Publicidade

quarta-feira, 4 de abril de 2012 Imprensa, Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:39

Tiago Camilo e Luciano Corrêa vão a Londres. Foi justo?

Compartilhe: Twitter

Tiago Camilo terá seu nome confirmado pela CBJ na equipe que vai a Londres

No jargão jornalístico, “furar a concorrência” é o ponto alto de um dia de trabalho, quando você consegue uma informação exclusiva e importante. Pois imagino que para o competente colega Rodrigo Farah, do iG, esta quarta-feira tenha sido um destes dias marcantes, graças ao “furo” que ele publicou, contando que a seleção brasileira de judô nas Olimpíadas de Londres 2012 está fechada, com a definição das duas dúvidas que restavam, que eram as presenças de Tiago Camilo (peso médio) e Luciano Corrêa (meio pesado).

A CBJ (Confederação Brasileira de Judô) só deverá oficializar a lista dos convocados no final de maio, quando será fechado o ranking mundial da IJF (Federação Internacional de Judô). Pela classificação da entidade, seriam os titulares da seleção Hugo Pessanha (médio) e Leonardo Leite (meio pesado), que no entanto terão pontos obtidos em 2011 descartados, a exemplo do que ocorre no ranking da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais).

Bem, neste ponto eu quero convidar o(a) amigo(a) que acompanha este blog a fazer uma reflexão: a despeito de toda a qualidade e competência indiscutíveis de Camilo e Corrêa, será que foi o critério mais justo usar o ranking da IJF?  Não seria mais justo levar Pessanha e Leite?

Como disse, não estou colocando aqui em questão a competência e até a maior experiência dos dois judocas selecionados. Até porque Tiago Camilo tem simplesmente duas medalhas olímpicas (prata em Sydney 2000 e bronze em Pequim 2008), enquanto Luciano Corrêa foi ouro no Mundial de judô de 2007, no Rio. Mas até pela posição do ranking, os dois preteridos passam por uma fase melhor.

Se o ranking da IJF acaba premiando a regularidade, fico pensando se não deveria ser levado em conta o momento que cada judoca está vivendo. E vale lembrar que não há um consenso 100%  entre os atletas brasileiros que este seja o melhor critério para definir a equipe olímpica. Outros países (a China por exemplo) não utilizam o ranking da IJF para definir sua seleção.

De qualquer forma, polêmico ou não, o critério de escolha da CBJ para definir a equipe que irá a Londres 2012 é pelo menos 1.000.000 de vezes melhor do que existia na época em que esta modalidade foi comandada por Joaquim Mamede, talvez o maior ditador que já existiu no esporte brasileiro. Os mais novos talvez não saibam, mas Mamede, que comandava a CBJ com mão de ferro, era capaz de deixar de fora um atleta mais talentoso, por pura picuinha pessoal. Aurélio Miguel que o diga.

Portanto, mesmo sendo um critério discutível, é inegável que o judô brasileiro esteja enviado a Londres uma equipe muito forte, talvez a melhor de todos os tempos, com potencial para voltar ao Brasil carregada de medalhas.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

2 comentários | Comentar

  1. 52 Robson 08/04/2012 11:41

    Pode não ser perfeito mas é honesto, ao contrário da época do Mamede fdp. Outra coisa boa foram as mudanças das regras internacionais do judô, do qual o João Derly foi o maior responsável. Era inconcebível um judoca ser bi-campeão mundial praticando o anti-judô. Sempre buscava a pontuação mínima, lutando com a testa no chão com aquele judô horrível “pega-perna”. Judocas como ele foram naturalmente “banidos” das competiçoes internacionais, pois agora tem de lutar o verdadeiro judô e não aquilo. O Tiago é hoje 60% do que era mas é guerreiro de verdade e se conseguir se superar fisicamente vai surpreender. Já o Cunha (coxinha) deveria ser rebaixado para “pastelzinho de vento” pois toda vez que ele luta na final com um Japa, entrega a luta vergonhosamente. Da última vez que entregou a luta pra um Japa, disse sorrindo na tv que estava fazendo história…ugh! O tecnico tinha de ser o Aurelio Miguel que um dia antes da luta dizia: “AMANHÃ É MEU DIA”. Tem de avisar o “pastelzinho de vento” que o complexo de “vira-lata” do Brasileiro já acabou faz tempo. O Guilheiro se tiver forte concentração e se expor menos na luta, é ouro. Força rapaziada e meninas também!

  2. 51 Carlos Solrac 06/04/2012 20:44

    Se esse é o critério, foi justissímo até porque a outra forma que era simplesmente entre os dois melhores lutadores de cada categoria as vezes o melhor acabava sendo derrotado injustamente como aconteceu com o próprio Camilo na eliminatória para 2002 quando ele sofeu uma punição sem nenhuma razão e perdeu a luta ganha a um segundo do final.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.