Publicidade

sábado, 30 de julho de 2011 Ídolos, Mundiais, Olimpíadas, Seleção brasileira | 18:57

O feito de Cesar Cielo é incontestável. Dentro d'água

Compartilhe: Twitter

Cesar Cielo exibe a medalha de ouro nos 50m livre do Mundial de Xangai

Se alguém ainda tinha alguma dúvida sobre o papel que o nadador Cesar Cielo irá desempenhar nos próximos anos no esporte brasileiro, teve como resposta a conquista espetacular neste sábado pela manhã do bicampeonato mundial nos 50m nado livre, do Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai, na China.

Cielo ganhou a prova com autoridade, marcando o ótimo tempo de 21s52 – o segundo melhor do ano -,  deixando para trás o italiano Luca Dotto (segundo colocado) e o francês Alain Bernand (terceiro), justamente ele quem mais criticou o brasileiro no episódio de advertência no doping por furosemida, dado pela CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) e ratificado pela CAS (Corte Arbitral do Esporte).

Não há ninguém na natação mundial mais rápido do que Cesar Cielo e o próprio brasileiro, deixando corretamente a modéstia de lado, colocou-se como um dos principais favoritos a conquistar o ouro nesta prova nas Olimpíadas de Londres, em 2012.

Dentro das piscinas, não há uma vírgula a se contestar das duas medalhas de ouro de Cesar Cielo (que neste mesmo Mundial de Xangai havia sido campeão mundial dos 50m borboleta). Mas fora d’água…

Sim, lá vem o mala falar (como fui definido outro dia por um tuiteiro) mal do Cielo. Não dele, especialmente, mas do que cercou sua participação neste Mundial de Xangai.

Num futuro distante, quando torcedores e jornalistas se debruçarem pelos arquivos digitais que certamente serão cada vez mais desenvolvidos, e resolverem pesquisar tudo o que cercou este mundial de esportes aquáticos, saberão que um grande ídolo brasileiro, que tinha testado positivo por doping meses antes – ocorrido por um descuido, é verdade – só pôde competir porque o tribunal definitivo de apelação esportiva da época tomou uma polêmica decisão de liberá-lo. Mesmo sabendo que casos idênticos, iguaizinhos ao dele foram julgados com muito mais rigor e que receberam penas de suspensão.

Por mais que isso irrite a pachecada (que não está restrita apenas ao futebol, mas em todas as modalidades esportivas nas quais o Brasil tem sucesso), a verdade é que Cesar Cielo sempre terá que conviver com esta espécie de asterisco em sua carreira.

Da mesma forma que a impecável seleção masculina de vôlei, que ganhou tudo e que deverá ganhar ainda mais no futuro, sempre será lembrada pelo jogo que entregou no Mundial da Itália, no ano passado, para a Bulgária, e assim, tirando proveito do regulamento estúpido, escapar de confrontos mais perigosos na fase seguinte.

E,  da mesma forma, o bravo Felipe França, campeão mundial dos 50m peito, será lembrado pelo movimento irregular que fez no finalzinho da prova em que garantiu a medalha de ouro.

Aos pachecos, lembro que esta minha análise não significa falta de respeito ou patriotismo em relação a Cesar Cielo. Primeiro porque patriotismo não tem nada a ver com esporte. E depois, considero Cielo um cara do bem, um atleta de personalidade e, acima de tudo, um gênio das piscinas.

Cielo pertence a uma casta rara de gênios esportivos nascidos no Brasil e que não jogam futebol, que inclui também Gustavo Kuerten, Maria Esther Bueno, Éder Jofre, Ayrton Senna, Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet, Joaquim Cruz, Adhemar Ferreira da Silva, João do Pulo, Giba, Oscar Schmidt, Wlamir Marques, Amaury Pasos, Robert Scheidt Torben Grael são alguns destes caras.

Mas se a Justiça tivesse o mesmo peso para todos, sem levar em conta títulos e medalhas, Cesar Cielo não deveria ter nadado em Xangai.

Veja também:

>>O desabafo e o protesto

>>As mudanças que virão a partir da absolvição de Cesar Cielo

>>O doping e a hipocrisia

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

4 comentários | Comentar

  1. 54 Roberto 28/04/2012 13:27

    Caro Marcelo,
    o que está marcando a carreira do Cielo são as marcas e os recordes não acha?
    Ele vai ter que conviver com o sucesso e o fato de que um dia tudo vira passado.

  2. 53 André 04/08/2011 0:25

    Marcelo Laguna, embora tenha suas opiniões admiro que tenha postado a minha. Só acho que o caso Cielo não é novidade e sequer é grave. Só é para nós porque nunca ganhamos nada antes na natação. A briga agora é de cachorro grande e não de pôneis malditos…
    um abraço, vou acompanhar sua coluna com mais atenção, até porque prefiro outros esportes a futebol.

  3. Marcelo Laguna 03/08/2011 23:11

    Caro André,

    Um erro não justifica o outro. Tudo o que voicê argumentou está correto. João do Pulo foi mesmo roubado em Moscou, Florence Joyner provavelmente ganhou suas medalhas de ouro em Seul dopadas; as nadadoras alemãs orientais compewtiam dopadas, tá tudo certo. Como está claro para mim que a decisão que liberou Cielo para competir em Xangaoi fopi polêmica e estranha. Ele só foi liberado porque é campeão, enquanto outros mortais sofrem a dura lei.

    Cielo terá que conviver toda a sua carreira.

    abs

  4. 52 André 03/08/2011 22:31

    Não entendo, uns barrigudos que querem falar de esporte e depois vao fazer alterocopismo no bar da moda dos jornalistas ficam falando mal do cielo, e pior, dizendo que ele deveria ser punido com uns meses só para a coisa parecer mais justa. Isso é um desastre para um atleta, seja em termos objetivos pela programação de treinamentos, seja pelo desestimulo que isso causa para um atleta de ponta. Querem um rigor extremo para nossos atletas se esquecendo que o João do pulo foi ROUBADO na olimpiada de Moscou quando bateu o recorde mundiial e os fiscais russos anularam um salto erradamente apontando que ele queimou. Esquecem ainda daquela velocista dos cem metros rasos americana que fazia tempos parecidos com os homens e ganhou várias medalhas de ouro olimpicas e depois morreu do coração com trinta e poucos anos. Excesso de geleia de mocotó, com certeza. Esquecem das nadadoras da alemanha oriental, que tomavam hormonio de cavalo e tinham que fazer a barba nos anos setenta. Fazem vista grossa para o tamanho deformado do principal nadador norte americano que ganhou tudo nesse mundial, e para os chineses…. Esquecem dos gregos que fizeram tudo para ganhar alguma coisa nas Olimpíadas na casa deles. Tudo ratificado por todas as instâncias do esporte. O Cielo, que rala paca e tem uma postura de campeão não de coadjuvante, tem mais é que dar gelo na imprensa mesmo.

  5. 51 Alan 31/07/2011 23:42

    Eu achei o que fizeram com a seleção de volei um exagero. Gente que nunca acompanha volei, nem sabia que estava acontecendo uma copa do mundo de uma hora para outra se tornaram críticos ferozes sem nem procurar saber do regulamento, de como é comum colocar reservas, etc. Eu não gostei, acho que a ética esportiva tem que ser respeitada sempre, mas no futuro acredito que ninguém irá se lembrar desse episódio.

    Quanto ao Cielo acho que perderam todos. Cielo perdeu por ganhar medalhas que querendo ou não pesam suspeitas sobre elas e com aquele sentimento em todos que ele não poderia ter disputado a competição. Perdeu quem condenou o nadador se garantindo que o TAS iria dar uma sentença dura, perderam credibilidade. E perdeu o proprio tribunal arbitral que ao manter uma advertencia tão branda deixou a impressão que todos são iguais mas alguns são mais iguais que outros. Deveria ter ao menos suspendido por alguns meses e assim evitar que o mundial fosse disputado com essa mancha.

    Só quem não perdeu foia CBDA. Essa já não tem credibilidade mesmo, com a pena branda, somente comprovou o que todos que acompanham o esporte brasileiro sabe. Cartolas e políticos nesse país prezam pela impunidade.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.