúsculo mesmo), da copa e das olim-piadas…

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.