Publicidade

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012 Ídolos, Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 18:18

Prêmio do COB precisa ser repensado

Compartilhe: Twitter

Sheilla e Arthur Zanetti foram eleitos os melhores atletas de 2012, segundo o COB

Nada, absolutamente nada contra a ponteira Sheilla Castro, que teve papel fundamental na conquista do bicampeonato olímpico pela seleção feminina de vôlei em Londres 2012. Aliás, a companheira Aretha Martins, em seu Mundo do Vôlei, analisou de forma bem completa o excelente ano que a jogadora teve. Mas considerei absolutamente injusto que ela tenha superado a judoca Sarah Manezes e a pentatleta Yane Marques na escolha do Prêmio Brasil Olímpico, promovido pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro), divulgado nesta terça-feira.

Em primeiro lugar, a entidade teria que repensar a própria metodologia do prêmio, onde além de submeter a jornalistas especializados  a escolha dos indicados, submete os atletas a uma votação popular, pela internet. Aí começa o primeiro problema. Não há como negar que no universo olímpico, o vôlei tem muito mais popularidade que o judô, a começar pela exposição que o esporte tem na mídia (TV fechada e aberta). Depois, a própria exposição que Sheilla teve no período pós-Londres, com direito a ensaio sensual na revista VIP. E pra completar, o ouro do vôlei veio no penúltimo dia dos Jogos, enquanto que o de Sarah surgiu logo no primeiro dia de competição. O que fica mais vivo na memória do torcedor comum?

Por fim, vejo um desequilíbrio comparar o feito de Sheilla, obtido em um esporte coletivo e numa equipe acostumada com vitórias e pódios internacionais, em relação a Sarah Menezes. A judoca, que fez parte de sua preparação em Teresina (PI), nem sequer era apontada como favorita ao ouro em sua categoria (48 kg).

Muitos argumentaram ontem, nas redes sociais, que Yane Marques, do pentatlo moderno, que levou o bronze nos Jogos de Londres, também mereceria o prêmio. Sem dúvida que sim, seu feito foi igualmente notável, ainda mais por se tratar de um esporte ainda mais desconhecido e por Yane ter encontrado muito mais dificuldades em sua preparação.  Mas aí vejo que o critério do resultado em si serve como desempate.

Por fim, uma questão polêmica: será que vale a pena distribuir os prêmios para os melhores atletas por cada modalidade? Afinal, em alguns esportes, com exceção do pai, mãe, marido, esposa, namorada(o), ninguém faz a menor ideia de quem é o escolhido. Soa como uma premiação política, apenas para agradar aos presidentes das confederações.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

5 comentários | Comentar

  1. 55 Lucy 07/01/2013 11:38

    É, nada contra o fato dela ter ganho este prêmio, mas quando vejo alguém da envergadura da Sheilla representando o máximo do esforço esportivo do povo brasileiro, me pergunto quando os esportes serão para todo mundo neste país. E quando o restante das modalidades serão abertas para todos, de acordo com a aptidão e o biotipo. Porque inicia nas escolas, e nos clubes, lá vem uma bola e esperam que você se dê bem no futebol, vôlei e… só. E o resto? somos um país onde a estatura média para homens e mulheres nunca foi essas coisas todas, é preciso repensar.

  2. Marcelo Laguna 21/12/2012 16:26

    Fábio,
    Também achei injusto o título da Sarah em 2009 (tinha me esquecido do caso), o que só reforça a minha tese que votação aberta na internet não dá certo. Ao menos para algo que queira ser sério.
    Valeu pela audiência

  3. 54 Fábio Lima 20/12/2012 19:28

    Laguna, em 2009 a Sarah ganhou da Poliana Okimoto e mudaram os critérios. Era 100% votação na internet e entrou o júri técnico. Na época ensaiei dizer no meu Piauí que a Okimoto merecia ter vencido e pedras voaram pro meu lado. Agora é o contrário. E enquanto o COB não rever isso, situações como essas vão se repetir. O problema é que o COB precisa rever tanta coisa…

    A votação online seria mais interessante se usada para divulgar os feitos dos atletas. Algo mais importante que redirecionar os acessos para a Globo.com.

    Enfim, quem sabe um dia as coisas tomam jeito.

    Abraços
    Fábio Lima
    Teresina-PI

  4. 53 SÍDNEY 20/12/2012 8:44

    PARABÉNS , COB ! PARABÉNS , NUZMAN !

  5. 52 BR 19/12/2012 20:10

    Outra coisa:

    Uma cerimônia desta magnitude deveria ser trasnmitida pela TV aberta.

    Mas como o COB (e a maioria das confederações, diga-se de passagem) têm o rabo preso ($$$) com um certo grupo de mídia… com esta diretoria que esta aí, por enquanto é coisa pra
    inglês vêr.

  6. 51 Alan 19/12/2012 19:32

    Eu concordo com vc… rs. Eu votaria na judoca por ser medalha de ouro, um feito impressionante se a gente considerar o nível de uma olímpiada.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.