Publicidade

Arquivo de março, 2011

quinta-feira, 31 de março de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 22:29

Judô faz evento-teste em seletiva do Pan

Compartilhe: Twitter

O ginásio Code II receberá as competições de judô, lutas e taekwondo do Pan-11

Verificar as condições das instalações reservadas para os Jogos Pan-Americanos, a partir 13 de outubro, e ao mesmo tempo brigar pelas vagas em disputa na modalidade. O judô brasileiro terá estas duas tarefas a partir desta sexta-feira, com a realização do Campeonato Pan-Americano em Guadalajara, que também receberá a competição poliesportiva. Alguma coisa como se fosse o manjado slogan “leve dois e pague um…”

O evento, além de definir os participantes nas 14 categorias do Pan, também contará pontos para o ranking mundial, que por sua vez é classificatório às Olimpíadas de Londres, no ano que vem. Os brasileiros chegam para o torneio com uma equipe desfalcada de três importantes nomes: João Derly, que sentiu uma lesão no joelho direito na seletiva nacional, no último sábado;  Tiago Camilo, com um problema no tornozelo; e Flavio Canto, afastado por conta de uma infecção.

São três desfalques importantes, e isso poderá refletir no desempenho tanto neste Pan de judô como nos Jogos de Guadalajara. Mas a tradição brasileira na modalidade é forte e a tendência é que os judocas do país conquistem o maior número de vagas possível.

Além disso, a competição poderá testar a funcionalidade do ginásio Code II, uma das novas instalações construídas especialmente para o Pan, com capacidade para 2.203 pessoas e que receberá as competições de judô, taekwondo e lutas.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 30 de março de 2011 Olimpíadas, Pan-Americano, Seleção brasileira | 18:42

As pioneiras do Brasil

Compartilhe: Twitter

Roseli Feitosa tambén foi eleita a melhor atleta do Pré-Pan da Venezuela

Ainda não se pode prever qual será o impacto da liberação do boxe feminino nas competições olímpicas. Mas uma coisa é certa: no Brasil, é inegável que a modalidade ganhará repercussão e provavelmente novas adeptas, a começar após a  participação nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em outubro próximo. E duas lutadoras já podem se orgulhar de terem feito história, no primeiro Pré-Pan da modalidade, encerrado em Cumana, na Venezuela: Adriana Araújo (categoria até 60kg) e Roseli Feitosa (categoria até 75kg).

Adriana e Roseli são as primeiras mulheres brasileiras do boxe com participação assegurada  em uma competição poliesportiva. Não se trata de pouca coisa, se lembrarmos que até pouco tempo atrás o boxe feminino era visto como uma espécie de aberração esportiva, somente para atrair a atenção de um público machista, que não estava preocupado com a qualidade técnica do espetáculo e sim pelo fato de ter duas mulheres trocando socos em cima de um ringue.

Há uma semana, o presidente da CBBoxe (Confederação Brasileira de Boxe), Mauro Silva, havia me dito que botava muita fé na equipe feminina, especialmente em Roseli e Adriana, que em sua opinião irão brigar pela medalha de ouro em Guadalajara.  Sinceramente, achei que o dirigente estava um pouco otimista demais, a despeito de Roseli ser a líder do ranking mundial das meio-pesados (até 81kg) e  e Adriana ter várias medalhas conquistadas em pan-americanos da modalidade, entre os pesos leve.

Mas os resultados do Pré-Pan venezuelano mostraram que Silva tinha razão.  Primeiro porque as duas ganharam as únicas medalhas de ouro do Brasil no torneio. Depois, pela forma com que chegaram ao título. Na final dos leves, Adriano Araújo não deu a menor chance à Kiria Tapia, de Porto Rico, ganhando por 13 a 3 na decisão dos jurados. Roseli, em uma categoria abaixo da sua (peso médio) superou nada menos do que a atual campeã mundial, a canadense Mary Spencer, por 15 a 9. De quebra, ainda foi eleita a revelação do Pré-Pan e a melhor atleta da competição (incluindo nesta lista homens e mulheres).

O mais importante, contudo, é que Roseli e Adriana já fazem parte da  história no esporte olímpico brasileiro.

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 29 de março de 2011 Ídolos, Olimpíadas, Seleção brasileira | 22:30

O sonho olímpico de Derly ainda não acabou. Será?

Compartilhe: Twitter

João Derly está confiante de que conseguirá ir à Londres-12. Mas está difícil

Depois de ter ficado afastado dos tatames por 15 meses por causa de duas cirurgias no joelho esquerdo  e justamente no dia de seu retorno às competições ter sentido nova contusão no joelho (desta vez o direito), o judoca João Derly ainda não entregou os pontos e continua botando fé que estará integrando a equipe brasileira nas Olimpíadas de Londres, no ano que vem.

Em um comunicado emitido por seu clube, a Sogipa, Derly agradeceu às mensagens de solidariedade e garantiu que o sonho olímpico continua mais vivo do que nunca. Até porque a contusão foi menos grave do que se supunha.

É louvável toda  esta fé e confiança em sua recuperação, mas no fundo o próprio Derly sabe que a vaga de Londres é algo que hoje está muito distante dele. Com a contusão, ele ficou fora da equipe nacional, que conta com apoio financeiro da CBJ (Confederação Brasileira de Judô) para a disputa das principais competições que valem pontos no ranking mundial. Só lembrando que este ranking é que definirá os atletas que estarão classificados para Londres-12.

Para que o sonho olímpico de João Derly realmente continue vivo, será preciso bem mais do que confiança e otimismo em sua recuperação física.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 28 de março de 2011 Almanaque, Pan-Americano | 09:56

Os cartazes do Pan (3)

Compartilhe: Twitter

3º Jogos Pan-Americanos – Chicago (EUA)

Período de disputa: 27/8 a 7/9/1959
Países participantes: 25
Modalidades esportivas disputadas: 18
Total de atletas: 2.263

Quadro final de medalhas (cinco primeiros colocados)

Autor: Tags: ,

domingo, 27 de março de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 09:34

Guadalajara, lá vamos nós!

Compartilhe: Twitter

Cisiane Dutra Lopes garantiu índice na prova de 20km da marcha atlética

Alguns atletas não têm do que reclamar do saldo deste final de semana. Eles garantiram vaga em suas respectivas modalidades para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, que começam no próximo dia 13 de outubro.

Foi o caso, por exemplo, da pernambucana Cisiane Dutra Lopes, que terminou em quarto lugar na prova dos 20km de marcha atlética, válida pela Copa Pan-Americana de marcha, realizada neste sábado, na cidade de Envigado (Colômbia), com o tempo de 1h38min02s. Como a marca mínima estabelecida pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) era de 1h38min27s, Cisiane já garantiu presença na delegação brasileira que estará no México.

No taekwondo,  mais classificados. Os quatro atletas da seleção brasileira que competiram na última sexta-feira, primeiro dia da seletiva do Pan-Americano, em Lima (Peru), garantiram vaga para Guadalajara. São eles Marcio Wenceslau (na categoria até 58 kg), Henrique Precioso (até 80kg), Kátia Arakaki (até 49 kg) e Raphaella Galacho (até 67 kg). No sábado, conquistaram a vaga Diogo Silva (até 68kg) e Helloraine Paiva (mais de 67kg).

Para todos eles, passaporte carimbado!

Autor: Tags: , , ,

sábado, 26 de março de 2011 Ídolos, Olimpíadas, Pan-Americano, Seleção brasileira | 20:02

O drama de João Derly

Compartilhe: Twitter

João Derly sofreu nova lesão, desta vez no joelho direito

Muito triste o drama pelo qual está passando o judoca gaúcho João Derly, bicampeão mundial dos meio-leves (até 66kg). Justamente neste sábado, dia em que voltava aos tatames, após ter passado por duas cirurgias no joelho esquerdo e ficado afastado nada menos do que 15 meses dos tatames, eis que na seletiva para definir a seleção brasileira que irá competir em 2011, ele sofreu uma nova lesão, desta vez no joelho direito. Resultado: está fora do Pan-Americano de Guadalajara, no próximo mês de outubro, e das Olimpíadas de Londres, no ano que vem.

Um dos maiores talentos do judô brasileiro, Derly vem sofrendo com as lesões no joelho desde sua participação nas Olimpíadas de Pequim, quando foi eliminado ainda na segunda rodada. Nas vésperas da seletiva deste sábado, o gaúcho era só otimismo. “Estou voltando a competir em um bom nível e vindo de uma preparação muito boa”, afirmou. Um dia depois, era a imagem da desolação, após sentir dores em sua segunda luta, contra Marcelo Contini. Era sua estreia em nova categoria, a dos leves (até 73kg).

O pior é que mesmo se após exames mais detalhados a gravidade da lesão não se confirmar, Derly terminou as seletiva na última colocação e ficou fora da equipe principal do Brasil, que contará com apoio financeiro da CBJ (Confederação Brasileira de Judô) para disputar as principais competições mundiais, e que contam pontos no ranking classificatório aos Jogos de Londres.

Uma pena mesmo. Que Derly encontre forças para dar mais uma volta por cima.

Autor: Tags: , , ,

Isso é Brasil, Seleção brasileira | 07:38

Dois pesos e duas medidas

Compartilhe: Twitter

Lourival do Nascimento Libaneo disputou em 15 de agosto de 2010 a prova “10 Milhas Garoto”, na cidade de Vila Velha, no Espírito Santo. Só que ele não competiu “limpo’, ou seja, estava dopado, tanto que foi flagrado pelo exame antidoping, pelo uso da substância Menfertamina.

Suspenso preventivamente pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), Libaneo apresentou suas justificativas, que não foram aceitas pela entidade.  O atleta abriu mão do direito de fazer a análise da contraprova (Amostra B). Na última quinta-feira, foi julgado pela Comissão Disciplinar Nacional da CBAt e pegou dois anos de suspensão.

Geisa Arcanjo, no Mundial Juvenil de 2010, quando foi pega no doping

Agora, vejamos o caso de Geisa Arcanjo. A arremessadora de peso paulista, de apenas 18 anos, ganhou as manchetes duas vezes em 2010: a primeira, por ter conquistado uma inédita medalha ouro feminina para o Brasil no Mundial juvenil, realizado no Canadá; a segunda, por ter sido flagrada no exame antidoping, feito no dia da prova, pelo uso da substância Hidroclorotiazida.

Geisa perdeu a medalha de ouro e foi suspensa preventivamente. Só que ao contrário de Lourival Libaneo, teve um final feliz. Seu caso foi julgado dois dias antes pelo tribunal da CBAt e a atleta levou a pena mínima e recebeu apenas uma advertência. Sim, levou uma bela bronca e está liberada para competir, possivelmente até mesmo nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em outubro.

O atletismo brasileiro vem sofrendo com os inúmeros casos de doping há anos. O seu pior momento foi em 2009, às vésperas do Mundial de Berlim, quando um escândalo envolvendo a equipe de velocistas da equipe Rede, de Bragança Paulista, que culminou com a suspensão de cinco atletas e a eliminação dos técnicos Jayme Netto e Inaldo Sena do esporte. Outros vários casos vem ocorrendo, boa parte em provas de rua, o que mostra que a entidade está muito longe de vencer a guerra contra o doping.

Aí, eis que surgem dois casos como os de Geisa e Lourival Libaneo, com decisões opostas. A CBAt usou critérios diferentes e fez uma grande lambança. Doping é doping! Não importa que a atleta utilizou uma substância para emagrecer e garantiu que não tinha a intenção de melhorar sua performance.

Como diz o advogado e blogueiro Alberto Murray, ex-integrante da assembleia geral do COB e do CAS (Corte Arbitral do Esporte), os dirigentes da CBAt preferiram passar a mão na cabeça de Geisa Arcanjo, ao invés de aplicar a punição devida (dois anos de gancho), e assim poupar um dos raros talentos que surgiram nos últimos anos.

Neste caso, a CBAt pisou na bola. E feio.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 25 de março de 2011 Pan-Americano | 09:36

Tem seletiva para todos os gostos…

Compartilhe: Twitter

Rogério Clementino, favorito para ficar com uma das vagas no Adestramento

Não será por falta de opções que o torcedor que curte esportes olímpicos deixará de ficar ligado neste final de semana. Nada menos do que seis modalidades estarão em ação nos próximos dias, com atletas em busca de vagas para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, a partir de 13 de outubro. Confira abaixo quem estará tentando carimbar o passaporte:

Pentatlo moderno:

Penúltima seletiva nacional, marcada para este sábado, em São Paulo. Estão em jogo três vagas (duas masculinas e uma feminina – Yane Marques, oitava colocada na Copa do Mundo dos EUA, já está classificada). A classificação será feita através da somatória de pontos

Taekwondo:

Seletiva para o Pan, na cidade de Lima (Peru). São quatro categorias em disputa (masculino e feminno), classificando 12 atltas em cada uma delas. Os destaques da equipe brasileira são Márcio Wenceslau (até 58kg) e Diogo Silva (até 68kg). Começa nesta sexta-feira e vai até este sábado.

Boxe:

Disputa do 1º Pré-Pan, na cidade de Cumana (Venezuela), vai até a próxima terça-feira. O Brasil viajou com uma equipe de dez lutadores, sendo sete homens e três mulheres, que disputarão o Pan-Americano pela primeira vez. Outras duas seletivas estão previstas.

Ginástica rítimica:

A ginasta gaúcha Eliane Sampaio participa da Copa do Mundo de Pesaro, na Itália, a partir desta sexta-feira. O evento termina neste domingo. Ela disputará os quatro aparelhos (maças, fita, bola e arco) e tenta somar pontos no ranking para garantir sua vaga no Pan.

Hipismo/Adestramento:

Disputa do 1º Concurso Seletivo, na Sociedade Hípica Paulista, em São Paulo, a partir desta sexta-feira. Serão realizadas mais quatro eliminatórias, a última delas no mês de julho, em local ainda indefinido. O cavaleiro Rogério da Silva Clementino lidera o ranking da seletiva. O evento termina neste domingo.

Futebol:

Prossegue o Sul-Americano Sub-17 em Ibarra, no Equador. Nesta sexta-feira, o Brasil enfrenta a Colômbia, no encerramento da primeira fase. A equipe já está classificada para o hexagonal final. Os três primeiros colocados estarão classificados para o Pan de Guadalajara.

Autor: Tags: , , , , , , ,

quinta-feira, 24 de março de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 13:30

Brasileiros tentam carimbar passaporte no boxe do Pan

Compartilhe: Twitter

Mike Carvalho (à dir) luta para garantir sua vaga em Guadalajara

Sem contar com a presença de representantes nas categorias pesado e superpesado, a seleção brasileira de boxe começa nesta quinta-feira a lutar por vagas aos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Na disputa do 1º Pré-Pan, que está marcado para a cidade de Cumana, na Venezuela, uma equipe formada por dez boxeadores (sete homens e três mulheres) briga literalmente pelas vagas no evento poliesportivo,que terá início a partir de 13 de outubro. E será um grupo em condições de carimbar  o passaporte logo nesta primeira eliminatória, de acordo com o presidente da CBBoxe, Mauro Silva.

“Aposto na equipe inteira. Todos estão muito bem preparados e embora não possa garantir que eles ganharão medalhas, estão em condições de conseguir a vaga”, garantiu o dirigente. E se a equipe conta com nomes conhecidos no boxe amador, como o médio-ligeiro Myke Carvalho (até 69kg)  e o peso pena Robenilson de Jesus (até 56kg), traz como maior novidade a presença das mulheres, que estreiam em uma competição poliesportiva justamente em Guadalajara. E a equipe feminina do Brasil deixa Silva todo animado.

“O boxe feminino brasileiro é o melhor das Américas”, afirma o cartola da CBBoxe, ressaltando as presenças de Roseli Feitosa, campeã mundial na categoria peso médio (até 75kg) e a peso leve (até 60kg) Adriana Araújo, dona de sete medalhas em campeonatos pan-americanos da modalidade. “São meninas que têm condição de conquistar a medalha de ouro no Pan”, avisa Mauro Silva.

Vamos aguardar para ver se o  otimismo do digente brasileiro se confirma ou trata-se de excesso de animação…

Confira abaixo a equipe brasileira no Pré-Pan da Venezuela:

Feminino
51 kg – Clélia Costa
60 kg – Adriana Araujo
75 kg – Roseli Feitosa

Masculino
52 kg – Juliao Neto
56 kg – Robenilson de Jesus
60 kg – Robson Conceição
64 kg – Everton Lopes
69 kg – Myke Carvalho
75 kg – Esquiva Florentino
81 kg – Yamaguchi Florentino

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 23 de março de 2011 Pan-Americano, Seleção brasileira | 18:21

Boxe brasileiro faz opção pragmática e ignora pesos pesados

Compartilhe: Twitter

Quando será que um brasileiro repetirá os feitos do grande cubano Félix Savon (à esquerda)?

Se você é fã de boxe amador, especialmente dos combates entre pesos pesados e superpesados, pode tirar o cavalinho da chuva se sonha em assistir a uma destas lutas envolvendo brasileiros, tanto nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no próximo mês de outubro, como nas Olimpíadas de Londres, em 2012. Na seleção brasileira de boxe, não há espaço para os pesos pesados e superpesados.

“Não podemos mais sair do Brasil apenas para participar das competições, fazer figuração. Temos que ir sempre em condições de brigar por vagas olímpicas e pan-americanas, além de ter condições de lutar por medalhas”, explica Mauro Silva, presidente da Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe). Desta forma, ele explica a ausência de representantes nas categorias pesado e superpesado no 1º Pré-Pran de boxe, que começa a partir desta quinta-feira e vai até o próximo dia 29, na cidade de Cumana, na Venezuela.

O dirigente não poupa nas críticas aos lutadores que atuam nestas duas categorias, justificando assim a escolha da entidade. “O Brasil não tem nível técnico, tanto olímpico quanto pan-americano. Por isso, decidimos investir em outras categorias”, disse Silva.

Até entendo o pensamento pragmático do presidente da CBBoxe. Muitas modalidades costumam ir às grandes competições poliesportivas apenas para passear mesmo, porque não têm nível técnico para competir com outros países. Mas gostaria de ver também um trabalho de formação competente de formação de lutadores nestas categorias mais “nobres” do boxe, especialmente a dos pesos pesados.

Só para refrescar a memória, Muhammed Ali (então Cassius Clay), Evander Holyfield e os cubanos Teofilo Stevenson e Felix Savón são alguns dos grandes pesados da história olímpica. Será que um dia haverá espaço para um brasileiro ser lembrado por grandes feitos entre os pesos pesados? Por enquanto, isso parece ser somente um sonho mesmo.

Autor: Tags: , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  7. Última