Publicidade

sexta-feira, 22 de julho de 2011 Ídolos, Isso é Brasil, Seleção brasileira | 19:50

Uma nova visão sobre o caso Cielo

Compartilhe: Twitter

Bastante interessante a análise feita pelo advogado Alberto Murray Neto, publicada em seu blog e reproduzida abaixo. Como ex-árbitro do CAS (Corte Arbitral do Esporte), Murray conhece a fundo o funcionamento do órgão e fez uma reflexão que merece uma atenção: se Cesar Cielo, Henrique Barbosa e Nicholas Santos foram absolvidos, por que punir apenas Vinicius Wakerd? Afinal, se não houve punição (os três foram liberados), e Vinícius tomou a mesma substância que eles, qual o motivo de somente ele ter sido suspenso?

Leiam e analisem:

Três absolvições e uma condenação

Por Alberto Murray Neto

Os quatro nadadores do Brasil ingeriram, involuntariamente, furosemida. Todos compraram o suplemento alimentar da mesma farmácia, em Santa Bárbara d’Oeste, no interior de São Paulo. Pela mesma razão, os quatro atletas foram a julgamento relâmpago na Corte Arbitral do Esporte. Os árbitros entenderam que, de fato, o consumo de furosemida foi involuntário e que não houve negligência. Ou seja, a farmácia de manipulação errou e contaminou os comprimidos que eles tomaram. Pois bem, se o CAS julgou que a furosemida encontrada nos atletas não foi culpa deles, todos, igualmente, são inocentes. Então por que três deles foram absolvidos e um recebeu um ano de suspensão? Ah, porque ele é reincidente! Ora, se desta vez ele, segundo o CAS, não cometeu delito algum, ele não é reincidente de nada. Sem delito, não há pena. Portanto juridicamente injusta e incongruente a suspensão de Wacked (mera advertência não é pena. Se o Tribunal os tivesse julgado culpados, teriam sido suspensos).

Outro ponto importante: Em sendo culpado a farmácia de manipulação, os quatro atletas têm uma baita ação de dano moral contra ela. Vamos ver se eles processarão a farmácia. Eu certamente processaria. O fato foi gravíssimo e abalou a imagem deles. Merecem ressarcimento. Serão curiosos os desdobramentos do caso daqui por diante.

Veja também:

>> Julgamento rápido pode trazer problemas para Cielo

>>Fica esperto, Cielo!

>>O doping e a hipocrisia

Autor: Tags: , , , , , , ,

2 comentários | Comentar

  1. 52 Mariana Bastos 23/07/2011 15:35

    Boa, Laguna.

    Sempre passo por aqui. Gosto muito do blog.
    Pode deixar que falo com o Curro.

    Abs

  2. Marcelo Laguna 22/07/2011 22:45

    Oi Mariana,

    Legal você passar por aqui. Também fico com esta dúvida em relação a se advertência já não seria mesmo a menor das punições, pelo que também ouvimos de todos os especialistas. Mas como o Murray foi árbitro do CAS, ficou esta dúvida, ao menos para mim. Mas como você mesma colocou, tudo isso só demonstra o quanto a legislação a respeito do doping é cheia de buracos e deveria ser reescrita urgentemente.

    Ah, aproveite e mande um abraço e meus cumprimentos ao Curro pelo ótimo artigo dele na edição de hoje..

    Abs

  3. 51 Mariana Bastos 22/07/2011 20:12

    Laguna,

    Acho interessante o ponto de vista do Murray, mas, ao contrário do que ele defende, não há incoerência nesse aspecto. Primeiro, porque é tecnicamente incorreto dizer que Cielo e outros dois foram absolvidos. Não foram. Pegaram a punição mais leve _advertência. Dois deles inclusive perderam o índice para o Mundial conquistado no Maria Lenk.
    Como não foram considerados inocentes, isso se aplica também a Waked. E, pelo que andei ouvindo de advogados, a pena mínima para a reincidência de doping é um ano. Então, rigorosamente, não há exagero na punição a Waked.
    Mesmo assim considero ainda válida a análise do Murray pois torna ainda mais evidente um problema do próprio sistema de punição.
    Quanto à questão da farmácia, cada um defende uma posição. A farmácia diz que não houve contaminação. O Ladetec diz que sim.É a palavra da farmácia, contra a dos nadadores e do Ladetec. Mas fico curiosa pra saber como o Ladetec teve certeza que as cápsulas apresentadas foram as mesmas consumidas pelos atletas.
    Acho que é isso.
    Abs

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.