Publicidade

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013 Imprensa, Isso é Brasil | 19:28

A tragédia e a insensibilidade na São Silvestre

Compartilhe: Twitter

Israel Cruz Barros era atleta paraolímpico desde 1993

O esporte não é diferente da vida, na verdade é uma extensão de seus momentos felizes, dramáticos e até trágicos, colocados em uma disputa pela vitória, por um título ou uma medalha. Sim, às vezes ocorrem tragédias em uma competição, algo sai fora do lugar comum e vez por outra, nos deparamos com uma notícia de um atleta que morreu durante um evento esportivo. É raro, mas acontece, infelizmente.

No último dia de 2012, uma destes momentos trágicos e inesperados resolveu dar o ar da graça na Corrida de São Silvestre. O atleta Israel Cruz de Barros, portador de deficiência física (amputado da perna esquerda), participava da prova para cadeirantes. Logo após a largada, quando tomou a direção da Rua Major Natanael (para quem não é de São Paulo, trata-se de um trecho de acentuado declive), perdeu o controle de sua cadeira de rodas e acabou se chocando em alta velocidade com o muro que circunda o Estádio do Pacaembu. Levado à Santa Casa, não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo, antes mesmo da largada da prova masculina.

Como eu disse no primeiro parágrafo deste post, tragédias acontecem. Algumas, contudo, poderiam ser evitadas, ou até atenuadas. E mesmo com declarações de outros atletas cadeirantes ao jornal Folha de S. Paulo, em sua edição desta quarta-feira, argumentando que o percurso está mais seguro do que em relação a 2011 (primeiro ano da mais recente mudança de trajeto na São Silvestre), o fato é que existe um perigo naquele trecho, mesmo para atletas em condições normais.

Em 2011, entrevistei Adauto Domingues, ex-atleta olímpico e treinador do maratonista Marílson Gomes dos Santos, para preparar um infográfico a respeito do polêmico novo percurso, que tinha como chegada o Parque do Ibirapuera – mudança descartada em 2012, com a volta da chegada à Av. Paulista. E o próprio Adauto se mostrava preocupado com o desgaste físico proporcionado pela descida da Major Natanael e com o declive do trecho.

Ou seja, não se trata de um dos locais mais apropriados para se incluir em um percurso de uma prova de rua, ainda mais quando estão envolvidos atletas portadores de deficiência física. Amigos meus, que correram a São Silvestre em 2011, realizada debaixo de chuva, disseram que fizeram parte da descida praticamente andando, com medo de uma queda.

Mas se a morte de Israel Cruz de Barros foi uma tragédia – e provavelmente ficará sem uma explicação -, o que não tem justificativa é ler certas declarações de pessoas ligadas à organização da São Silvestre, na mesma edição da Folha, desta quarta-feira.

Não consigo aceitar, por exemplo, a falta de sensibilidade demonstrada pelo diretor técnico da prova, Manuel Garcia Arroyo, que há anos trabalha na organização da São Silvestre. Ao justificar ao repórter que não haverá mudança no percurso para 2013 por conta da morte de Israel, ele soltou esta pérola: “Todos os cadeirantes andam em alta velocidade na descida. O que se pode fazer é um alerta melhor. A cidade é cheia de subidas e descidas. Não faz sentido alterar o percurso. Seria como mudar uma curva de Interlagos em caso de acidente” (o negrito é do blogueiro).

Desculpe-me, senhor Arroyo, mas faz todo sentido mudar o percurso sim. Só para seu governo, Interlagos realizou profundas mudanças na chamada Curva do Café, onde ocorreram mortes de vários pilotos nos últimos anos. E para ficar em um exemplo mais famoso, no Autódromo de Imola, em San Marino, a Curva Tamburello praticamente desapareceu após a trágica morte de Ayrton Senna.

Outro absurdo é que a morte de Israel Cruz de Barros foi declarada às 8h50, dez minutos anters da largada da prova masculina, mas apenas no final da tarde do dia 31/12 é que os organizadores fizeram a primeira manifestação oficial sobre o ocorrido. Lamentável descaso, em minha opinião.

A São Silvestre já não é nem sombra do que foi em seu passado glorioso. Mas ainda dá tempo para salvá-la como uma das competições de rua mais tradicionais do mundo e, de quebra, evitar que novas tragédias como essa se repitam.

Autor: Tags: , , ,

43 comentários | Comentar

  1. 93 Alan 02/01/2013 20:06

    Laguna, avisa ao senhor Manuel que não é comum um cadeirante morrer porque perdeu o controle da cadeira,. Se isso ocorreu é porque algo está errado, lamentável a declaração dessa pessoa, tratando o acidente como se fosse uma batida de carro, onde infelizmente as vezes a gente olha e pensa “foi azar”

  2. 92 Ernesto da Silva 02/01/2013 20:14

    Conheço o local onde ocorreu o acidente, é uma descida íngreme e com curva em volta do Estádio do Pacaembú.Acredito que não houve treinamento em dias anteriores ao da corrida e o cadeirante se excedeu na velocidade na decida e deve ter perdido o controle no final da reta.Deveria fazer com os cadeirantes fizessem treinamento como nas corridas de Fórmula 1 para tomar contato com todo percurso.Foi uma fatalidade e que deve ser evitada nos próximos eventos.

  3. 91 Paulo Eduardo Mahon Brito 02/01/2013 20:44

    Marcelo, havia me manifestado na noite do dia 01-01-2013, através da notícia, no IG, da morte do atleta paraolímpico Israel.Apontei como responsáveis pelas mudanças ocorridas nos últimos anos, A Gazeta Esportiva, Prefeitura da Cidade de São Paulo, e também, a emissora de televisão, TV Globo. No caso da Globo é patente o seu interesse comercial, monopolizado e irresponsavelmente consumista.Quanto aos organizadores (Gazeta Esportiva) se tivessem algum escrúpulo, se afastariam de vez do comando desta prova.E ,por fim, um alerta à nova administração que tomou posse na Prefeitura de São Paulo: estaremos atentos aos parceiros
    desta gestão, que entra, com a qual contribui com o meu voto.
    Meus respeitos a você Marcelo Laguna!
    Paulo Eduardo Mahon Brito.

  4. 90 Jorge 02/01/2013 21:39

    infelizmente a rede globo está acabando com a são silvestre. além dos absurdos apontados no artigo, há a mudança de horário que liquidou a prova ao retirar dela todo o público. Estive na Paulista na virada do ano, por volta das 16h. Estava vazia e desanimada. Ninguém que conheço conseguiu assistir a prova na tv – estavam dormindo ou tomando café. infelizmente a Casper Líbero não tem coragem de retomar a prova e fazê-la novamente um marco em São Paulo e não um mero tapa buraco da grade da globo.

  5. 89 Rachel 02/01/2013 21:54

    Eh,caros leitores,se acontecesse com um filho desse sr.Arroyo,garanto que ele mudaria o percurso da São Silvestre rapidinho.Pimenta nos olhos dos outros não arde,não é sr.Arroyo.Que vergonha,heim!

  6. 88 Alvaro Junior 02/01/2013 22:10

    Eles só querem é o dinheiro, mas nada.
    Em 2002 paguei 30 reais pela inscrição. Este ano custava 120. Uma inflação de 300 %, ou 30% ao ano.

  7. 87 carlos alberto 02/01/2013 22:43

    acho que o problema está no profissionalismo (falta de informação), na falta de investimentos (quebra-galho, fundo de quintal), ingerência das coisas (cobrança, atualização, metas), responsabilidades (leis honestas, falta de atitude por parte do poder público, zêlo pela vida humana, pessoas certas nos lugares certos), mas , este é o retrato do brasil.

  8. 86 nelson 02/01/2013 22:45

    depois que a globo tomou conta….

  9. 85 Robson Xavier de Carvalho 02/01/2013 23:51

    Declaração cretina essa deste tal diretor. Mas eu acho que a prova perdeu a essência quando passou a atender os interesses de marketing da rede globo.

  10. 84 Jorge Kawasaki 03/01/2013 0:23

    O sr. Marcelo Laguna está corretíssimo: “A São Silvestre já não é nem sombra do que foi em seu passado glorioso”.
    Agora é um desfile de malucos querendo aparecer, um show de ‘cosplay’, um ‘halloween’ com todos portando cartazes “mamãe, tô no plim-plim”, inclusive os des-organizadores do evento. Será que eles pelo menos caminharam pelo novo trajeto? Ou só assistiram uma fantástica simulação em 3D, sentados em confortáveis poltronas?
    Casper Libero deve estar se contorcendo no túmulo! Placar atual = esporte 0 x marketing 10!

  11. 83 Angelo Roncalli 03/01/2013 0:54

    Pessoal,
    Vamos deixar de ser políticos e falar em bom português.
    Esse diretor que falou um absurdo desse é um f.d.p. Deve ser excluído da vida pública e ser preso. Como pode fazer pouco caso com a vida dos outros. Atenção Ministério Público, acho que cabe uma ação penal. Atenção família, acho que cabe uma ação indenizatória.
    Isso tudo é um absurdo. Quanto à corrida , também liguei a TV à 3 da tarde e tive a decepção de saber que haviam mudado o horário da corrida. Não fiquei sabendo antes porque não assisto a Globo habitualmente.

  12. 82 José Tadeu Almeida Pinto 03/01/2013 7:58

    MEU CARO MARCELO LAGUNA, CONCORDO PLENAMENTE COM VOCÊ. ESTE MANOEL GARCIA ARROYO, DIRETOR TÉCNICO DA PROVA, ALÉM DE SER INSENSÍVEL É UM IRRESPONSÁVEL. VAI ESPERAR ACONTECER MAIS ACIDENTES FATAIS, PARA DEPOIS MUDAR O PERCURSO DA PROVA??? É UM ABSURDO E INACEITÁVEL SUAS DECLARAÇÕES. PARABÉNS MARCELO LAGUNA, PELO SEU COMENTÁRIO, SUA CRÍTICA E SEU BOM SENSO!!!

  13. 81 José Tadeu Almeida Pinto 03/01/2013 8:01

    MEU CARO MARCELO LAGUNA, CONCORDO PLENAMENTE COM VOCÊ. ESTE MANOEL GARCIA ARROYO, DIRETOR TÉCNICO DA PROVA, ALÉM DE SER INSENSÍVEL É UM IRRESPONSÁVEL. VAI ESPERAR ACONTECER MAIS ACIDENTES FATAIS, PARA DEPOIS MUDAR O PERCURSO DA PROVA??? É UM ABSURDO E INACEITÁVEL SUAS DECLARAÇÕES. PARABÉNS MARCELO LAGUNA, PELO SEU COMENTÁRIO, SUA CRÍTICA E SEU BOM SENSO!!!
    É A PRIMEIRA VEZ QUE FAÇO UM COMENTÁRIO EM SUA COLUNA, E PERCEBO QUE VOCÊ É UM CARA DE LONGA VISÃO. COMO DIZ O DITADO: “QUEM AVISA, AMIGO É”!!!

  14. 80 Augusto Leme 03/01/2013 8:38

    A São Silvestre era realizada no dia 31 de dezembro, à meia noite. A Rede Globo, ao assumir a realização e a transmissão da corrida, alterou o horário para a tarde e este ano para a manhã., sempre de acordo com seus interesses, mandando às favas a tradição paulistana. Não duvido nada de que acabará levando para o Rio de Janeiro a realização da corrida. A Globo manda! O Brasil obedece…

  15. 79 Silvio 03/01/2013 8:43

    E a frota de motos tomando conta da pista, no encalço dos calcanhares dos atletas, fazendo fumaça e dificultando a respiração já ofegante pelo esforço da corrida?

  16. 78 TONY 03/01/2013 8:54

    A GLOBO VAI FALAR QUE A CULPA É DO MENSALÃO.A CULPA É DO LULA.A CULPA É DA DILMA.sERA QUE NINGUEM TEM NOÇAO DE FATALIDADES AQUI.COM TODO RESPEITO À FAMILIA DO CADEIRANTE,MAS SE ELE NAO GOSTOU DO TRAJETO,DEVERIA SER MAIS CUIDADOSO,POIS NINGUEM ESTA FORA DO RISCO DE MORTE MESMO ANDANDO.

  17. 77 Paulo 03/01/2013 9:00

    Nunca corri e nunca vou correr a São Silvestre… pois eu gosto de correr e não de andar em um percurso com uma melancia no pescoço só para aparecer na TV Manipuladora….

  18. 76 rafael 03/01/2013 9:05

    Estão fazendo gato e sapato da São Silvestre. Chega a dar impressão de que, para alguns ela não passa de um “mal necessário”. Dá vergonha de ser brasileiro nessa hora. Não há lugar no mundo em que se cospe tanto em cima das tradições como neste pais deserdado. As crianças não são mais ensinadas a dar valor às tradições, seja cantar hinos ou conhecer a história de seu país, a ponto de, em breve, não termos mais nenhuma. E a Mídia de hoje, formada por jovens repórteres, principalmente os que estão no comando das linhas de reportagem, alimentam o descaso para com nossas tradições. Resumem-se a uma pequena notinha dando a lista dos vencedores da São Silvestre. Sequer mostram o percurso, a distância da prova, o tempo da primeira colocada brasileira, enfim, falta cultura mesmo ao repórter. Quando se trata de baixaria é ao contrário: todos os dias temos que aturar o que ninguém pergunta: saber sobre as namoradas do Neymar. … Oras, vão se catar….

  19. 75 Ricardo 03/01/2013 9:34

    Foi só a Globo entrar na São Silvestre que acabou com a tradição da corrida primeiro mudou o horário para transmitir o importantíssimo “SHOW DA VIRADA” (não sei o que seria da minha vida sem ele),agora passaram para de manhã, daqui a pouco vão mudar o dia também, é so o Faustão falar pra fazer alguma coisa diferente no dia que a corrida já era,lembro do meu avô que morreu com 93 anos torcendo assistindo a corrida, “tempo bom, não volta mais”,como diria o saudoso LILICO…..

  20. 74 RICARDO 03/01/2013 9:43

    Houve um tempo que a São Silvestre era exclusiva da TV Gazeta , quem participava , ainda que não para ganhar pelo menos ia para competir , agora virou uma passarela de babaca querendo se aparecer , perdeu a graça , e ainda por cima o brasileiro chega em sétimo lugar e a Globo ainda coloca aquele BRAZILLLL , tenham paciência né.

  21. 73 jose armando esper 03/01/2013 9:49

    a São Silvestre era feita a noite, pouco antes da meia noite e para se comemorar a chegada do ano novo
    chega da rede Globo estabelecer a agenda da cidade
    cabe ao Prefeito Hadad fazer voltar a São Silvestre ao seu horário de criação e passar esta festa do revelleion da Globo para outro local, q tal o sambódromo onde poderia pagar pela utilização do espaço público para promover os seus anunciantes.
    a festa de revelleion na cidade de São Paulo não tem nenhuma tradição anterior ao patrocínio dos anunciantes da Globo e portanto essa emissora de concessão pública deveria pagar royaltes para o povo de São Paulo. Alo alo MP

  22. 72 henrique de oliveira 03/01/2013 9:51

    Sou contra as mudanças em autodromos , afinal corridas de carro é um esporte de alto risco e todos sabem disso.
    Quanto a São Silvestre , ja foi dito aqui , depois que a globo se meteu nisso virou um circo e não uma competição glamorosa como era antes , deveriam sim é voltar essa prova para o periodo noturno.
    O rapas que morreu sabia dos riscos e se o percurso ficou pior ou melhor quem tem que ver isso é o cara , se sentir que não da desista.

  23. 71 Pedro L.Neto 03/01/2013 10:04

    Sem palavras para classificar um sujeito desses. Nota zero pra organização deste evento. O sucesso para eles são as belas imagens na tv, os primeiros lugares masculino e feminino ditos normais, só pensam nas elites esportivas, pura demagogia. O governador e o prefeito da cidade deveriam tomar uma atitude imparcial com essa organização. Morreu uma pessoa, um atleta deficiente, não foi dado a devida importância, Só teria sido dada caso o fato tivesse ocorrido um atleta de elite, como do futebol por ex..

  24. 70 Iguanodonte 03/01/2013 10:05

    O que impulsiona a S.Silvestre é o estigma, o charme e a longevidade.
    A corrida não sucumbiu a guerras e revoluções, mas não resistiu a economia de mercado.
    Da importante e técnica corrida noturna ela passou a volumosa e previsível corrida matinal.
    Hoje se um queniano não ganhar, consideramos que foi de baixo nível.
    Foram-se os gloriosos tempos de Domingo Tidaduiza, Arturo Barrios, Victor Mora e Rosa Mota.
    São agora os tempos da quantidade, da corrida andada, da eterna espera para passar pelo pórtico, do preço muito caro, pelo muito pouco.
    Ela passou a ser um estorvo, na programação da TV. O lucro está diluindo a alegria da S.S.
    A morte estúpida vira fatalidade, não há espaços para lamentações na busca do lucro.
    Éramos capazes de ficar até tarde para assistir a S.S na rua, hoje não somos capazes de acordar cedo para assisti-la na cama.
    Vivrou $ão $ilvestre.

  25. 69 Antônio Carlos Silva 03/01/2013 10:08

    Você é apenas outro que se aproveita da tragédia para criticar, e pra não variar não sabe do que está falando.

  26. 68 The Big One 03/01/2013 10:10

    Claro q a rede globo é responsável diretamente pela corrida, pensando exclusivamente em faturamento. Evidente que o organizador errou, e muito, nos tristes comentários. Certamente o atleta não teve o devido cuidado nesta trajeto excedendo a velocidade e provocando o acidente, agora querer culpar a curva, querer criticar o percurso não concordo, pois dos quase vinte e cinco mil atletas este foi o único acidente no local e naturalmente todos tiveram o devido cuidado e atenção nesta descida super acentuada. E não me venham comparar corrida de rua com a estupidez das corridas de f.1……

  27. 67 jose severino carvalho 03/01/2013 10:23

    A Tradição é que dá emoção. Emoção dá público. Público dá dinheiro.
    Observe nossos feriados, não sabemos o que estamos comemorando, não temos prazer e não gostamos.
    Ensinar os jovens as se viciarem no álcool para serem felizes, trazem pouco consumo.
    Ensinar os jovens a se juntarem, em família, com amigos cria um mercado de consumo enorme e dá muito mais lucros e não precisa de peripécias de propagandistas.

  28. 66 Rejane 03/01/2013 10:38

    Gente,pelo amor de deus,isso foi uma fatalidade! Acidente acontece,para morte nao existe desculpas ela vem se avisar.

  29. 65 ROSE 03/01/2013 10:58

    É UM ABSURDO CORRI ESTA PROVA ESTE ANO E É UMA VERGONHA PAGAMOS R$ 120,00
    PARA CORRER E FALTOU AGUA E O QUE É PIOR QUANDO TINHA ERA QUENTE UMA TREMENDA FALTA DE RESPEITO COM OS PARTICIPANTES DERAM GATORADE SOMENTE PARA OS PRIMEIROS POIS QUANDO PASSEI TINHA ACABADO.

    SE ESTA ORGANIZADORA QUER FAZER QUE FAÇA DIREITO SE NAO TEM COMPETENCIA DEIXA PARA QUEM TEM

  30. 64 Damásio 03/01/2013 11:02

    Concordo com o Rafael e acrescento: a Rede Globo é de propriedade dos cariocas, que não suportam assistir grandes eventos tradicionais brasileiros ocorrendo em algum lugar do Brasil que não seja o Rio de Janeiro. Assim, desde que o jornal A Gazeta Esportiva passou o controle da São Silvestre aos cariocas eles estão , pouco a pouco, acabando com ela. E do jeito que vai, aliado a indiferença da mídia sem cultura, não demora muto e mais uma tradição brasileira, conhecida mundialmente, vai se acabar.

  31. 63 teres virmond 03/01/2013 11:15

    Terça, dia 1º, subi numa escada de 6 metros, cheguei à altura de 5, para catar umas mangas, que estavam no topo da árvore. O equipamento não resistiu ao meu peso, 100 KG, entortou na base, desarmou e me deixou no ar, lá em cima, sem nada para me amparar. Desabei e caí de costas, fazendo, por reflexo, um rolamento na grama, saindo icólume, somente com pequenos arranhões e sujeira. Na minha idade, 66, poderia ter me ferido gravemente. Saí para pesquisar sobre acidentes com queda de escadas. O índice de fatalidades é enorme e nem por isso se parou de fabricar escadas ou de se utilizar dessa facilidade para se realizar afazeres domésticos ou de trabalho em geral. A vida é perigosa e tomando banho na banheira ou no box se corre risco de vida. Descer uma ladeira numa cadeira de rodas especial, em alta velocidade é uma enorme temeridade. Meus pêsames aos familiares de atleta. Que não acabem com a São Silvestre por cause desse acidente. Que se tome precauções, tais como fazer uma chinquene no meio do percurso para amenizar a velocidade.

  32. 62 Edivelton Tadeu Mendes 03/01/2013 11:15

    O circuito – e seus riscos, deveria ter sido verificado pelo competidor em data anterior aoevento.Não fez, pagou com a vida!Em qualquer atividade esportiva, proffionalou não,há risco, e não é tácito!

  33. 61 marilene 03/01/2013 11:24

    Se for para morrer pessoas, é melhor acabar com a São Silvestre, sou contra a morte que
    pode ser evitada.

  34. 60 Rosângela 03/01/2013 11:35

    Realmente, além de sensibilidade, falta responsabilidade e ética. Tudo deve ser flexível e evitado com certeza. É para isso que existe a ciência, as novas descobertas e tomadas de decisões no coletivo, para que todos se saiam bem!
    Muitos “acidentes” podem ser evitados de acordo com as necessidades reais.
    Absurdo é não se ter clareza do “problema” e não resolvê-lo!
    Vamos melhorar e agir de forma coerente, assim evitaremos uma tragédia como essa.

  35. 59 vanderson 03/01/2013 12:06

    BLA BLA BLA. querem arrumar culpado para o erro do próprio! no Brasil é sempre assim: o culpado nunca é o morto!!! vão procurar o que fazer. como disse o teres virmond, fatalidades ocorrem e ainda mais nestas condições citadas na reportagem ou esperavam segurança em alta velocidade numa cadeira de rodas?! a familia se se contete já que não o impediu de cometer esta brurrice.

  36. 58 MOISES JADAO NETO 03/01/2013 12:11

    Parabéns pela coragem em comentar o caso com isenção.
    Sou paraense, conheço os patrocinadores da vitima e ficamos indignados com tamanho descaso.
    A organização do evento e a emissora de televisão responsável pela cobertura so divulgaram alguma coisa, e bem superficial sobre o acidente, depois que começamos a fazer barulho nas redes sociais. Uma vergonha! Descaso total com os atletas participantes e seus familiares.
    Vale ressaltar que, em todo o percurso nao vimos nenhuma proteção nas curvas em declive, onde os cadeirantes atingem velocidade superior a 50Km/h.

  37. 57 gerson 03/01/2013 12:27

    A São Silvestre é patrimonio da cidade de São Paulo e dos Paulistanos e não da Rede Globo,este evento foi criado p/ ser realizado na passagem do ano e não nos horários e percursos que convem a Rede Globo, os novos horários e percurso foram alterados p/ não atrapalhar a grade de programação da Globo e consequentemente o seu faturamento, não importanto se os atletas correm risco de vida, p/quem viu a prova percebeu que até os atletas normais tiveram dificuldades de decer aquela ladeira,pareciam que eles iriam capotar,ESPERAMOS QUE O NOVO PREFEITO INTERVENHA NO CASO TEMPESTIVAMENTE .

  38. 56 clélia 03/01/2013 12:36

    portadores de qualquer deficiência física , precisam, para transitar em qualquer lugar, de percurso adaptado. No meu caso, se não usar óculos, não escreverei qualquer texto. Acredito ser imprudência dos organizadores essa fatalidade. Tbem não vou para a escrita, sem meus óculos!

  39. 55 Teba de Itz 03/01/2013 12:38

    Não sei o que é pior, a declaração inoportuna sem sensibilidade de um diretor do evento, a mudança de horário da prova ou ver todos os anos um(a) jovem africano(a) levando o título, como a coisa já está que está bagunçada mesmo, faz-se um sorteio entre os africanos e deles leva o prêmio pra casa, pronto, ninguem morre ou perde tempo com isso.

  40. 54 rosimere chamarelli 03/01/2013 12:44

    Apesar de morar no rio(copacabana), tenho amigos em sp e aprecio a são silvestre. O que aconteceu nesta corrida foi um acidente. Acho que deveria ter modificações no traçado. Gostaria de mandar um abraço para minha amiga cintia, ex gerente, grande profissional e amiga.

  41. 53 Alfredo 03/01/2013 13:20

    Desde 1953 ( eu tinha 8 anos) as notícias sobre a “São Silvestre” são por mim acompanhadas: antes pelas rádios e jornais (que “show” a Gazeta Esportiva apresentava nas suas manchetes dias e até semanas antes da prova – ” Fulano de tal virá, está confirmado”; “O campeão olímpico Beltrano já está inscrito”, “Confirmada a presença dos representantes de tal país”… etc). Depois, a televisão: não eram ainda câmaras portáteis, eram colocadas em pontos estratégicos, os jornalistas e apresentadores esforçando-se para dar as notícias durante o seu transcorrer. Houve anos que as TVs. formavam um “pool”, transmitindo em conjunto. Aos gritos de felicidade de todos pelo Ano Novo que estava concomitantemente chegando!…
    E agora? 31-12-2012: de manhã cedo, quando todos ou ainda descansam ou estão correndo em preparo das festas do “Reveillon”. Ruas vazias, vendo os africanos “correndo de costas e de joelhos” para não chegarem muito à frente dos demais. 25.000 (!) pessoas, a maioria não tendo a mínima noção do que é uma corrida de rua,fazendo palhaçadas em uma prova oficial do calendário internacional. Nenhuma nota, notícia, novidade apresentadas pelos apresentadores e comentaristas da Rede Globo ( será que entendem mesmo?) quanto à participação de corredores de outros países, suas colocações, suas performances. Brasileiros, então? Exceto um ou dois bem colocados, nada…nada…nada. A não ser a inefável massa humana, disforme, caminhante, que pagou para correr (correr?). Já calcularam 25.000 X 120,00? Pois é : R$ 3.000.000,00. Fora os patrocínios comerciais…. Esporte?
    Parafraseando o poeta: ” Ah! que saudades que eu tenho… de São Paulo antes da Rede Globo…”
    Um dia a casa cai…

  42. 52 Bruno Pessa 03/01/2013 14:47

    Bem analisado, amigo. A Fórmula 1 reconheceu perigos evitáveis (tarde demais, é verdade) e se tornou mais segura, as outras corridas, mesmo de pedestres, que façam o mesmo, oras!

  43. Marcelo Laguna 04/01/2013 0:36

    Ah, e você sabe por acaso, ao invés de atacar os outros gratuitamente, caro Antonio Carlos?

  44. 51 Alberto 06/01/2013 22:17

    Great.

Os comentários do texto estão encerrados.