Publicidade

Arquivo de dezembro, 2011

terça-feira, 27 de dezembro de 2011 Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 22:44

Revéillon de muito trabalho na ginástica feminina

Compartilhe: Twitter

Daniele Hypólito integra a equipe brasileira que tentará vaga para Londres 2012

Bom, depois de uma folguinha de Natal pra lá de necessária, chegou a hora de tirar a teia de aranha do blog. Mas não são apenas os jornalistas que estão encarando um plantão nestas festas de fim de ano. A seleção brasileira feminina de ginástica artística também passará a virada de ano em plena atividade. Desde a última segunda-feira, as meninas estão na cidade de Ipswich, na Inglaterra, preparando-se para o evento-teste das Olimpíadas de Londres, que servirá como último evento classificatório aos Jogos de 2012.

Estão treinando na Inglaterra Adrian Gomes, Daiane dos Santos, Bruna Leal, Ethiene Franco, Daniele Hypolito, Gabriela Soares, Jade Barbosa e Priscila Cobello. O grupo está treinando juntos desde o dia 1º de dezembro, de olho no torneio-teste, marcado para ocorrer entre os dias 10 e 13 de janeiro na North Greenwich Arena.

Vale lembrar que as quatro equipes mais bem classificadas, entre as oito que participarão do evento-teste, garantem vaga o em Londres 2012. E também é necessário recordar que só por causa da péssima participação brasileira no Mundial do Japão, quando o grupo estava rachado e não conseguiu garantir a classificação, é que as garotas terão que deixar a festa de Revéillon de lado este ano e treinar duro.

Do contrário, os Jogos de Londres só serão acompanhados pelas meninas da ginástica artística brasileira pela televisão.

Autor: Tags: , , , ,

domingo, 18 de dezembro de 2011 Isso é Brasil, Mundiais, Seleção brasileira | 20:49

Acertos e erros do Mundial feminino de handebol

Compartilhe: Twitter

Jogadoras da Noruega comemoram a entrega do troféu de campeãs mundiais no Ibirapuera

O encerramento do 20º Mundial feminino de handebol neste domingo, que viu a consagração da Noruega, ao faturar no Ginásio do Ibirapuera seu segundo título da história (o primeiro veio em 1999), traz consigo o momento ideal para se fazer um balanço sobre o que de bom e ruim aconteceu durante o evento, que nos últimos 16 dias movimentou ginásios em São Paulo, Barueri, São Bernardo do Campo e Santos.

A) A melhor coisa, sem dúvida, foi a participação da seleção brasileira. Se no continente americano a equipe é soberana – conquistou o tetracampeonato pan-americano em Guadalajara no mês de outubro -, o mesmo não ocorre no cenário mundial, quando ainda está longe das grandes forças. Por isso, o quinto lugar conquistado neste domingo, com uma incrível vitória por 36 a 20 sobre a Rússia, bicampeã mundial, precisa ser muito festejado. Foi o melhor resultado do Brasil na história;

B) Da mesma forma que fez história ao derrotar as desmotivadas russas (isso não importa, diga-se de passagem, se elas jogaram de freio de mão puxado é problema delas), o Brasil conquistou três resultados altamente expressivos ao longo do torneio: uma vitória de virada sobre a vice-campeã mundial França, depois de estar perdendo por seis gols de diferença, e triunfos sobre tradicionais escolas europeias, Romênia e Croácia. Ainda fez um jogo parelho com a Espanha (medalha de bronze no torneio) nas quartas de final, sendo eliminada somente após sofrer um gol nos 15 segundos finais;

Chana Masson foi eleita a melhor goleira do Mundial de handebol

C) O torneio ainda viu o Brasil terminar com a melhor goleira (a incansável e carismática Chana Masson) e a artilheira do Mundial (Alexandra Nascimento, com 57 gols);

D) Agora, vamos aos problemas. O principal deles foi a falta de divulgação. Além da imprensa e dos vizinhos dos ginásios onde os jogos foram disputados, praticamente ninguém sabia que um Mundial de handebol estava acontecendo em São Paulo. Ginásios às moscas em todos os jogos, mesmo os do Brasil, recebendo um pouco mais de público nas partidas que reuniam países tradicionais da modalidade, como Suécia, Dinamarca, Noruega. A partida final foi a que teve o melhor público (cerca de 6 mil pessoas);

E) A venda de ingressos foi uma tremenda confusão, com funcionários dando informações desencontradas ao público. Este problema gerou uma bela crise entre os cartolas da IHF (Federação Internacional de Handebol) e o comitê organizador do torneio;

F) O Brasil quase foi protagonista de um vexame internacional, porque o evento deveria ter ocorrido originalmente em Santa Catarina. Mas divergências políticas entre o governo catarinense e a CBHD (C0nfederação Brasileira de Handebol) fez o estado desistir de sediar a competição. Por sorte, São Paulo aceitou receber o evento, mas isso também não impediu de ocorrer problemas. Na sexta-feira, dia 2/12, horas antes da abertura do Mundial, com o jogo entre Brasil e Japão, funcionários ainda arrumavam as instalações do Ibirapuera, acertavam detalhes da quadra e estrutura para a imprensa. Lamentável;

G) Apenas um canal, o Esporte Interativo, que é transmitido em UHF, na internet e em algumas operadoras de TV a cabo, transmitiu os jogos. Faltou competência à CBHd (Confederação Brasileira de Handebol) tentar negociar os direitos com mais uma emissora. Para um esporte que ainda luta para deixar de ser desconhecido, este tipo de divulgação era fundamental;

H) Falta de coerência e também de força política do Brasil, ao deixar que a definição do 5º lugar, contra a Rússia, neste domingo, fosse disputado às 9h da manhã deste domingo, antes do jogo que decidiria o 7º lugar, entre Angola e Croácia. Isso sem esquecer que neste mesmo horário, jogavam Barcelona e Santos, pelo Mundial de Clubes da Fifa. Nem 1.000 pessoas estavam no Ibirapuera naquele horário;

O Mundial feminino de handebol foi um torneio muito bacana. Pena que pouca gente ficou sabendo. Que os dirigentes brasileiros aprendam com os erros cometidos, para que a lista de acertos em um próximo evento fique muito maior.

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011 Isso é Brasil, Mundiais, Seleção brasileira | 22:30

Handebol brasileiro fez uma campanha brilhante no Mundial. Isso precisa ser valorizado

Compartilhe: Twitter

A brasileira Fernanda vibra após marcar um de seus cinco gols diante da Croácia

Na última quarta-feira, logo depois da sofrida eliminação do Brasil para a Espanha no Mundial feminino de handebol, acompanhei pelo Twitter várias manifestações a respeito do resultado, que tirava a seleção brasileira da briga por medalhas. E algumas delas (de gente que eu respeito demais) variavam entre a chacota com o nome da goleira e críticas à forma como veio a eliminação, levando um gol a 15s do fim e com uma jogadora a menos.

Sinceramente, e sem nenhuma dose de pachequice (todos que me conhecem, sabem como eu abomino os tolos pachecos), são opiniões equivocadas.

É necessário que seja feita uma análise bem distinta entre o que estas meninas do Brasil fizeram até agora no Mundial de handebol com aquele manjado discurso-padrão de atletas brasileiros que fracassam em torneios de ponta.

Não estamos aqui falando de uma modalidade que conta com milhões de estatais patrocinando as respectivas confederações. Trata-se de um esporte que ainda luta para criar raízes mais profundas no universo esportivo brasileiro e deixar de ser uma modalidade para poucos. O que não deixa de ser irônico, pois é o handebol o esporte mais praticado nas escolas do Brasil.

Nesta sexta-feira, ao derrotarem a Croácia por 32 a 31 e se classificarem para decidir o quinto lugar com a Rússia no próximo domingo, as meninas do Brasil fizeram mais do que recuperar o moral depois de uma derrota sofrida. Garantiram antecipadamente o melhor resultado na história da modalidade, superando o sétimo lugar do Mundial de 2005.

Ah, e só mais uma coisinha: o tão badalado e vitorioso vôlei não passava de um simples coadjuvante no final dos anos 70. Em 1980, ficou em quinto lugar nas Olimpíadas de Moscou; em, 1982, vice-campeão mundial; em 1984, garantiu a primeira medalha olímpica, a de prata, em Los Angeles 1984. Com paciência, organização e talento, os resultados apareceram. Quem pode garantir que o mesmo não ocorrerá com o handebol feminino?

Autor: Tags: , , , ,

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011 Listas, Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 15:09

Delegação brasileira para as Olimpíadas tem até lista de espera

Compartilhe: Twitter

Ricardo Winick, o Bimba, assegurou a vaga brasileira para Londres 2012 na RS:X

E a lista da delegação do Brasil para a disputa dos Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem, ganhou mais dois integrantes nesta última quarta-feira, graças à classificação de Ricardo Winicki, o Bimba, na classe RS:X, e de Bruno Fortes na Laser, durante a disputa do Mundial de Perth, na Austrália. Desta forma, já são 129 os atletas brasileiros que asseguram sua própria classificação ou para suas respectivas modalidades nos Jogos de 2012.

Confira a relação dos brasileiros classificados para Londres 2012

O inusitado é que a lista da delegação olímpica do Brasil tem até uma espécie de “lista de espera”. Sim, porque a natação, por exemplo, já conta com 12 atletas que estabeleceram o índice para Londres 2012, mas a confirmação só virá no ano que vem. O mais recente integrante desta “lista de espera” é Nicolas Oliveira, que durante o Torneio Open de natação, nesta quinta-feira, fez o índice nos 100 m livre.

A relação de atletas que já cravaram a marca necessária para carimbar o passaporte olímpico conta inclusive com alguns nomes só não irão a Londres por conta de algum acidente de percurso. É o caso, por exemplo, de Cesar Cielo, Thiago Pereira, Kaio Márcio e Felipe França. Estes daí já podem ir arrumando as malas.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 13 de dezembro de 2011 Almanaque, Mundiais, Seleção brasileira | 22:03

Os números de Brasil e Espanha no Mundial de handebol

Compartilhe: Twitter

A brasileira Silvia comemora um gol na vitória sobre a Costa do Marfim, nas oitavas de final

Nesta quarta-feira, a partir das 20h, no Ginásio do Ibirapuera, Brasil e Espanha fazem o último confronto do dia pelas quartas de final no Campeonato Mundial feminino de handebol. Com uma vitória, a seleção brasileira conseguirá o melhor resultado na história da modalidade, terminando pelo menos entre as quatro melhores seleções do mundo.

Mas que a neo-pachecada do handebol segure as pontas, pois as espanholas têm tradição na modalidade, tendo terminado em quarto lugar no Mundial de 2009 e vice-campeã europeia de 2008. Não será fácil.!

Para já se ter uma ideia do que esperar do jogo desta noite de quarta-feira, veja a comparação de Brasil e Espanha nos números neste Mundial:

Total de gols marcados/aproveitamento:

Brasil – 197/62%
Espanha – 174/60%

Total de gols marcados em tiros de 6 metros/aproveitamento:

Jogadoras da seleção da Espanha comemoram bastante a vitória diante de Montenegro

Brasil – 74/59%
Espanha – 61/52%

Total de gols marcados em tiros de 9 metros/aproveitamento:

Brasil – 20/40%
Espanha – 7/33%

Total de gols marcados em tiros de 7 metros/aproveitamento:

Brasil – 16/76%
Espanha – 22/88%

Assistências:

Brasil – 109
Espanha – 92

Bolas roubadas:

Brasil – 22
Espanha – 32

Defesas das goleiras/aproveitamento:

Brasil – 93/38%
Espanha – 99/44%

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011 Mundiais, Seleção brasileira | 22:52

Até onde pode chegar esta seleção feminina de handebol?

Compartilhe: Twitter

A brasileira Fernanda comemora bastante um de seus quatro gols na vitória sobre Costa do Marfim

Há cerca de 15 dias, quando estive em São Bernardo do Campo para acompanhar a reta final de preparação da seleção brasileira feminina de handebol para o Campeonato Mundial que vem sendo disputado em São Paulo, o técnico dinamarquês Morten Soubak, que comando o time brasileiro, só não aceitou responder a uma pergunta: um prognóstico da participação da equipe na competição.

“Incrível a mania que existe aqui neste país, que só pelo fato de um time jogar em casa, já serve para colocá-lo como favorito em qualquer competição. Isso não existe”, disse Soubak, até com uma certa dose de irritação. Não sei se ele fazia apenas jogo de cena, para tirar um pouco da pressão dos ombros de suas jogadoras. Mas o fato é que nem o mais otimista torcedor poderia imaginar que: 1) o Brasil chegaria às oitavas de final; e 2) com uma campanha com 100% de aproveitamento, com direito a vitórias sobre a França, vice-campeã europeia, e Romênia, terceira colocada no Campeonato Europeu.

Por isso, a vitória desta segunda-feira sobre a frágil Costa do Marfim, por 35 a 22, significou mais do que a classificação para as oitavas de final do Mundial. Deu à seleção a certeza que pode fazer a melhor campanha na história da modalidade na competição. Melhor do que o sétimo lugar de 2005, na Rússia.

Mas até onde pode ir esse time?

Nesta quarta-feira, a parada será contra a Espanha, vice-campeã europeia em 2008 e quarta colocada no Mundial de 2009. Será uma pedreira. Por isso, ninguém deve ficar surpreso ou revoltado se as espanholas saírem do Ginásio do Ibirapuera classificadas para as semifinais.

A seleção feminina do Brasil chegou muito além do que se esperava neste Campeonato Mundial. Mas chegou fazendo bonito, o que permite sonhar um pouquinho e esperar que este time chegue ainda mais longe.

Por que não, ora bolas?

Autor: Tags: , ,

Imprensa, Listas, Mundiais, Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 21:00

Conheça a equipe do Brasil para Londres 2012

Compartilhe: Twitter

Até há pouco tempo, a coisa era fácil de administrar: num mês, era uma equipe que se classificava em um Pré-Olímpico. No mês seguinte, era um outro atleta, que garantia a vaga no Campeonato Mundial de sua modalidade. Só que nas últimas semanas, especialmente após os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, a coisa passou a ficar incontrolável. Era um tal de ter brasileiro garantindo classificação para as Olimpíadas de Londres 2012 a toda hora que resolvi colocar ordem na casa!

A partir de agora, até para facilitar a vida do blogueiro e também do internauta, além de auxiliar a leitura de outros posts, foi criada uma página especial no blog, localizada aqui na barra lateral direita, chamada “Rumo a Londres 2012“. Clicando nela, você pode conhecer toda a delegação do Brasil para as Olimpíadas do ano que vem sendo atualizada constantemente, tão logo os atletas e/ou equipes consigam a classificação.

Hoje, são 127 atletas classificados. A vaga mais recente foi assegurada no Mundial de Vela, que está sendo realizado em Perth (Austrália), graças a Jorge Zarif, que garantiu a vaga na classe Finn.

O velejador Jorge Zarif assegurou uma vaga para o Brasil na classe Finn nos Jogos de Londres 2012

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 10 de dezembro de 2011 Mundiais, Seleção brasileira, Vídeos | 10:51

E o Brasil continua fazendo história no Mundial de handebol

Compartilhe: Twitter

Cinco jogos, cinco vitórias, classificação para os mata-matas em primeiro lugar no Grupo C. Ninguém poderia imaginar uma campanha tão boa como a que a seleção brasileira feminina de handebol está fazendo no Campeonato Mundial de handebol, em São Paulo. Na verdade, é necessário fazer uma breve correção neste parágrafo: as jogadoras da seleção acreditam, e muito, que poderão conseguir um resultado histórico ao final da competição, quem sabe brigando por medalhas, no próximo final de semana. Nesta segunda, pegarão a Costa do Marfim, pelas oitavas de final.

E a maior prova que estas meninas podem chegar mais longe do que muitos imaginavam aconteceu nesta sexta-feira, quando o Brasil derrotou a Tunísia por 34 a 33, no Ginásio do Ibirapuera, em jogo apenas para cumprir tabela, mas que adquiriu proporções dramáticas, sendo decidido apenas por um lance espetacular da goleira Babi, que marcou um gol no último segundo.

Melhor do que descrever a cena, apenas reproduzindo, com as imagens do canal Esporte Interativo, que transmite o Mundial com exclusividade, o incrível gol de Babi:

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011 Almanaque, Isso é Brasil, Olimpíadas, Seleção brasileira | 22:49

CBF não aprende com seus erros no futebol olímpico

Compartilhe: Twitter

Mano e os jogadores da seleção terão hotel exclusivo à disposição, longe da Vila Olímpica

Há um ditado que diz o seguinte: errar é humano, persistir no erro é burrice. Pois a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) parece não conseguir aprender em cima dos erros cometidos ao longo da história da participação da seleção brasileira nos torneios olímpicos de futebol. E pode estar cometendo uma nova burrada nos Jogos de Londres 2012.

Nesta sexta-feira, a CBF divulgou em seu site que a seleção comandada por Mano Menezes não ficará concentrada na Vila Olímpica no ano que vem, ao lado de todos os outros atletas. Ao invés disso, a entidade anunciou que a equipe ficará concentrada na Sopwell House Hotel & Spa, localizado em St. Albans, a cerca de 35 quilômetros de Londres, com diárias mínimas de R$ 340,00, segundo apurou o iG.

Inacreditável que na busca pela inédita medalha de ouro olímpica, único título que falta ao futebol brasileiro, a CBF mais uma vez esteja apelando para a arrogância e, por que não dizer, falta de espírito olímpico. Exatamente como há 15 anos, nos Jogos de Atlanta (EUA).

Naquela ocasião, um esquema profissional foi montado para que a seleção conquistasse o ouro nos EUA. Com Zagallo (que também er ao treinador do time principal) no comando, o Brasil levou o que tinha de melhor, com jovens craques como Ronaldo (antes de ser Fenômeno) e Roberto Carlos, além de jogadores já consagrados, como Bebeto e Rivaldo.

Acompanhei de perto esta campanha. E com a empáfia habitual do presidente da entidade, Ricardo Teixeira, o time brasileiro primeiro hospedou-se num hotel luxuoso na região de Coral Gables, em Miami, durante a primeira fase do torneio.

Depois, antes da disputa da semifinal contra a Nigéria, em Athens, a seleção brasileira ficou num resort de luxo e treinou em um campo de golfe, às vésperas da partida. Já os nigerianos ficaram hospedados em um motel de estrada, bem perto de onde eu estava hospedado.

O resultado do confronto todo mundo já está careca de saber: Nigéria 4 x 3, na morte súbita, gol de Kanu.

Sinceramente, não vejo nenhum problema em que os jogadores brasileiros ficassem na Vila Olímpica. Várias estrelas do esporte mundial se hospedam na Vila e não reclamam. Por que os jogadores brasileiros precisam de tratamento vip?

Será tão difícil assim a CBF aprender com suas próprias burradas?

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011 Listas, Mundiais, Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 22:09

Os brasileiros classificados para Londres 2012

Compartilhe: Twitter

Adriana terminou a 1ª fase do Mundial em 45º lugar, mas garantiu a vaga olímpica da classe

Atualizado em 7/12/2011

A vela do Brasil assegurou suas duas primeiras vagas para os Jogos Olímpicos de Londres 2012 nesta quarta-feira, durante a disputa do Campeonato Mundial de Perth, na Austrália, que também serve como pré-olímpico da modalidade. Após o encerramento da fase classificatória, o Brasil garantiu a classificação olímpica nas classes Laser Radial, com Adriana Kostiw, e na RS:X, através de Patrícia Freitas. Por enquanto, as vagas asseguradas pertencem ao país, e não aos atletas. A definição dos nomes para as respectivas classes ocorrerá no ano que vem.

Total de atletas brasileiros garantidos para Londres 2012: 126

Atletismo

Maurren Maggi – salto em distância
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/12/2011, após convocação da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo)

Fabiana Murer – salto com vara
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/12/2011, após convocação da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo)

Bruno Lins Tenório – 200 m rasos
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/12/2011, após convocação da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo)

Mauro Vinícius da Silva – salto em distância
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/12/2011, após convocação da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo)

Fábio Gomes – salto com vara
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/12/2011, após convocação da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo)

Ana Cláudia Lemos – 200 m rasos
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/12/2011, após convocação da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo)

Marílson Gomes dos Santos – maratona
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/12/2011, após convocação da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo)

Basquete

Modalidade masculino (12 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 10/09/2011, com a vitória da seleção brasileira sobre a República Dominicana, por 83 a 76, nas semifinais do Torneio Pré-Olímpico de Mar del Plata

Modalidade feminino (12 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/10/2011, com a vitória da seleção brasileira sobre a Argentina por 74 a 33 na decisão do Torneio Pré-Olímpico de Neiva

Boxe

Everton Lopes – categoria até 64 kg (meio médio ligeiro)
Data e local em que garantiu a vaga: 4/10/2011, com a vitória sobre Anthony Yigit (SUE), pelas oitavas de final do Mundial do Azerbaijão

Esquiva Florentino – categoria até 75 kg (médio)
Data e local em que garantiu a vaga: 4/10/2011, com a vitória sobre Anthony Ogog (ING), pelas oitavas de final do Mundial do Azerbaijão

Robson Conceição – categoria até 60 kg (leve)
Data e local em que garantiu a vaga: 7/10/2011, classificado na repescagem com a vitória do ucraniano Vitaly Lomachenko sobre o italiano Domenico Valentino, pelas semifinais do Mundial do Azerbaijão

Canoagem

Erlon Silva e Ronilson Oliveira – C2 1000 m
Data e local em que garantiu a vaga: 28/10/2011, com a medalha de prata obtida nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Ciclismo

Modalidade Estrada (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 8/05/2011, com a vitória de Gregolry Panizo no Campeonato Pan-Americano de ciclismo, em Antioquia (Colômbia)

Modalidade Estrada (2 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 31/10/2011, com a confirmação da UCI que o Brasil terminou em terceiro lugar no ranking das Américas, classificando mais dois ciclistas

Futebol

Modalidade feminino (18 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 21/11/2010, ao vencer o Chile na decisão do Campeonato Sul-Americano do Equador

Modalidade masculino (18 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 13/02/2011, ao vencer o Uruguai na rodada final do Campeonato Sul-Americano do Peru

Ginástica artística

Diego Hypólito – Solo
Data e local em que garantiu a vaga: 15/10/2011, ao conquistar a medalha de bronze no Campeonato Mundial de ginástica artística, em Tóquio (Japão)

Arthur Zanetti – Argola
Data e local em que garantiu a vaga: 15/10/2011, ao conquistar a medalha de prata no Campeonato Mundial de ginástica artística, em Tóquio (Japão)

Meninas da seleção posam com a medalha de ouro do Pan após vitória sobre a Argentina

Handebol

Modalidade feminino (14 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 24/10/2010, ao ficar com a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Hipismo

Modalidade saltos – Equipe (5 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 6/10/2010, ao ficar em quarto lugar durante o Mundial de Kentucky (EUA)

Modalidade Concurso Completo de Equitação – Equipe (5 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 23/10/2011, ao ficar com a medalha de bronze da prova dor equipes do CCE nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Maratona aquática

Prova dos 10km feminino (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 19/07/2011, com o sexto lugar de Poliana Okimoto no Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai (China)

Natação

Revezamento 4 x100m livre (4 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 24/07/2011, com o 9º lugar da equipe masculina, formada por Bruno Fratus, Nicolas Oliveira, Marcos Macedo e Marcelo Chierighini, no Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai (China)

Pentatlo moderno

Yane Marques – prova feminina
Data e local em que garantiu a vaga: 15/10/2011, com a medalha de prata de Yana Marques nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara

Taekwondo

Diogo Silva – categoria até 68kg
Data e local em que garantiu a vaga: 1º/07/2011, ao ficar com a medalha de bronze no Pré-Olímpico de Baku, no Azerbaijão

Natália Falavigna – categoria acima de 67kg
Data e local em que garantiu a vaga: 20/11/2011, com a vitória sobre a cubana Glehnis Hernandez, na semifinal do Pré-Olímpico de Queretaro, no México

Tiro esportivo

Modalidade Pistola 25m feminino – Ana Luiza Mello
Data e local em que garantiu a vaga: 20/11/2010, ao conquistar a medalha de ouro no Campeonato das Américas, no Rio de Janeiro

Modalidade Fossa Olímpica Double – Felipe Fuzaro
Data e local em que garantiu a vaga: 24/11/2010, ao conquistar a medalha de ouro no Campeonato das Américas, no Rio de Janeiro

Triatlo

Modalidade masculina (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 23/10/2011, com a medalha de ouro de Reinaldo Colucci nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México)

Vela

Classe Laser Radial feminina (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 7/12/2011, com a colocação de Adriana Kostiw em 45º lugar ao final da primeira fase do Mundial de Perth (Austrália)

Classe RS:X feminina (1 atleta)
Data e local em que garantiu a vaga: 7/12/2011, com a colocação de Patrícia Freitas em 22º lugar ao final da primeira fase do Mundial de Perth (Austrália)

Seleção masculina de vôlei sobe ao pódio após ficar em terceiro lugar na Copa do Mundo

Vôlei

Modalidade masculino (12 atletas)
Data e local em que garantiu a vaga: 4/12/2011, com a vitória da seleção brasileira sobre o Japão por 3 sets 0, na última rodada da Copa do Mundo do Japão, garantindo o terceiro lugar na competição.

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última