Publicidade

sexta-feira, 27 de julho de 2012 Diário de viagem, Olimpíadas | 06:59

Chegou o dia. Mas cadê o clima olímpico nas ruas londrinas?

Compartilhe: Twitter

Ingresso para a cerimônia de abertura. Até os jornalistas precisarão de um destes aí

Depois de 1.433 dias, desde que a chama olímpica se apagou em Pequim, a partir das 17h (horário de Brasília), 21h locais, possivelmente debaixo de uma leve chuva, serão abertas oficialmente a 30ª edição dos Jogos Olímpicos da Era Moderna. Para quem é amante dos esportes olímpicos, foi uma espera danada de longa! E particularmente para este blogueiro, que verá ao vivo os Jogos pela terceira vez, a emoção é ainda mais especial.

Uma coisa estes corridos dias aqui em Londres, atrás de reportagens com atletas brasileiros e grandes ídolos mundiais, já conseguiram mostrar: não se verão instalações esbanjando luxo e arrojos arquitetônicos. Com exceção do Estádio Olímpico, local da cerimônia de abertura, o que se vê por aqui são instalações muito bonitas, porém sem excessos. Outro dia, conversando com o técnico José Roberto Guimarães, da seleção feminina de vôlei, ele comentou que a Vila Olímpica de Londres é boa, mas bem menor do que havia em Pequim 2008.

E pode ser até que a situação mude a partir da abertura, mas até agora, você consegue perceber o chamado espírito olímpico, a empolgação das pessoas por conta do evento mais importante do esporte mundial, somente na região do Parque Olímpico, em Stratford. Nas demais ruas londrinas por onde passei, ao menos entre as pessoas, não se sente no ar aquele clima de empolgação tradicional que um grande evento desta natureza proporciona.

Mas algo me diz que isso começará a mudar a partir desta sexta-feira.

Autor: Tags: , ,

6 comentários | Comentar

  1. 56 Carlos Sousa 28/07/2012 9:38

    Com certeza a Inglaterra e outros países do primeiro mundo tem muito mais a oferecer do que apenas samba, carnaval, futebol e cabrochas requebrando. Por aqui parece que alguém andou sentindo falta do Plim Plim com aquelas transmissões cheias de fanfarrices e vaidades lideradas pelo maior “mala” da TV brasileira. Gostei muito da transmissão da Record. Séria, objetiva e respeitosa.

  2. 55 EVA 27/07/2012 14:19

    E DAI….LONDRES É UMA CIDADE CINZENTA…..O TEMPO HORRIVEL…..DIFICIL CONSEGUIR ANIMAR AQUELE POVO COM ALGUMA COISA…..TÊM QUE TOMAR CHA MESMO!!!!1

  3. 54 Juanito 27/07/2012 12:48

    Bom dia !

    Meu caro comentarista, não pude me furtar de reparar no seu comentário melancólico diante da frieza dos londrinos diante de mais uma evento olímpico esta falta de empolgação não será porque eles tem coisas mais importantes a fazer na vida do que ficar batendo palma para maluco dançar literalmente ver seleções olímpicas que estão mais preocupadas com seus umbigos com o retorno financeiro que possam vir a ter com a projeção que uma medalha de ouro possa vir a trazer. Nós brasileiros sim que ficamos diante da tv ou nas ruas comemorando o fato de algum recorde para algum atleta enquanto eles enchem o bolso de grana nós continuamos a pegar trens e ônibus lotado ganhando esses salários miseráveis, eles estão certo continuem cuidando de suas vidas que é o melhor a fazer. Fui.

  4. 53 Márcio 27/07/2012 11:12

    O espírito olímpico também não chegou aqui. Se um evento não passa na Globo, parece que não ocorreu!

  5. 52 Marcone 27/07/2012 8:43

    Aqui em Pernambuco, na região onde moro, também não se vê um clima de Olimpíada como se via em outros tempos. Creio que isso se deva ao fato que a maior emissora de tv aberta do país não está transmitindo os jogos deste ano. A transmissão, divulgação e o entusiasmo desta outra emissora deixa muito a desejar. Plim Plim, “ruim com ela, pior sem ela”.

  6. 51 Mariana Menezes 27/07/2012 7:49

    Verdade Marcelo! Ainda nao estou sentindo muito o clima das Olimpiadas…talvez seja apenas a personalidade reservada dos ingleses que nao deixa que eles demonstrem qualquer emocao. Hoje a noite vai ser a prova de fogo.

    Boa sorte na cobertura!

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.