Publicidade

Arquivo de abril, 2011

sábado, 30 de abril de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 23:31

Os adversários do Brasil no Mundial de taekwondo

Compartilhe: Twitter

Neste domingo, começa o Campeonato Mundial de taekwondo, que será realizado na cidade de Gyeongju, na Coreia do Sul. A competição vai até o próximo dia 6. O Brasil enviou uma equipe com 15 integrantes (oito mulheres e sete homens), alguns deles também classificados para a disputa dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, a partir de 14 de outubro.

Confira abaixo os primeiros adversários dos atletas brasileiros no Mundial:

Feminino

46kg Katia Arakaki x venc. Pauline Lopez (Filipinas) e Wan Chen Lee (Taiwan)
49kg – Fernanda Mattos x Chynea Lang (Austrália)
53kg – Lívia Miranda x Haya Jumaa (Emirados Árabes Unidos)
57kg – Rafaela Araújo x Yekaterina Dmitriyeva (Cazaquistão)
62kg – Aparecida Santana x Viktorija Spasovska (Macedônia)
67kg – Débora Nunes x Natalya Mamatova (Uzbequistão)
73kg  – Raphaella Galacho x Davin Sorin (Cambodja)
+ 73kg -Helloraine Paiva x Carolina Fernandez (Venezuela)

Masculino

54kg – Michael Soares x Ron Atias (Israel)
58kg – Márcio Wenceslau x venc. Oscar Oviedo (Colômbia) e Yuma Matsui (Japão)
63kg -Marcel Wenceslau x Jure Pantar (Eslovênia)
68kg – Diogo Silva x venc. Langton Chokwenda (Zimbábue) e Boris Lieskovsky(Eslováquia)
74kg – Henrique Moura x Shota Gochiashvili (Geórgia)
80kg – João Pedro Chaves x Sultan Kassymov (Cazaquistão)
87kg – Igor Moraes x Duc Dinh Quang (Vietnã)

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 29 de abril de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 14:21

Nova chance para brasileiros do boxe irem ao Pan

Compartilhe: Twitter

Depois de quatro brasileiros – dos quais duas mulheres, que pela primeira vez se classificaram para uma competição poliesportiva -, o boxe do Brasil tenta garantir mais classificados para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, que começam em 14 de outubro. A disputa do 2º Pré-Pan ocorrerá a partir deste sábado, na cidade de Quito (Equador).

Na primeira seletiva, realizada em março, o Brasil conseguiu garantir a presença de quatro boxeadores. No masculino, Everton Lopes (64kg) e Yamaguchi Falcão (até 81kg), enquanto que no feminino, Roseli Feitosa (até 75kg) e Adriana Araújo (até 66kg), foram os classificados.

A exemplo do primeiro Pré-Pan, a CBBoxe (Confederação Brasileira de Boxe) abriu mão de apostar em lutadores da categoria pesados, por entender que o Brasil não tem atualmente atletas em nível internacional aceitável para brigar por vagas em Olimpíadas e Pan-Americanos.

Um total de 24 países estarão nabriga pelas vagas oferecidas no torneio em Quito. A competição, que terminará no dia 7 de maio, classificará 30 atletas no masculino e seis no feminino.

Confira abaixo a seleção brasileira de boxe que estará no Equador:

Feminino
51 kg – Clélia Costa

Masculino
52 kg – Julião Neto
56 kg – Robenilson de Jesus
60 kg – Robson Conceição
69 kg – Myke Carvalho
75 kg – David Lourenço

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 28 de abril de 2011 Isso é Brasil, Olimpíadas | 23:38

E se acabar a luz na cerimônia de abertura?

Compartilhe: Twitter

Estádio do Engenhão quase às escuras, atrasando o início de Fluminense x Libertad

O jogo do Fluminense contra o Libertad pela Copa Libertadores, nesta quinta-feira, começou com mais de uma hora de atraso. Motivo: falta de luz no estádio João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro. Em menos de uma semana, foi a segunda vez que a arena ficou sem energia elétrica e atrasou o andamento de uma partida. A outra foi o jogo semifinal da Taça Rio, entre Fluminense e Flamengo, no último domingo.

O Engenhão será um dos equipamentos esportivos que serão utilizados nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio.

Ainda nesta quinta-feira, o Jornal Nacional, da “TV Globo”, mostrou imagens impressionantes da entrada do Maracanã completamente alagada pelas fortes chuvas que atingiram a cidade na terça-feira. O setor das bilheterias estava com água quase na altura dos guichês.

O Maracanã será palco das cerimônias e abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio.

Não se trata aqui de fazer um discurso contrário à organização das Olimpíadas do Brasil. Por mim, os Jogos não aconteceriam aqui, pois praticamente as mesmas pessoas que organizaram o superfaturado Pan de 2007 estão na organização da Rio-16. Mas com a decisão do COI (Comitê Olímpico Internacional) em tornar o Rio a primeira cidade da América do Sul a receber as Olimpíadas, resta colocar mãos à obra e trabalhar. A sensação, contudo, é que não se está trabalhando tão bem assim.

Uma comissão do COI está na cidade para vistoriar o andamento das obras de estrutura que o Rio está fazendo. E todos ficaram preocupados com a consequência da chuvarada. As autoridades cariocas logo fizeram discursos tranquilizadores, afirmando que todas as intervenções urbanas necessárias serão feitas a tempo.

O problema é esse: é muito discursinho, muita conversinha, muita ação demagógica dos políticos e pouca solução prática. E digo isso em relação a todas as esferas governamentais (Federal, Estadual e Municipal). Os políticos brasileiros não se deram conta do tamanho da responsabilidade em organizar eventos do porte de uma Olimpíada ou de uma Copa do Mundo, que ocorrerá antes, em 2014.

Organizar os Jogos Olímpicos é, sem dúvida, a maior glória alcançada pelo Brasil, um país no qual só o futebol importa, esportivamente falando, para a grande maioria das pessoas. Não se pode desperdiçar a oportunidade de fazer desta grande festa um exemplo que será lembrado por gerações de torcedores. Mas já pensou se a lembrança que ficará para a eternidade for a falta de luz no Maracanã em plena cerimônia de abertura dos Jogos?

Já passou da hora dos políticos ficarem fazendo discursos demagógicos. Eles precisam botar a mão na massa, e rápido. Ninguém quer ver o Brasil pagando mico diante dos olhos do mundo. Mas que as chuvas e falta de luz dos últimos dias no Rio de Janeiro são preocupantes, ah, isso são!

Autor: Tags: , , , , , , ,

Almanaque, Olimpíadas, Pré-Olímpico, Seleção brasileira | 18:01

Greve na NBA já afetou um Mundial de basquete

Compartilhe: Twitter

Greve da NBA pode tirar Nenê do Pré-Olímpico de Mar del Plata

A ameaça de greve geral da NBA, que pode tirar vários jogadores que atuam na liga profissional de basquete dos diversos torneios pré-olímpicos programados para este ano, já começa a dar dor de cabeça aos dirigentes da Fiba (Federação Internacional de Basquete). Mas não será a primeira vez que as discussões trabalhistas no campeonato de basquete mais badalado do mundo afetam torneios de seleções.

Segundo mostrou reportagem publicada no iG Esporte, caso a greve seja confirmada, cerca de 40 jogadores estrangeiros que atuam na liga poderiam ficar impedidos de defender sua seleções. Isso porque sem garantia de pagamento de salários em caso de uma contusão, os jogadores não poderiam ser obrigados a atuar pelos respectivos países. Até mesmo a alternativa de seguro seria complicada, pois os valores seriam muito altos.

Este mesmo problema, contundo em menores proporções, foi sentido na disputa do Campeonato Mundial masculino de basquete, realizado na Grécia, em 1998. Naquele ano, um locaute (greve dos donos de equipes) adiou o início da temporada por quase três meses. O resultado disso é que os Estados Unidos, que seriam representados pelos profissionais da NBA, participaram da competição com uma equipe composta por jogadores de ligas secundárias e atletas universitários. Ainda assim, terminou com a medalha de bronze no Mundial grego.

Em 98, o efeito de uma greve da NBA basicamente atrapalhou apenas a vida dos EUA. Desta vez, os americanos não precisam disputar o pré-olímpico (já estão classificados para as Olimpíadas de Londres em virtude do título mundial do ano passado). Em compensação, o efeito será devastador para outros países, graças à internacionalização da liga profissional.

No caso da seleção brasileira, esta greve poderá trazer um belo prejuízo. Sem Nenê Hilário, Leandrinho e Tiago Splitter, a tarefa do time comandado por Rubén Magnano no Pré-Olímpico de Mar del Plata, em agosto/setembro, será muito mais complicada. É aguardar pra ver.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 27 de abril de 2011 Olimpíadas | 13:45

Sorteio decidirá o destino de ingressos para Londres-12

Compartilhe: Twitter

Gente demais para ingresso de menos. O balanço de reserva de vendas do primeiro lote de ingressos para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem, num total de 6,6 milhões de bilhetes, mostrou que houve três vezes mais interessados do que ingressos disponíveis. No total, ocorreram 20 milhões de pedidos de ingressos, feitos por 1,8 milhão de pessoas.

Aí, entra a matemática: como tem mais gente interessada do que ingresso disponível, a solução para saber quem vai levar será a realização de sorteios nos eventos que já estão com lotação esgotada. Os sortudos serão informados, a partir de junho, sobre quais provas poderão assistir durante os Jogos.

Os eventos que já estão com lotação completa são ciclismo, ginástica rítmica, triatlo, pentatlo moderno, hipismo e as cerimônias de abertura e encerramento, além da maioria das provas de natação e jogos de tênis. Uma outra curiosidade do balanço feito pelo Comitê Organizador dos Jogos: 95% dos pedidos de ingressos foram feitos por pessoas do Reino Unido.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

terça-feira, 26 de abril de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 23:42

Atletismo classifica mais uma para o Pan-11

Compartilhe: Twitter

Fernanda Borges assegurou sua vaga na delegação do Brasil para o Pan/11

Aos poucos, estão sendo conhecidos os integrantes da delegação brasileira que representará o país nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, marcados para o período de 14 a 30 de outubro.  O atletismo confirmou no último sábado a classificação de mais uma integrante da equipe feminina. Depois de Cisiane Lopes (marcha atlética 20km) e Elisângela Adriano (arremesso do disco), foi a vez de Fernanda Borges também garantir índice no lançamento de disco.

A atleta gaúcha, de 22 anos, assegurou sua classificação durante o Campeonato Paulista de Lançamentos e Arremessos, em São Caetano do Sul, ao atingir a marca de 60m45, superando o índice mínimo exigido pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), que era de 58m10. Foi a melhor marca na carreira de Fernanda, que assumiu também a liderança do ranking nacional nesta prova. Em termos mundiais, o resultado de Fernanda foi o 13º melhor de 2011, de acordo com o ranking da Iaaf (Associação das Federações Internacionais de Atletismo).

Veja também:

Pista do Ibirapuera reestreia com recorde e índice

A mulher mais rápida do mundo

Joaquim Cruz e uma análise pessimista para Londres-12

Autor: Tags: , , , ,

segunda-feira, 25 de abril de 2011 Almanaque, Pan-Americano | 22:11

Os cartazes do Pan (7)

Compartilhe: Twitter

7º Jogos Pan-Americanos – Cidade do México (Mex)

Período de disputa: 12 a 25/10/1975
Países participantes: 33
Modalidades esportivas disputadas: 18
Total de atletas: 3.146

Quadro final de medalhas (cinco primeiros colocados):


Autor: Tags: ,

domingo, 24 de abril de 2011 Olimpíadas, Seleção brasileira | 23:45

Ministério do Esporte ajuda a encher os cofres do vôlei

Compartilhe: Twitter

O presidente da CBV, Ary Graça, e o ministro Orlando Silva

Pouco antes da final da Superliga masculina, neste domingo, o ministro do Esporte, Orlando Silva, deu entrevista coletiva no ginásio do Mineirinho anunciando a liberação de R$ 9,2 milhões para a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei). O objetivo deste convênio, segundo o ministro, seria ajudar na preparação das seleções brasileiras masculina e feminina para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem, e para os Jogos de 2016, que serão realizados no Rio.

Agora, só uma perguntinha: por que liberar tal verba (bastante razoável, para os pobres padrões do esporte brasileiro) para uma modalidade que tem um dos melhores patrocínios estatais – estima-se que o Banco do Brasil pague anualmente mais de R$ 25 milhões – e que recebe a maior parcela da Lei Agnelo/Piva, que destina 2% das verbas das loterias aos esportes olímpicos do país (no caso, R$ 3 milhões serão destinados ao vôlei em 2011)?

Estranho que o ministro, integrante de um partido de origens comunistas (PC do B), não se preocupe em repartir melhor a riqueza aos mais necessitados e, ao invés disso, acabe ajudando a quem já tem bastante. Duvida? No último balanço divulgado pela CBV, referente ao exercício de 2010, só de patrocínios  a entidade arrecadou R$ 44,9 milhões. Será que o ministro sabia disso?

Autor: Tags: , , , , ,

sábado, 23 de abril de 2011 Listas, Pan-Americano, Seleção brasileira | 23:44

Brasil já tem 12 nadadores com índice para o Mundial

Compartilhe: Twitter

Daynara de Paula garantiu índice para o Mundial nos 100m borboleta

Encerrada neste sábado, a Tentativa de Índice, torneio organizado pela CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) para definir a equipe que disputará o Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos em Xangai, entre 16 e 31 de julho, não teve lá muita utilidade, vamos falar a verdade.

Apenas uma atleta conseguiu garantir vaga na competição: Dayara de Paula, que obteve índice para os 100m borboleta. Neste sábado, ela venceu a prova com 58s56, dois décimos abaixo da marca mínima exigida, que era de 58s76. Em 2010, Dayara pegou seis meses de suspensão, por uso do diurético furosemida, durante os Jogos Desportivos Sul-Americanos, em março passado.

Com a classificação de Dayara, já são 12 os atletas brasileiros classificados para o Mundial de Xangai (as provas da natação ocorrerão entre 24 e 31/7). Vale lembrar que a performance na Tentativa de Índice também servirá como base na definição da equipe que representará o Brasil no Pan de Guadalajara, que não tem índices fixos definidos.

Confira abaixo quem já está garantido na equipe brasileira para o Mundial:

1. Cesar Cielo – 50m livre – 21s57 / 100m livre – 48s48 / 50m borboleta – 23s03
2. Bruno Fratus – 50m livre – 21s93
3. Felipe França – 50m peito – 27s26
4. Tales Cerdeira – 100m peito – 1m00s47
5. Felipe Lima – 100m peito – 1m00s88
6. Nicholas Santos – 50m borboleta – 23s33
7. Kaio Márcio – 200m borboleta – 1m55s66
8. Leonardo de Deus – 200m borboleta – 1m56s86
9. Thiago Pereira – 200m medley – 1m57s83 / 400m medley – 4m12s09
10. Henrique Rodrigues – 200m medley – 1m59s00
11. Fabíola Molina – 100m costas – 1m00s82
12. Dayara de Paula – 100m borboleta – 58s56

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 22 de abril de 2011 Olimpíadas, Pan-Americano | 23:50

Juliana e Larissa brilharam. Mas calma lá, pachecos!

Compartilhe: Twitter

A dupla Juliana e Larissa saiu na frente por uma vaga para as Olimpíadas de Londres

Está certo que eu já esperava por isso, mas a coisa começou mais cedo do que imaginava. Em ano de Pan-Americano, era natural aguardar doses cavalares de pachequismo da mídia brasileria (em especial a televisão), que adora tirar uma casquinha dos feitos dos atletas brasucas, enaltecendo as diversas medalhas de ouro que o Brasil ganha no Pan, cujo nível técnico há muitos anos deixou de ser forte. Aí, no ano seguinte, quando chegam as Olimpíadas, é aquela decepção…

Os exageros começaram nesta sexta-feira, com a conquista da primeira etapa do Circuito Mundial de vôlei de praia, disputa em Brasília, e que teve a dupla brasileira Juliana e Larissa campeã, após derrotar na final as fortes americanas Walsh e May, bicampeãs olímpicas, por 2 sets a 1. Foi uma bela vitória, sem dúvida, quebrando uma série de 80 jogos de invencibilidade das americanas no torneio, que disatribuirá 16 vagas para as Olimpíadas de Londres, no ano que vem.

Com transmissão ao vivo pela Globo numa ensolarada Sexta-feira Santa, o triunfo das brasileiras logo despertou uma série de comentários, em redes sociais, sites etc, dizendo que as brasileiras já pintam como favoritas para a medalha de ouro em Londres. Calma lá, pachecada!

Juliana e Larissa são, de fato, uma das melhores duplas do mundo. Talvez, neste momento, sejam mesmo as melhores. Mas precisamos contextualizar o momento das americanas. Elas voltam a atuar juntas após dois anos separadas, quando Walsh paralisou a carreira para ser mãe e May se aventurava no reality show “Dançando com as Estrelas”, quando inclusive sofreu uma ruptura no tendão de Aquiles esquerdo.

Por isso, ainda é muito cedo para eleger qualquer favorito ao ouro olímpico. Duro é fazer os pachecos sossegarem na cadeira.

PS: para os mais novos, uma explicação: “pacheco” era um personagem criado pela Gillette, na Copa do Mundo de 82, na Espanha, representando aquele torcedor fanático, doente pela seleção brasileira. O Brasil não ganhou nada naquele Mundial, mas a figura do pacheco ficou eternizada. Cuidado, pode ter um pacheco sentado bem ao seu lado…

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. Última