Publicidade

Arquivo de julho, 2012

sexta-feira, 6 de julho de 2012 Olimpíadas, Seleção brasileira | 18:11

Internauta do iG esperava ver Maurren Maggi ou Cesar Cielo como porta-bandeira do Brasil em Londres

Compartilhe: Twitter

De forma até surpreendente, Rodrigo Pessoa foi o escolhido para ser o porta-bandeira do Brasil

O anúncio feito nesta sexta-feira sobre a escolha de Rodrigo Pessoa como porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 foi uma dupla zebra.  Primeiro, pela antecedência com que o nome foi escolhido. Nas últimas edições das Olimpíadas, o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) acostumou-se a criar um clima de mistério sobre o atleta escolhido, deixando este anúncio para ocorrer quase sempre às vésperas da abertura.

A outra surpresa foi a própria escolha de Rodrigo Pessoa, apesar de seu passado de conquistas olímpicas, com destaque para a medalha de ouro nos saltos nas Olimpíadas de Atenas 2004. Ainda assim, o carisma do cavaleiro (nascido em Paris e que vive no exterior) é quase zero para os torcedores brasileiros.

Bem diferente do COB pensam os internautas do iG, que em recente enquete proposta aqui mesmo no blog apontaram dois outros fortes candidatos para serem os porta-bandeiras na festa que abrirá os Jogos de Londres.  A preferida do público, com 31,11% dos votos, foi Maurren Maggi, atual campeã olímpica do salto em distância. Depois dela, o atleta preferido entre os internautas foi o nadador Cesar Cielo, com 29,14% dos votos. Em Pequim 2008, ele foi medalha de ouro nos 50 m livre e bronze nos 100 m livre.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 5 de julho de 2012 Isso é Brasil, Olimpíadas | 20:41

Custo da Casa Brasil em Londres é quase um ano de Lei Piva

Compartilhe: Twitter

A Somerset House, que receberá a Casa Brasil durante as Olimpíadas e Paralimpíadas de 2012. Caro demais para servir de ponto de encontro

Post atualizado em 6/7/2012

Como sede da próxima edição dos Jogos Olímpicos, é natural que o comitê organizador do Rio 2016, além dos governos Municipal e Estadual do Rio, façam um investimento considerável na promoção da competição, que será a primeira edição das Olimpíadas no continente sul-americano. Mas creio que alguns valores estão um pouco exagerados.

O custo do aluguel da Casa Brasil em Londres é um deles. Localizada na tradicional Somerset House, em uma nobre região da capital britânica, a Casa Brasil receberá eventos culturais, turísticos e entrevistas coletivas com medalhistas brasileiros durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

Por tudo isso, serão pagos nada menos do que R$ 23,1 milhões. Os valores e detalhes dos eventos promocionais para as próximas Olimpíadas foram anunciados nesta quinta-feira, pelo presidente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e do Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman.

O problema é que esse valor representa praticamente o total distribuído pela Lei Agnelo/Piva às confederações brasileiras olímpicas este ano, em sua preparação para as Olimpíadas de Londres. Estas entidades receberam de repasse de dinheiro proveniente das loterias, de acordo com regras específicas de distribuição da verba, um total de R$ 28,8 milhões.

Sinceramente, preferia que gastassem esta valor para ajudar na preparação dos atletas brasileiros. Mas preferiram reservar a luxuosa Somerset House.

Fazer o que, né?

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 4 de julho de 2012 Olimpíadas, Vídeos | 23:42

Videoclipe medalha de ouro. Já a música…

Compartilhe: Twitter

Divulgado nesta quarta-feira pela banda britânicas Muse, o videoclipe do tema oficial dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 é sensacional. Começa com uma espécie de viagem pelo túnel do tempo da história olímpica, resgatando imagens emocionantes e históricas.

O vídeo, como você poderá conferir abaixo, é digno de medalha de ouro. Agora, já a música-tema, “Survival”, é bem fraquinha, hein?

E você, curtiu o videoclipe com o tema oficial dos Jogos de Londres 2012?

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 3 de julho de 2012 Com a palavra, Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:58

Solidariedade dos atletas para Jade Barbosa

Compartilhe: Twitter

Joanna Maranhão está inconformada com a chance de Jade Barbosa não ir a Londres

“Será que a burocracia e a política vão tirar Jade dos Jogos? Acho triste que a punição seja apenas para a atleta”

Nadadora Joanna Maranhão, que usou o Twitter para dar apoio à Jade Barbosa, que não deve ser convocada para as Olimpíadas de Londres 2012. Veja as opiniões de outros atletas sobre o caso de Jade Barbosa no iG Esporte
Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 2 de julho de 2012 Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:00

Show de incompetência e teimosia no caso Jade Barbosa

Compartilhe: Twitter

Final infeliz na novela envolvendo Jade Barbosa e CBG. Todos são culpados

Faltam adjetivos para que eu possa definir o resultado do imbróglio que envolveu Jade Barbosa e a direção da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), que começou com a recusa da atleta em assinar um termo de compromisso concordando em usar os patrocinadores da entidade, e que culminou com o corte definitivo de Jade da equipe que irá a Londres 2012, definido nesta segunda-feira.

Por isso, me parece bem apropriado o título deste post para resumir toda esta incrível confusão, que acabará privando a seleção feminina de ginástica artística de sua mais talentosa representante.

Mas que ninguém pense que aqui verá um texto saindo em defesa de Jade, que ela foi injustiçada ou coisa do gênero. Ela (e as pessoas que administram sua carreira) é tão culpada quanto os intransigentes dirigentes da CBG.

A maior prova que Jade estava errada ao não aceitar assinar o tal termo de compromisso foi o próprio recuo da atleta no final da semana passada, quando percebeu a burrada que estava fazendo. Mas se Jade Barbosa ao menos teve o mérito de recuar de uma posição estúpida, a CBG (só pra variar) mostrou ter a habilidade de um elefante numa loja de cristais.

Perde Jade Barbosa, perde a CBG, perde o esporte brasileiro. É muita burrice junta numa frase só!

Autor: Tags: , ,

domingo, 1 de julho de 2012 Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 19:22

Vaga olímpica não é ação entre amigos

Compartilhe: Twitter

Jadel Gregório não obteve a vaga olímpica no salto triplo. Fica pra 2016?

Ponto positivo para o conselho técnico da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), que estabeleceu índices mais fortes até do que os implantados pela IAAF (Associação das Federações Internacionais de Atletismo) para definir sua equipe nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Neste domingo, com o encerramento do Troféu Brasil, no Estádio do Ibirapuera, foi fechado o time brasileiro que irá às Olimpíadas, com um total de 35 atletas, menos do que o enviado para Pequim 2008, quando 45 competidores estiveram presentes.

E o que me agradou especialmente nesta decisão da CBAt foi uma declaração de Ricardo D’Angelo, treinador-chefe da entidade, em reportagem publicada pelo iG Esporte e de autoria de Ana Carolina Cordovano e Antonio Kurazumi. D’Angelo foi de uma precisão cirúrgica em sua justificativa para os índices considerados “fortes demais” por alguns atletas. “Não se ganha experiência em Olimpíadas. Quem vai para pegar experiência pode atrapalhar os que estão competindo por medalha”, afirmou.

Perfeita avaliação, no meu ponto de vista. Ir às Olimpíadas não pode ser somente considerado um prêmio por si só, ou até mesmo uma ação entre amigos – na base do “sempre cabe mais um”. Gigantismo em uma delegação olímpica só vale a pena se você tem uma quantidade (e qualidade, principalmente!) de atletas grande o suficiente para justificar isso.

Ao longo dos quatro dias deste Troféu Brasil, pude ouvir, em uma entrevista ou outra, sinais de chiadeira de atletas,. logicamente aqueles que fracassaram na tentativa de assegurar sua vaga. Choradeira pura, pode acreditar.

Um destes chorões, embora de forma disfarçada, foi Jadel Gregório. “Após as cirurgias nos dois joelhos, voltei a competir em maio, com um mês e meio de treinamento. Saltei bem, fiz o índice B pedido pela IAAF”, disse o atleta do salto triplo, que no entanto disse também que não queria ir a Londres “apenas para tirar fotografia”. Agora, fica para 2016.

Mas o Troféu “Sem Noção” tem que ser entregue para Lucimara Silvestre, do heptatlo. No ano passado, após retornar do Pan-Americano de Guadalajara, quando conquistou a medalha de ouro, talvez inebriada pelo feito, chegou a dizer, de forma absurda, que brigaria por medalhas em Londres. Pois bem, chegou 2012 e ela não conseguiu o índice necessário no Troféu Brasil. E ainda cornetou (sem razão) a CBAt.  “É um absurdo a CBAt pedir essa marca”, disse ao iG.

Ainda bem que eram índices fortes. Porque já posso imaginar o nível das desculpas que iríamos escutar em Londres de atletas que pensam desta forma.

Autor: Tags: , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última