Publicidade

sábado, 4 de agosto de 2012 Ídolos, Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 16:55

A diferença de postura que separa o campeão do atleta comum

Compartilhe: Twitter

Faniana Murer tenta passar o sarrafo, na prova deste sábado pelo salto com vara nos Jogos de Londres

Ninguém gosta de perder. Eu mesmo odeio perder até quando jogo Playstation com meu filho. Imagine então o que sente um atleta que se prepara durante quatro anos, passa por uma série incalculável de sacrifícios e não consegue o resultado almejado. Com certeza, o sujeito vai ficar frustrado, irritado, injuriado. Em resumo, p…

Mesmo com todos estes atenuantes, é inacreditável ver a postura de alguns atletas brasileiros que estão competindo nas Olimpíadas de Londres. Por um questão de direitos de transmissão adquiridos, as televisões têm a preferência para realizar as entrevistas com os atletas que participam de uma prova, a chamada zona mista. Só depois, eles se encaminham à área destinada aos jornalistas de outros veículos.

E o que dizer quando um atleta, que ainda não ganhou nada na vida, simplesmente passa batido sem explicar os motivos pelo qual fracassou ou não conseguiu o  resultado que sonhava? Por que, no final, ele não está falando com com um ou outro repórter e sim com os próprios torcedores brasileiros.

A diferença de postura é evidente quando se compara o que ocorreu com Fabiana Murer e Rosângela Santos, duas das eliminadas do atletismo brasileiro neste sábado. O peso da derrota da Fabiana é incontavelmente maior do que o de Rosângela. Fabiana chegou a Londres cotada para brigar com a russa Elena Isinbaeva pela medalha de ouro no salto com vara, vinha com o status de campeã do mundo e voltará para casa como a atleta que foi prejudicada pelo vento. Mas ainda assim, ela não se escondeu, falou mais de meia hora com os jornalistas e, só depois, escondida de todos, caiu no choro com os integrantes da comissão técnica do Brasil.

E Rosângela Santos, que ainda está construindo sua história, tem como glória maior um ouro no Pan-Americano de Guadalajara nos 100 m, passou batido, só falando com a TV, após ser eliminada na semifinal dos 10o m, mesmo tendo feito o seu melhor tempo pessoal (11s17).

Na sexta-feira, o mesmo ocorreu na final dos 50 m nado livre. Favoritíssimo para o ouro, Cesar Cielo amargou o bronze, mas não se escondeu, falou com todos, mostrou postura de campeão. Em compensação, Bruno Fratus, que conseguiu um ótimo quarto lugar em sua primeira Olimpíada, passou mudo, ainda dando murros na porta. Só voltou por insistência da assessoria do COB, e com muita má vontade.

São estas atitudes  como estas que mostram a diferença entre um campeão e um atleta comum.

Autor: Tags: , , , , , ,

21 comentários | Comentar

  1. 71 luiz carlos de oliveira 11/08/2012 7:17

    Caro o seu texto mostra apenas uma unica preocupação com o seu interesse próprio , 99% da população brasileira não quer ver o cidadão dando ou não dando desculpas esfarrapadas , a população brasileira quer sim ver os atletas competindo com garra e dando o melhor de si , quanto ao direito de cobrança , Jornalista haje como se a população tivesse dado a eles procuração para ser os paladinos da moralidade , eu nunca dei a jornalista procuração nenhuma para me representar e cobrar alguem por mim e duvido que qualquer cidadão tenha dado . PS , trabalhei em imprensa por mais de 10 anos e já vi coisas de reporteres como desligar cameras para policia matar bandido , tirar do ar matérias que ofendiam empresas anunciantes , esconder quem é o seu verdadeiro chefe , quantas emissoras de rádio e Tv , são na verdade de politicos que se escondem atraz de laranjas ?? ou vai dizer que não conhece nenhuma ?? e não vejo nenhum jornalista lutando pela liberdade de imprensa neste país que passa por não termos mais veiculos de comunicação a mando do partido A ou do PArtido B , Bater em cachorro pequeno é facil , quero ver bater nos cachorros grandes que mandam e desmandam na imprensa deste país

  2. 70 luiz carlos de oliveira 11/08/2012 7:02

    Caro Marcelo , não se ofenda , mais os jornalistas precisam ter um pouco mais de humildade em entender , que não são semi deuses , que tudo podem e todos tem que dar explicações a eles . Nem todos as pessoas , tem capacidade de falar frente as cameras , e convenhamos as pessoas reagem diferente ao fracasso , não falar é um direito inalienavel do cidadão , não ser importunado pela imprensa também , querer curtir sua derrota em paz sem ter que dar explicações naquele momento de cabeça quente , é um direito de todo o cidadão , que deve ser respeitado . Alem do que , mas o atleta que sai xingando de uma derrota , sem condições de falar , para mim é o exemplo , vou citar a copa de 2004 , quando o time do brasil perdeu e foram todos festar , isto sim para mim é desrespeito , os jornalistas em sua maioria precisam entender que seu emprego não é maior do que a decencia e a dignidade da pessoa humana e parar de se comportar como urubus sobrevoando a carniça , e ainda reclamar dos que expantam os urubus

  3. 69 luiz carlos de oliveira 11/08/2012 6:53

    Caro me desculpe , mas acho que voce esta equivocado , estamos falando de atletas e não artistas , a fabiana murer , mostra claramente que não sei por que motivos olimpiadas não é sua prioridade , foi a londres passear , por isto a disposição em falar com a imprensa , a rosangela foi lá para competir , fez a melhor marca da vida dela , portanto tem que ser aplaudida , se não ganhou medalha é por que não tem nível para isto , ao contrario da fabiana que pelo menos bronze , poderia ter ganho

  4. 68 Bruno 08/08/2012 14:34

    Fabiana Murer…atitude de campeão….
    Ah! Pare com isso…

  5. Marcelo Laguna 07/08/2012 22:23

    Ele é figura publica, treina com dinheiro público (meu, seu, nosso), deve respostas e satisfação sim, ao seu patrocinador e ao torcedor. A forma de fazer isso é através da imprensa. Se o sujeito se recusa a falar, ou é covarde, ou não tem estrutura nenhuma para falar.

    No final, nem seremos nós, jornalistas, os mais prejudicados. Se um dia não tiver mais jornalismo esportivo, eu irei trabalhar em outra editoria. Já o caro atleta despreparado psicologicamente para suportar um fiasco olímpico, não sei o que irá fazer.

    Ah, dispenso o “querido”

  6. 67 Yuri 07/08/2012 22:05

    Querido Marcelo Laguna. Você não respondeu o que eu lhe perguntei. Qual o seu direito em cobrá-lo???
    Ele te cobra pelo seu serviço??

  7. Marcelo Laguna 07/08/2012 22:26

    Então vc quer que eu o deixe disparar ofensas a torto e direito e não quer ser cobrado por isso? O blog é meu, não se trata de censura, mas sim de não aceitar ofensas ou argumentos sem o menor fundamento.

    Se fosse pra te censurar, meu caro, vc nem estaria vendo esta mensagem no ar. Reflita e pense um pouco antes de apertar a tecla “Enter”

  8. 66 Yuri 07/08/2012 22:01

    Só pra completar…o primeiro “POST” disse tudo. Colunista se acha no direito de escrever o que bem entende. Quando alguém critica, se sente ofendido e fala imediatamente em censura.
    Porém, deveriam ter mais responsabilidade com o que escrevem, pois infelizmente, podem servir como formadores de opnião.

  9. Marcelo Laguna 07/08/2012 21:54

    Certamente acompanho o dia a dia deles muito mais que vc

    Abs

  10. 65 Yuri 07/08/2012 21:51

    Eu gostaria de perguntar ao “colunista”, se é que eu posso chamá-lo assim, qual é a obrigação que o atleta tem de “se explicar” para o público pelo resultado??? Que hipocresia é essa. Você colunista, algum dia parou o seu serviço o foi ver como andavam os treinamentos de algum desses atletas, se eles precisavam de apoio e torcida durante os treinos, se estavam se alimentando bem, se dedicando????? Com certeza não. Então, novamente me pergunto, qual o direito que vc tem de cobrá-lo???? Ele já te cobrou por alguma coluna idiota que postou???
    O que vc quer é vender matéria….pare de besteira.

  11. 64 toninho 07/08/2012 16:52

    Eu pergunto ao cronista: Só por colocar um microfone na minha frente, eu sou obrigado a dar uma declaração sobre um evento que acabei de participar? A minha condição psicologia após esse evento (o resultado as vezes não importa, pois muito ganhadores sairam falando m … nos microfones) não merece respeito nenhum? Tenho que pensar que voce tem seu patrocinador para dar ibope? Ou seja tenho que respeitar todos independente do meu estado emocional. E a reciproca?

  12. 63 Daniel 06/08/2012 12:40

    Sou obrigado a discordar da sua opinião Marcelo. Não acho que o atleta seja obrigado a dar declaração para NENHUMA imprensa no calor do momento, principalmente após uma derrota dura. Vai falar desestabilizado pra que? Para dar notícia para algum oportunista da impresa que pergunta o famoso: “Como você está se sentindo após esse fracasso??”
    A respota com sangue quente para essa pergunta cretina é tudo que o jornalista quer para vender um belo furo.

    Acho muito mais bacana o atleta desmoronar sozinho, colar os caquinhos e dar uma coletiva depois muito mais produtiva para ele e para o público, que gostaria de ouvir o que deu errado.

    Declaração intempestiva no calor do momento só queima atleta e beneficia jornalista.

    Mil desculpas pelo tom, mas acho que a imprensa algumas vezes usa “direitos excessivos” baseados na liberdade de imprensa, que é algo ótimo e necessário.

    Um abraço

  13. 62 Mongo 06/08/2012 12:36

    Será que tem exame anti-doping nestas olimpíadas . Como tem gente suspeita , as chinesas então ?????? Tem mulher que parece homem e tem homem que parece o robocop.

  14. 61 Carnaval 06/08/2012 5:54

    Esse negocio de entrevistas é combinado tudo antes com as tvs e os patrocinadores , se aceitaram …tem que falar . Se ganhassem dariam entrevistas com sorriso largo .
    Mas o fato principal é a falta de estrutura nas bases esportivas escolares , na educação como um todo e o dinheiro roubado pelos politicos e a impunidade . Toda Direção do COB para 2016 deveria ser mudada , começando pelo Sr. Nusman , amiguinho de havelange e R. Teixeira .

  15. 60 M. Fer 05/08/2012 14:29

    Cada um lida com a derrota de uma forma diferente. Nenhum deles tem a obrigação de falar com ninguém do jeito que estão, transtornados, tristes, sofridos.

    “É ridículo as cobranças que recaem sobre os atletas brasileiros especificamente nesse período de Olimpíadas. Ter que ouvir de repórteres, ler em revistas e jornais aquele infeliz comentário de que fulano decepcionou, de que ciclano tem obrigação de ganhar, entre muitos outros comentários do mesmo tipo, é revoltante. Esquecem que durante os quatro anos que separam uma olimpíada de outra, eles são totalmente esquecidos e lutam com todas as suas forças, força essa que deveria ser direcionada apenas para melhorar seu rendimento, para conseguir por exemplo uma inscrição de uma determinada competição, bancar uma passagem aérea para competir, ter uma boa suplementação, ter um equipamento básico, e muitas reticências…….. pois os exemplos do que o atleta brasileiro passa para tentar figurar entre os melhores do mundo são inacreditáveis.”

    O nosso dinheiro não tá custeando ida de atletas à Olimpíadas, ou mesmo apoio durante o treinamento deles, está custeando nossos políticos. São os clubes que detém esses atletas, o dinheiro é privado. O que falta no Brasil é motivação, investimento e aí sim poderemos cobrar deles. Sem isso, não tem como.

  16. 59 ronlso 05/08/2012 14:13

    com todo respeito ao Senhor Pareto, a sugestão é simplesmente rídicula e completamente fora do foco da noticia. Perdeu a oportunidade de “porque non te calas ?”

  17. 58 RENÉ RIBEIRO 05/08/2012 13:45

    Tudo muito bonito. Falar ou deixar de falar é uma questão mais de educação do que qualquer tipo de obrigação para com o público ou com a mídia.
    Mas o pior dessa história toda foi o papelão da Fabiana . Um atleta campeão não pode simplesmente desistir de uma competição por um simples ventinho. O fenômeno estava ali para todos, não foi somente no seu instante que ele resolveu aparecer. Fosse um furacão, tudo bem, mas com as condições do momento, a desculpa foi muito esfarrapada. Notadamente, ela desde o primeiro salto não estava concentrada, estava indecisa e saltou na bacia das almas. Acho inadmissível este tipo de atitude. Na olimpíada passada foi a vara e nesta o vento, o que sera então na próxima? O calor do Rio?

  18. 57 Thiéres Rabelo 05/08/2012 13:18

    É o que tentei dizer: é questão de respeito, mas não existe obrigação. Concordo que o melhor é falar mesmo, porém, o que quero dizer é que da mesma forma que queremos respeito para com torcedor, jornalista e patrocinador, devemos respeitar também o espaço do cara. Se ele quer se calar é porque é o melhor para ele, porque está lidando com um turbilhão de coisas em sua cabeça, que só ele e Deus sabem o que é. Isso deve ser respeitado TAMBÉM. Mas concordo que eles falando é o mais adequado. Só não vejo como obrigação. Abç, fica com Deus!

  19. Marcelo Laguna 05/08/2012 13:13

    Thiéres, vá me desculpar, mas eles têm obrigação de falar, sim senhor. Ninguém está aqui a passeio ou turismo. Só acabando com esta postura paternalista que o epsorte brasileiro irá evoluir. Os britânicos, competindo em casa, muitas vezes terminam suas competições em colocações ainda piores, mas ainda assim todo mundo dá entrevista. Questão de respeito com torcedor, jornalista e patrocinador.

    Não, eu não tenho a menor pretensão em ser psiquiatra

    Abs

    Abs

  20. 56 Thiéres Rabelo 05/08/2012 13:06

    Não existe obrigação nenhuma para eles darem satisfação, só porque “a preparação deles para estes Jogos foi custeada com nosso dinheiro”. Isso é uma questão de bom senso, apenas, não há uma regra que os obriga a falar. Tendo isso em mente, jornalista nenhum tem razão ao criticar um atleta que não quer falar, pois não está na pele dele e não sabe o que se passa em sua mente. O dia que jornalistas forem, ao mesmo tempo, psiquiatras, aí, sim, talvez tenham razão em criticar isso.

  21. Marcelo Laguna 05/08/2012 13:14

    Puxa, Jonatas, se você não me lembrasse, eu não saberiam que ASSIM é com M. Provavelmente, você nunca cometeu um erro de digitação na vida, certo?

    Abs

  22. 55 Jonatas 05/08/2012 13:02

    Concordo com o Luis Pareto.

    E só para lembrar ASSIM é com M e não N.

    “Mas ainda assin, ela não se escondeu, falou mais de meia hora com os jornalistas e, só depois, escondida de todos, caiu no choro com os integrantes da comissão técnica do Brasil.

  23. 54 Arthur 05/08/2012 12:57

    Mas do que adianta falar e falar besteira, a Murer falar que só é pior que a Isinbayeva, isso não mostra atitude de campeão e nada, desrespeitar os outros, que ela diz que são piores mas estão lá final

  24. Marcelo Laguna 05/08/2012 13:00

    É que não é bem assim que a coisa funciona, Diogo. O atleta, depois que sai da área de competição, tem que falar com as TVs. Mas existem outros veículos de mídia que merecem também uma satisfação. Apenas uma questão de opinião.

    O caso da Fabiana, eu acho que a ficha não tinha caído pra ela. Depois deve ter ficado pesado

    Abs e obrigado pela audiência

  25. 53 Diogo 05/08/2012 11:42

    Só para deixar claro, eu disse: “não precisam dar satisfações aos torcedores imediatamente após a prova, com a cabeça quente”. Eles podem, e devem, dar as explicações mais tarde, com mais frieza. Assim, inclusive, terão mais tranquilidade para analisar o que aconteceu.
    Fabiana Murer, por exemplo, na entrevista pós-prova parecia até um pouco aérea, e acabou culpando o vento!
    E independente de discordar, sou leitor assíduo do blog e admiro seu trabalho por ser dos poucos que cobre esportes em geral mesmo fora do período de Olimpíadas.

    Abraço

  26. Marcelo Laguna 04/08/2012 22:26

    Desculpe, Diogo, mas os atletas têm obrigação sim de dar uma satisfação. Ainda mais que a preparação deles para estes Jogos foi custeada com nosso dinheiro.

    Obrigado pela visita

  27. 52 Diogo 04/08/2012 19:34

    Também discordo da sua opinião. A forma como uma pessoa reage a derrota é de cada um. Alguns caem no choro, outros ficam desolados, há ainda os que ficam irritados. Rosângela, no momento que terminou os 100 m, estava frustrada com seu resultado, assim como Bruno Fratus, o que mostra que eles se importam, que queriam ser melhores. Acredito que ter uma postura conformada seria pior. Eles não precisam dar satisfações aos torcedores imediatamente após a prova, com a cabeça quente.
    Acho que sua opinião está sendo tendenciosa para a sua categoria profissional.

    Abraço.

  28. 51 Luis Pareto 04/08/2012 18:06

    Non Sequitur. A conclusão do autor do texto não tem relação com as premissas apresentadas. O fato do atleta estar irritado ou frustado com a derrota não tem qualquer relação com sua condição de atleta ou mesmo de campeão. Nelson Piquet foi tricampeão mundial de F1 com o mesmo mau humor de sempre. E quantos derrotados existem por aí com excelente humor, pura simpatia, sorriso aberto e paciência inesgotável?

    O que faz um atleta ser campeão é conquistar títulos e medalhas. Simples assim. Caráter, humor, simpatia ou traquejo com a impresa não têm nada a ver com isso.

    Sugiro mais responsabilidade nos próximos textos, e, se a honestidade permitir, uma retratação a respeito desse artigo, com um pedido de desculpas aos atletas citados e injustiçados.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.